8 de jul de 2014

Psychotic Eyes: Dimitri Brandi faz participação especial no disco de estréia do In Soulitary



Expoentes do Progressive death metal, o PSYCHOTIC EYES está trabalhando na pré-produção de seu novo disco de estúdio. (Foto: Ananda Jacques)

Ainda sem título definido, esse será o terceiro trabalho da carreira, sucessor do super elogiado "I Only Smile Behind The Mask", álbum de 2011 que foi indicado para três categorias entre os "Melhores do Ano" na votação realizada entre os leitores da revista Roadie Crew. 

Paralelamente aos trabalhos com o novo disco do PSYCHOTIC EYES, o vocalista e guitarrista Dimitri Brandi foi recentemente convidado pela banda paulista In Soulitary para fazer participações especiais em duas músicas no disco de estréia da banda, "Confinement". Dimitri compôs dois solos de guitarra para as faixas "Ministry of Truth" e "River of Souls".

"Fui convidado pelo Marcel Briani, vocalista da banda, que me mandou as bases", conta Dimitri Brandi. "Gravei os solos de "Ministry of Truth" e "River of Souls" em casa mesmo, com o mesmo equipamento que gravei o "I Only Smile Behind the Mask". Foi bem difícil solar em música alheia, precisei entender a emoção que a banda queria passar, e isso não foi fácil. Quando eu mesmo componho, já sei que história o solo deve contar. Para essas participações tive que aprender a pensar com a cabeça e estilo de outras pessoas, foi um desafio artístico inédito na minha carreira. Isso tudo porque acho que o solo de guitarra tem uma importância fundamental no metal, ele deve continuar a história contada pelos vocais, só que sem palavras, só com abstração e emoção. Não é o momento de mostrar técnica, mas de prender a atenção do ouvinte e tentar envolve-lo na música. Eu sinto assim, pois comecei a tocar por causa de um solo de guitarra que fez isso comigo ("Aces High", do Iron Maiden). No final, fiquei muito orgulhoso. Acho que o solo que gravei para a "Ministry of Truth" figura fácil entre os melhores que já toquei na minha vida".

O In Soulitary disponibilizou um 'lyric video' da faixa "Ministry of Truth" que conta com um dos solos gravados por Dimitri Brandi.


Mais Informações:  



Fonte: Som do Darma
Informações para Imprensa
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621

Resenha: Hate Embrace - Sertão Saga (CD)

Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Trabalhos musicais diferenciados andam aparecendo com certa frequência no Brasil. Isso é bom, pois mesmo tendo forte ranço Old School no Brasil (cuja existência é necessária por muitos motivos que este autor já ressaltou muitas vezes, embroa muitos tomem isso como um posicionamento radical, o que não é correto), ainda vemos bandas que buscam inovar algo em seu trabalho. E o HATE EMBRACE, banda de Death Metal de Recife (Pernambuco), mostra que conformismo não é com eles em "Sertão Saga".

O quinteto faz um Death Metal mais tradicional, embora lance mão de técnica, alguns momentos mais thrashers (nos riffs) e melodias algumas vezes (graças aos teclados que surgem bem aqui e ali), com estruturas harmônicas não muito convencionais. E sim, "Sertão Saga" é um disco bem criativo, já que usa letras em português (focando a vida de Virgulino Ferreira da Silva, conhecido como Lampião, um cangaceiro do sertão brasileiro, em um trabalho de promoção histórica fantástico), vários momentos de música regional do Nordeste. É uma incrível fuga do marasmo incrível!

A produção sonora do grupo ficou em bom nível, nos permitindo a compreensão clara de seu trabalho, dando peso e conseguindo deixar o trabalho musical bem claro, onde o próprio grupo junto com Joel Santana conseguiram deixar a sonoridade bem feita (poderia ser um pouquinho melhor, mas está boa). O trabalho gráfico é fantástico, rebuscando a arte que vemos em vários trabalhos de pintores que retratam a realidade da região Nordeste de nosso país, um trabalho esmerado e lindo de Ricardo Necrogod (baterista/vocalista do grupo) e Tamy Daksha (tecladista).

Hate Embrace
Em termos de composição, o HATE EMBRACE abusou da criatividade, trazendo arranjos maravilhosos para os instrumentos tradicionais do Metal, mais os toques regionais já citados acima. E vale dar nome às participações especiais de Wanessa Campos (jornalista e pesquisadora sobre o cangaço de PE), Silvério Pessoa (cantor em "Utopia"), Magno Barbosa e Rafael Cadena (vocalista/baixista e vocalista/guitarrista, respectivamente, do CANGAÇO, em "Utopia" e "Imponência"), Pedro Thomaz (vocalista do NECROHOLOCAUST em "O Começo do Fim"), Alcides Burn (vocalista do INNER DEMONS RISE em "Revolta"), Adriano Forte (vocalista do LETHAL RISING em "Utopia" e "Imponência"), Washington Pedro (guitarrista/vocalista do THE AX em "Intolerância"), além de Ivanúbis Holanda (ex-EMPTY BOOK, e atual violinista da Orquestra Sinfônica do CPM), que deram contribuições maravilhosas ao disco. 

Em termos de música, basta dizer que o disco inteiro é forte, digno de aplausos, e não tenho como falar mal de uma faixa que seja. Não dá, é humanamente impossível!

Uma introdução narrada sobre as desgraças da seca no NE (que abre "O Início", primeira parte da trilogia histórica que o disco abrange) antecede "Vidas Passadas" (com um trabalho de guitarras bem diferenciado, mais arranjos de teclado e mudanças de andamentos maravilhosas), passando pela bruta "Intolerância", e pela agressiva "Revolta" (mas cheio de momentos mais técnicos das guitarras, com bateria e baixo mostrando um trabalho fantástico). Outra narrativa (abrindo o segundo ato, "O Meio") vem antes da fantástica "Guerranunciada" (linda melodias de teclados e guitarras entremeando um andamento não tão veloz, permeada por um bom trabalho de vocais guturais e bumbos), a bela e climática "Utopia" (que começa com toques regionais, e quando a coisa ganha peso, temos belos trechos com vocais limpos, para depois surgir uma faixa com mais mudanças rítmicas e um certo toque de melancolia), passando pela aguerrida e cadenciada "Lampião Rei" (um toque regional com um distorcedor antecede uma música de andamento não tão veloz, com belo trabalho de bateria e baixo mais uma vez, para um teclado raçudo dar um toque de beleza no meio de tanta pancadaria e mudanças de andamentos). O terceiro ato, "O Fim", abre com uma narrativa melancólica sob o som de um violino, e então, vem a insana "Imponência" (que guitarras!), pela opressiva e mais dinâmica "No Rastro" (um clima mais cadenciado, só que mudanças surgem vez por outra), então a obra encerra com chave de ouro em "O Começo do Fim", outra pancada forte, mas envolvente e ganchuda. Mas ainda temos uma soturna instrumental, chamada "Sertão Dual", que fecha o disco, focada em efeitos e teclados.

Uma obra fantástica, sem sombra de dúvidas, cuja aquisição é obrigatória.



Tracklist:

1º Ato : "O Início"
01. Vidas Passadas
02. Intolerância
03. Revolta

2º Ato : "O Meio"
04. Guerranunciada
05. Utopia
06. Lampião Rei

3º Ato : "O Fim"
07. Imponência
08. No Rastro
09. O Começo do Fim


Banda:

George Queiroz - Vocais
João Paulo - Guitarras
Tamyris Daksha - Teclados
Alexandre Cunha - Baixo, vocais
Ricardo Necrogod - Bateria, vocais


Contatos:

Resenha: In Soulitary - Confinement (CD)

Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


E o sexteto IN SOULITARY retorna às páginas do Metal Samsara, e dessa vez com seu primeiro Full Length, "Confinement". E realmente, em relação a seu EP "He Who Walks", antes visto aqui mesmo, a banda deu um salto qualitativo absurdo (sem no entanto perder sua personalidade), e não foi à toa que a Shinigami Records abraçou a banda com unhas e dentes.

O trabalho do sexteto é longe do convencional, uma mistura de Thrash e Death Metal com aspectos mais técnicos e fortes do Metal extremo épico e muito de Metal tradicional aqui e ali (especialmente na estruturação melódica dos solos e harmonias das faixas), em um trabalho que poderia, nas proporções certas, ser comparado ao do MALEFACTOR brasileiro, com a diferença sutil da banda focar mais em em aspectos elegantes e melodiosos, e não tão brutal.

Produzido pela banda em parceria com Di Lallo, sendo que este último ainda mixou e masterizou o disco, e gravado inteiramente no AV Works Studio, podemos dizer que a produção atingiu seu objetivo de dar peso e clareza instrumental ao trabalho, já que o disco soa muito pesado e agressivo, mas ao mesmo tempo, os instrumentos estão audíveis e sem estarem embolados ou se sobrepondo. A arte, um trabalho do vocalista Marcelo Briani, ficou ótima, dando corpo à música do grupo.

In Soulitary
Musicalmente, o sexteto se mostra maduro, com um trabalho musical cheio de identidade e bem trabalhado, mostrando que a banda é centrada quando escreve suas canções. E o disco mostra uma preocupação extrema com os arranjos, o que torna as músicas cheias, e isso é importante. E ainda é mais brilhante devido à presença de convidados ilustres como Mario Pastore (vocalista do PASTORE e que participa em "Hollow" e "River of Souls"), Dimitri Brandi (vocalista/guitarrista do PSYCOTHIC EYES, fazendo os solos de "Ministry of Truth" e "River of Souls"), Luigi Regolini (segundo solo de guitarras em "The Key"), Lan Weiss (conhecida vocalista da cena paulista, que participa nos vocais em "The Key"), Michel "Dad" Liles (que faz as narrativas em "Devil's Playground" e "Ministry of Lies"), e Verônica O. Rodriguez (vocais em "Written to Life").

"Confinement" já nasceu um disco excelente. Basta ouvir canções como "Written in Life" (uma música envolvente, com belos duetos de guitarras e um andamento cativante), a trabalhada e dinâmica "Behind the Rows" (que belo trabalho de vocais, diga-se de passagem), a empolgante "Mouth of Madness" (vejam que guitarras excelentes em riffs e duetos, além de belas mudanças de andamento, e teclados fantásticos), a veloz e com toques de música clássica "River of Souls", a melodiosa e sinuosa "Ministry of Truth" (novamente ótimos vocais e grandes corais, e a letra se baseia no livro "1984", de George Orwell. Não deixem de ler o livro!), "The Key" (mais uma vez com vocais fantásticos, mas baixo e bateria mostram o porquê de serem a usina de força do sexteto), e a forte e melodiosa "True Religion", para terem a clara impressão do que digo, mas este é um disco ótimo como um todo. Podem ouvir de ponta à ponta sem medo.

Ótimo trabalho, e parabéns ao IN SOULITARY, aos seus convidados e à Shinigami Records por nos brindar com algo tão bom.

Lista dos Top 10 nacionais de 2013 com certeza!




Tracklist:

01. Burning Tsa
02. Hollow
03. Written to Life
04. Behind the Rows
05. Mouth of Madness
06. River of Souls
07. Devil’s Playground
08. Ministry of Truth
09. Raven King
10. The Key
11 Deep Fear
12. True Religion


Banda: 

Marcel Briani - Vocais
Danny Schneider - Guitarras
Rafael Pacheco - Guitarras
Elder Oliveira - Baixo
André Bortolai - Teclados
Matthew Liles - Bateria


Contatos:

Resenha: Mutran - Yellow Pictures (CD)

Independente
Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Há algumas bandas surgindo no Brasil nos últimos tempos que andam tirando o fôlego de nós, escritores de sites e revistas. Isso se deve ao fato que algumas andam querendo não só fazer um bom trabalho, mas algo criativo e diferenciado. E isso pesa na balança demais, e o sexteto carioca MUTRAN está nessa turma, já que "Yellow Pictures" é um disco maravilhoso, que faz um bem enorme aos ouvidos e coração.

O que existe no CD em termos de música é uma mistura bem intimista e extremamente espontânea de Rock dos anos 70 e 80, aspectos progressivos e elementos do Heavy Metal, do Country e do Blues aqui e ali, então, vemos que o ecleticismo impera. E é justamente esta fusão que faz o disco ser tão bom, que faz com que vá diretamente ao coração do ouvinte. E com o detalhe: em momento algum o ouvinte terá a sensação de estar ouvindo bandas diferentes em um mesmo disco. O ecleticismo não aboliu a coesão.

Gravado nos FKS Studios, em Niterói (RJ), vemos que a o trabalho de produção, gravação, mixagem e masterização de "Yellow Pictures" foi muito burilado, já que a sonoridade que flui do disco é bem acabada, requintada e clara, mas sem deixar de ter aquele peso e intensidade que o Rock como um todo tanto necessita. A capa, um trabalho da Mutran Artwork, se enquadra perfeitamente na sonoridade do disco, uma autêntica viagem.

Mutran
Em terras que imperam vuvuzelas, fogos, funk, pagode e outros ruídos nocivos às mentes pensantes, "Yellow Pictures" é um furação de ar puro para os ouvidos e espíritos, graças ao fato das nove composições serem muito bem arranjadas, em um trabalho esmerado e de qualidade inegável, fugindo (e muito) dos padrões rígidos que são impostos no meio musical de hoje em dia. Aqui, os padrões foram jogados às baratas, e sejamos francos: já foram tarde.

O disco é perfeito do início ao seu final, o que nos leva a ouvir o disco vezes e vezes infinitas. O disco abre com a pesada "Galactic Tales: The Legend of Captain Pollen" (perfeitos arranjos de guitarras e teclados, em uma faixa pesada e com andamento coeso e firme), seguida da ganchuda e mais rocker "Are You Still Out There?", a bela e quase progressiva "Peace on Earth" (reparem nas guitarras com toques indianos no início, para então termos um clima mais intimista e progressivo dominando a música, com vocais bem encaixados e belo solo). Temos depois a quase Pop "I Don't Care" (que nos embala lindamente, com belo trabalho de baixo e teclados), a mezzo Country, mezzo balada "Your Song", a viajante e progressiva "Sounds of Love", a pesada e elegante "Live and Let Live", o clima puramente Rock'n'Roll intimista de "Crossroad", e a intensa "Brahma's Day" (reparem que solo de guitarra ótimo, focado exclusivamente no feeling da música), que fecha o disco soberbamente.

O disco é temático, logo, cada momento nele é único e precioso, logo, adquiram suas cópias, e deixem sua mente viajar deliciosamente ao som da música.



Tracklist:

01. Prelude
02. Galactic Tales: The Legend of Captain Pollen
03. Are You Still Out There?
04. Peace on Earth
05. I Don't Care
06. Your Song
07. Sounds of Love
08. Live and Let Live
09. Crossroad
10. Brahma's Day


Banda:

Gustavo Mutran - Guitarra e Vocais
Mayckell Santos - Guitarras
Adão Roza - Baixo, backing vocals
Elias Alves - Teclados, backing vocals
William Ocanha - Percussão
Thiago Pedroso - Bateria


Contatos:

Liar Symphony: está pronta a mix do novo disco!


A mixagem de "Before de End", o novo álbum do LIAR SYMPHONY, acaba de ser finalizada. O quinto álbum de estúdio da banda foi gravado no estúdio Masterpiece, de propriedade do guitarrista Pedro Esteves. "Tenho muito orgulho desse trabalho e dessa banda. Depois de tantos anos de batalha, ainda estamos em pé, com honra e com garra pra continuar. Parabéns a todos nós!", orgulha-se o guitarrista, que também assina a produção.

Considerado um dos nomes mais atuantes do cenário Metal nacional na primeira década de 2000, o LIAR SYMPHONY saiu de cena logo após o lançamento de "Acoustic, Alive, in Studio", de 2010. Após um hiato de quatro anos, a banda voltou empolgada com o material que preparou enquanto esteve em silêncio. "Hoje, sem dúvida, é um dia sensacional! Ouvi a versão finalizada de 'Before the End' e posso dizer que está simplesmente inacreditável! Dá uma incrível sensação de que fizemos todos um trabalho fantástico e especial", comemora o baterista Anderson Alarça.

Para esquentar os motores para o lançamento de "Before the End", o LIAR SYMPHONY fará sua volta aos palcos no "VI Cachoeira Rock Fest", que será realizado no dia 9 de agosto, na cidade de Cachoeira Paulista, interior de São Paulo. Em poucas palavras, o guitarrista Pedro Esteves traduz a sensação de dever cumprido e a vontade da banda em mostrar a obra que acabou de concluir: "É isso aí, está pronto. Acabou! Agora estamos prontos para quebrar tudo, Liar Symphony is back!".

Sites relacionados:

Contato para shows: shows@liarsymphony.com



Resenha: Fire Strike - Lion and Tiger (EP)

Independente
Nota 8,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


O Metal Old School tem um ponto positivo inegável: o resgate de muita coisa boa do passado que não merecia cair no esquecimento. E apesar de muitas vezes algumas bandas perderem a noção de personalidade, em geral o saldo acaba sendo positivo. E uma das bandas que anda se destacando bastante no cenário nacional, com todo mérito, é o FIRE STRIKE, de São Paulo, bastando uma audição em "Lion and Tiger", seu EP, para se ter noção do que uma banda assim pode render.

O grupo mostra sua potencialidade tocando Heavy Metal tradicional em um híbrido da NWOBHM e muito do Metal germânico dos anos 80, em um trabalho que em muitos momentos nos faz recordar do estilão pesado e fluido do finado WARLOCK alemão com doses de ACCEPT, e no tocante a NWOBHM, puro IRON MAIDEN (especialmente nas guitarras). Uma junção de vocais bem agressivos e fortes, guitarras em belas bases e solos eficientes, uma cozinha que sabe medir peso e técnica nas medidas, e a banda soa como uma unidade, sem aquela noção de que um instrumento seja priorizado.

Fire Strike
Produzido pelo guitarrista Helywild, o disco soa pesado e intenso, talvez só deixando o volume das guitarras um pouco baixo, mas está boa e eficiente, mas ao mesmo tempo dá um feeling "anos 80" caprichado, mas sem soar datado ou empoeirado. O trabalho do grupo soa vivo, coeso e vibrante. E com uma bela capa, um trabalho bem legal.

Cinco músicas bem vibrantes de puro Heavy Metal tradicional Old School: a pesada e vibrante "Night Fever" (ótimo duelo de solos, fora um trabalho de baixo e bateria muito bom), a ganchuda e não tão rápida "Streets of Fire" (bela interpretação por parte de Aline, que lembra em vários momentos a deusa Doro Pesch na época do WARLOCK), a empolgante "True as a Dream" (base baixo-bataria muito boa e pesada), "Masters of the Seas" (onde a banda mostra a força de influência germânica em seu trabalho, novamente com ótimos vocais), e a pancada tradicional "Lion and Tiger" (belo trabalho das guitarras mais uma vez).

Certamente, o FIRE STRIKE ainda pode evoluir mais, pois seu potencial é muito grande, mas já se mostra maduro e pronto para vôos mais altos.

Vão longe!


Tracklist:

01. Night Fever
02. Streets of Fire
03. True as a Dream
04. Master of the Seas
05. Lion and Tiger


Banda: 

Aline Nunes - Vocais
Henrique Schuindt - Guitarras
Helywild - Guitarras
Edivan Diamond - Baixo
Jean Praelii - Bateria


Contatos:

Strike Metal (Imprensa)

07/07/2014: Sinnerator, No Remorse, Wael Daou, Embrio, As Dramatic Homage, Charlar



Sinnerator: Em estúdio compondo material novo


Após a boa repercussão do single “The World Being Led To Death”, o SINNERATOR já está em estúdio compondo novas músicas, que pertencerão ao seu vindouro álbum.

Mesmo assim a banda não para de evoluir, e não quer estagnar, mas sim crescer ainda mais musicalmente e profissionalmente, como explica o baixista/vocalista Arthur Hertel:

“Estamos muito felizes com o resultado do nosso single, porém o momento exige evolução, pois para se manter vivo em uma cena tão competitiva e cheia de qualidade exige trabalho e muita dedicação. Temos nossos planos programados, mas com os pés no chão, mas sempre pensando na evolução e no que podemos melhorar em nosso som.”

Se você ainda não conhece o SINNERATOR esta perdendo tempo, Rock N’ Roll do mais alto nível, e certamente apresentarão um disco destruidor e cheio de vida, fiquem ligados!


Links Relacionados:




No Remorse: Show com Krisiun neste sábado


E o NO REMORSE não para! Desta vez os thrashers carioca irão quebrar pescoços ao lado da lenda do Death Metal nacional o Krisiun, em um show que traz ainda Prophecy, Forkill, Maieuttica e Unmasked Brains.


O show será no Mesquita Club (Estrada Felicia no Sodré, 2325, Centro – Mesquita/RJ), tendo inicio às 19h e com ingresso a partir de R$15. 

Não da para perder, pois ver grandes bandas por esse preço não é todo dia, um evento do mais alto nível metálico! 


Não é de hoje que o NO REMORSE vem incendiando a cena carioca, seja por sua competência absurda em cima do palco ou por sua humildade e simplicidade com todos. Dando continuidade a divulgação do EP “demoHATE”, o NO REMORSE ganha cada vez mais seguidores em seu alcoholic Thrash Metal.

Lembrando que em breve teremos um novo single rodando, que pode ser considerado uma verdadeira destruição sonora, aguardem!

Links Relacionados:




Wael Daou: “Poder homenagear o Paulo nesta coletânea é o ápice da minha carreira”



Uma perda precoce de um dos melhores guitarristas do Brasil é o sentimento que passa quando nos lembramos de Paulo Schroeber (Almah, Astafix, Hammer 67). 

Ao meio a tanta dor o guitarrista Cauê Leitão (Andragonia) resolveu prestar uma bela homenagem, lançando o volume três da coletânea “Friends Of Rock Guitar” dedicada a Schroeber, onde Cauê reuniu diversos guitarristas do Brasil.


E um dos escolhidos foi o mago das oito cordas WAEL DAOU, que está presente na coletânea com a emotiva e poderosa “Salah El Fine”, que mostra grande técnica, mas um poder sentimental absurdo, que segundo o próprio WAEL:

“Poder homenagear o Paulo nesta coletânea é o ápice da minha carreira! Escolhi “Salah El Fine” por toda sua carga emocional, pois foi uma perda irreparável e que não esperávamos, pois conhecia seu trabalho e seu talento era latente, um dos melhores guitarristas que o mundo já viu.”

Infelizmente ele se foi, mas sua música continua para lembrarmos-nos desta grande pessoa e músico.

Aproveite e baixe gratuitamente a “Friends Of Rock Vol. 3” no link a seguir e confira esta bela homenagem: http://bit.ly/VBiF7i

Link Relacionados:
Twitter: @waeldaou



Embrio: Participando do “United West Festival”



E no dia 19/07 (sábado) o EMBRIO irá invadir Santa Catarina para mais um grande show, desta vez no “United West Festival”, onde dá continuação na divulgação de seu mais recente trabalho “Revolt Against The System”.



Além do EMBRIO teremos as bandas Red Razor, 7Bullets, Alkest e Bullet Ride, num evento dedicado ao underground, trazendo bandas de diversos estilos.

O “United West Festival” será no AABB Pinhalzinho/SC (Estrada geral, na entrada da linha Anta Gorda, na estrada depois do cemitério da cidade), com inicio as 19h30min e com ingresso a partir de R$10.


O que acha de ouvir uma música do novo disco do EMBRIO que saíra em 2015? Curtiu a ideia? Basta baixar a coletânea da Heavy And Hell Press no link a seguir: http://bit.ly/1lJBQ8v

Links Relacionados:

Twitter: @embriothrash

  

As Dramatic Homage: Tocando no “2° Twilight of the Idol”


E um dos festivais mais esperado pelas linhas obscuras do Heavy Metal retorna em sua segunda edição, desta vez trazendo os cariocas do AS DRAMATIC HOMAGE, onde mostrarão o poder de usas composições e todo seu poder atmosférico.

O evento ainda contará com as bandas HellLight, Into Spectrum e Soturna, numa verdadeira celebração ao que há de mais obscuro no Heavy Metal.

O evento será no Planet Music (Av Ernani Cardoso, 66, 21310-310 Rio de Janeiro/RJ), no dia 19/07 (sábado), com ingresso custando R$20, tendo inicio às 23h.




Links Relacionados:

Twitter: ADHMetal

  

Charlar: Participando do aniversário de dois anos da equipe Wheels of Fire


Dando sequencia a divulgação de seu EP “Creation of the Mind” a CHARLAR irá participar do aniversário de dois anos da equipe de Roller Wheels of Fire junto com a banda Motor City Madness.

O evento terá entrada franca e será no Frankenhaus (Rua Coronel Genuíno, 213 – POA/RS), com inicio às 20h.

Confirme sua presença no evento: 


Com uma ótima repercussão de seu EP de estreia a CHARLAR se prepara para gravar seu primeiro clipe, como também está preparando o lançamento físico de “Creation of the Mind”.

Confira o que o site MetalRocks falou de seu primeiro EP: "Uma banda com excelente futuro, dentro de um estilo que atualmente se encontra, de certa forma, saturado e precisando de renovação. "

Leia a matéria na integra aqui: http://bit.ly/1spkU8J

Links Relacionados:




Centúrias e Bruno Sutter nesta sexta (11) na Kiss FM



O baixista Ricardo Ravache e o vocalista Nilton "Cachorrão" Zanelli estarão nesta sexta (11) nos estúdios da Kiss FM (102.1) para participar do programa "Bem que se Kiss". Com muito rock e humor, o programa apresentado pelo músico e humorista Bruno Sutter levanta a bandeira do propósito da Kiss: mostrar que o Rock não tem idade, não tem distinções.

Centúrias na Kiss FM
Sexta (11), ao vivo, das 12h às 13h

O grupo, que atualmente promove o single "Rompendo o Silêncio" (2013) e segue compondo para um novo álbum completo de estúdio, voltará aos palcos no próximo dia 26 de julho (sábado). O evento, ao lado do lendário grupo de Punk Rock Olho Seco, será realizado a partir das 21h no Garage Studio, na rua Tucuna 994, no bairro da Pompéia, em São Paulo/SP. Ingressos limitados: R$ 15. Mais infos em https://www.facebook.com/events/1525630044324559/

Contato: 

Para adquirir o novo single e o merchandising da banda, escreva para contato@centurias.com.br



07/07/2014: Hibria, Grimriot, Creptum, Vetor




Hibria: Eduardo Baldo executando ‘Deadly Vengeance’ em Drum Cam


O baterista Eduardo Baldo, do HIBRIA, acaba de disponibilizar mais um vídeo de sua performance na bateira.

A música é do mais recente álbum ‘Silent Revenge’, ‘Deadly Vengeance’, e foi gravada durante a última turnê do grupo pelo Japão, ano passado, confira:


O músico é endorsado pelas marcas: Tama, C.Ibañez, Urbann-Boards Drummer Shoes, AKG e Bateras Beat POA.


Lembrando que a cozinha do HIBRIA com o baixista Benhur Lima e o baterista Eduardo Baldo, fará um WORKSHOP no dia 26 de julho, em Caxias do Sul, no Bateras Beat Caxias. Mais informações podem ser encontradas pelo e-mail: caxias@baterasbeat.com.br

Um outro WORKSHOP, cujo objetivo maior será a arrecadação de alimentos e agasalhos a serem doados aos necessitados, será realizado no dia 19 de julho, em Porto Alegre na Mil Sons (www.milsons.com.br), às 14h.

O HIBRIA também está com videoclipe novo, uma superprodução para a música ‘Shall I Keep On Burning?’, confira:


‘Shall I Keep On Burning?’ é o terceiro trabalho audiovisual retirado de ‘Silent Revenge’ que ainda conta com clipes para as músicas ‘Silence Will Make You Suffer’ e a faixa-título.

Lançado em 2013, ‘Silent Revenge’ é o quarto álbum de estúdio do HIBRIA e foi novamente aclamado por algumas das principais mídias mundiais como um dos principais lançamentos de Power Metal do ano passado.

Contato para shows: hibria@hibria.com

Sites relacionados:



Grimriot: Confira a capa de ‘Under Red Stars’


Depois do título anunciado, o GRIMRIOT nos apresenta a capa de seu debut ‘Under Red Stars’.

O responsável pela capa foi o artista Carlos Fides, Artside, que já trabalhou com nomes como Sacrificed, Sacrario, Underpain, Semblant, entre outros. Conheça mais aqui: www.artside.com.br


Sobre o título, o guitarrista Brunno Tripovichy explica melhor o conceito:

“A escolha do nome veio a partir do título de uma das músicas. Após conceituarmos o que a arte do CD representaria, de um modo geral, a mensagem que as músicas transmitem, percebemos que, por “coincidência”, a música intitulada “Under Red Stars”, abrange todo o conceito da arte, e da mensagem geral que engloba praticamente todas as faixas do álbum.”

Seguindo a meta de apresentar boa parte do trabalho antes mesmo do lançamento, confira as músicas que já foram liberadas para audição:


Recentemente o GRIMRIOT anunciou que ‘Under Red Stars’ será lançado pelo selo inglês Raptors Music. O trabalho é esperado para setembro.


Contato para shows e merchandise: grimriot@grimriot.com

Sites relacionados:



Creptum: Loja virtual já está disponível


O CREPTUM inaugurou recentemente sua loja virtual no Facebook. A intenção é facilitar aos apoiadores Brasil afora na obtenção de material do trio.

A loja conta com todo o material oficial disponível, inclusive com a nova camiseta. Para conferir e comprar visite: www.creptum.com/store

Lembrando que o novo trabalho, a regravação total da Demo de 2004 ‘The Age Of Darkness’, também está disponível nos produtos da loja virtual.


A regravação ocorreu no Estúdio CD Áudio Souza Lima, em São Paulo. A arte da capa ficou, novamente, a cargo de Raphael Grizilli (Tanatos), designer e um dos fundadores da banda.

‘The Age Of Darkness’ também pode ser ouvido de forma gratuita pelo link:


Contato para shows e merchandise: creptum@gmail.com

Sites relacionados:



Vetor: Mais três vídeos das gravações são disponibilizados


Seguindo no estúdio O Beco para gravar seu debut oficial, o VETOR apresenta mais vídeos do processo, agora os capítulos 4, 5 e 6.


Quem não acompanhou os três primeiros capítulos, pode fazer pelos links:


O debut já tem nome e capa. ‘Chaos Before The End’ teve a arte desenvolvida pelo artista Jean Michel (Designations Artwork) já trabalhou com nomes como Skinlepsy, NoWrong, entre outros.


Uma data oficial de lançamento, assim como mais detalhes do álbum serão disponibilizados em breve.

Ouça uma música:


Sites relacionados:



Fonte: Metal Media
High Quality Extreme Music
R. Eugênio Xavier de Souza
Jardim Santa Maria
Mococa, SP 13730-160
Brazil
Telefone: 55 19 98271-4968