7 de fev de 2014

Centurian + Nervochaos + Warcursed Eurotour 2014





It is with great pride that the agency Roadmaster Booking announces the European tour of one of the greatest representatives of the Dutch Death Metal scene, CENTURIAN. The tour will be in June/July 2014 and will also feature the Brazilian bands NERVOCHAOS and WARCURSED.

Rob Oorthuis, guitarist of CENTURIAN, says:

"Ever since Centurian formed, we had strong bonds with Brazil and with the bands and fans of that country. To do a tour with two excellent Brazilian bands, backed up by a Brazilian booker, seemed like something inevitable. We couldn't be more confident, that this onslaught will be a pleasure to carry out. We, Centurian, abandon all truth other than ours. And as we follow the One Way, which is Threefold, we leave no Word unaltered! Versus all! This tour will be the first of a threefold campaign to promote "Contra Rationem". It will be rewarding to reverse the audience towards our take on Death Metal. It will be collecting souls for the Devil! All you Judasses abide with us! Tongues of fire descend upon thy heads!"

About what the metal heads can expect, Rob finishes: 'A lesson in Death Metal.'

The promotional video of the tour can be accessed via this link:


For booking/infos: duracell@roadmasterbooking.com

Check also:

Roadmaster Booking website: http://www.roadmasterbooking.com

CENTURIAN:

NERVOCHAOS:

WARCURSED:

Support:

Centurian + Nervochaos + Warcursed Eurotour 2014





É com imenso orgulho que a agência Roadmaster Booking anuncia a turnê européia de um dos maiores representantes da cena Death Metal holandesa, o CENTURIAN. A turnê será em junho e julho 2014 e contará também com as bandas brasileiras NERVOCHAOS e WARCURSED.

Rob Oorthuis, guitarrista do Centurian, diz:

"Desde que o Centurian foi formado, tivemos fortes laços com o Brasil e com as bandas e fãs deste país. Fazer uma turnê com duas excelentes bandas brasileiras, apoiados por um booker brasileiro parecia algo inevitável. Nós não podemos estar mais confiantes de que este ataque será um prazer de realizar. Nós, Centurian, abandonamos todas as verdades que não seja a nossa. E como nós seguimos o caminho único, que é o tríplice, não deixamos nenhuma palavra inalterada! Contra tudo! Esta tour será a primeira de uma campanha para promover a tríplice "Contra Rationem". Será gratificante reverter o público em direção à nossa visão sobre Death Metal. Será recolher almas para o diabo! Que línguas de fogo desçam sobre suas cabeças!"

Sobre o que os metalheads podem esperar, Rob finaliza: "Uma lição de Death Metal".

O vídeo promocional da turnê pode ser acessado através do link:


Para booking/infos entre em contato diretamente através do e-mail duracell@roadmasterbooking.com

Acesse também:

Roadmaster Booking website: http://www.roadmasterbooking.com

CENTURIAN:

NERVOCHAOS:

WARCURSED:

Apoio:

Parkway Drive e Heaven Shall Burn: Divulgados os horários dos 3 shows no Brasil



Destaques do post hardcore/metalcore se apresentam no Brasil neste fim de semana.

Dois dos maiores nomes do metal da atualidade, retornam ao Brasil e tocam em Curitiba, hoje (sexta), em São Paulo, amanhã (sábado), e domingo no Rio de Janeiro (domingo).

O PARKWAY DRIVE é uma banda australiana, formada em 2002, e está divulgando seu quarto álbum, “Atlas”, lançado em 2012.


Já o HEAVEN SHALL BURN é alemão e foi formado em 1996, e possui nove álbuns, sendo “Veto”, o mais recente, lançado em 2013.


