19 de dez de 2013

Genocídio - In Love With Hatred (CD)

Urubuz Records
Nota 10/10

Por Marcos Garcia

E chega a hora do Metal Samsara ter a honra de resenhar um trabalho de um dos grandes ícones da cena brasileira: o lendário quarteto de SP GENOCÍDIO, que chega com seu novo CD via Urubuz Records, "In Love With Hatred".

Sempre sendo caracterizado pela dinâmica evolutiva, sempre fugindo dos pontos comuns e sempre mostrando-se renovado e forte, o quarteto mostra-se cada vez mais trabalhado em seu Death Metal forte e pesado, mais com uma técnica e noção de melodia herdadas do Thrash que são marcantes. Ótimos vocais (que sabem dar uma bela variada vez por outra), uma dupla de guitarras muito técnica e que sabe soar pesada nos riffs (um dos pontos mais fortes do grupo) e com força nos solos (aqui as melodias ficam evidentes, sem deixar a música da banda menos brutal), baixo e bateria mostrando uma coesão poucas vezes vistas, sabendo guiar os andamentos da banda com maestria, fora algumas orquestrações que abrilhantam ainda mais o disco. Resultado desta alquimia: um dos melhores CDs do ano, sem sombra de dúvidas!

Tendo a produção de Marco Nunes (que ainda mixou e masterizou o trabalho no Estúdio Tori), com bateria gravada no Infectory Studio, enquanto baixo, guitarras, vocais e orquestrações no P2 Studio, e tendo a pré-produção nas mãos de Rafael Prego, é óbvio que eles conseguiram uma sonoridade extremamente agressiva e bruta, mas requintada e bem feita, com cada instrumento soando pesado e brilhante em suas particularidades (ouçam os momentos de guitarras limpas e vocais mais amenos para terem a clara idéia do que digo). A arte gráfica é belíssima, um trabalho esmerado que foge um pouco aos padrões do Metal extremo. Mas como dito acima, estamos falando do GENOCÍDIO, uma banda que vive quebrando regras e dogmas há quase 30 anos.

Musicalmente: "In Love With Hatred" é irrepreensível, perfeito do começo ao fim. Não é preciso dizer nada além disso. E ainda fica melhor pelas participações especiais de Manu Joker (do UGANGA) em "I Deny", Vitor Rodrigues (do VOODOOPRIEST) em "Unseen Death", e da Sphaera Rock Orchestra em "Birth of Chaos" e "White Room Red".

O CD abre com a intro "Birth of Chaos", para então vir a excelente "Kill Brazil" (música do vídeo, uma música agressiva e bem ganchuda, com ótimos vocais e solos), seguida pela trabalhada e vigorosa "Reverse" (a bateria e baixo estão fantásticos, já que aqui temos alternância entre momentos velozes e mais cadenciados), a perfeita e cadenciada "In Love With Hatred" (a técnica das guitarras é surpreendente, bem como as melodias fluem de forma sutil, em especial nos solos), a mais simples e agressiva "I Deny" (a forma que Murillo canta é absurda, com uma dicção perfeita), "Till Nothing Do Us Part" (arrastada e climática, mais uma vez com belo trabalho do vocal, que varia entre vocais mais agoniados e outros rasgados), "Inner Afflictive Scare" (com uma introdução de baixo ótima, até que ganha um andamento mais Thrash, e as cinco cordas do veterano Perna e os solos de Rafael se destacam), a caótica "Unseen Death" (novamente com vocais mais agonizantes se alternado com os mais agressivos), o cover muito bem adaptado para "Come to the Sabbath", do MERCYFUL FATE (que como no caso da versão original, o destaque maior fica para o ótimo trabalho de guitarras e baixo. E os solos não ficaram descaracterizados, apesar de refeitos), a brutal e opressiva "Passion and Pride" (com um jeito mais tradicional em termos de Death Metal, onde a bateria se sobressai bastante), a bem trabalhada e maravilhosa "White Room Red" (com andamento mais amenos e alguns riffs memoráveis, já com a participação dos arranjos orquestrais de cordas e sopro), e fecham com a versão orquestrada de "White Room Red" (uma versão instrumental linda, toda feita em instrumentos orquestrais).

Se este CD não constar na lista dos 10 melhores de 2013 de muitos, é porque não ouviram. 

E assim, o GENOCÍDIO mostra que ainda tem muito a contribuir com o Metal nacional e mundial.




Tracklist:

01. Birth of Chaos  
02. Kill Brazil  
03. Reverse  
04. In Love with Hatred  
05. I Deny  
06. Till' Nothing Do Us Part  
07. Inner Afflicitve Scare  
08. Unseen Death  
09. Come to the Sabbath 
10. Passion and Pride  
11. White Room Red  
12. White Room Red (Orchestra Version)


Banda:

Murillo Leite - Guitarras, vocais
Rafael Orsi - Guitarras
W. Perna - Baixo
João Gobo - Bateria

Contatos:

Zombeers - Alcoólicos Nada Anônimos (MCD)

Independente
Nota 9,0/10

Uma das coisas mais legais de se ter de vez em quando, para todos aqueles que ouvem Metal, é uma banda que venha a refrescar um pouco os nossos ouvidos. Quero dizer, aquelas bandas que fazem um trabalho bem despojado e descompromissado, mas que de tão despretensioso que chega a ser brilhante, que é legal e empolga. E o quarteto ZOMBEERS, de São Paulo, é desses que realmente nos deixam bastante empolgados com sua música, especialmente com seu primeiro EP, "Alcóolicos Nada Anônimos".

A banda se foca em um Rock'n'Roll bem visceral e pesado, mantendo uma pegada à lá MOTORHEAD e AC/DC, com muita energia, garra e bastante humor em suas letras, mas nada forçado. Aqui é "sexo, cachaça e Rock'n'Roll" na veia, com ótimos vocais roucos, riffs de guitarra muito bons e bem sacados, baixo e bateria formando uma base rítmica sólida e não muito complexa, mas firme e com muito peso. E assim, surge uma música muito empolgante e ganchuda.

Produzido por Vagau (guitarrista do quarteto) no cafofo do mesmo (bem, acredito que tenha sido em um home estúdio, regados à muita cerveja), e a sonoridade está crua e pesada, mas muito longe de ser algo tosco. Muito pelo contrário, a gravação está em um nível muito bom, com cada instrumento em seu devido lugar, com boa sonoridade e peso na medida. Já a arte é bem simples, trabalhada apenas em preto e branco, mas é justamente por ser assim que está antenada com a proposta do grupo: simples, direto, despojado, mas sempre funcional.

Em termos musicais, são cinco canções ótimas, cada uma com sua personalidade e valor bem próprios, sem deixar espaço para destaques individuais, logo, ouçam todas, já que "A Noite Vai Fever" (um Rock'n'Roll arrasador, com vocais muito bons e fortes), "Debaixo Desses Espelhos" (essa tem aquele jeitão mais "motorheadiano", aquele Rock'n'Roll bem gorduroso e bruto, onde as guitarras realmente tem um forte "Q" do velho "Fast" Eddie Clarke), a totalmente despojada "Sexta-Feira 13" (esta na linha mais dura e azeda do velho AC/DC. Reparem nas guitarras e base rítmica), "Inferninho" (outra que tem aquela aura forte da gangue de Lemmy, bem pesadona e ganchuda, com ótimo refrão), e "Eu Quero Mais Cerveja" (outro Rock'n'Roll bem pesado e que nos pega pelo ouvido, com vocais e guitarra se destacando bastante) são hinos ao Rock, à bebida e ao sexo.

Um ótimo trabalho, sem sombra de dúvidas, e o ZOMBEERS é uma das grandes revelações de 2013. E são de zumbis assim que precisamos!

Ah, sim: o trabalho pode ser baixado aqui, mas não forem daqueles que jogam peteca de mãos fechadas, vão comprar na hora.


Tracklist:

01. A Noite Vai Ferver
02. Debaixo Desses Espelhos
03. Sexta-Feira 13
04. Inferninho
05. Eu Quero Mais Cerveja


Banda:

Heverton "Verme" Souza - Vocals
Diogo "Vagau" Trentin - Guitarras
Diego "Papi" Oliveira - Baixo
Rafael "Schwarz" Silva - Bateria


Contatos:

X-Empire: Confira novo vídeo oficial






A banda X-EMPIRE, que conta os músicos Michel Marcos (Produtor do M&H Studio), o baterista, Raphael Jorge (HEPTAH, ABSTRACT SHADOWS), o guitarrista e produtor Rogério Oliveira (CHIMERAH/FLIGHT STUDIOS) e o baixista Felipe Gabriel (CHIMERAH), lança um novo cinematic vídeo para promover seu novo single “No Answers”, que estará presente no vindouro EP “End Of Times” previsto para o primeiro trimestre de 2014.

