6 de mai de 2017

PROFECIA DO CAOS - PREGAÇÃO DA MALDIÇÃO (ÁLBUM)



2017
Independente
Nacional

Nota: 8,2/10,0


Tracklist:

1. Intro/Profecia
2. Olhos Vendados
3. Punição
4. Nostradamus
5. Pilhagem
6. Apocalipse de Ódio
7. Visões
8. Pregação da Maldição


Banda:


Edu Kammer - Vocais
Fábio Basso - Guitarras
Natanael Leda - Guitarras
Fernando Mohammed - Baixo
Brenner Valverde - Bateria


Contatos:

Site Oficial: 
Twitter: 
Instagram: 
Bandcamp:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


A cena de Mingas Gerais como um todo tem forte traço conservador. Ou seja, a maior parte das bandas de terras mineiras prefere fazer qualquer tipo de estilo de Metal de uma forma mais à moda antiga. Não é uma característica ruim, e muito menos este autor está criticando essas bandas por isso. Mas digamos assim: um uma cena com tanta força conservadora, encontrar um grupo como o PROFECIA DO CAOS (de Poços de Caldas) chega a ser surpreendente. E o primeiro disco deles, “Pregação da Maldição”, é mais que bem vindo.

Misturando uma forma bem agressiva e intensa de Metalcore com influências de HC moderno e mesmo traços de Death Metal, o quinteto mostra força e vitalidade. Mas é bom que se diga: a força do grupo é feita em arranjos simples e uma sonoridade moderna, fugindo da técnica exacerbada comum no Metalcore. Além disso, os vocais são focados em urros quase guturais e gritos rasgados, sem vozes limpas.

E justamente por preferirem esse trabalho mais brutal é que o grupo é muito bom.

Produzido pelo próprio grupo, com tudo gravado, mixado e masterizado no Estúdio Athenas, o grupo conseguiu um resultado muito bom em termos de sonoridade. Sua música soa bruta, cheia de energia e sangra em agressividade, mas sempre com uma qualidade que nos permite compreender o que o grupo está tocando. E essa sonoridade se ajusta perfeitamente ao trabalho do quinteto.

A brutalidade opressiva do grupo tem como alinhavo a boa técnica do grupo, fora que o conjunto soa firme e compacto, como uma unidade. E isso acrescenta pontos, uma vez que a música do grupo é muito boa por si só, nessa mistura insana de guitarras caóticas, vocais urrados, baixo e bateria com peso e pegada brutal. 

O CD tem 8 canções, sendo que a azeda e opressiva “Olhos Vendados” e sua alternância entre momentos velozes e outros um pouco mais lentos (mostrando um trabalho vocal muito interessante, fora baixo e bateria estarem muito bem), a agressiva “Punição” e sua carga pesada de riffs intensos, a dinâmica ganchuda de “Nostradamus” com suas conduções excelentes nos bumbos duplos e nos riffs caóticos, a técnica nada trivial de vocais e guitarras mostrada em “Apocalipse de Ódio”, e a modernidade intensa e impactante de “Pregação da Maldição” (onde o baixo se mostra bem técnico) já o farão pogar de forma louca dentro de sua casa, carro ou seja lá onde estiver.

Uma banda muito boa, e se mostra uma bela revelação.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário(s):