Foram divulgados os horários dos shows no Brasil:

07/02 CURITIBA @MUSIC HALL
ABERTURA DA CASA: 19:00
PROJECT 46 NO PALCO: : 19:40
HEAVEN SHALL BURN NO PALCO: 20:40
PARKWAY DRIVE NO PALCO: 22:00
TÉRMINO DO EVENTO: 23:30


08/02 SÃO PAULO @ CARIOCA CLUB
ABERTURA DA CASA: 17:30
BAYSIDE KINGS NO PALCO: : 18:00
HEAVEN SHALL BURN NO PALCO: 18:50
PARKWAY DRIVE NO PALCO: 20:10
TÉRMINO DO EVENTO: 21:30


09/02 RIO DE JANEIRO @ TEATRO ODISSÉIA
ABERTURA DA CASA: 18:00
HEAVEN SHALL BURN NO PALCO: 19:00
PARKWAY DRIVE NO PALCO: 20:20
TÉRMINO DO EVENTO: 21:30


Confira o serviço do show de São Paulo:

08/02 (sábado) Abertura da casa: 17h00
PARKWAY DRIVE (Austrália)
HEAVEN SHALL BURN (Alemanha)
BAYSIDE KINGS (SP)
LOCAL: CARIOCA CLUB
Rua Cardeal Arcoverde, 2899
São Paulo - SP
0xx11 3813-8598

Ingressos (à venda a partir de 18/10):

R$80 (pista - primeiro lote - estudante/meia entrada/promocional)
R$100 (pista -segundo lote - estudante/meia entrada/promocional)
R$120 (pista - terceiro lote - estudante/meia entrada/promocional)
Camarote: entradas limitadas à venda apenas na Loja 255

Locais da venda antecipada:

LOJA 255 (Galeria do Rock, Rua 24 de Maio, 62, primeiro andar, loja 255, São Paulo-SP,fone: 0xx11 3361-6951).

CARIOCA CLUB (Rua Cardeal Arcoverde, 2899, São Paulo - SP,0xx11 3813-8598).

Venda de ingressos pela internet:



Realização: Liberation Tour Booking
Informações gerais: info@liberationmc.com 

Faixa etária: menores de 14 anos somente acompanhados de responsável legal.


Sites relacionados:



Panzer – Honrando o passado, seguindo para o futuro



Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Falar no nome do PANZER é chover no molhado.

Após um hiato após o lançamento de “The Strongest” de 2001 (que teve uma ótima recepção de público e crítica na época) e a volta à ativa em 2012, eles não param mais, lançando um Single (“Rising”) e um EP (“Brazilian Treat”) ainda em 2012, e coroando esta volta, em 2013, lançam seu terceiro disco, “Honor” (lançado pela Shinigami Records), fora as duas edições bem sucedidas do festival Panzer Fest.

E lá fomos nós bater um papo com a banda, para saber um pouco do que ocorreu após a volta, sobre as edições do Panzer Fest, sobre “Honor” e outros aspectos que circulam o grupo.


Metal Samsara: Mais uma vez, é um prazer fazer mais uma entrevista com vocês, e logo de cara, uma pergunta quente: quando voltaram ano passado, Élcio Cruz (vocalista que gravou “The Strongest”) parecia estar junto com vocês, mas pouco tempo depois, vimos o Rafael Moreira nos vocais. O que ocasionou esta mudança? E como chegaram até ele?

Edson Graseffi: Obrigado mais uma vez pelo espaço para podermos falar sobre o PANZER.

Realmente quando planejamos a volta, minha ideia inicial juntamente com o André era de trazermos o Élcio para completar a formação. Tínhamos consciência de que a volta com ele seria importante para a banda, por ter feito parte de um line up clássico do PANZER

O André sempre manteve contato regular com o Élcio, pois sempre mantiveram alguns projetos musicais juntos. 

Na época, o André fez contato com ele, que hoje mora no Espirito Santo, e resolvemos tentar a volta com a banda mesmo com ele vivendo lá e nós aqui, mas infelizmente a distância acabou interferindo no andar das coisas, e todos acabaram abortando a ideia pois se tornava inviável para ambos os lados.

Assim , precisávamos de um vocalista com a mesma qualidade que o Élcio sempre colocou nas gravações e no palco.

Para mim foi automático pensar no Rafinha, que havia cantado comigo em outra banda e eu conhecia sua performance no palco, assim, nós fizemos o convite e ele aceitou. E a banda se transformou no que é hoje.

Da esquerda para a direita: André, Rafinha, Edson e Rafael DM.
MS: Outro aspecto interessante no lineup do PANZER é que parece que a maldição do baixista parece ter se acabado com a entrada do Rafael DM na banda. Podemos dizer que finalmente encontraram o cara certo para as quatro cordas? Ainda sobre a formação, vocês estão juntos há mais de um ano, com a formação estável. O que significa finalmente conseguirem ter uma formação firme?

Edson: Essa questão do baixista sempre foi algo complicado para a gente. Nos primeiros 4 anos da banda , lá no inicio dos 90 , tivemos meu irmão como baixista e vocalista. Na época ele era a “cabeça pensante” em termos de composições, toda parte musical vinha praticamente dele. O próprio álbum "Inside" traz esse lado dele ainda em muitas musicas.
Até ali , ele foi até então o baixista que mais tempo ficou dentro da banda.

Realmente com a entrada do DM a coisa se estabilizou, ele é um ótimo músico, um ótimo performer e o principal, uma boa pessoa de se conviver e trabalhar. Isso é importante dentro da banda, afinal você convive muito tempo com os caras e lidar com pessoas difíceis torna a coisa insuportável.

Ter uma formação fixa torna tudo mais sólido, planos para futuro, musicalidade, datas de shows. Enfim acredito que achamos uma formação estável.


Experiência e juventude, unidos pelo Metal.
MS: Falando sobre “Honor”, como vocês comparam-no aos seus trabalhos anteriores, especialmente ao “The Strongest”? Acreditam que existem grandes diferenças entre um e outro em termos de musicalidade? E como foi compor o disco já com Rafinha e Rafael DM? Eles chegaram a ajudar nos aspectos de composição musical e lírica do grupo?

Edson: Quando fizemos "The Strongest", nossa cabeça estava voltada para a idéia de dar um passo adiante na nossa música, estávamos fugindo daquele lance feito no "Inside", que tinha um pé no Stoner, um pé no Thrash e muita coisa do Rush trazida pelo meu irmão. Queríamos algo mais pesado e direto. Ao mesmo tempo, estávamos no final dos 90, estávamos ouvindo muito W.A.S. P na época, e colocamos no disco muita coisa deles aqui e ali dentro das músicas. Se você ouvisse o disco comigo eu poderia te apontar onde estão as influências. Se você notar na própria letra de "Speed" existe uma citação ao W.A.S.P. Aquele também era outro momento de tecnologia, compúnhamos e ensaiávamos pensando na forma de se gravar da época, que foi um período de transição do analógico para o digital. Assim, "The Strongest", como todos os outros CDs feitos naquele momento, foram feitos usando conceitos técnicos que hoje são obsoletos dentro de estúdio.

Acho que tudo isso trouxe para aquele álbum a sonoridade única que ele tem e que transformou em um disco que as pessoas realmente curtem, mesmo em mais de uma década depois.

Já em "Honor", nossa visão do que é o som do PANZER já estava formada, tínhamos o passado para ser revisto e a influência dos 2 membros novos, Rafael Moreira e Rafael DM. Eles trouxeram elementos novos para dentro da nossa musica, que se fundiram com as raízes do que fizemos no passado, fazendo o PANZER soar mais agressivo... E nós gostamos do resultado!

MS: Outro aspecto ótimo de “Honor” é que ele não é como os discos de muitas bandas que retornaram à ativa, pois soa vigoroso e cheio de vida. Mesmo com a personalidade thrasher que vocês sempre tiveram, se percebem influências modernas no som, e uma belíssima aprimorada na técnica de cada um de vocês. Essa dinâmica toda seria à entrada de dois jovens na banda (Rafinha e Rafael DM), ou é mesmo algo de todos vocês evoluírem com o passar do tempo?

Edson: A entrada do Rafinha e do DM, sem dúvida, nos trouxe essa influência moderna, o próprio DM é quase 20 anos mais novo que eu, é notório que ele ouça coisas novas, diferentes do que eu trago como bagagem. Com o Rafinha foi a mesma coisa, ele gosta de muita coisa agressiva e trouxe esse lado para nosso som. Mas sem duvida também que o André e eu tivemos essa aprimorada técnica que você disse. Eu mesmo não sou o mesmo baterista de 12 anos atrás, eu me mantive tocando, explorando o mundo da bateria de outras formas e hoje sou um músico mais completo, com outra visão da bateria dentro da composição. O mesmo se passou com o André, que também sempre se manteve na ativa e não se “enferrujou” com o tempo. Isso nos permite tocar coisas que no passado não estariam na nossa música. Hoje nos desafiamos a nós mesmos como músicos, e isso tem sido muito bacana para caras que gravaram o último disco com essa banda há 12 anos.

Panzer na primeira edição do Panzer Fest.

MS: Bem, vocês trabalharam com o Henrique Baboom na produção do CD, logo, podemos dizer que ficaram plenamente satisfeitos com o trabalho dele? E o processo de gravação chegou a ser algo um pouco “sacrificante”, ou tanto “Rising” como “Brazilian Threat” já havia dado uma bela “azeitada” em vocês? 

Edson: Trabalhar com o Baboom é algo bacana, pois ele sabe TUDO dentro do estúdio, além de ter um ouvido privilegiado. Ele já sabia o que queríamos devido aos trabalhos com "Rising" e "Brazilian Threat", o bacana de trabalhar com ele é que ele respeita a vontade do musico em vários quesitos na gravação.

Quando comecei a gravar, por exemplo, pedi a ele que fizéssemos um disco com baterias “orgânicas”, eu não queria aquela coisa pasteurizada de timbres digitais e edições ao extremo, que é comum nas bandas de hoje. Queríamos o PANZER como soa ao vivo, e assim ele fez! O resultado pode ser conferido em cada musica de "Honor", onde a banda soa natural e orgânica, ficamos felizes com o resultado.

Edson Graseffi

MS: Outra coisa legal do CD é sua arte, que é 90% em preto e branco com contornos de cinza, captando bem não só a agressividade azeda das letras, bem como a sonoridade que o CD apresenta. De onde surgiu este conceito, e como foi ter o Rodrigo Balan dando uma força? E já que falamos em conceito, qual a idéia central da arte e do título?

Edson: Essa capa foi feita em parceria com o Rodrigo, que havia feito sozinho as artes de "Rising" e "Brazilian Threat".

Quando eu comecei a trabalhar nessa imagem, eu vim com o conceito de capas de Stoner como Pentagram, Down, das quais sou fã. Eu queria algo em preto e branco, que remetesse a simplicidade das capas setentistas, além de também passar na imagem o conceito da nossa mistura Thrash/Stoner, tão característica no nosso som. 

Mas eu tenho um sério problema, meus trabalhos gráficos são sempre muitos limpos, talvez devido as influencias que tive no passado quando estudei artes plásticas. Assim, eu pedi a ajuda do Rodrigo para “sujar” a imagem com texturas, ele é o mestre nisso. Quando ele me mandou o resultado final eu pirei. Ficou exatamente o que eu gostaria de ter feito.

Rafinha Moreira
MS: As letras estão bem azedas no disco, cada uma com conteúdo bem próprio. De onde vieram as inspirações? E que tal dar uma geral sobre o que cada uma delas diz?

Rafinha Moreira: As inspirações do álbum vieram de acontecimentos cotidianos, de pensamentos, revoltas e histórias de vida etc. As inspirações surgem de repente, alguns sons simplesmente apareceram na mente, seja por um título legal ou até mesmo por uma idéia maluca rsrs.

"The Last Man on Earth": É a contagem regressiva de uma guerra entre humanos e máquinas, na qual somos derrotados e só se resta um sobrevivente perdido à procura de mais alguém!

"Heretic": Uma mensagem direta que demonstra todo o ódio contra certo líder religioso, preconceituoso, que usa a religião para trazer conquistas pessoais como cargos importantes e etc... Ele deveria ouvir essa música !

"Intruders": Fala sobre a vida de motociclistas, diversão, algazarras e festas em todas as cidades por onde passam!

"Rising": Foi a primeira música que compus no PANZER. ela veio após um período de recuperação pessoal de um acidente e pode ser dividida em duas partes: uma que fala sobre perseverança e seguir em frente, estar cada dia mais forte; e também passa uma mensagem de que o PANZER voltou pra recuperar seu lugar na cena nacional.

"Savior": Fala sobre vingança. A idéia dessa letra simplesmente veio na cabeça de repente e quer mostrar que se você faz o mal pra alguém, um dia você pode ter o desprazer de estar frente a frente com essa pessoa... E nesta hora nenhuma santo, nenhum Deus vai poder te ajudar no acerto final.

"I Wanna Make You Pay": é sobre tomar decisões, sobre fazer seu próprio caminho, e deixar claro que qualquer um que tentar impedir, será massacrado.

"Burden of Proof": A idéia nessa música é falar em nome daqueles que sofreram injustiças, que tiveram que pagar por crimes que não cometeram.

"Victim of Choices": Letra do Edson, que fala é sobre as escolhas que uma pessoa faz na vida e acaba sendo vítima delas. É uma letra baseada em experiências próprias.

"Hastening to Death": Sempre curti o tema da “Vida X Morte”, a forma como a qual estamos morrendo lentamente, dia após dia... O tempo passa, não perdoa ninguém, não esquece ninguém, e acho que não existe um motivo mais forte que esse para que a gente viva nossas vidas da melhor forma que pudermos, já que o fim está logo ali.

"Mind's Slavery": Quantas vezes deixamos que algum fator externo ou alguma outra pessoa controle nossa própria mente? E quantas vezes sentimos que algo fala dentro de nós, mas não é exatamente nosso eu racional? Essa música fala sobre a falta de livre-arbítrio, sobre controle e dominação mental.

"Alma Escancarada": Essa letra foi feita pelo André Pars retrata conflitos vividos na sua infância, período em que muitos passamos pelo mesmo: bullying e provações. No fim da letra percebe que aquele que teve sua vida atormentada por outros, deu a volta por cima e se tornou melhor que aqueles que um dia o julgaram, o fizeram sofrer!


André Pars
MS: “Honor” já tem um tempinho de lançamento, então, já é possível sentir a recepção do público ao disco? E como tem sido o trabalho de promoção da Shinigami Records? Estão satisfeitos com esta parceria?

Edson: A recepção está melhor possível, o disco está vendendo muito bem! As pessoas têm falado muito bem do disco num modo geral e já tivemos quatro notas 10 para o álbum, isso é fantástico! Além disso, já fomos indicados em votações para melhor disco de 2013, e entramos em vários sites entre as melhores bandas daquele ano, tudo isso em muito pouco tempo.

Quanto ao trabalho da Shinigami, é um trabalho sério e bem feito que vem sendo desenvolvido pelo Willian e sua equipe, estamos felizes em ter essa parceria!


MS: Ah, sim: este ano, tivemos duas versões do Panzer Fest, ambas bem sucedidas. Como foi que surgiu a idéia do festival? E como foi a escolha do cast de cada um deles? E qual o motivo de terem trocado o Cine Jóia (onde ocorreu a primeira versão, em junho) pelo Blackmore Bar (local da segunda edição)? E podemos dizer que o Panzer Fest agora é um evento do calendário de eventos anuais de São Paulo? E perdão pela minha ausência no II, mas infelizmente, seguram-me pelo pé (risos).

Edson: Cara, o Panzer Fest na verdade é uma extensão dos festivais que fazíamos nos anos 90, na casa de cultura do Ipiranga, quando voltamos com a banda, queríamos voltar com eles também, mas queríamos imprimir a marca da banda junto, por isso mudamos o nome para Panzer Fest.

A escolha das bandas das duas edições forma feitas baseadas na sua relevância dentro do cenário paulistano, uma vez que o publico alvo é quem vive aqui em SP. Para nossa surpresa nessa última edição tivemos no publico pessoas de MG, Mato Grosso, que vieram apenas para curtir o evento.

Quanto à troca de local, se deveu ao fato do Cine Jóia não ter mais datas disponíveis esse ano, assim migramos o festival para o Clash Club, que devido a contratempos de agenda não pode manter a data e assim migramos mais uma vez para o Blackmore que abriu suas portas para o evento.

Acredito que o Panzer Fest tenha se tornado um evento do calendário metálico paulistano, mas isso bate de frente com toda a logística e custos do evento, que briga diretamente com centenas de shows de bandas estrangeiras, então, precisamos reavaliar futuros eventos para que sejam viáveis.

E quanto sua “não vinda” a essa edição... Marcão você fez falta.. Rsrsrs!


Rafael DM
MS: Desde que retornaram no ano passado, a Metal Media Management abraçou com unhas e dentes a banda, então, neste pouco mais de um ano de parceria, como se sentem em relação ao trabalho deles? 

Edson: O que falar de Rodrigo e Débora da Metal Media? Simplesmente a melhor assessoria de imprensa que uma banda pode ter no Brasil! São sérios, dedicados, comprometidos com seu trabalho e trabalham lado a lado conosco, vendo Metal de forma séria. São dois profissionais trabalhando por trás do PANZER, muitas vezes segurando nossas loucuras... Só tenho a agradecê-los!


MS: vocês já possuem um vídeo para “Rising”, feito na época do lançamento do Single, mas já existe uma idéia para um novo de divulgação de “Honor”, ou essa idéia já se encontra em andamento no momento?

Edson: Sim, vamos lançar dois vídeo clipes para 2014, um inclusive será em desenho animado e já está sendo produzido.


MS: Vocês têm uma vontade ao vivo, uma energia que é de dar inveja em muitas bandas mais jovens, e como “Honor” nas lojas, chega a hora de cair na estrada. Como estão sendo os convites de shows? Já há algo de certo por shows pelo Nordeste mais uma vez? E o Rio de Janeiro, quando é que sai este bendito show, que está sendo um parto em termos de realização (risos)?

Edson: kkkkkk. Queremos tocar no RJ! Tenho tentado fazer esse parto acontecer faz muito tempo, mas tudo depende de certo produtor que você conhece muito bem... rsrsrs... Espero que consigamos esse ano, o PANZER nunca tocou no RJ, será uma honra para nós tocarmos ai.

Em relação a tour no Nordeste, eu tenho tentado fechar algo viável para bandas e produtores faz algum tempo, espero que consiga também isso em 2014, tenho contato com produtores sérios de lá e espero que a coisa aconteça.

Temos planos de levar a banda para fora do país também, temos que fazer isso, mas é um passo maior a ser dado e com tudo bem pensado.


MS: Agradecemos demais pela entrevista, e o espaço é todo de vocês para sua mensagem aos fãs.

Edson: Agradeço, Marcos, a todo espaço que você vem nos dando para que possamos falar sobre a banda e sua história, e agradeço em nome de toda a banda a todas as pessoas que estão nos apoiando de alguma forma. Sem vocês tudo isso não faria sentido!




Contatos:

Motorocker: É destaque em matéria do Auto Esporte!




Créditos: Andre Smirnoff

Em matéria para aficionados em carros no site da revista Auto Esporte, o designer gráfico João Pedro Carli descreveu a ligação com seu Opala Comodoro Coupé e a banda MOTOROCKER.

O conceituado site da Revista Auto Esporte trouxe nesta quinta-feira a história de João Pedro e suas paixões, seu Opala, música pesada e a banda Motorocker. O Designer gráfico de Pato Branco, interior do Paraná, conta aos internautas sua história e sua experiência em conhecer e dar carona para os membros da banda num dia de show. Além de ficar muito amigo da banda, ele conta que quando deu carona de volta para o hotel eles viraram a noite conversando sobre carros.

Créditos: G1

Confira abaixo um trecho da matéria:

“...Uma das histórias mais marcantes de João Pedro com o seu "Brutus" foi no ano de 2012, quando foi ao show da sua banda favorita, o MOTOROCKER.

"Um pouco antes do show começar eu e mais alguns amigos opaleiros estávamos estacionados em frente à casa de shows onde a banda iria se apresentar. Já passava da meia-noite quando o produtor pediu se teria como eu e mais um colega buscar a banda no hotel. Tremi na hora, mas segui meu amigo Cezar Velho, que dirigia seu Comodoro Coupé 1982. Chegando no hotel, fomos muito bem recebidos pela banda, trocamos muitas ideias sobre os carros, já que alguns dos integrantes da banda também possuem opala", destaca.
A emoção de juntar os dois amores de João Pedro ficou marcada na memória. "Eu mal conseguia ligar o carro...isso é o tipo de coisa que não acontece todo dia. O show foi perfeito e ainda depois da apresentação novamente nós levamos os caras para o hotel e passamos a madrugada falando sobre as máquinas e dando risada, foi show!".

Confira a matéria na integra no link: http://goo.gl/2W3scc 

Próximos shows do Motorocker em 2014:

10 de Janeiro – MOTOROCKER no Dark Side Rock Bar em Vinhedo (SP)
11 de Janeiro – MOTOROCKER no Inferno Club em São Paulo (SP)
8 de Fevereiro –  10 Anos Moto Clube 100 Limites na Chácara Evaristo em Rio Negrinho (SC)
22 de Fevereiro – Tributo a Bon Scott no Tributo a Bon Scott em Curitiba (PR)
1º de Março – Curitiba Rock Carnival (PR)
13 de Março – Motorcycle Rock Cruise em Santos (SP)
29 de Março – MOTOROCKER no Castelo Club em Videira (SC)
04 de Abril – Aniversário do Bovary Snooker Pub em Joinville
06 de Abril – MOTOROCKER no Sebas Bar em Curitiba (PR)
06 de Abril – MOTOROCKER no Metal Fest Pomerode (SC)
10 de maio - Com Suzy 4 em Curitiba (PR)

MOTOROCKER continua ainda em sua tour de divulgação do seu CD-EP “Estação das Almas”, e para conferir a agenda atualizada da banda, acesse: www.Motorocker.com.br .

Os promotores interessados em contratar o show de MOTOROCKER na região Sul devem entrar em contato com:

Andréa Stremel: Andrea@Motorocker.com.br 
 +55 41 3013-3374 |  +55 41 9834-3781

E para o resto do país, o contato deverá ser feito contato com:

Monika Bass Cavalera:  MonikaCavalera@gmail.com 
+55 11 3673-2758 |  +55 11 95604-0999  |  www.base2producoes.com.br

- Assessoria de Imprensa:
+55 41 3319-1600 | +55 41 9600-5985 (TIM)



Fonte: X-PressON!
Marketing, PR & Road Management
A/C Andre Smirnoff
41. 3319-1600 (NETFONE) 
41. 9600-5985 (TIM)

Filmado em três países diferentes, novo videoclipe do Uganga estréia neste sábado na Play TV



A música intitulada "Guerra" fará parte do novo álbum de estúdio da banda

Manu "Joker" (vocal), Christian Franco (guitarra), Thiago Soraggi (guitarra), Raphael "Ras" Franco (baixo) e Marco Henriques (bateria). Coletivamente eles são conhecidos como Uganga. Se você ainda não ouviu falar sobre eles é porque deve ter passado uma longa temporada longe da órbita terrestre. Afinal, esses mineiros estão na estrada há 20 anos, já lançaram quatro álbuns e fizeram duas turnês pela Europa, além de inúmeros shows por todo país.

Quando imaginou-se que o Uganga tiraria um pouco o pé do acelerador, eis que o grupo já anuncia um novo disco de estúdio. 

Intitulado "Opressor", o álbum foi produzido pelo experiente Gustavo Vazquez (Black Drawning Chalks, Macaco Bong, Krow, Hellbenders) e vai reunir as faixas "Guerra", "O Campo", "Veredas", "Opressor", "Moleque de Pedra", "Casa", "L.F.T.", "Modus Vivendi", "Nas Entranhas do Sol", "Aos Pés da Grande Árvore", "Noite", "Who Are The True" (cover do Vulcano) e "Guerreiro".  

A data de lançamento de "Opressor" não está definida, mas o álbum chega às lojas ainda no primeiro semestre de 2014.

Por enquanto, o Uganga vem anunciar a estréia do videoclipe "Guerra" que acontece na edição deste sábado, dia 08 de Fevereiro, do programa Udigrudi da Play TV. 

Dirigido por Eddie Shumway - que já havia trabalhado com a banda no clipe "Fronteiras da Tolerância - o vídeo de "Guerra" traz imagens filmadas na Polônia, Eslovênia e Hungria. 

"A idéia do clipe foi abordar vários conflitos da história da humanidade que infelizmente foram escritas com sangue", explica o vocalista Manu Joker. "Mesclamos  imagens desses eventos às outras que fizemos em três lugares diferentes na Europa. Filmamos cenas tocando no clube ShowBarlang em Budapeste, na Hungria, e outras imagens na Polônia andando pelas ruas de Poznan, local onde praticamente começou a segunda guerra mundial. Por fim, filmamos outras cenas num centro cultural de Maribor, na Eslovênia, onde tinham vários objetos e esculturas relacionados ao tema, como por exemplo um carro de polícia cravejado de balas que acabou virando uma horta ou um símbolo da paz feito com metralhadoras AK 47 (risos)". 


Manu Joker também faz questão de esclarecer que, apesar das imagens, o clipe de "Guerra" não faz qualquer tipo de apologia e que o tema da letra está conectado com questões pessoais vividas pelos integrantes da banda.

"A idéia dessa letra veio das nossas batalhas internas, as nossas guerras particulares. Todos nós lidamos com isso, cada um à sua maneira. Acho que o Eddie fez um trabalho muito bom ao traduzir isso para o clipe e estamos realmente muito felizes com o resultado. Gostaria que as pessoas procurassem saber na real do que se trata o conceito desse som. Definitivamente não é apologia a violência, mas ai vai da percepção de cada um pra tirar suas conclusões."

O programa Udigrudi que marcará a estréia do videoclipe "Guerra" do Uganga vai ao ar às 14h30 pela Play TV (canal 181 da Sky e 118 da Net). 


Assista o teaser do vídeo no Youtube: 


Para celebrar a estréia do videoclipe, acontece também neste sábado, às 18h, a festa de lançamento na sede da gravadora Sapólio Rádio em Uberaba, Triângulo Mineiro. O evento está programado para iniciar às 18h e contará com discotecagem de Manu Joker e Tito Juvenal (da banda Seu Juvenal). Os convites estarão à venda no local por R$ 25,00 (incluindo open bar). 

Mais informações:



Fonte: Som do Darma
Management, Shows e Informações para a Imprensa:
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621
Crédito Fotos: Eddie Shumway

Warcursed: banda reinaugura todos os seus canais sociais




A banda paraibana WARCURSED relançou oficialmente o seu site, bem como todos os seus canais sociais, possuindo o tema voltado para o atual momento de sua carreira musical, com o lançamento do segundo álbum “The Last March”.


“The Last March” foi lançado no Brasil, no seu formato físico, na primeira quinzena de janeiro de 2014, através da Eternal Hatred Records, dentro do enorme cronograma de lançamentos do selo para 2013/14. A distribuição do material está sendo realizada pela Voice Music, garantindo o produto nas principais lojas especializadas e MegaStores do país.

Para mais informações sobre as atividades da banda WARCURSED e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com.

Links Relacionados:



Fonte: MS Metal Press

The Brainwash Machine: disponibilizado track list do novo álbum




A banda colombiana THE BRAINWASH MACHINE acaba de disponibilizar o track list do seu segundo álbum de estúdio, intitulado “A Moment of Clarity”.

Track List:

01. The Brainwash Machine (The Pessimist Anthem)
02. I Live in Fear
03. Spellbound
04. Animal Obsession
05. Ex-1
06. Manic
07. Dennis
08. A Moment of Clarity
09. Hellbound
10. Heal

“A Moment of Clarity” será lançado no Brasil através da MS Metal Records no primeiro semestre de 2014, e contará com a distribuição da Voice Music para as principais lojas especializadas do ramo e MegaStores do país.

Para mais informações sobre as atividades da banda THE BRAINWASH MACHINE e demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com.

Links Relacionados:



Fonte: MS Metal Press

Daniel Piquê: novo filme documentário da turnê europeia




O music creative brasileiro DANIEL PIQUÊ, que acaba de voltar de uma turnê promocional na Europa, disponibilizou mais um filme documentário da série “On The Road”, mostrando bastidores do show em Madrid que dividiu com o guitarrista norte americano, Tony MacAlpine. 

Segundo palavras de Daniel, “Sei que ainda são poucos os brasileiros com carreira internacional., então, a ideia desta série é compartilhar experiências, não só com as pessoas que me seguem, mas também com todas aquelas pessoas que sonham em dominar o mundo!” – comenta o artista. 


A série já conta com 24 filmes que podem ser encontrados no próprio canal do artista no YouTube. 

Para mais informações sobre as atividades do music creative DANIEL PIQUÊ e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com.


Links Relacionados: