7 de jun de 2017

ESCOLTA: debut álbum será lançado no Brasil pela MS Metal Records


A banda brasiliense ESCOLTA confirmou que o formato físico do seu debut álbum, que ainda não possui título definido, tem o seu lançamento confirmado para o segundo semestre de 2017, através da MS Metal Records, com distribuição da Voice Music.

Antecedendo o supracitado lançamento, o single "Refém da Verdade" foi disponibilizado nas principais plataformas online, enquanto que o formato digital do álbum será distribuído através da CD-Baby.

Para mais informações sobre as atividades da banda ESCOLTA e demais artistas da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

DEEP PURPLE - InFinite (Álbum)


2017
Nacional

Nota: 9,2/10,0


Tracklist:

1. Time for Bedlam
2. Hip Boots
3. All I Got is You
4. One Night in Vegas
5. Get Me Outta Here
6. The Surprising
7. Johnny’s Band
8. On Top of the World
9. Birds of Prey
10. Roadhouse Blues


Banda:


Ian Gillan - Vocais
Steve Morse - Guitarras, backing vocals
Don Airey - Teclados, órgão
Roger Glover - Baixo, backing vocals
Ian Paice - Bateria

Convidados:

Bob Ezrin - Teclados adicionais, backing vocals, percussão


Contatos:

Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:

E-mail: earmusic@edel.com (imprensa)

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


E após quatro anos desde “So What?!”, eis que o último dos 3 dinossauros dos anos 70 retorna com mais um disco de estúdio. Sim, mesmo depois de quase 50 anos de atividade, o DEEP PURPLE retoma a carga, lançando “InFinite”, seu 20o disco de estúdio. E a Shinigami Records bancou o desafio e botou uma versão nacional do disco nas prateleiras das lojas.

Mas o que o bom e velho quinteto de Hertford, Inglaterra, tem a oferecer depois de 49 anos de serviços mais que muito bem prestados ao Metal e ao Hard Rock?

A verdade é simples: nada. Sim, se você estava esperando que esses sujeitos viessem reinventar a roda, é bom tirar o cavalinho da chuva. O DEEP PURPLE continua brindando seus fãs com o bom e velho Classic Rock com sua dose de peso, enorme influência do Blues e do Jazz, mas ainda assim, desce macio com um bom e velho vinho de uma safra antiga. Óbvio que o vocal de Ian Gillan não está essas coisas, uma vez que ele já está 71 anos de idade, e aqueles berros viscerais do passado não serão ouvidos. Mas em compensação, ele sabe de suas atuais limitações e faz um ótimo trabalho. Steve Morse é um mago das seis cordas, esbanjando feeling e pegada (sem usar toda a técnica que ele tem). A cozinha de Roger Glover (baixo) e Ian Paice (bateria) continua sólida e bem trabalhada, como sempre foi. E os teclados de Don Airey estão perfeitos, dando aquele toque clássico e psicodélico de sempre.

Ou seja: mesmo que “InFinite” não seja um clássico absoluto como “Machine Head”, “Fireball” ou “In Rock”, em suas belezas e méritos próprios.

Na produção e mixagem, um mestre do passado: Bob Ezrin. Sim, o mesmo que trabalhou com ALICE COOPER e deu aquele toque diferenciado a “Destroyer”, do KISS, e que também produziu “So What?!” foi o escolhido para tomar conta da criação de “InFinite”. O engenheiro de som Justin Cortelyou ajudou na mixagem do disco, e podemos dizer que o Purple se aproximou das qualidades sonoras dos discos dos anos 70, com algo mais cru e orgânico, mas sem abrir mão da qualidade limpa que os trabalhos digitais concedem. Ou seja, sonoramente, não terão o que reclamar do disco.

A arte da capa é muito interessante, com certo toque de anos 60-70, em que desenhos e fotos enigmáticas davam a tônica. Mas ela ficou ótima, captando a essência sonora do disco. Um trabalho muito bom de Büro Dirk Rudolph.

O experimentalismo que muitos captam em “InFinite” nada mais é que a essência que todos conhecem de discos do passado. Sem isso, poderíamos admitir que o DEEP PURPLE fosse um aposentado em atividade, o que está longe de ser. A música que flui pelos falantes continua tendo qualidade e alto nível, coisa que esse quinteto, mesmo em meio às turbulências da carreira, sempre tiveram.

A fogosa e tipicamente Rocker “Time for Bedlam” com suas intervenções de guitarras, bons vocais e refrão de primeira; a pesada e intensa força grooveada de “Hip Boots” e sua força rítmica (eu avisei que baixo e bateria do grupo são sólidos e perfeitos, pois estão juntos desde antes de muitos que estão lendo estas palavras terem nascido); as envolventes melodias de “All I Got Is You” e suas belas passagens de teclados (esse sujeito sabe o que faz, sendo um sucessor digno do mestre Jon); o peso gorduroso e (pasmem!) moderno de “One Night in Vegas”; a força intensa e setentista da quase psicodélica “Get Me Outta Here”; as lindas guitarras de “Johnny’s Band” contrastando com os teclados bem encaixados e os vocais sóbrios; o Rockão com jeito de Blues em “On Top of the World”; a pegada Heavy/Prog/Folk de “Birds of Prey” e sua força pesada à lá LED ZEPPELIN; e a versão para a sensual e bluesy “Roadhouse Blues” do THE DOORS com sua pegada “noir” elegante, superando em muito a versão original são as melhores canções de “InFinite”, que é todo muito bom.

Óbvio que já existem muitos boatos sobre a eventual aposentadoria do quinteto após o final da tour promocional de “InFinite”, chamada “The Long Goodbye Tour”. Óbvio que isso está ligado à idade deles, aos problemas de saúde (lembrem que Ian Paice teve um ataque isquêmico transitório em 2014) mas se este for o último, “InFinite” é uma despedida em alto nível de um dos nomes mais criativos do Hard Rock, do Metal, do Classic Rock, enfim, do Rock ‘n’ Roll. Logo, agradeçamos, pois tivemos a sorte de estarmos vivos quando estes gigantes estavam na Terra.


Se for, obrigado por tudo, DEEP PURPLE!



JARAKILLERS: novo álbum será lançado no Brasil pela Eternal Hatred Records


A banda amazonense JARAKILLERS confirmou que o formato físico do seu novo álbum, intitulado “Still Macabre”, tem o seu lançamento físico confirmado para o segundo semestre de 2017, através da Eternal Hatred Records, com distribuição da Voice Music.

Em paralelo, o JARAKILLERS continua agendando datas pelo Brasil em suporte ao seu segundo álbum, “Still Macabre”. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

Para mais informações sobre as atividades da banda JARAKILLERS e demais artistas da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalagencybrasil.com.

MANGER CADAVRE?: banda lança clipe de "Bruxas da noite"


A banda de Hardcore Crust do Vale do Paraíba (interior de São Paulo), MANGER CADAVRE? lançou recentemente o clipe da música "Bruxas da noite", de seu último trabalho, o EP "Revide" (2017).


O clipe, que foi produzido pela Head Label, foi filmado em preto e branco, e além de imagens da banda, conta com uma performance de dança com dois bailarinos, Carol Pereira e Lucas Kruszynski, que "lutam" entre si.

A letra: A música ressalta a presença da mulher na história, detalhando o combate aos nazistas realizado pelo 588º Regimento de Bombardeio Noturno, de pilotos soviéticas constituído somente por mulheres. Com poucos recursos e aviões de madeira e lona, elas criaram estratégias que obtiveram tanto sucesso, que os alemães criaram todos os tipos de superstição e boatos sobre elas. O próprio nome “Bruxas da Noite” foi inspirado no som dos aviões soviéticos desligados, que de acordo com a imaginação dos alemães, soavam como bruxas em suas vassouras voadoras. Outra lenda inventada pelos nazistas amedrontados dizia que as bruxas recebiam injeções com uma solução que as fazia enxergar no escuro como os gatos.

O clipe está disponível no canal do Youtube da banda. Confira:



Links relacionados:

DVD ROADIE METAL VOL. I: banda Krucipha apresenta vídeo clipe perturbador


Lançado oficialmente no último dia 19 de maio, o primeiro DVD de clipes da história do Metal Nacional, apresenta 34 bandas de vários estilos com ideias e conceitos visuais incríveis, nossa ideia é levar ate o público, imprensa, produtores e casas de shows, toda a qualidade individual de cada banda no DVD ROADIE METAL VOL. I.

O DVD foi planejado minuciosamente, possui um encarte com 36 paginas, individualizando banda a banda, contendo o release, letra da música, escopo técnico do clipe, links de contato, foto e capa de álbuns. O DVD 01 foi incluído os nomes mais extremos do metal nacional, o DVD 02 linhas mais clássicas e tradicionais aos fãs do estilo.


Mantendo a proposta do Peso do DVD 01, o quarto clipe da Coletânea Roadie Metal, é visceral e vem de uma das mais importantes bandas de Thrash Metal do país, os músicos do Krucipha apresentam ao público seu perturbador clipe da música “Reason Lost” que faz parte do álbum “Hondsight Square One” lançado em 2014.



Saiba mais sobre o Krucipha:


O Krucipha [kru.SI.fa] é uma banda curitibana formada em 2009 que traz em sua sonoridade um Thrash Metal visceral mesclado com influências de Death Metal, Groove Metal, Hardcore NY e uma pitada brasileira que faz menções à Chico Science e Nação Zumbi.

Em 2010 a banda lançou online o EP “Preemptive Uproars” e em fevereiro de 2011 recebeu o prêmio de “Melhor música do gênero do ano de 2010” com a faixa “Afforddiction”, no Prêmio Ivo Rodrigues na cidade de Curitiba, antes mesmo de sua estréia nos palcos, que veio a acontecer somente na metade de 2011.

A banda ganhou destaque na região e foi atração de festivais de renome da região sul do país, como Orquídea Rock Festival, River Rock Festival, Otacílio Rock Festival e Live Metal Fest Curitiba Edition.

Em 2014 o Krucipha lançou seu debut álbum intitulado “Hindsight Square One”, que conta com 5 faixas inéditas e as 3 previamente lançadas no EP de 2010. O álbum traz em suas letras temas atuais como os dilemas e paradoxos da vida moderna, alienações, conflitos pessoais, manipulação em massa e a incompatibilidade da sociedade em geral.

A parte visual do grupo conta peculiarmente com a figura do pinhão, fazendo alusão às famosas calçadas de sua cidade natal.

Durante sua carreira, o Krucipha dividiu o palco com algumas bandas de destaque nacional e internacional, como Claustrofobia, Project46, Sepultura e Cavalera Conspiracy.

Formação:

Fabiano Guolo - Vocal/Guitarra
Luís "RazorB" Ferraz - Guitarra/Vocal
Khaoe Rocha - Baixo/Vocal
Nicholas Pedroso - Percussão
Felipe Nester - Bateria

Mais informações:


OBSCURITY VISION: confira a entrevista ao programa Sangue Frio Produções



A banda catarinenese de Death/Black Metal OBSCURITY VISION foi destaque na trigésima edição do programa Sangue Frio Produções onde concedeu uma entrevista para o mesmo.

Em um bate papo abrangente conduzido pelo apresentador Patrick de Souza, Luiz Rodriguez, guitarrista e fundador do grupo, falou um pouco sobre o início da banda e seus 20 anos de criação, mudanças de formações, atual EP – intitulado “Obscurity Creation” –, métodos de composição, projetos futuros, que inclui um novo álbum e muito mais, confira:



O novo álbum, ainda sem nome e capa divulgados, será lançado ainda neste ano de 2017, nos formatos físico e digital via Sangue Frio Records. Mais informações sobre esse e outros trabalhos do selo escreva para sanguefriorecords@sanguefrioproducoes.com.

Produtores interessados em agendar uma data para show em qualquer cidade do país, basta escrever para contato@sanguefrioproducoes.com ou joaogustavo005@hotmail.com, solicitar um orçamento e conhecer as facilidades.

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:

MORTUO: Sangue Frio Records fará a distribuição digital do álbum “Old Memories Of The Past”


O debut álbum, intitulado “Old Memories Of The Past”, do grupo paranaense MORTUO finalmente chegará as principais plataformas de streaming do mundo.

Isso decorre de uma forte parceria entre a ‘one-man-band’ e a SANGUE FRIO RECORDS, selo responsável por essa distribuição digital, depois de uma ótima recepção da mídia especializada e também do público em geral para o formato físico, lançado em meados de 2015.

“Acredito que toda a forma de divulgação é válida, desde que não prejudique o trabalho do artista. Plataformas de streaming são seguras, podemos divulgar e comercializar nossas músicas de forma rápida, mas devo lembrar que ainda valorizo o material físico, quem for realmente fã deve adquirir os produtos oficiais da banda.” - completa Vox Morbidus.

Como supracitado, “Old Memories Of The Past” foi extremamente bem recebido em vários meios de comunicação do Brasil e exterior, e você pode conferir todas as críticas feitas a esse full length, bem como entrevistas e matérias especiais, acessando o clipping do MORTUO disponibilizado pela Sangue Frio Produções pelo link: http://www.sanguefrioproducoes.com/upload/clipping/Mortuo.pdf

Contato para assessoria de imprensa: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:


PANZER: banda anuncia novo baixista!



Após um período de testes e ensaios, finalmente o PANZER tem um novo dono dos graves.

Será o músico Daniel Corvo, que já vem tocando com a banda há algum tempo e agora está oficializado como membro do PANZER.

Novamente completo, o PANZER segue divulgando o novo álbum, ‘Resistance’, lançado no ano passado e detentor de várias citações como um dos discos de 2016. O trabalho foi publicado no Brasil em versão física pela Shinigami Records.

O novo disco também é encontrado em versão digital, confira alguns links:


Um pacote de três clipes retirados de ‘Resistance’ acabam de ser disponibilizados, assista!

‘The Old And The Drugs For Soul’:




‘You May Not Have Tomorrow’:




‘Impunity’:




Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

MAKINÁRIA ROCK: banda é atração no Rock Action Fest em Sampa!



O MAKINÁRIA ROCK vai levar seu Rock’n’Roll sem frescura para os palcos da nova edição do festival ROCK ACTION.

O evento é no dia 23 de junho no Stage Bar, na Barra Funda, na capital paulista. No mesmo dia se apresentam as bandas Pop Javali, Pavelow e Smoke Machine. Ingressos antecipados com preços promocionais já estão à venda. Saiba tudo pelo link: https://goo.gl/13VORg


O MAKINÁRIA ROCK segue preparando seu novo álbum de estúdio, ‘Mundo Imundo’, sucessor do aclamado ‘Cidade Rock’, o álbum está sendo gravado e produzido por Lau Andrade no Estúdio Conspiração, que também ficará encarregado da mixagem e masterização. O lançamento está previsto para o outubro de 2017.

O mais recente trabalho do grupo é o álbum ao vivo, ‘Ao Vivo na Cidade Rock’, que pode ser baixado gratuitamente pelo link: http://makinariarock.com.br/site/discografia/

A banda também lançou um clipe prestando tributo ao finado músico inglês Lemmy Kilmister. A música tem o singelo título de ‘Lemmy Imortal’ e pode ser conferida pelo link:




Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

HELLLIGHT: trazendo o Doom sobre São Paulo!


O HELLLIGHT está pronto para mais uma grande celebração do Doom Metal na Cidade da Garoa. O grupo é uma das atrações do festival Doom Over SP.

O evento acontece no dia 22 de julho no Espaço Som, com início às 20h. Ainda se apresentam as catarinenses Lacrima Mortis e Agony Voices. O espaço é limitado e os ingressos serão vendidos apenas na porta. Informações pelo link: https://goo.gl/vkRycD

Formado em 1996, com influências de bandas como Black Sabbath, Danzig e Bathory, o HELLLIGHT vem sempre em uma crescente, atingindo cada vez um número maior de pessoas pelo mundo com sua música complexa, melancólica, pesada, com intuito de transmitir os sentimentos e emoções mais profundos da humanidade.


Hoje o grupo conta com uma discografia de cinco álbuns de estúdio e alguns EPs, incluindo o famigerado ‘The Light That Brought Darkness’ que contou com versões incríveis de músicas de nomes como Pink Floyd, Queen, Bathory e outras lendas da música universal.

No ano passado, celebrando 20 anos de carreira, o HELLLIGHT disponibilizou uma coletânea para download gratuito. ‘XX Years Of Doom’ pode ser baixado pelo link: http://bit.ly/2f19EBA


Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

ARMORED DAWN: primeiro single do novo disco está disponível!


Para quem estava ávido para ouvir algo do novo álbum do ARMORED DAWN, ‘Barbarians In Black’, chegou o momento!

O grupo acaba de lançar o primeiro single do material. A música escolhida é ‘Sail Away’, emocionante balada que conta a história de um guerreiro que perde sua amada. A mixagem ficou por conta de Kato Khandwala e a masterização por Ted Jensen:


‘Barbarians In Black’, sucessor do aclamado ‘Power Of Warrior’ está mais pesado e com muitos riffs e melodias oitentistas, além de trazer a temática Viking, desta vez em todas as músicas. A produção está por conta de Bruno Agra (We are Harlot) e o americano Kato Kandwala (The Pretty Reckless, Papa Roach), além da masterização do também americano Ted Jensen.


O ARMORED DAWN também iniciou uma série de vídeos com cenas do ‘making of’ de ‘Barbarians In Black’. A primeira parte já pode ser conferia pelo link abaixo:




Sites relacionados:

Fonte: Metal Media

AWAIT ROTTENNESS: banda entra em estúdio para lançamento de material inédito


No início de maio, a banda AWAIT ROTTENNESS começou os trabalhos de gravação e pré-produção de novas musicas em estúdio próprio, dentre estas será escolhida a musica que será tema do primeiro videoclipe oficial da banda.

“Em meados de junho, escolhida a música, entraremos no Audio Space Studio do amigo de longa data Adriano Scaramussa (Siecrist, Lost, House Full of Bullets). Após essa etapa iniciaremos a produção primeiro videoclipe oficial, que tem lançamento planejado para outubro/2017 em show que será realizado.

Neste meio tempo participaremos do evento HELLISH ATTACK 6, precisamente dia 21 de julho com os destaques nacionais ColdBlood e NervoChaos, além de bandas locais.


Durante o ano de 2017 estaremos fechando as novas músicas para lançamento de nosso novo álbum ainda não intitulado para 2018″. Comenta Furlani

​Formação 2017:
E. Furlani – Baixo/Voz
L. Gaburro – Guitarra
F. Vighini – Guitarra
A. Armew – Bateria

Acompanhe a AWAIT ROTTENNESS em:


SERCATI - In the Shadows of Sidewalks (EP)


2017
Importado

Nota: 9,3/10,0


Tracklist:

1. Time for Apocalypse                    
2. Chained to Purgatory                   
3. The Anesthesist                 
4. Natural City


Banda:


Steve “Serpent” Fabry - Baixo, vocais
Olivier Cláment - Guitarras
Yannick Martin - Bateria, backing vocals

Convidados:

Jonathan Mazzeo - Guitarras


Contatos:

Twitter:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:

E-mail: sercati@live.fr

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O lado mais obscuro do Black Metal, usando de melodias fúnebres e atmosferas intensas, até hoje é algo que encanta muito fãs, especialmente quando a banda possui talento e vocação para este tipo de música. E talento é o que o SERCATI, da Bélgica, mostra em “In the Shadows of Sidewalks”, seu mais recente EP.

Sendo uma banda típica do chamado Melodic Black Metal, basta dizer que o grupo segue aquela linha mais atmosférica e agressiva do estilo, focando seu trabalho e criando uma ambientação mais densa e negra com as guitarras, onde passagens com melodias sombrias vão nos envolvendo conforme as músicas são executadas. E sim, é bem diferente, uma vez que esse jeitão de se fazer Black Metal está um pouco fora da evidência. E por isso, o trabalho musical do SERCATI é tão deliciosamente sedutor.

Em termos de sonoridade, “In the Shadows of the Sidewalks” busca aquele jeito mais sujo e artesanal de soar, sem grandes retoques ou polimentos de produções de ponta. Mas o charme da banda está nessa necessidade de soar orgânico, longe da mecanicidade das gravações atuais. Até mesmo a arte da capa transparece essa necessidade de ser simples e funcional, longe das artes gráficas mirabolantes, logo, está plenamente de acordo com a música do grupo.

Mas a força do quarteto vem de sua música bem feita e sobre alicerces agressivos simples, mas firmes. Óbvio que existem ótimos arranjos, mas mesmo estes soam sem muitos refinamentos, o que nos permite ter a clara idéia de que estamos ouvindo uma banda tocando, e não um computador.

“Time for Apocalypse” é uma introdução melancólica e fúnebre, com vocais limpos e arranjos de teclados bem simples, mas com uma atmosfera densa e extremamente sedutora. Em “Chained to Purgatory”, o grupo usa de uma ambientação soturna e densa, ainda com muito enfoque em teclados e guitarras limpas, com baixo e bacteria dando sustentação rítmica à introspecção e os vocais mostram seu lado mais agressivo, em tons rasgados muito bons. A fusão de agressividade e melodia é o que é oferecido na ótima “The Anesthesist”, onde o foco vai para o trabalho das guitarras, que mantém a opressão melodiosa e bem feita, com tempos não tão velozes e dureza de um ritmo firme e pesado (baixo e bateria estão muito bem nessa canção). E fechando o EP, temos “Natural City”, cujas melodias sinistras são hipnóticas, embora um toque maior de complexidade surja de forma bem espontânea no meio da agressividade fúnebre do grupo.

Um disco indicado a qualquer fã de Black Metal que se preze, e podemos dizer que é um enorme prazer conhecer o trabalho do SERCATI.

Voltem sempre!

VIRTUAL SYMMETRY – X-Gate (EP)


2017
Independente
Importado

Nota: 8,8/10,0


Tracklist:

1. Eyes of Salvation
2. Alchymera
3. Elevate


Banda:


Marco Pastorino - Vocais
Valerio Æsir Villa - Guitarras
Mark Bravi - Teclados
Alessandro Poppale - Baixo
Davide Perpignano - Bateria


Contatos:

Bandcamp:
Assessoria: http://www.metalmessage.de/ (Metalmessage)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O lado mais melodioso do Metal tem ótimos adeptos na Itália, sem sombra de dúvidas. E como sempre digo em meus “reviews” de bandas italianas: elas possuem uma sonoridade que se destaca, pois o DNA do Metal italiano é algo diferenciado. E mais uma vez, minhas palavras ganham vida graças ao trabalho excelente do quinteto VIRTUAL SYMMETRY, que vem da cidade de Milão. O EP “X-Gate” é de deixar o ouvinte de queixo caído!

O quinteto cria um Prog Metal melodioso e com boa técnica, melodias refinadas, intrincado em alguns momentos, mas sempre pesado e centrado. Sim, centrado, uma vez que a técnica dos músicos surge como uma necessidade da música, e não como mera exibição de autoindulgência. Nada disso, as músicas do EP soam grandiosas e pesadas, elegantes e refinadas, mas sem deixar o ouvinte com aquele sentimento de tédio que muitas bandas no estilo possuem. E o detalhe interessante: é bem pessoal, algo que soa apenas como eles mesmos.

A qualidade sonora de “X-Gate” é muito boa. Um toque de crueza deixou o trabalho do grupo mais pesado e intenso, sem obliterar seu trabalho progressivo e as nuances experimentais. É claro como a água, nos permitindo compreender a complexidade de seus arranjos, mas pesado e intenso, com timbres fortes e azedos. Isso sim é saber soar Prog Metal! E a capa evoca muito o lado de ficção científica, quase que uma referência ao filme “Stargate”.

Musicalmente, o trabalho da banda é maduro, pesado e envolvente, sem deixar com que o ouvinte boceje de tédio. Não, uma vez começada a audição, tenha certeza que “X-Gate” o manterá preso até o fim, graças às suas ótimas músicas.

Mas é bom que tomem cuidado: como toda boa banda do gênero, o VIRTUAL SYMMETRY usa de canções longas para se expressar. Mas isso não é entediante, já que a beleza instrumental e rica de “Eyes of Salvation” é fascinante em cada momento, e que belíssimas partes de teclados; os mais de 14 minutos de “Alchymera” e suas belíssimas mudanças de ritmo, onde baixo e bateria mostram bela diversidade rítmica (sem a perda do peso natural do grupo) passam sem que percebamos; e os contrastes vocais de “Elevate” seduzem nossos sentidos, sejam nos momentos mais belos e introspectivos, ou nos mais pesados.

Mais uma belíssima banda da Itália, e que vem para somar!

Ouçam sem moderação alguma!

ALTAIR - Descending: A Devilish Comedy (Álbum)


2017
Importado

Nota: 8,3/10,0

Tracklist:

1. Descending
2. Path of Worms
3. Limbo
4. Seven
5. Godless
6. Seed of Violence
7. Flame of Knowledge
8. Frozen Graves
9. A Lesson Before Ascending


Banda:


Simone Mala - Vocais
Luca Scalabrin - Baixo, vocais
Gianmarco Bambini - Guitarras
Albert Marshall - Guitarras
Enrico Ditta - Teclados
Simone Caparrucci - Bateria


Contatos:

Site Oficial:
Instagram:
Assessoria: http://www.metalmessage.de/ (Metalmessage)


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


A fauna metálica na Itália é bem diversificada, indo das vertentes mais extremas às mais melódicas sem nenhum problema, sempre com alto nível musical, além do bom e velho DNA do Metal italiano. Bandas e mais bandas que surgem por lá fazem trabalhos muito bons, como o sexteto ALTAIR, da cidade de Ferrara, chegando com “Descending: A Devilish Comedy”, seu segundo álbum.

Bem conhecido por ter tido uma colaboração de Fabio Lione na canção “Power of the Gods” de seu primeiro álbum, a banda chega consolidando seu estilo musical: um Progressive Power Metal que combina a técnica progressiva de nomes como FATES WARNING com as melodias elegante e peso de bandas como RHAPSODY. O foco das canções da banda é o conjunto, pois mesmo com a técnica refinada dos membros do grupo, eles preferem que seu trabalho soe sólido, como uma unidade. E por isso é tão bom e vigoroso, envolvente e com lindas linhas melódicas.

A sonoridade de “Descending: A Devilish Comedy” é muito bem cuidada, clara e com as devidas doses de peso. Cada instrumento musical soa forte, vigoroso, audível e com bons timbres (inclusive as guitarras soam bem agressivos em algumas partes). Mas isso tudo sem deixar de ter aquele toque de refinamento elegante básico para o estilo.

Usando de boa técnica e muito peso, o ALTAIR mostra um trabalho musical bem diversificado em “Descending: A Devilish Comedy”, uma vez que a banda não soa veloz ou cadenciada de uma única vez. Há muita diversidade rítmica presente, e isso tudo com arranjos musicais bem pensados. E mesmo com sua aura “Heavyssíva”, o grupo não cria músicas longas, o que torna ainda mais prazeroso e simples a assimilação esse álbum.

Melhores momentos: a agressividade bem trabalhada e com fortes melodias de “Path of Worms” (reparem bem como baixo e bateria estão mostrando uma ótima performance, inclusive com toques extremos), o peso “heavyssívo” ganchudo de “Limbo” (onde se percebe um trabalho ótimo dos vocais, inclusive com um refrão muito bom), o peso mais agressivo de “Godless” e suas guitarras de primeira (e mais um ótimo refrão, com bela participação dos backing vocals), os ritmos acelerados de “Seed of Violence” e sua pegada cheia de energia, e o tempos quebrados e técnicos de “Frozen Graves” com seus ótimos teclados e belos riffs.

“Descending: A Devilish Comedy” é um disco muito bom, mas a banda pode fazer melhor. Mais um pouquinho e estarão conquistando o mundo.

AIRBOURNE: banda confirma show no Brasil

Banda australiana se apresentará no Carioca Club (SP) em setembro

AIRBOURNE, que atualmente promove seu quarto álbum de estúdio, "Breakin’ outta Hell" (2016), finalmente se apresentará no Brasil. Após ter sido obrigada a cancelar a data que faria em abril de 2014, por conta do falecimento do pai dos irmãos Joel O'Keeffe (vocal e guitarra) e Ryan O'Keeffe (bateria), banda australiana confirmou show de estreia no país para o dia 3 de setembro, no Carioca Club, em São Paulo (SP). A produção é do Manifesto Bar, que inicia as festividades de seu 23º aniversário.

Há dez anos, quando estreou com "Runnin' Wild" (2007), o AIRBOURNE logo chamou a atenção dos fãs de hard rock/rock'n'roll, especialmente os que curtiam o AC/DC da fase Brian Johnson. Com um som visceral, repleto de guitarras ardidas, vocais rasgados, coros fortes e bateria reta, os irmãos O'Keeffe, que hoje são acompanhados por Harri Harrison (guitarra) e Justin Street (baixo), confirmaram as apostas com apresentações energéticas em grandes festivais pelo mundo e aberturas de shows para Iron Maiden, Mötley Crüe, Rolling Stones e Motörhead.

Trabalhando novamente com o renomado produtor Bob Marlette (Alice Cooper, Iommi, Black Sabbath, Ozzy Osbourne, Glenn Hughes, Union e outros), desta vez gravando pela primeira vez na Austrália, o grupo mantém a pegada em "Breakin’ outta Hell". A faixa "It's All for Rock N' Roll" é dedicada ao saudoso Lemmy Kilmister, que tinha contato com o AIRBOURNE desde a gravação do videoclipe de "Running Wild". "Ele nos deu uma série de ótimos conselhos sobre como nos posicionarmos diante da indústria musical, falou sobre as diferenças do mercado de antigamente com o daquela época e disse como deveríamos agir", declarou Joel O'Keeffe em recente entrevista à revista Roadie Crew.

Se há dez anos nem o maior fã do AC/DC do mundo poderia imaginar que teria um presentão como o AIRBOURNE à disposição para ouvir, agora é hora de vê-los em ação. 


Serviço – AIRBOURNE no Brasil:
Data: 03 de setembro (domingo)
Horário: 17h30 (abertura da casa)
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899, Pinheiros - São Paulo/SP (próximo ao metrô Faria Lima, Linha 4-Amarela)
Classificação etária: 16 anos (** entre 14 e 16 anos somente acompanhado por pai ou mãe, munidos de documentos)
Capacidade: 1.200 lugares
Estacionamento: nas imediações (sem convênio com a casa)
Estrutura: acesso para deficientes, ar condicionado, bares, área externa para fumantes e enfermaria

INGRESSOS ON LINE:
Os ingressos começarão a ser vendidos no dia 7 de junho (quarta-feira) e poderão ser adquiridos online através da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/show/5138-airbourne-saopaulo-sp/) e Clube do Ingresso (www.clubedoingresso.com/airbourne). 

OUTROS PONTOS DE VENDA:
Os ingressos também estarão à venda no Manifesto Bar e no Carioca Club (pagamento em dinheiro), sem taxa de conveniência. O Manifesto Bar fica na rua Iguatemi, 36, no bairro do Itaim Bibi, em São Paulo. Fone: (11) 3168-9595.

VALORES:
Pista meia-entrada: R$ 120
Pista promocional (1kg alimento *): R$ 120
Pista vip meia-entrada: R$ 200
Pista vip promo (1kg alimento *): R$ 200 
Camarote meia-entrada: R$ 180
Camarote promo (1kg alimento *): R$ 180

* Quem comprar ingressos promocionais deverão levar 1kg de alimento não perecível no guichê de entrada do Carioca Club. Os alimentos arrecadados no dia do evento serão doados para a Casas André Luiz, instituição de caráter filantrópico aberta em 1949 que atende gratuitamente a pessoas com deficiência intelectual, em todos os graus de comprometimento.

Sites relacionados:

Fonte: ASE Music
A/C Ricardo Batalha