2 de ago de 2013

Warfield - Times of Dust (CD)

Independente - Nacional
Nota 8,0/10 

Por Marcos Garcia


Fazer Heavy Metal tradicional nunca foi algo muito simples, já que a tradição nacional é sempre a do Metal extremo, já que os maiores nomes de nossa cena, em seu início, eram bandas mais agressivas. Mas mesmo assim, tivemos nomes fortes como o OVERDOSE, HARPPIA, VIPER e CENTÚRIAS, mas com o passar dos anos, ótimas bandas de Metal tradicional começaram a surgir e a abrir espaço para que outros surgissem, e hoje em dia, temos bons nomes surgindo todos os dias, e mais um é o ótimo quinteto WARFIELD, de Videira (SC), e que em 2010, soltou seu primeiro CD, 'Times of Dust', centro desta resenha.

A banda buscam fazer um trabalho musical bem equilibrado, sem exagerar na técnica (ela existe, mas não é  tônica do grupo), mantendo o foco em uma música sólida, forte e vigorosa, com óbvias influências da NWOBHM, com bons vocais (que podem melhorar no futuro, pois Daniel tem muito potencial), boas guitarras com bases e solos na medida certa, base baixo/bateria muito bem entrosada e pesada (com momentos brilhantes de ambos), e assim, a música do grupo flui com melodia, peso e agressividade bem equilibrados, soando agradável aos ouvidos sempre. Não é inovador, mas tem valor e energia aos montes.

A produção, feita por Marcos Dallarmini e pelo próprio quinteto, é de bom nível e nos permite conhecer a essência da música da banda sem problemas, em um nível razoável em termos de produção independente. Já a produção visual da banda é de bom gosto e bem cuidada, com letras legíveis, uma arte de bom gosto e tudo nos seus devidos lugares, e as paletas de cores foram usadas com parcimônia por Lucas Côrtes.

Sonoramente, o WARFIELD mostra que tem muito a dizer em termos musicais, pois o trabalho é de bom nível e interessante em todos os momentos, sabendo usar a criatividade e concebendo músicas agradáveis aos tímpanos de qualquer headbanger que se preze, especialmente em faixas como a pesada 'From Now On' (com belo trabalho da base rítmica e andamento ganchudo), a forte 'Dies so the Others Have Life' (as guitarras mostram boa força, e os vocais encaixaram como uma luva), a empolgante 'Running Round' (reparem no trabalho das guitarras e nos backing vocals, pois esta é uma das melhores canções do grupo), a linda 'The End of Darkness' (aquela tradicional semi-balada pesada, mas o grupo mostra um "feeling" imenso nela), a variada e longa 'The Winner', cheia de mudanças de andamento e onde o grupo mostra uma técnica muito boa, e o fechamento com chave de ouro em 'Warfield'.

Um disco honestíssimo, muito bom e que já nos prepara para vôos mais altos por parte desse quinteto talentoso.

Em tempo: Houveram algumas mudanças na formação, pois a banda tem um novo guitarrista, Karim Serri, enquanto os postos de vocalista e baixista ainda aguardam definição, e os membros originais Ivan Caregnato (guitarras) e Fontaine Di Bastiani (bateria) seguem firmes.




Tracklist:

01. Danger Zone  
02. Mind Devils  
03. From Now On  
04. Dies so the Others Have Life  
05. Whispers  
06. Running Round  
07. Times of Dust  
08. The End of Darkness  
09. The Winner  
10. Warfield


Formação:

Daniel Denbinski - Vocals
Ivan Caregnato - Guitarras
Marcos Gaio - Guitarras
Isack Oliveira - Baixo
Fontaine Di Bastiani - Bateria


Contatos:


Nitro Concept: clichês dos videoclipes de Metal


- Recentemente o Estúdio Nitro, conhecido pelos trabalhos de seu produtor Roger Fingle (Blood Tears, Seduced by Suicide) com gravações, mixagem e masterização de bandas de metal, lançou um canal no YouTube (www.youtube.com/estudionitro) onde deu início ao Nitro Report, uma série de vídeos onde promete mostrar aos fãs de Rock e Metal o processo desde o início, com a banda ensaiando, até ter um CD pronto.

Agora o canal deu início ao Nitro Concept, sua segunda série de vídeos, desta vez criada por Maicon Benato e Letícia Telassi, responsáveis pela criação, filmagem e edição de vídeos do estúdio. Neste primeiro vídeo a dupla mostrou de uma forma divertida os clichês dos videoclipes de metal e a importância de ter uma proposta diferente, com identidade, para que a banda se destaque.

Sobre a série de vídeos a dupla comentou: "Criamos o Nitro Concept para divulgar o nosso trabalho com videoclipes, mas a idéia principal é mostrar que nosso foco não é fazer clipes só por fazer, colocando a banda tocando num galpão e batendo a cabeça com o efeito de câmera tremida. Todos os dias são feitos mais clipes assim e o que nós queremos é criar algo que seja diferente e tenha sua própria aura. Nosso objetivo é trabalhar com recursos de origem artesanal, como desenhos, esculturas, pinturas, etc, sem depender de recursos tecnológicos como chroma key (fundo verde) ou modelagem 3D, que são os recursos mais usados hoje em dia.

Estamos trabalhando atualmente com videoclipes para as bandas Sodamned, Caordica e Seduced by Suicide, além de um mini documentário para o Hate Handles."

Confira o primeiro vídeo do Nitro Concept:



========

Fonte: Metal Brasil