1 de nov de 2012

Apostando no Rock’n’Roll – Entrevista com PullDown



Por Marcos Garcia 

Fazendo um Rock’n’Roll denso, grudento e pesado, com letras e português, os gaúchos do PULLDOWN avançam com passos firmes em direção a um reconhecimento maior.
Aproveitando a oportunidade, lá fomos nós bater um papo com a banda, se saber um pouco de sua história, bem como de seus planos e ambições.


Metal Samsara: Antes de tudo, agradecemos a oportunidade, e gostaríamos que contasse um pouco da história do PULLDOWN para nós. O nome da banda, PULLDOWN, em uma tradução precisa, seria algo como ‘suspenso’, certo? E como surgiu a ideia do nome, e como ela se encaixa na banda? 

Pulldown: Olá Marcos! Eu que agradeço a oportunidade e a parceria. O nome surgiu jogando palavras e buscando sentido em um dicionário de inglês, queríamos um nome composto sabe-se lá o porquê. O sentido que mais gostei na época foi o de "colocar abaixo" e "destruir", pretensiosamente dando a intenção de que nosso som derrubaria paredes, hehehe.


Metal Samsara: Em termos de influências sonoras, o leque do PULLDOWN parece ser bem amplo. Poderia nos contar quais seriam as bandas que os influenciaram no início, e se houve adições no passar dos anos? 

Pulldown: PULLDOWN nasceu tocando do Pop ao Trash Metal, lembro que entre as primeiras cinco músicas que combinamos de tocar em ensaio estavam 'Beautiful People' do MARILYN MANSON e 'Iris' do GOO GOO DOLLS. Quando comecei a compor reparei que minha influência vinha mais do Grunge e do Metal, e assim o repertório foi ficando mais pesado e denso, como você mesmo citou. Hoje em dia a PULLDOWN é uma banda de Metal Alternativo, tocamos Metal dos anos 90. Fomos influenciados por bandas que foram influenciadas pelo BLACK SABBATH, DEEP PURPLE, LED e RAMONES. Estamos produzindo um novo trabalho que deve rotular nossa banda, veremos o que a crítica vai dizer sobre.



Metal Samsara: Vocês vem do RS, uma terra com uma cena Rock’n’Roll bem forte, e que já deu ao Brasil bandas como ENGENHEIROS DO HAVAÍ, LEVIATHAN, KRISIUN e REBAELLIUN, ou seja, que possui uma diversidade musical bem ampla, logo, como se enxergam neste contexto, ou seja, sendo herdeiros de tanta fama, já que ser do RS já rotula a banda, de certa forma?

Pulldown: Quando vim morar em SP isso pesou bastante, ser do RS realmente deixa as pessoas mais curiosas. O RS tem uma quase que uma cena própria, chegando em SP reparei que muitos sucessos de lá nem se quer eram tocados aqui e vice-versa, achei muito interessante e fiquei feliz por ter quebrado essa barreira que alguns acham intangível. Acredito que a PULLDOWN tem uma história importante nessa cena por ter nascido no interior do estado, a pergunta que mais respondi foi: "como vocês conseguiram?".


Metal Samsara: Ainda falando do RS, vocês são de Erechim, que é bem distante de Porto Alegre, logo, isso não era uma dificuldade muito grande para a realização de shows e mesmo de divulgação? E agora, que estão em São Paulo, as coisas melhoraram para a banda?

Pulldown: No começo isso era bom, as pessoas valorizavam muito o fato de sermos de uma cidade desconhecida, infelizmente a cidade não nos valorizou e não nos deu condições para continuarmos por lá. Nossa estrutura foi crescendo e não conseguíamos mais viajar de carro, tínhamos mais equipamento e mais pessoas na equipe. Decidi que era hora de ir para um grande centro que tivesse aeroporto. Tocávamos umas 5 vezes por ano em São Paulo e a cena rock era daqui. A primeira opção era Curitiba, mas acertadamente na última hora optei por São Paulo.

Quando comecei com a PULLDOWN a internet estava começando a ser obrigatória na divulgação de uma banda. Sempre fui muito antenado nas tecnologias de comunicação e o primeiro baixista da banda era webdesigner, tínhamos tudo antes e aproveitamos todos os canais possíveis. Até hoje isso reflete em uma simples procura no Google, existe muito material da banda na internet.

Metal Samsara: Lendo a biografia da banda, percebemos que houve uma evolução musical entre ‘Demo’ e ‘Sybil’, com o som se tornando mais pesado e denso. Isso foi algo intencional, ou se deu por conta das mudanças de formação, ou até mesmo uma evolução constante?

Pulldown: As três coisas. Eu sempre quis ter uma banda de Metal mas a PULLDOWN era limitada musicalmente. Outra coisa que não acontece mais é eu colocar todo o material que componho na PULLDOWN, antigamente qualquer coisa que eu fazia, desde uma balada à um Hardcore, era colocado no repertório da banda, hoje, mais maduro e depois de entender que grandes bandas devem suas longas carreiras a uma identidade, a PULLDOWN é uma banda de Metal e só. As mudanças de formação não foram tão importantes nesse sentido pois até o 'Sybil' eu fazia tudo. 'Sybil' é o primeiro trabalho da banda que divido composição com o restante da banda, isso me deixa muito feliz.

Com o passar do tempo você evolui musicalmente e profissionalmente, além de um fora de uma namorada não ser mais seu maior problema. Hoje me sinto na obrigação de provocar e até causar desconforto nas pessoas com minhas letras.


Metal Samsara: Ainda falando de ‘Sybil’, apesar de ser independente, o disco tem uma sonoridade bem forte, e até orgânica. Como foi o processo de composição e gravação do EP? E como foi ter o Niper na produção? E por falar nisso, como tem sido a resposta de público e crítica ao EP?

Pulldown: 'Sybil' foi o primeiro trabalho que gravei no meu estúdio. Tenho uma produtora de áudio para publicidade e um espaço bem legal para gravação. Esse EP foi o testdrive de tudo, hehehe.

"Quem é Você?", "Parecer"e "Fique Mais um Pouco" já existiam antes dessa formação. "Abstrato" e "15noDrive" são fruto de jams e discussões. 


Conversamos sobre procurar um produtor para o EP, até rolaram algumas reuniões mas por motivos financeiros e o argumento da banda que devíamos produzir sozinhos para nos conhecermos, foi o que me colocou à frente da produção do EP. Fiquei feliz pela confiança que o Gabê, Cassique e Mereu colocaram em mim e hoje agradeço por ter sido dessa maneira, achei importante passarmos por isso sozinhos. 'Sybil' é uma Demo, uma boa Demo. As críticas são ótimas, '15noDrive' e 'Parecer' são as preferidas do público, o clipe de '15noDrive' rodou bem na televisão e vamos lançar no final do ano o clipe ao vivo de 'Parecer', gravado em nossas apresentações no Festival Yamaha Brazilia Beat 2012. 


Metal Samsara: Ao contrário da maioria das bandas nacionais, que gravam em inglês para alcançar o mercado externo, o PULLDOWN faz o oposto, fazendo letras em português. Poderíamos assumir que isso é uma estratégia visando a conquista do mercado brasileiro? 

Pulldown: Sim. Existe uma lacuna a ser preenchida e acho que somos uma das bandas com potencial. Pretendemos gravar algumas faixas de 'Sybil' e do novo trabalho em inglês para uma possível tour na Europa no ano que vem, mas são só planos. 

Eu gosto do português, o Brasil é grande demais e tem uma cena Rock muito forte. Agora falta eu convencer as 100 mil pessoas que vão ver o METALLICA no Morumbi que a minha banda faz um som que pode agradá-las. Acho o discurso: "aqui não rola." muito fácil, coisa de cagalhão. Nesse exato momento uma banda de Rock Pesado está tocando em alguma casa de shows do Brasil com várias pessoas à sua frente. Ter uma banda de Rock no país do Samba me deixa muito feliz, há espaço para todos os estilos musicais, os músicos, principalmente do Metal, precisam parar de reclamar e voltar a compor boa música. Os gringos vão continuar sendo mais valorizados, os estilos populares plásticos continuarão sendo o que dá mais dinheiro, porém, só um estilo não morre nunca, você sabe qual, hehehe.


Metal Samsara: O EP saiu em dezembro de 2011, logo, já devem ter feito vários shows de divulgação, certo? Já possuem algo concreto para fazer shows em outras regiões do Brasil, como Norte e Nordeste?

Pulldown: Na verdade fizemos poucos shows, estamos muito mais focados em promoção e divulgação. Rolaram ótimos shows, tocamos de 10 a 2000 pessoas, todos shows em que os quatro concordaram que seriam benéficos pra banda. Tenho visto uma comoção de uma galera para nos levar para Pernambuco, é emocionante, tudo no melhor estilo "do it yourself". Devemos focar em shows depois de março de 2013, com o novo material que estamos compondo com o produtor Paulo Anhaia for lançado. 


Metal Samsara: Agradecemos demais a sua atenção, e deixamos o espaço para sua mensagem aos fãs e leitores do Metal Samsara.

Pulldown: Obrigado pelas ótimas perguntas, tá raro por aí. Conte conosco sempre, to muito orgulhoso de nosso humilde trabalho ter chego aos ouvidos dos leitores do Metal Samsara. 

Vocês todos fazem tudo valer a pena. Obrigado.

Entre em nosso site para baixar o EP "Sybil" e acessar todo o conteúdo que ele gerou. Em breve lançaremos duas novas músicas e gostaríamos muito que você as ouvisse, fique ligados em nosso site, facebook e twitter:



OBS.: O Metal Samsara agradece de coração ao PULLDOWN pela entrevista, bem como a MS Metal Press por tornar esta entrevista possível

Sacrificed - The Path of Reflections (CD)


Shinigami Records - Nacional
Nota 8,5

Por Marcos Garcia

Heavy Metal Tradicional forte e vigoroso, com melodia e peso muito bem equilibrados, e agressivo na medida certa. É isso o que o SACRIFICED, banda das férteis terras de Minas Gerais em termos de Metal, nos concede em seu primeiro CD, 'The Path of Reflections' (o anterior, que leva o nome da banda, é um Promo EP), que a Shinigami Records disponibilizou para o público.

O quinteto mostra um poder de fogo bem pesado, com arsenais de riffs e solos de guitarra bem pesados, sejam nos momentos mais agressivos ou mais melodiosos, baixo vibrante e evidente, bateria técnica e que sabe tanto se manter firme na condução de ritmo quando nas viradas, e vocais femininos bem feitos e que casam perfeitamente com o som da banda. E tudo isso resulta em uma música densa e pesada, com pegada firme, mas nunca esquecendo as raízes do Metal Tradicional. E tudo isso com vida e personalidade bem próprias.

Produzido por Renato Kojima e Diego Oliveira, o som da banda flui de maneira firme e pesada, mas ao mesmo tempo, a limpeza da produção é bem grande, permitindo que aqueles famosos detalhes minimalistas fiquem na cara (ou nos ouvidos) do fã, logo, a compreensão auditiva não é nem um pouco difícil. A arte, muito esmerada, ficou muito boa, em um trabalho bem feito de Carlos Fides, que vai preparando o ouvinte para o que o espera.

O que temos é algo que, instrumentalmente falando, mixa bem melodias e pegada agressiva, e como os vocais não puxam para o lado sinfônico, é ponto positivo para o quinteto, e o nível do CD é alto, mas há destaques quase obrigatórios, como a arrasa-quarteirões 'Soulitude', com riffs massivos e pesados, além do ótimo trabalho de bateria, tanto quando a banda pega pesado quanto quando dá uma variada mais melodiosa; 'Endless Sin', que segue na linha mais pesada com inserts melodiosos, onde as vocalizações bem cuidadas e certeiras pegam o ouvinte de primeira; a bela e bem arranjada 'Walking Through Flames'; a um pouquinho mais Prog (mas sem perder o peso) 'Before a Dream', onde a cozinha rítmica rouba a cena, fora os ótimos vocais; a intensa 'Call of Insanity', onde o baixo mostra uma técnica ótima; a cadenciada e também com uns toques mais Prog 'Red Garden'; e o mamute peso-pesado 'Prison Mind', com ótimas bases de guitarra, que nos mantém grudados na poltrona até o final.

Um disco realmente muito bom de uma banda promissora demais, e que se em seu primeiro full lenght já está nesse patamar, o futuro se mostra algo de maravilhoso.

Solitude


Tracklist:

01. Winds Of Liberty
02. Soulitude
03. Endless Sin
04. Walking Through Flames
05. Before a Dream
06. Call of Insanity
07. Red Garden
08. Prison Mind
09. Far Away to Feel
10. The Truth Beneath the Laments


Formação:

Kell Hell - Vocal
Diego Oliveira - Guitarra
Leonardo Rizzi - Guitarra
Bruno Bavose - Baixo
Thales Piassi - Bateria




Contatos:



Notícias: Shinigami Records (01/11/2012)



- - -

Master: Paul Speckmann entrevistado pela Roadie Crew (versão on line)


Paul Speckmann, vocalista e guitarrista de MASTER, concedeu uma entrevista para o site da conceituada revista Roadie Crew. Nela falou sobre o novo trabalho da banda (intitulado 'The New Elite' e em breve disponível no Brasil através da Shinigami Records), a trajetória da banda e os próximos passos. A seguir, confira trechos da entrevista:

RC: Os riffs do novo álbum parecem ser um dos mais poderosos e eficientes de toda a carreira do MASTER. Houve um jeito novo de criá-los em 'The New Elite'?

PS: Crio riffs da mesma maneira sempre, com um violão e um gravador, e seleciono entre centenas deles todos os anos, torcendo pelo melhor. O guitarrista Alex Nejezchleba também sempre traz novas músicas para a mesa e o baterista Zdeněk Pradlovský ajuda a fazer arranjos comigo e Alex. Então é realmente um esforço em grupo.

RC : Você apontaria 'The New Elite' como o melhor álbum do Master até agora?

PS: Pessoalmente acho que está entre os melhores, com certeza, mas vamos encarar que os dois primeiros LPs serão os clássicos e, infelizmente para mim, 'The New Elite' fica encoberto pelos primeiros trabalhos, mas é um dos melhores lançamentos da carreira do MASTER. Colocamos nossos corações e almas em todos os discos, mas alguns têm músicas melhores, produções melhores, orçamentos maiores etc. Esse álbum foi gravado na loucura, mas resistirá ao teste do tempo no futuro, como tem acontecido com outros registros.

Leia a entrevista na íntegra em http://bit.ly/TbeS9U

Para mais informações sobre este CD acesse nosso site www.shinigamirecords.com.br ou siga-nos nas redes sociais Twitter, Facebook e Orkut.

- - -

Notícias: Metal Media Management (01/11/2012)



- - - 

Hammurabi: Se concentrando em como irá soar o novo trabalho

Foto: Roque Viana

Em paralelo com a produção do novo videoclipe, o HAMMURABI está em pleno processo de composição para o próximo CD.

"Ainda estamos em processo de 'vamos ver como vai soar'". Comenta o baterista Críslei Rodrigo, que explica melhor a situação: "Essa dúvida é devido à mudanças de formação, somente eu ocupo exatamente a mesma função na banda da época das gravações do The Extinction Root".

Daniel Lucas se manteve vocalista, mas até então também tocava baixo e migrou para a guitarra, entrando Wesley Ribeiro para o baixo. E Lucas Antonucci se juntou à banda ainda este ano, ocupando uma das guitarras.

Mas o HAMMURABI deixa claro que está se empenhando bastante nesse processo. "Planejamos ter um álbum ainda mais forte para o início de 2013, e chegar bem mais longe, mantendo a linha evolutiva que o trabalho sério deve visar, honrando o que já foi construído até aqui", finaliza o baterista.

Em breve a banda deve disponibilizar seu novo videoclipe para a música 'Highway Of Death', do debut 'The Extinction Root'.

Contato para shows e merchandise: hammurabi@hammurabi.com.br

Sites Relacionados:

- - -

Steps Of Silence: Título, capa e mais informações sobre EP

Foto:  Edel Coradi

Aproximando-se do lançamento de seu debut, o STEPS OF SILENCE disponibiliza mais informações sobre o EP que marca a estreia oficial do grupo paulista.


O trabalho, que terá o título de 'Hematomania', foi gravado no estúdio Genesis Hitech em Lençóis Paulista, interior de São Paulo, sob a produção de Campos Jr que já trabalhou com nomes como Nando Mello, Tito Falaschi e a Metal Opera 'Soulspell'.

Para a arte da capa, foi contratado o renomado artista Joberto Mello, que já trabalhou com nomes como: Primal Fear, Sabaton, Black (banda com membros do Black Sabbath, Hammerfall, King Diamond e Venom), Woslom, Rhestus, entre outros.

O lançamento já tem data marcada: 12 de novembro. A distribuição de 'Hematomania' será gratuita via download!

Contato para shows e merchandise: steps.of.silence@hotmail.com

Sites relacionados:

- - -

Rhestus: Guitarrista selecionado para estudar violão clássico na Espanha!

Foto: Mákila Crowley

O guitarrista Andrei Uller do RHESTUS foi um dos selecionados para cursar o "1º Máster en Interpretación de Guitarra Clasica" da Universidade de Alicante na Espanha.

O músico, além de guitarrista de metal, é formado em Licenciatura em Música pela Udesc, mestre em Música pela mesma instituição, e atualmente cursando a última fase do curso de Bacharelado em Violão no Centro de Artes.


Foram selecionados apenas 14 candidatos para o curso, que é destinado tanto a estudantes graduados como a profissionais que desejam aperfeiçoar seus conhecimentos de repertório instrumental. Como parte dos estudos, os alunos do curso terão a oportunidade de atuar como concertistas em diversos auditórios de música de Alicante, cidade que concentra numerosos festivais e eventos de violão com repercussão internacional, e recebe estudantes de diversos países para estudarem no Conservatório Superior de Música "Oscar Esplá". O violão tem uma intensa relação com Alicante, terra de nascimento ou acolhimento de importantes violonistas.

Realizado de janeiro a julho de 2013, o curso tem em sua grade de professores alguns dos mais importantes violonistas da atualidade, como Manuel Barrueco, David Russell, Nigel North, Hopkinson Smith, Ignacio Rodes, Carles Trepat, Roberto Aussel, e José de Eusebio.

Andrei não esconde a alegria e deixa um recado para os apreciadores de seu trabalho:

"Eu gostaria muito que a Rhestus pudesse ser reconhecida e ter oportunidades no exterior assim como reconheceram o meu trabalho no violão. Não apenas pelos anos de existência da banda, mas por sua música e mensagens que tenta conscientizar o público para serem pessoas melhores.

Espero que nos próximos anos a Rhestus realize novas conquistas e metas como vem alcançando sempre de forma independente com a ajuda daqueles que compram seu material e convidam a Rhestus em seus eventos.

Agradeço aos demais integrantes da banda e todos que tem nos apoiado até o momento. Abraço! E nos vemos em 2013. Always Thrash!".

Neste meio tempo, o RHESTUS tocará como um Power-trio tanto para o lançamento de seu novo trabalho quanto para as comemorações de 20 anos de carreira no início do ano que vem.

Contato para shows e merchandise: rhestus@yahoo.com.br

Sites Relacionados:

- - -


Notícias: The Ultimate Music-Press (01/11/2012)



- - -

Stryper anuncia show no Brasil em 2013

Banda já vendeu mais de 10 milhões de álbuns

Com 29 anos de carreira e mais de 10 milhões de álbuns vendidos, a banda norte-americana STRYPER confirmou, até o momento, única apresentação no Brasil. O show está agendado para o próximo dia 17 de fevereiro de 2013, no Carioca Club, em São Paulo.

No repertório não vão faltar hits como 'Calling on You', 'Free', 'Honestly', 'Always there for you', 'To Hell with the Devil', além das versões lançadas no álbum 'The Covering', que traz apenas covers de bandas como Iron Maiden, KISS, Ozzy, Judas Priest, Led Zeppelin, Van Halen, Scorpions e UFO.

Os ingressos antecipados já estão à venda no site www.ingressosparashows.com.br e custam R$ 70,00 (pista estudantes) e R$ 90,00 (pista promocional antecipada). A produção é da Dark Dimensions.

STRYPER ficou mundialmente conhecido por ser o primeiro grupo de Heavy Metal cristão. Formada em 1983, o grupo fez um enorme sucesso e conquistou uma legião de fãs em todo mundo mesmo fora do segmento gospel. Esta será a segunda vez que o grupo vem ao Brasil com a sua formação original, com Michael Sweet (vocais e guitarra), Robert Sweet (bateria), Oz Fox (guitarra) e Tim Gaines (baixo), que retornou ao line-up em 2009. 

STRYPER passou por um hiato na década de 1990, parando as atividades em 1992, mas voltou às atividades nos anos 2000. A première aconteceu em 2006 e, em 2011, a turnê sul-americana foi cancelada por motivos desconhecidos.

Neste momento, os músicos estão divulgando o DVD 'Live In Indonesia At Java Rockin' Land', lançado no último dia 23 de outubro. Este registro foi gravado em 2010 e celebra os quase 30 anos de melodias incríveis e musicalidade.

Recentemente, eles foram uma das principais atrações do renomado Monsters of Rock Cruise. O show foi tão empolgante, que a banda foi confirmada para integrar o cast da edição do evento em 2013. Confira algumas fotos desta apresentação deste ano em http://www.rockexpress.net.br/2012/03/10/stryper/.

Serviço São Paulo


Data: 17 de Fevereiro 2013
Local: Carioca Club
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros (próximo ao Metrô Faria Lima)
Hora: Abertura da casa: 18h | Show: 20h
Preços: R$ 70,00 (pista estudante), R$ 90,00 (pista promocional antecipada) e R$ 140,00 (porta)
Informações e contato para shows: darkdimensionsbrazil@gmail.com

- - -

13 9161.6267

Próximas divulgações e suporte The Ultimate Music - Press:
10/11 - MindFlow - Carioca Club - SP/SP
15/11 - Cavalera Conspiracy + Krisiun – Circo Voador - RJ/RJ
02/12 - Emilie Autumn – Inferno Club - SP/SP
02/12 - Hugin Munin (Thorhammerfest) – Manifesto Rock Bar - SP/SP
08/12 - Paradise Lost – Carioca Club - SP/SP
12/12 - Nightwish – Credicard Hall - SP/SP
15/12 - Krisiun + Malevolent Creation + Vital Remais - Carioca Club - SP/SP
16/12 - Moonspell – Inferno Club - SP/SP
Jan/13 - Suicidal Angels
Fev/13 - Vader
17/02/13 - Stryper – Carioca Club - SP/SP
Abr/13 - Texas Hippie Coalition
27/04/13 - Demon Hunter – Inferno Club - SP/SP
28/04/13 - Demon Hunter – Rio Rock Blues - RJ/RJ

Além dos shows, a The Ultimate Music - Press assessora as bandas Sepultura, Krisiun, Shadowside, Confronto, Kiara Rocks, Pleiades e Hugin Munin. Para mais informações, acesse http://theultimatepress.blogspot.com.

Kiko Loureiro: agendando datas da Sounds of Innocence Tour 2013



O ícone mundial da guitarra KIKO LOUREIRO recentemente lançou o quarto CD em carreira solo, o 'Sounds of Innocence', que foi gravado em cinco estúdios diferentes ao redor do mundo, mixado por Dennis Ward e masterizado por Jürgen Lusky.


O disco conta com as participações de Virgil Donati (bateria, Planet X), Felipe Andreoli (baixo, Angra), Doug Wimbish (baixo, Living Colour) e Ricardo Padilla (percursão).

No momento a Furia Music Produções abriu a agenda 2013 do artista e está com datas disponíveis para todo o Brasil.


Para esta tour KIKO LOUREIRO promete um show de virtuosismo e musicalidade, apresentando as músicas de seu mais novo álbum, e sucessos de sua carreira no desafiador formato de power trio.

Para levar o show do KIKO LOUREIRO TRIO para sua cidade, os contatos devem ser feitos através da Furia Music Produções através do e-mail contato@furiamusic.com.br.

- - -

Fonte: Furia Music