O novo single “No Answers” conta com os convidados Sidnei Hares e Carol Frade nos vocais, Daniel Della Santina no piano e com a produção do guitarrista Rogério Oliveira. A música em si não conta com a participação do vocalista Michel Marcos devido a alguns acontecimentos em sua pessoal.

“Infelizmente não foi possível contribuir para a gravação dessa bela música que é a “No Answers” como planejado. No momento que íamos gravar essa música, algumas questões familiares precisavam de uma atenção especial da minha parte. Meu pai veio adoecer gravemente e infelizmente veio a falecer no meio do processo de gravação do EP e dessa música. É complicado expressar tamanha tristeza e como as lutas tem sido constantes para superar esse momento tão difícil na minha vida, pois foi meu pai quem me apresentou ao mundo Rock e Metal e ele foi o responsável por moldar esse amor que tenho por música e pela arte de se fazer música. Tudo que aprendi e conquistei devo a ele. Agradeço muito a força que a banda toda tem me dado nesse momento, e agradeço mais ainda aos convidados de honra Sidnei Hares e Carol Frade, que fizeram um ótimo trabalho nessa nova música, que retrata um pouco da realidade dos dias de hoje. Dedico esse vídeo que produzi e essa música do X-Empire ao meu pai, João dos Santos, MUITO OBRIGADO!” – Declara o vocalista Michel Marcos.

O novo vídeo de “No Answers” segue o conceito de “Cinematic Video”, criado e produzido por Michel Marcos no M&H Studio onde as imagens retratam a realidade contida na letra escrita pelo mesmo.


'End of Times' será disponibilizado em formato digital nos principais sites do ramo. Produzido por Rogério Oliveira, o Debut EP vai contar com 5 faixas autorais que foram registradas no FLIGHT STUDIO em Guarulhos em parceria com o M&H STUDIO no ABC Paulista.



HellArise: Ajude a banda a lançar “Functional Disorder”






Com o EP “Functional Disorder” e o videoclipe “More Mindless Violence” lançados recentemente na Web, o HELLARISE recebeu uma enxurrada de pedidos pelas redes sociais para o lançamento físico do material.

Para atender aos que acompanham a banda, o grupo resolveu lançar um projeto no Catarse, site que visa o financiamento coletivo do proposto pelos anunciantes.


Como a própria banda deixa claro, o projeto pode ser tratado como uma pré venda do material, tendo em vista que o dinheiro investido pelos apoiadores será retornado em produtos que lá estão anunciados.

Para saber mais sobre o material, valores e produtos, assim como a ideia por trás do financiamento, acesse:


O EP “Functional Disorder” foi lançado em novembro.  O material foi gravado no estúdio Pedrada e a capa foi desenvolvida pela artista Vivian Mota, proprietária e ilustradora na empresa Rabiscorama (www.facebook.com/rabiscorama).

1 – More Mindless Violence
2 – I Don’t Believe
3 – More Than Alive
4 – Functional Disorder
5 – Rest In Pieces (Good Old Feeling)

O trabalho está disponível para audição gratuita e compra pelo canal oficial da HELLARISE no Bandpage:


Já o clipe de ‘More Mindless Violence’ foi dirigido e editado por Iza Rodrigues e contou com codireção de Daniel Aghehost. O trabalho ainda conta com a presença da “IMAT Airsof Team”.


Contato para shows e merchandise: contact@hellarise.com

Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

Lothlöryen: Single gratuito com duas capas para download!






Depois de espalhar o Hobbit em formato audiovisual, agora o LOTHLÖRYEN disponibiliza também a música para download gratuito.


E como não poderia ser diferente no trabalho dos bardos, o single vem caprichado e com duas capas! Ambas feitas pelo renomado artista Robson Piccin, também responsável pelas capas dos dois primeiros trabalhos do LOTHLÖRYEN e também do novo ‘Some Ways back SOME More’.


Para baixar o single ‘Hobbit’s Song’, clique no link:


Conforme noticiado, o single estará presente em seu novo trabalho, o relançamento do álbum ‘Some Ways Back SOME More’, que sairá pela germânica Power Prog. Mas não será um relançamento comum,  o material teve os vocais e teclados regravados, além de alguns solos e violões, também foi totalmente remixado no Casanegra Studios e remasterizado no Norcal Studios, podendo ser considerado um novo álbum da banda.

Para quem ainda não assistiu o clipe, pode fazer pelo link:


Contato para shows e merchandise: lothloryen.oficial@gmail.com

Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

Grimriot: Vocalista do Daydream XI participando de novo single






Próximo do lançamento de seu quarto single, o GRIMRIOT anuncia a participação especial de um grande amigo do grupo: Tiago Masseti, da banda Daydream XI.

Tiago ficará responsável por dividir os vocais com Guilherme Acauan, oficial do posto.

Tanto o Daydream XI, quanto o GRIMRIOT estão em processo árduo de finalização de seus respectivos álbuns de estreia.


Outro ponto similar é que ambas as bandas provém da mesma cena, Porto Alegre, que vem primando por essas parcerias entre as bandas, coisa que deveria ser seguida Brasil afora.

Para conhecer mais sobre o DAYDREAM XI acesse: www.metalmedia.com.br/daydreamxi/

Lembrando que o GRIMRIOT já disponibilizou três músicas para audição e download gratuitos:




Contato para shows e merchandise: grimriotmetal@gmail.com

Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

Imminent Attack: Confira performance ao vivo em festival em Natal/RN







Os mamutes foram uma das atrações do Festival do Sol, realizado em Natal no Rio Grande do Norte. Confira um vídeo de sua apresentação:


Lembrando que a banda está para lançar um EP em formato vinil de sete polegadas com o título de ‘Coach Potato’.


O lançamento só pôde ser viabilizado pelo apoio recebido do selo Thirteen Records (ou 13 Rex).

O vinil contará com quatro faixas (‘Couch Potato’, ‘Nobody Cares’, ‘United By Fear’, ‘Dirty Noise & Fun’). O EP foi gravado no estúdio CasaNegra, sobre a supervisão do renomado músico e produtor Rafael Augusto Lopes.

Já a capa novamente ficou nas mãos de Carlos Cananea, gênio por trás da premiada capa do debut ‘Delivers Us From Ourselves’.

O lançamento de ‘Coach Potato’ está previsto para muito breve. Fiquem atentos!

Lembrando que o IMMINENT ATTACK também lançou um clipe para a música ‘Splact’ de seu primeiro álbum.


Para entrar em contato com a banda e agendar shows: kabeloduro@gmail.com

Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

Oligarquia: de volta a capital paulista em último show do ano





O OLIGARQUIA foi confirmado no festival Carnificina 9, no dia 22 de dezembro, domingo, que acontece a partir das 15h no Bar do Diniz (Av do Cursino, 710 – próximo ao metrô Alto do Ipiranga).

Além do quarteto Death Metal, as bandas Lixo Atômico, Antagônicos, Cleptomaníacos, Visão Vermelha e El Terrible também participam do evento.


Recentemente o OLIGARQUIA disponibilizou para audição gratuita seu mais recente álbum, ‘Distilling Hatred’.


O grupo anunciou também a participação em um 6-Way-Split gratuito que conta com várias bandas da América do Sul, o OLIGARQUIA é o representante do Brasil. A banda também está em um tributo brasileiro ao NAPALM DEATH.

Contato para shows e merchandise: oligarquia@oligarquiadeath.com.br

Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

Nervosa: recording a new videoclip!


After announcing the name for their next album, NERVOSA now started recording their new video.

The clip will be for their first single from the record 'Victim of Yourself', which release date will be announced soon.



For more info about NERVOSA, please check:


Nervosa: gravando novo videoclipe



Após anunciar o nome de seu próximo disco, a NERVOSA agora inicia as gravações de seu mais novo vídeo.

O clipe será para o primeiro single do disco 'Victim of Yourself' que terá seu lançamento anunciado em breve.



Para mais informações sobre a NERVOSA, acesse:



When dream, Metal, games and fantasy unite: Interview with Ivo van Dijk (KARMAFLOW)



By Marcos Garcia


Ivo van Dijk

Since the early years of the style, Metal always got some innovations, opening ways to new experiences and projects into the scene, one better than the other ones, and now, it’s time for a great project rises from the underground, under the name of “Karmaflow: The Rock Opera Videogame”, a game with Metal in musical theme and other surprises.

We had a chance to talk with his idealizer, Ivo van Dijk, to know all about this great project.


Metal Samsara: First of all, we thank you a lot for giving us this interview, Ivo, so, the first question is: how the idea of “Karmaflow” arose in your mind for first time? By the way, we think it evolved in a very slow way, right?

Ivo van Dijk: The idea for Karmaflow arose about a year and a half ago. I was thinking about how I could make a new rock opera, but also how to turn this into a videogame. At first I was planning on making a new stage show, but since I am currently specializing in game audio, that didn't make sense. I made a concept about how this game would work, and what the role of the singers and the music would be. Once I had the general idea ready for that, I talked about this idea and the style I wanted to go with: adventure, exploration and mostly aimed at an experience instead of lots of action. I have a love for these kind of games, and I always thought the themes for these kind of games already fitted the rock opera genre very well, so it kimd of made sense for me. We started itterating (make changes) on the original concept, but the exploring and adventure idea still was the central idea.


A screenshot from Karmaflow
MS: Please, some of our readers aren’t into the conception of “Karmaflow”, so please, tell us about what is, telling some of the aspects of the project, and how you plan it to be when it’s finished.

Ivo: Karmaflow is the world's first Rock Opera videogame. We are exploring how a story can be told through music and videogames combined: something that has never been done before in this way! We have some amazing singers and one of the best orchestra's in the world participating. In the game you play as the Karmakeeper. You travel to different world, were the Guardian of the world lost control of the balance. The playeris faced with a conflict and throughout the adventure, you learn what has happened in these worlds.


MS: Ivo, you released a project some years ago, a Rock Opera with your band, XYSTUS, called “Equilibrio” that was released even here, in Brazil. Do you believe that there is some link between both projects? Could “Equilibrio” be a kind of “starting point” to “Karmaflow”?

Ivo: Well, first of all both rock opera's are about a lost balance, which has to be restored by an "external" character. That is an important subject to me. If you look at the current state of the world, I think it is safe to say we are also losing balance. But restoring this balance is a difficult task, everybody has its own opinion on what the best way would be, or even whether this is even true or not... Off course Equilibrio was the first rock opera I made (with Xystus) and I liked working with a concept and make a longer work with a certain sound. With Karmaflow I hope to take this a lot further and make it bigger and better!


Elize Ryd
MS: By the way, we cannot forget the story behind the game, the conception of it, so, can you tell us a little about it? And as we can see by now, it’s a kind of RPG game, isn’t it? But is the story closed, without nothing new to be inserted on it?

Ivo: Like I said it is about the Karmakeeper, who has to restore the balance. You do this through exploring, talking to the characters, puzzling and platforming. Slowly you will learn what is going on in the world, and once you have heard the different sides of the stories, it is up to the player to decide who he will help. So the story is "closed", but you get to choose how it ends... The game is more of a puzzle/platform adventure. Our big inspirations are game such as Zelda, Journey and Darksiders.


MS: We know that the project is only in its beginning, but is there something done, in terms of programming?

Ivo: Yes, we are currently working on a first prototype and some of the models, textures etc. are being made as we speak. We are currently working fulltime on the game, and we hope to present a full working level in january. Off course the music production starts in February (which is a big and difficult part of the whole production on its own!), so to see it fully working as it is meant to be will be a couple of months later.


MS: Well, “Karmaflow” will have some very interesting musicians working with you, as Simone Simons (Epica), Mark Jansen (Epica), Marc Hudson (Dragonforce), Henning Basse (Metallium, Firewind), Elize Ryd (Amaranthe, Kamelot), Mariangela Demurtas, and even Dani Filth (Cradle of Filth), showing a musical range very ample. So, how’s to work with so different people, from different countries and cultures, and even with different musical styles?

Simone Simmons
Ivo: It's great to have so many talented musicians on board, and I still can't believe we have such an amazing cast. It's kind of a puzzle which slowly has to come together the coming months, but I think everyone is well informed and hopefully feels involved. We are very lucky to live in an age where you can get in touch with everyone through internet, and stay in touch easily to give updates on what is going on. 

All these different voices will give the characters in the game a very wide and colorfull range of voices, which we are also going for in the design of the different characters.


MS: An important aspect that we must talk is that “Karmaflow” is a crowdfunding project. So, can you tell us why you choose to do this, and what the ones will have with it? Of course, it’s an art masterpiece, and some contribution is welcome, but some people only think in a “what-will-I-gain-with-it?” way.

Ivo: Yes, we ran a crowdfunding campaign a while back. Thanks to all the people who contributed we are able to hire all the wonderfull musicians who are involved. Off course everyone who helped us in this way is entitled to the perk they claimed, but we did a survey last week and we are getting so many warm and enthousiastic responses from people, I truly feel people are sincerely curious and interested in how this will turn out, and want to experience Karmaflow themselves. This is very inspirational for us and we feel we are making this not just for ourselves, but for a great bunch of already loyal fans! We are still taking pre-orders on our website, and all money gathered from that will go directly into development of the game.


MS: The project was divulgated to worldwide press in July, so, how the things are going by now? Is it too hard to handle, and are you sure to pass over the difficulties in this early point of the project?

Ivo: Things are actually going great! We made a good planning on when we will do press so it won't interfere with the whole artistic ohase of the project. It is taking up all of our time off course, but we did know that that would happened and we are prepared for that. This is a labour of love for the whole team, and I truly don't mind dedicating all of my time to realise our collective dream of making Karmaflow happen!


MS: Here in Brazil, some musicians had done crowdfunding projects, and they really reached good results, but we do not have any idea about how these projects work in Europe and all over the world. So, can you tell that in Europe and USA, people are embracing the project?

Ivo: Yes, people from all over the world have shown their support for the project. The fact that all singers and fans helped spread the word for us on facebook and twitter is an incredible help to us. Since the game and the soundtrack will be available as a download, we cam reach everyone in the world. Something that unfortunatly was very hard to do with "Equilibrio" in the past. We all can't wait to show the world our game once it is done, but we've got quite the way to go for now.

Mariangela Demurtas

MS: And by the way, do you have a planned final date to release “Karmaflow”? Some fans just can’t wait for it, especially here in Brazil, where Metal and video games are really linked to many people.

Ivo: We are aiming at releasing the game and the soundtrack in late 2014. We are doing our best and working very hard on the game right now to make sure this will happen!

Karmaflow screenshot

MS: We thank you a lot, Ivo, and hope that “Karmaflow” can be a success, and please, leave your message to our readers.

Ivo: First of all thank you for taking the time to write about our project. The Karmaflow team hopes that our idea and vision for the game will resonate with others and people understand the ideas we are going for. We are aiming at delivering a unique experience and bring a new genre (the rock opera videogame) to life for you all in a special way. It is great to know people from all over the world, including Beautifull Brasil, are waiting for us to finish this. You can support the project by pre-ordering the game or buying other merchandise at our website www.karmaflowgame.com, all money will go into development of the game. For regular updates you can follow us on Facebook (facebook.com/karmaflowgame) were we will post the latest news, conceptart, and will reveal some more singers the coming months. Thank you again and many thanks from the small country of the Netherlands!


For all those who wants to get in touch with Karmaflow project, to know about the news and to donate, below are some links of interest;

Hocnis / Imminent Attack / Puppets - Three Ways to Hell

Nota 8,5/10

Por Marcos Garcia

E pouco mais dee um ano depois, a Shinigami Records dá continuidade ao projeto "Hellstouch", que foi iniciado ano passado através da coletânea que leva o nome do projeto, lançando agora o 3 Way Split  CD "Three Ways to Hell", com três da bandas que participaram da coletânea: HOCNIS, IMMINENT ATTACK e PUPPETS. Uma iniciativa ótima, que demonstra que o selo não é apenas mais um buscando se firmar por questões financeiras, mas que tem amor pelo estilo e visão empreendedora.

Resenhar o Split requer que cada banda seja analisada separadamente, para que sejamos justos com cada uma delas, inclusive nos detalhes de tracklist, formação e contatos, ao final da resenha, cada banda foi disponibilizada separadamente, visando a melhor compreensão de todos os leitores.

Vamos à elas:

Hocnis
O HOCNIS, um quarteto que mixa Thrash Metal com algumas pitadas de Death Metal Old School de maneira furiosa, vem de MG, soltando faíscas pelas narinas, mostrando um trabalho ótimo e convincente, mas cuja gravação poderia ter sido um pouco melhor. Mesmo assim, sua fúria musical é sentida, em especial pelas guitarras (com riffs bem pesados) e belo trabalho trabalho do baixo (esse cara tem uma técnica muito boa) em suas sete faixas, com destaque para "Narcozy" (com riffs bem agressivos e bom trabalho da bateria, conduzindo uma faixa mais cadenciada), a instrumental "Hocnis" (onde o baixista mostra sua diversidade técnica e a bateria está perfeita), bem como nas faixas bônus "Against All" (aqui o vocalista se destaca bastante) e "Pigs in Hell" (uma faixa mais cadenciada e ganchuda, daquelas que prendem o ouvinte). Boa promessa para o futuro, com algumas pequenas arestas a serem aparadas (aquelas que a estrada irá tratar de podar). Mas potencial e garra para isso esses mineiros tem, e muito.

Imminent Attack

O IMMINENT ATTACK, velho conhecido, trilha os caminhos do Thrash/Crossover na linha do EXODUS e DRI, soltando energia e agressividade para todos os lados. O slamdancing é certo, já a banda é bem coesa e homogênea (ótimos vocais, dupla de guitarras afiadas em bases e solos, baixo e bateria bem entrosados e variados). A qualidade sonora também poderia ser um pouco melhor, mas não chega a comprometer a qualidade das seis faixas. E por falar nelas, não dá para destacar uma ou outra, já que a furiosa "Couch Potato" (boas mudanças de andamento, ótimos backing vocals, mas as guitarras se destacam bastante), a suja "Dirty, Noise and Fun" (essa bem Crossover, com ótima presença da cozinha rítmica), as velozes "Nobody Cares" (novamente com belo trabalho de baixo e bateria) e "United by Fear" (que vocais insanos e bumbos duplos!), além das que apareceram na coletânea, "Noise for Nothing" (uma pedrada extremamente agressiva e cheia de energia) e o hino "Splact" (a energia dessa música é imensa que nem defunto fica parado. Guitarras perfeitas, cozinha sentando o braço e ótimos vocais). Como a Elliot's Gang, o buraco é bem mais embaixo sempre.

Puppets

Fechando, temos o quinteto carioca do PUPPETS, que percorrem um caminho mais moderno em termos de Metal, pesado, com boas melodias, mais com elementos regionais, industriais, alguma coisa de Rapcore e de HC fluindo aos borbotões com muita energia. A gravação deles está muito boa, com cada instrumento em seu devido lugar, com ótimas guitarras (bem gordurosas, ou seja, privilegiando um timbre grave e distorcido), vocais que alternam entre timbres mais ríspidos e outros mais amenos. Um bom trabalho, com destaque para a furiosa "Hardcore" (o título já diz tudo, com bons riffs em uma faixa intensa), a mais groovy "Piada Suja... Rio de Janeiro" (com muitas influências de Rapcore bem evidentes), a mais seca e quase Thrash "Assassinos da Verdade", e "Puppets from Hell" (antigo nome da banda e com um mix entre momentos bem agressivos com outros mais suaves, onde se nota uma leve entonação Goth nos vocais). Mas a verdade seja dita: não é um trabalho de fácil compreensão, logo, nem sempre a primeira audição será útil para formar a opinião sobre a banda. Mas na segunda, eles se tornam um vício.

Um trabalho visionário que mostra 3 ótimas bandas, e que merece aplausos e nosso investimento.


Hocnis



Imminent Attack



Puppets


Notas individuais:

HOCNIS: 8
IMMINENT ATTACK: 10
PUPPETS: 8,5


Tracklist:

HOCNIS:

Tracklist:
01. Introduction of Agony/Necrophobia
02. Fear of Pain
03. Narcozy
04. Hocnis
05. Against All
06. Pigs of Hell
07. Hate in Your Eyes

Banda:

Carlos Moonchild - Vocais
Igor Podrão - Guitarras
Canabrava - Baixo
Luiz Toledo - Bateria

Contatos:



IMMINENT ATTACK:

Tracklist:
08. Couch Potato
09. Dirty, Noise and Fun
10. Nobody Cares
11. United by Fear
12. Noise for Nothing
13. Splact

Banda:

Dinho Guimarães – Vocais
Erick Veles – Guitarras
Ivan Skully – Guitarras
Alan Magno – Baixo
André A.lien – Bateria 

Contatos:



PUPPETS:

Tracklist:

14. Abre a Roda
15. Hardcore
16. Piada Suja...Rio de Janeiro
17. Assasinos da Verdade
18. Dark Lands
19. Puppets from Hell
20. Chased by Words
21. Guilty Man

Banda:

Danilo Botelho - Vocais
David Jozef - Guitarras
Léo Medeiros - Guitarras
Yuri Hildebrand - Baixo, backing vocals
Eduardo Cesario - Bateria

Contatos: