18 de out de 2016

STONERIA: “Ela é uma crítica contra a cultura do estupro”


Irreverente, ousado e polêmico. Assim podemos definir o vocalista do STONERIA, Zen. Que sempre apresenta grande coerência em sua forma de se expressar, seja com as palavras ou com a música, onde traz de forma direta suas mensagens.

E como o palco é o mundo do STONERIA, Zen achou mais uma forma de expressar sua revolta e indignação por muitos problemas preconceituosos que assombram o mundo, a sua famosa fantasia de palhaço que é um verdadeiro protesto a cultura do estupro, como o próprio vocalista explica:

“A fantasia se chama fofão, utilizada pela cultura popular do maranhão. Esta fantasia que apresenta um palhaço assustador é usada durante o carnaval, mas sua origem tem uma história interessante. Após o fim da escravidão as mulheres continuavam sendo violentadas pelos fazendeiros com estupros. O povo quando ia no carnaval para criticar está atitude, vestia esta fantasia que cobre todo o corpo.”

Trazendo à tona todo um sofrimento vivido em épocas distintas, mas que se entrelaçam com a nossa sociedade machista e intolerante.

“Como os fazendeiros e senhores de engenho ficavam na sacada durante o desfile, eles viam no chão o pessoal com esta fantasia que com o nariz grande que tem na máscara parecendo o órgão genital masculino ereto. Quem via do alto não parecia um nariz, devido à localização deles. Esta fantasia foi proibida por um tempo após tomarem conhecimento disso, mas foi liberada depois. Ela é uma crítica contra a cultura do estupro”



Acesse o link e conheça o poder do Rock Nacional do STONERIA:



Links Relacionados:



GOLPE DE ESTADO: Catalau quebra o silêncio e fala com radio Rock Nation antes do show de 30 anos

Banda comemora 30 anos neste domingo (23)
com show repleto de clássicos e convidados
na Clash Club, em São Paulo

Quarta-feira, dia 19/10, às 18h, a radio Rock Nation apresentará uma conversa bombástica com o lendário Catalau, vocalsta que fez história ao lado do GOLPE DE ESTADO, e que mais de uma década depois, participará do show de 30 anos da banda, que acontecerá domingo (23/10), na Clash Club (veja serviço abaixo!)

O agora pastor evangélico, mas ainda roqueiro – como ele mesmo faz questão de afirmar; concedeu entrevista exclusiva ao programa Estúdio da webradio Rock Nation.

Entre os vários temas abordados na entrevista – além do show deste fim de semana; Catalau discorreu sobre religião, a crise no rock and roll e projetos futuros de sua carreira solo. Porém, a maior parte da entrevista foi mesmo sobre sua ex-banda da qual falou com muito carinho, mas confessou que a briga de egos entre seus quarto integrantes originais atrapalhou demais a sequência do trabalho. “São pessoas excelentes, mas profissionais muito exigentes, perfeccionistas, individualistas, egoístas. Isso prejudicou bastante. E eu me incluo nisso. Não estou falando deles, não. Eu me incluo também nisso”, fez questão de salientar Catalau.

Para ouvir a entrevista, acesse: www.radiorocknation.com (amanhã, quarta, às 18h!)

No show, além de Catalau, o GOLPE DE ESTADO contará com participações especiais como a de Luiz Carlini (Tutti Frutti, Camisa de Venus) e Ronaldo Giovaneli (Ronaldo e os Impedidos, ex-goleiro do Corinthians)

Siga a página do evento no Facebook:


Será uma noite histórica para os fãs do GOLPE DE ESTADO que traz em sua formação o músico do line up original, Nelson Brito (baixo), além de Rogério Fernandes (que já havia sido vocal da banda no passado, atual Carro Bomba), Marcello Schevano (guitarra, Carro Bomba) e Roby Pontes (bateria).

Formada em São Paulo, no ano de 1985, a banda logo se tornou uma das mais queridas do Brasil, com Catalau (vocal), Hélcio Aguirra (guitarra, R.I.P.), Nelson Brito (baixo) e Paulo Zinner (bateria). Com essa formação, gravaram os clássicos “Golpe de Estado” (1986), “Forçando a Barra” (1988), “Nem Polícia Nem Bandido” (1989), “Quarto Golpe” (1991) e “Zumbi” (1994). As performances de Catalau, sempre foram bastante comentadas, graças à sua entrega nos palcos.

A responsável pelo evento é a TC7 Produções.


Serviço:


Golpe de Estado – Show de 30 anos em SP, com as participações especiais de Catalau, Luiz Carlini e Ronaldo Giovaneli

Dia: 23/10 (Domingo)

Horário: 19h

Local: Clash Club (Rua Barra Funda, 969, Barra Funda – próximo ao terminal da Barra Funda)



Ingressos:

Pista Estudante: R$40,00 (segundo lote)
Pista Promocional: R$50,00 (segundo lote)
Camarote: R$70,00 (segundo lote)


Assessoria de Imprensa: Lanciare Comunicação (lpiantonni@lanciare.com.br)


Páginas relacionadas:



BRUTALLIAN: música em nova coletânea Roadie Metal


A música “Blow on the Eye”, do BRUTALLIAN, estará presente na nova edição da coletânea Roadie Metal Vol. 8.

Confira mais informações aqui https://goo.gl/eXNdWv

A faixa integra o álbum de mesmo nome, lançado em 2015, produzido, mixado e masterizado por Felipe Hyily e Cid Campelo no Base 17, em São Luis/MA. A capa e arte foi criada pelo artista Fabio Matta (Bar de Ideias).

O disco está disponível para audição no YouTube aqui http://bit.ly/2cQUzhJ

Acompanhe BRUTALLIAN no Facebook: www.facebook.com/brutallian


Fonte: Dunna Records

MAGISTER: experiente Kleber Fabianni anunciado como novo guitarrista

Foto: João Yamamoto

O MAGISTER oficializou o experiente Kleber Fabianni como novo guitarrista, que já contribui no processo de composição do terceiro álbum de estúdio, com previsão de lançamento no início de 2017.

Veterano da cena paulistana, Kleber integrou a lendária Banda Harppia (Página Oficial) por 5 anos, integrou o pesado, soturno e sofisticado OF THE ARCHAENGEL, além do Imbyra. Agora soma a sua pegada ao MAGISTER, na qual ingressou por intermédio do baterista Pedro Alzaga. “Foi uma honra receber o convite pra tocar num time que possui músicos fantásticos e de responsa como o MAGISTER”, celebrou Kleber.

Acompanhe MAGISTER no Facebook: https://www.facebook.com/metalmagister/


Fonte: Dunna Records

PHELAN: detalhes sobre novo álbum em entrevista na Cangaço Radio Rock


Tiago Rada e Ismail Masri, respectivos guitarrista e baterista do PHELAN, participaram do programa Cangaço Rock, da Cangaço Radio Rock.

Os músicos falaram sobre o início das atividades, o prazer em criar as próprias músicas, significado do nome Phelan, conceito das letras e repercussão do CD-demo “Eyes of Fear” (2005). Comentaram também dos problemas com mudanças na formação, lançamento do “Crossing Realities” (2011), expectativas pra início das gravações do novo álbum, que terá produção de Thiago Bianchi no Estúdio Fusão e mais!

Confira a entrevista completa e as músicas “Eyes of Fear”, “Blind Fear”, “Power of the Night”, “Fighting Again”, além da inédita “Time Traveller”, aqui https://goo.gl/941r3q.

Acompanhe PHELAN no Facebook: www.facebook.com/BandaPhelan


Fonte: Dunna Records

ATTRACTHA: dissecando uma levada com paradiddle de Aquiles Priester


Após o período de gravação do primeiro álbum de estúdio do ATTRACTHA, o baterista Humberto Zambrin retorna a sua coluna no canal Música Fácil para ensinar como fazer uma levada de Aquiles Priester usando dois bumbos e paradiddle.


Música Fácil é um canal para todo mundo que gosta de música, gosta de falar sobre música e gosta de tocar. Aqui comentários sobre bandas, músicas e shows. Se você não toca nada, esse canal vai te dar uma nova forma de ver a música. Se você é músico profissional ou amador, aprenderá mais. Se você quer ser músico amador, aulas que partem do zero.

Acompanhe ATTRACTHA no Facebook: www.facebook.com/AttracthA


Fonte: Dunna Records

MAESTRICK: assista vídeo do vocalista Fabio Caldeira em versão piano e voz de "Nothing Else Matters" do Metallica

Foto: Sarina Lopes


"Caixa Acústica" é o nome de um novo projeto audiovisual criado na cidade de São José do Rio Preto/SP cujo objetivo é disponibilizar vídeos semanais com artistas da cidade interpretando músicas em formatos não convencionais e diferentes das versões originais. No ar desde o mês passado, toda sexta-feira um novo vídeo é publicado no canal oficial do projeto no Youtube: youtube.com/caixaacustica.

Na semana passada o convidado foi ninguém menos que Fabio Caldeira, vocalista, pianista e compositor do grupo de rock/metal progressivo MAESTRICK.

O músico gravou uma introspectiva versão piano e voz de "Nothing Else Matters", do Metallica. O vídeo já é o mais visto do canal!


Fabio, junto a seus companheiros Renato “Montanha” Somera (baixo) e Heitor Matos (bateria), continuam trabalhando ao lado do produtor Adair Daufembach (Project46, John Wayne, Hangar) na gravação do próximo disco de estúdio do MAESTRICK, "Espresso Della Vita: Solare". 

Previsto para o início de 2017, "Espresso Della Vita: Solare" é a primeira parte de um disco duplo conceitual e traz uma observação da vida humana sob a perspectiva de viagem de trem. 

"Espresso Della Vita: Solare" será sucessor do aclamado disco de estreia do MAESTRICK "Unpuzzle!", lançado no Brasil em 2011 pela Wikimetal e em 2013 na Europa, EUA e Ásia pela Power Prog Records, e também do EP "The Trick Side Of Some Songs" que o grupo lançou recentemente reunindo versões para clássicos dos Beatles, Yes, Jethro Tull, Pink Floyd, Queen e Rainbow.


Mais Informações:


Fonte: Som do Darma
Gestão de Carreira
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621

ELIZABETHAN WALPURGA: apresentado o tracklist de ‘Walpurgisnacht’


Depois de anunciar o título de seu aguardado álbum, o ELIZABETHAN WALPURGA nos apresenta o tracklist de ‘Walpurgisnacht’.

O trabalho terá nove faixas, incluindo algumas de seu EP, o aclamado ‘Desire’, mas aqui repensadas e regravadas com a atual visão musical do grupo. Confira o tracklist:

1. Exordium
2. Vampyre
3. Clamitat Vox Sanguinis
4. Infernorium
5. The Serpent´s Eyes and the Horns of Crown
6. The Elizabethan Dark Moon
7. The Canine Enchantment by the Phlebotomy (In the Julgular Streams)
8. Transylvanian Cry
9. Walpurgisnacht

‘Walpurgisnacht’ foi gravado, mixado e masterizado por Nenel Lucena no estúdio Mr. Prog Studio. O disco foi produzido pela própria banda e está em fase final de produção. Em breve a data oficial de lançamento será anunciada.

Lembrando que o ELIZABETHAN WALPURGA acaba de lançar um teaser do trabalho. Assista:



Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

ABRASION: entrevista para a Roadie Crew de outubro


O ABRASION está presente na nova edição da revista Roadie Crew. A banda concedeu uma entrevista para a seção ‘Cenário’.

Conduzida pelo talentoso redator Leandro Nogueira Coppi e respondida por Aldo Carmine e Alex Vespasiano, a entrevista fala de seu retorno após uma década, além do novo álbum, ‘Leave Your Mark’ e dos planos futuros do trio.


A entrevista está na edição #213 de outubro/2016. Mais infos pelo link: www.roadiecrew.com.br

O ABRASION segue divulgando o novo álbum, ‘Leave Your Mark’. O disco foi lançado de maneira independente e em dois formatos: digital e físico. O primeiro está disponível em lojas e serviços de streaming como iTunes, Amazon e Spotify, já o segundo no formato tradicional, físico, recebe quatro músicas a mais.


Para conferir a versão digital, visite:

Ou baixe pelo site: www.abrasion.com.br

Para comprar a versão física, que conta com faixas bônus, além de outros itens de merchandise, entre em contato com a banda por e-mail ou Facebook. Envio para todo o Brasil.


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

BLACK LION RECORDS: selo sueco invadindo o Brasil


Fundada em 2012 em Umeå na Suécia, a jovem gravadora BLACK LION RECORDS vem ganhando espaço pelo mundo e agora quer mostrar um pouco de suas bandas no Brasil.

“O Brasil é um país de fanáticos por Metal, especialmente o mais extremo e daí vem muitas das melhores bandas de Black e Death. Temos muito respeito pelo país e queremos mostrar um pouco de nossas bandas por aí e até, quem sabe, levar algumas para tocar no Brasil” – comenta o diretor Oliver Dahlbäck, sem esconder a empolgação pelo nosso país.

Prova dessa admiração foi a recém contratação da banda brasileira CARPATUS para o lançamento de seu novo álbum, ‘Malus Ascendant’.

Mas o selo não se restringe a regiões e em seu rol, bandas dos mais diversos lugares do mundo. Nomes como DIVISION VANSINNE, SOULEMISSION, DEFIATORY, entre muitas outras estão com seus lançamentos prontos.

Pouco-a-pouco serão apresentadas as bandas que fazem parte da BLACK LION RECORDS e novidades sempre estarão por vir!

Para ficar sempre por dentro das novidades do selo, siga no Facebook: www.facebook.com/blacklionrecords666

Quem quer comprar material da mais alta qualidade com garantia e envio para o Brasil, a BLACK LION tem uma loja virtual especializada:



Fonte: Metal Media

GESTOS GROSSEIROS: Andy Souza comenta sobre o novo álbum



Depois de apresentar a capa de seu novo álbum, ‘World’s Hypocrisy’, o vocalista e baterista Andy Souza nos apresenta mais detalhes sobre o trabalho.

“’World’s Hypocrisy’ foi um desafio para nós, pois queríamos algo diferente dos álbuns anteriores, seja em letras, peso, composição e sonoridade. Creio que conseguimos. Agora iremos para a parte final, ou seja, masterização, a qual teremos a grande honra de fazê-la no estúdio do Absolute Master, do irmão Eraldo. O fato de termos recebido o convite para finalizarmos o álbum lá, já é um sinal de que ‘World’s Hypocrisy’ terá uma grande repercussão para os headbangers.

E, por falar em bangers, garanto, não somente para os fãs do Gestos Grosseiros mas para os fãs da música extrema e, especialmente aos de Death Metal, que o novo álbum estará diferente dos anteriores no quesito de peso, técnica e brutalidade musical, mas mantendo a nossa personalidade.

Saliento também que a demora em lançar, pois o álbum começou a ser gravado em agosto de 2015, foi devido ao fato de termos tido alguns problemas financeiros e trocarmos de estúdio.

O que garanto para 2017 é uma grande turnê pelo Brasil e, posteriormente Europa, a qual já estamos analisando.”


Como dito, o GESTOS GROSSEIROS acaba de nos apresentar a capa de ‘World’s Hypocrisy’. A arte ficou nas mãos do artista Tiago Medeiros (https://goo.gl/bzdA0R).

‘World’s Hypocrisy’ está sendo mixado no UpTracks Studio pela produtora Mirella Max (que também é guitarrista da banda HellArise). Depois o disco segue para a masterização na gigante Absolute Master. O trabalho contará com oito músicas e em breve uma data de lançamento será anunciada.


Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

SOTURNUS: confira teaser de lançamento do seu primeiro álbum ao vivo


A Eternal Hatred Records disponibilizou, recentemente, o teaser de lançamento do primeiro álbum ao vivo da banda SOTURNUS, intitulado “15 Years Of Mourning”.

O material foi registrado na última edição do Festival Mundo, que aconteceu em João Pessoa, Paraíba, no dia 01 de novembro de 2015.


O referido trabalho será distribuído pela Voice Music, para lojas especializadas e mega stores do país, além de contar com a CD Baby para sua distribuição em âmbito digital.

Para mais informações sobre as atividades da banda SOTURNUS e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



SEX PSYCH LOVE: disponibilizados título e track list do seu novo álbum


A banda paranaense SEX PSYCH LOVE disponibilizou recentemente o track list, do seu novo álbum "New Day Rising", que será lançado ainda em 2016 através da MS Metal Records.

Track List:

1. New Day Rising
2. Last Summer
3. Loaded
4. Tomorrow
5. Pigs of the World
6. A Week of Disease
7. Down by the River
8. Carved in Stone
9. Hold my Hand
10. Black Rose
11. Marry Me

O referido trabalho será distribuído pela Voice Music, para lojas especializadas e mega stores do país, além de contar com a CD Baby para sua distribuição em âmbito digital.

Para mais informações sobre as atividades da banda SEX PSYCH LOVE e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



UNDERHATE: vocalista comenta processo de gravação do debut álbum




O vocalista da banda UNDERHATE, Milton Monteiro, disponibilizou um depoimento falando sobre o processo de gravação do seu debut álbum, ainda sem título definido e que será lançado pela MS Metal Records.

"Sou um perfeccionista nato e, devido a isto, me preocupei bastante com a proposta dada pelo Caio em não treinar muito as melodias e letras criadas. Foi algo incomum pra mim mas que me surpreendeu bastante, pois nos deu infinitas possibilidades na hora de gravar. Atuei com minha mente aberta às sugestões dadas e tudo fluiu muito bem com o apoio de todos da banda. Me deparei com coisas que nunca havia feito antes e isto foi um delicioso desafio, onde me superei em vários aspectos e descobri coisas sobre minha voz que não tinha ideia ser capaz de fazer. Estou muito confiante e orgulhoso do trabalho que fizemos."

O referido trabalho será distribuído pela Voice Music, para lojas especializadas e mega stores do país, além de contar com a CD Baby para sua distribuição em âmbito digital.

Para mais informações sobre as atividades da banda UNDERHATE e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Pressatravés do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



NECROHUNTER: confirmada entrada de novo baixista em sua line up


A banda paraibana NECROHUNTER confirmou recentemente o seu novo line up, que hoje conta o baixista Dmitry Nóbrega, também integrante fixo da Warcursed. 

Em paralelo, o NECROHUNTER continua o processo de agendamento de datas para seus shows. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Para mais informações sobre as atividades da banda NECROHUNTER e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



MELYRA: confirmada entrada de nova vocalista em sua line up


Chegando a quatro anos de história, a banda MELYRA, composta por Ana de Ferreira (bateria), Fe Schenker (guitarra/ backing vocals) Roberta Tesch (guitarra/ backing vocals), Nena Accioly (baixo/guturais), anunciou recentemente a entrada da vocalista Verônica Vox em sua line up.

Atualmente, a banda trabalha na divulgação do single “Living and Drifting” gravado para o primeiro volume do álbum “A New Lease Of Life” em homenagem ao cantor e compositor Edu Falaschi.

Em paralelo, a MELYRA já está trabalhando no seu debut álbum, que ainda não possui título definido, e que será lançado pela MS Metal Records no primeiro semestre de 2017.

Para mais informações sobre as atividades da banda MELYRA e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Links Relacionados:



EQUILIBRIUM – Armageddon (Álbum)


2016
Nacional


Músicas:

1. Sehnsucht
2. Erwachen
3. Katharsis
4. Heimat
5. Born to Be Epic
6. Zum Horizont
7. Rise Again
8. Prey
9. Helden
10. Koyaaniskatsi
11. Eternal Destination


Banda:


Robse - Vocais
René - Guitarras, vocais
Dom R. Crey - Guitarra solo, vocais
Makki - Baixo
Hati - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 8
Composição: 10
Produção: 8

9/10


Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Desde que o BATHORY lançou “Blood Fire Death” e “Hammerheart”, todo um novo universo musical surgiu. Sim, estas são as raízes do Viking Metal e outras vertentes, onde vez por outra, vemos bandas acima da média surgindo e nos brindando com discos muito bons. E é o caso do quinteto alemão EQUILIBRIUM, que chega até nós com “Armageddon”, lançado no Brasil pela parceria entre a Shinigami Records e a Nuclear Blast Brasil.

A banda segue um estilo de Epic/Viking Metal agressivo à lá AMON AMARTH, se diferenciando por ter um enfoque um pouco maior nas melodias e com uso amplo de teclados. Mas não se enganem: o grupo não é um clone do quinteto sueco, pois sabe criar músicas bem variadas, cheias de energia e que nos envolvem de tal forma que ouvimos o disco mais vezes que podemos contar. Sim, musicalmente falando, eles são bem mais trabalhados e melodiosos que a maioria das bandas que transitam por este caminho.

Sim, “Armageddon” é viciante!

René Berthiaume produziu e mixou o disco, tendo Maor Appelbaum na masterização. E o resultado final é muito bom, com cada instrumento em seu devido lugar, com bons timbres instrumentais, uma dose generosa de clareza, embora um toque de crueza seja sensível (pois se faz necessário).

O lado gráfico é um trabalho muito bem feito, com a capa de Skadi Rosehurst dando aquele toque visual Pagan/Folk/Viking essencial ao som do grupo.

“Armageddon” nasceu grande, pois a banda está muito bem, sabendo oscilar entre os momentos mais agressivos e outros puramente épicos sem se perder ou destoar. E sim, o grupo mostra uma boa diversidade de arranjos melódicos, e estas se agarram aos nossos ouvidos de tal forma que não esquecemos mais.

Melhores momentos:

“Erwachen” – Agressiva e com alguns toques mais modernos no início, logo as melodias ganchudas à lá Gothenburg Death Metal, entremeadas por teclados de primeira. As mudanças de ritmo são belíssimas, graças ao trabalho ótimo de baixo e bateria, que seguram o ritmo em todos os momentos (mesmo nos mais limpos e voltados ao Pagan/Folk).

“Katharsis” – Meus sais, como a mistura entre os momentos mais voltados ao Viking Metal e os mais épicos se mesclam perfeitamente, com alguns vocais limpos surgindo entre os urros guturais. É algo grandioso, melódico e brilhante, bastando reparar na riqueza de riffs e arranjos de teclados.

“Heimat” – Apesar da agressividade musical do grupo, esta é uma de suas músicas mais acessíveis, cheias de belíssimos teclados e arranjos rebuscados de guitarras. E é nela que encontramos belos vocais femininos (uma participação especial de Jenny Böhm), além das flautas de Christoph Wellm, Robert Leuschner, Martin Hahn, e Sebastian Fauth.

“Born to Be Epic” – E o quintet resolve investir em uma canção um pouco mais simples e direta em termos de arranjos, mas transbordando de melodias épicas que se mixam ao lado mais épico do grupo. É incrível poder ouvir o trabalho dos vocais e teclados.

“Rise Again” – Em certos momentos, o lado um pouco mais focado em elementos mais melodiosos dá as caras, algo que as bandas de Gotemburgo fazem com maestria, com tempos mais rápidos e envolventes, e os timbres vocais são uma variada entre o gutural simples e um tom um pouco mais alto dos mesmos. E as incursões de flauta foram feitas por Galo, outro convidado especial.

“Prey” – O andamento é mais cadenciado, azedo, trazendo aquela aura mais suja e introspectiva das raízes do Viking Metal. As melodias dos teclados são evidentes, mas impossível não falar de como baixo e bateria estão em grande forma uma vez mais.

“Helden” – Outra que é bem cadenciada, mas diferente da anterior, as melodias são mais belas, e o nível de agressividade diminuiu. Mas justamente por isso que percebemos a diversidade de melodias dos riffs de guitarra.

“Eternal Destination” – Em seus mais de sete minutos de duração, o quinteto nos toma de assalto graças às belas melodias de teclado, mais o trabalho técnico perfeito dos vocais, onde temos mais um convidado especial, Charly. E se preparem, pois a diversificação instrumental.

É um ótimo disco, que surpreende o ouvinte.

Parabéns ao EQUILIBRIUM por fazer de “Armageddon” um disco tão bom.


TWILIGHT FORCE - Heroes of Mighty Magic (Álbum)


2016
Nacional


Músicas:

1. Battle of Arcane Might
2. Powerwind
3. Guardian of the Seas
4. Flight of the Sapphire Dragon
5. There and Back Again
6. Riders of the Dawn
7. Keepers of Fate
8. Rise of a Hero
9. To the Stars
10. Heroes of Mighty Magic
11. Epilogue
12. Knights of Twilight's Might


Banda:



Chrileon - Vocais
Aerendir - Guitarras
Lynd - Guitarras, alaúde, violão
Borne - Baixo
Blackwald - Cravo, teclados, piano, violino
De'Azsh - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 7
Composição: 9
Produção: 9


8/10


Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia




O Power Metal sinfônico é um gênero que anda muito desgastado. A culpa de tal fator foi justamente aquele tsunami de bandas fazendo esse estilo ocorrido entre a segunda metade dos anos 90 e meados da década passada. E como efeito, as bandas mais jovens que seguirem por este caminho irão encontrar um público exigente, e ávido por novidades relevantes.

Nisso, podemos garantir que “Heroes of Mighty Magic”, segundo álbum do sexto sueco TWILIGHT FORCE, merece elogios, e irá conquistar muitos fãs. Ainda mais que a Shinigami Records, por meio da parceria com a Nuclear Blast Brasil, colocou o disco nas lojas do país.

O que aguarda nossos ouvidos é uma banda que segue uma linha mais pomposa, cheia de belas orquestrações, fora o uso de violinos, alaúdes, cravos e violões em harmonia com baixo, guitarras, bateria, teclados e vocais. E isso sem contar a adição de uma atmosfera épica/pagã que nos faz muito bem. Digamos que é uma experiência no nível de “e se J. R. R. Tolkien fosse guitarrista, e não escritor”, ou seja, se o autor de obras como “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit” fosse um instrumentista de banda de Metal.

E, além disso, a banda tem uma capacidade de escrever ótimas canções, que nos envolvem, com momentos grandiosos, corais bem estilizados, tudo funciona para tornar a audição desse CD em algo prazeroso.

Devido à sua concepção grandiosa, a produção de “Heroes of Mighty Magic” exigiu muito de Blackwald e Lynd, que tomaram para si esta responsabilidade. Mas podem ficar tranquilos, pois a sonoridade de flui do disco é de primeira, e juntar tantos instrumentos e elementos assim não é algo muito fácil de conseguir, mas eles chegaram lá: clareza em um nível absurdo, mas mantendo uma boa dose de peso e agressividade.

A arte gráfica é um deleite. A diagramação é feita como se estivéssemos lendo um livro, e as imagens de cada músico parecem com personagens de RPG dos sistemas de mundo medieval, com atributos e tudo mais. A arte da capa, muito bela, evoca claramente o estilo do grupo. O trabalho de Blackwald na direção artística, Kerem Beyit (arte), e de Louise Klintäng e Hanna Turi (design) é soberba.

Musicalmente, o sexteto não deixa a desejar, embora seu estilo não seja algo novo de fato. Mas a banda possui identidade forte, que pulsa em cada uma de suas composições, com arranjos bem feitos e boa dinâmica entre os instrumentos e vocais.

“Heroes of Mighty Magic” é um disco de primeira, e possui como destaques as seguintes canções:

“Battle of Arcane Might” – Um hino de guerra, com boa dose de peso, muitas linhas melodiosas, mostrando uma riqueza instrumental e técnica bem acima da média. E com belíssimo trabalho de corais e um refrão muito bom. Óbvio que os maiores destaques ficam mesmo para os teclados e vocais.

“Powerwind” – Outra faixa grandiosa, cheia de momentos com conduções ótimas feitas por baixo e bateria. E é interessante perceber como as guitarras da banda fazem riffs bem envolventes, e solos com muita técnica, mas sem perder a noção melódica.

“There and Back Again” – Uma jóia preciosa com mais de 10 minutos de duração. Óbvio que uma dimensão temporal dessas significa que o recheio de arranjos instrumentais é muito grande, e excelente. Orquestrações perfeitas, além de um trabalho perfeito dos vocais mais uma vez, e belíssimo refrão, onde corais dão um toque de grandiosidade.

“Keepers of Fate” – Outra cheia de muitos arranjos bem feitos de teclados e guitarras. Mas não dá para não destacar as guitarras, pois os riffs são de primeira e os solos caprichados. É uma canção envolvente e melodiosamente cativante.

“Rise of a Hero” – É interessante ver como sob o alinhavo melódico e grandioso da banda, eles criam muitas mudanças de ritmo de primeira. Óbvio que baixo e bateria estão naquela velocidade que os fãs do gênero adoram, mas há muitas variações aqui.

“Heroes of Mighty Magic” – Se estiver em um dia ruim, precisando de uma injeção de energia positiva, ponha esta aqui para tocar. É uma das faixas mais cheias de detalhes em termos de arranjo de todo o disco. Há momentos melodiosos tão envolventes, cheios de grandiosidade musicais e corais que é impossível ficar desanimado. 

No mais, “Heroes of Mighty Magic” pode não trazer novidades ao estilo, mas tem um valor enorme. 




METAL SAMSARA: mudanças no sistema de notas de resenhas e explicações


Estamos comunicando aos integrantes de bandas, assessorias de imprensa, ou leitores que o sistema de notas nas resenha do Metal Samsara está sofrendo mudanças a partir de hoje (18/10/2016).

Agora, para atribuição de notas, serão usados 3 quesitos:

Originalidade
Composição
Produção

Cada um deles valerá entre 0 e 10 pontos. No final, a soma dos valores será dividida por 3, e embora tenhamos um número fracionado, está sendo abolido o sistema de notas com valores em forma de fração, e em caso de fracionamento, as notas serão arredondadas para cima (se nas casas decimais após a vírgula o número for maior que 5), ou para baixo (se o número for menor que 5).

Exemplo 1:

- Originalidade: 5
- Composição: 4 
- Produção: 8

(5+4+8)/3 = 17/3 = 5,66666...
6 > 5 => 5,66666... = 6

Exemplo 2:

- Originalidade: 3
- Composição: 2
- Produção: 5

(3+2+5)/3 = 10/3 = 3,33333...
3 < 5  => 3,33333... = 3


Aproveitamos esta publicação para sermos francos: o autor não está se preocupando se um disco será um clássico ou não. Sou um escritor, não um discípulo de Nostradamus, logo, não tenho como prever se um disco será considerado clássico de um gênero, pois somente o tempo pode fazer tal afirmativa. E nem desejo parecer arrogante ao tratar com um disco hoje como um clássico, e amanhã ele estar quase esquecido.

Exemplificando: execrados pela crítica especializada, "Seven Churches" do POSSESSED, "Apocalyptic Raids" do HELLHAMMER, "Bathory" e "The Return..." do BATHORY, e o próprio "Black Sabbath" do BLACK SABBATH se tornaram clássicos absolutos, receitas de como se fazer seus respectivos estilos. E discos aclamados pela crítica foram relegados ao esquecimento ou apenas se tornaram "cult" dentro do underground. 

Um bom exemplo do último caso é "Open the Gates", do MANILLA ROAD. Este disco recebeu críticas muito positivas, inclusive com notas máximas. Não entro no mérito dele ser um ótimo disco (ele o é, de fato), mas não chegou a se tornar uma pedra angular de um subestilo do Metal.

Ou seja: não é uma nota 10 ou 1 que fará um disco um clássico, mas apenas o tempo pode fazer este julgamento.

No mais, esperamos de todos a compreensão, pois esta medida visa evoluir ainda mais o Metal Samsara.


Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia