6 de mai de 2017

DR. KONG - PROTAGONISTA (ÁLBUM)


2017
Independente
Nacional

Nota:  8,1/10,0


Tracklist:

1. Protagonista
2. Fale Tudo
3. Honoráveis Primatas
4. Olho do Furacão
5. Consciência
6. Superficial
7. Indignação
8. Não Perca o Humor
9. Rarefeito
10. Passos
11. Me Chame Essa Noite
12. Por Sorte
13. Metanoia


Banda:


Flávio de Carvalho - Vocais
Eliel Carvalho - Guitarras
Gustavo de Carvalho - Guitarras
Gustavo Cachopps - Baixo
Wagner Capucho - Bateria


Contatos:

Bandcamp:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


E como sempre, o bom e velho Rock’n’Roll nacional continua rendendo bons frutos. 

A fórmula de técnica simples, melodias acessíveis e partes grudentas (especialmente em cada refrão). E o DR. KONG, um quinteto raçudo vindo de Goiânia (GO) vem mostrar o que tem em “Protagonista”, seu disco de estréia.

Fica óbvia a influência do bom e velho Rock’n’Roll de raiz e toques de Blues, algo bem próximo ao que finado BARÃO VERMELHO fazia (especialmente pelos timbres de voz de Flávio). Mas está longe de ser uma cópia, pois no disco (mesmo usando uma fórmula musical já bastante batida) percebe-se algo vivo, cheio de energia crua e extremamente empolgante. Algo que te faz cantar com a banda cada uma das canções do CD logo na segunda ouvida. É grudento e não solta mais!

Ou seja: é bom demais, e faz bem aos ouvidos.

A qualidade sonora é seca, remetendo bastante aquele som básico do início dos anos 80, sem muitos enfeites. Mas é mais que suficiente para o trabalho do grupo, que precisa mesmo de algo orgânico e direto, mas claro (como se tem no CD). Ou seja, o trabalho de mixagem e masterização, feitos por Eliel Carvalho (guitarrista do grupo) e Guilherme Bicalho, ficaram na medida para o que a música do quinteto pede. Alguns ajustes no futuro seriam bem vindos, mas já está muito bom no nível atual.

O trabalho do DR. KONG é muito bom, usando de uma técnica instrumental simples e eficiente, mas com boa dose de energia. Algo que vem dos arranjos bem pensados, da essência voltada para algo mais visceral e que cria uma sinergia com qualquer bom fã de música.

Embora o disco inteiro seja bom, música como a simples e direta “Protagonista” (bons riffs de guitarra), a energia à lá AC/DC de “Fale Tudo” (mais uma vez, um trabalho de guitarra muito bom, em especial nos solos) e de “Olho do Furacão” (aqui, se percebe aquela aura Blues/Rock ganchuda e bem feita, onde baixo e bateria marcam presença muito bem), o jeito pesado e azedo da Bluesy “Consciência”, a quase Metal “Superficial”, a belíssimas baladas Rocker “Não Perca o Humor” (aqui os vocais estão muito bem) e “Me Chame Essa Noite” (esta tem uma força incrível nas guitarras mais limpas), e a intensa e clara referência ao Blues sulista norte-americano em “Metanoia” irão te fazer cantar e dançar como se não houvesse amanhã. Aliás, é o que todos merecemos.

Um disco muito bom para se curtir na estrada ou em uma balada. E para se ouvir em casa também.

Sejam bem vindos!

Comentário(s):