3 de jan de 2016

INDISCIPLINE - Live at Toca (EP)


2015
Independente
Nacional

Nota 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques: Take It of Leave It, Higher, Losing My Mind

O que faz uma banda ser grande?

Bem, os fatores são muitos, mas um dos traços mais importantes é o não conformismo com sua música e nem mesmo com as adversidades. E um trabalho incessante é outro aspecto importante. Muitas bandas boas ficam pelo caminho justamente por largarem de lado o próprio trabalho por motivos que não cabe a este autor mencionar. E temos aqueles que fazem das dificuldades um combustível, mostrando sangue nos olhos e vontade de aço. E o trio carioca INDISCIPLINE mostra isso mais uma vez no EP "Live At Toca".

A banda está ainda mais coesa e densa em seu Rock and Roll sujo e azedo. É de simples assimilação, onde o foco da banda é criar uma música sem exagerar na técnica, mas com peso e ótima dose de melodia. Os vocais continuam melodiosos, com timbres muito bem escolhidos e um toque de agressividade muito bom; as guitarras continuam excelentes, mostrando riffs ganchudos e sujos, e solos capichados, sempre com boa noção de técnica; e a cozinha rítmica está com um peso fenomenal. Pode-se dizer que do EP "In My Guts" até aqui, a estrada fez bem ao trabalho musical do trio.

Indiscipline
Gravado no estúdio Toca do Bandido, a sonoridade de "Live At Toca" é muito boa, seca e com um feeling "ao vivo" bem claro. Ou seja, a gravação é despojada e despretensiosa, mas não algo que seja relaxado. De forma alguma, pois o trio sabe o que quer e Felipe Eregion (que mixou e masterizou o disco) soube dar um ar sujo e cru, mas claro e pesado, ao trabalho delas. E o próprio Felipe elaborou uma arte que combina muito bem com a musicalidade do grupo, com uma capa muito boa, e encarte mais despojado. Algo muito simples, despretensioso, mas extremamente funcional e que ficou ótimo.

Parece que a entrada de da baterista Ale deu um gás ao grupo, pois o trabalho do INDISCIPLINE se encontra mais coeso e pesado. Mas basta ver que mesmo o lado de arranjos simples da banda se tornou mais criativo, mais bem acabado.

Take It or Leave It - As meninas já chegam com uma voadora em nossos peitos, com uma faixa simples, ganchuda, pesada e com belas mudanças de andamento. Reparem como o trabalho das guitarras está um pouco mais elaborado que antes, ao mesmo tempo em que os vocais de Alice estão bem mais viscerais e agressivos.

Higher - O andamento é um pouco mais pesado e azedo, pois a velocidade diminui em relação à canção anterior. Mas no meio do azedume, reparem como o ritmo nos leva a balançar a cabeça, além dos riffs de Maria nos envolver maravilhosamente.

Losing My Mind - Aqui, o grupo joga pesado, com um lado um pouquinho mais cadenciado, quase um AC/DC mais pesado e intenso, com um trabalho de baixo e bateria ótimo. E Ale mostra uma pegada pesada ótima, que encaixou como uma luva com a música do trio.

Realmente, o INDISCIPLINE se mostra uma banda mais madura e pronta para um disco. Espero que ele venha em 2016!

Ah, sim: o EP pode ser baixado no site oficial da banda.



Tracklist:

1. Take It or Leave It
2. Higher 
3. Losing My Mind


Banda:

Alice - Baixo, vocais
Maria F. Cals - Guitarras
Ale De La Vega - Bateria


Contatos: