7 de nov de 2013

As Dramatic Homage: Conquistando seu espaço





Ter uma banda de Metal no Brasil não é nada fácil, seja pelas dificuldades envolvendo a própria cena ou as poucas oportunidades que excelentes bandas não recebem. Porem a persistência é uma das mil qualidades que as bandas do nosso país tem, e com a AS DRAMATIC HOMAGE não seria diferente, correndo na contramão, cada vez mais estão conquistando seu espaço e ganhando mais admiradores.

Recentemente o site gaúcho Road to Metal publicou uma excelente resenha sobre o álbum "Crown", confira o que o redator Eduardo Cadore falou a respeito: "“Crown”, que termina rapidamente (pouco mais de 30 minutos), o que impossibilita que a audição se torne cansativa, mostra todo o talento de Pontes que, além de apresentar-se como uma grata surpresa como compositor instrumental (experiência ele tem, só falta maior reconhecimento), levou à parte lírica ótimas reflexões de origem filosófica, mostrando a habilidade que extrapola o mundo sonoro e colocará você a repensar a existência."

Confira a matéria na íntegra no link a seguir: http://bit.ly/190HbOe

O líder e mentor Alexandre Pontes participou de uma pesquisa no blog Quality Music Web Rádio ao lado de diversos músicos renomados do Brasil, de "Como O Heavy Metal Entrou Em Sua Vida...?!"

Confira um trecho do que Alexandre falou ao blog: "Tive uma família muito animada durante certo período e lembro–me que em meio as festas na casa de uma tia, onde sempre tinha muito samba, meus primos mais velhos se refugiavam no quarto para ouvir rock. Como éramos um grupo de crianças que andávamos muito unidos, era natural irmos um na onda do outro e até então a iniciação ao Metal veio por volta de 84/85, com o disco do Iron Maiden – Powerslave, que meu primo havia pego emprestado com outro colega vizinho, que o pai era marinheiro e trazia esses Lp´s da Europa, quando ele viajava. Ao decorrer do disco eu me atentava as melodias, harmonias do álbum e  ficava realmente fascinado por tudo aquilo que acontecia a cada faixa, porém a música “RIME OF THE ANCIENT MARINER” foi que tomou meu coração com toda estrutura épica e um pouco densa, por volta dos seus 6:20. Assim tenho esse momento que marcou toda minha vida como a iniciação no segmento Heavy Metal."

Confira a matéria na integra aqui: http://bit.ly/1b7D6N1


Em meio a tantas conquistas e criticas positivas, Alexandre Pontes também foi entrevistado pelo blog Arte Metal, onde o mesmo fala do começo da banda, a dificuldade de ter gravado o álbum "Crown" praticamente sozinho e também sobre os próximos passos da AS DRAMATIC HOMAGE. Confira alguns trechos da entrevista feita por  Vitor Hugo Franceschini:

O trabalho vocal apresentado no disco é um dos pontos positivos. A alternância entre rasgado e limpo, além de passagens narradas estão muito encaixadas. Como você desenvolveu isso?

Alexandre Pontes – Sempre levei tudo na raça e no estilo “faça você mesmo”, então essa é uma gratificante observação, muito obrigado. Acho que devido ao tempo que faço essa função me ajudou, porém as linhas de vocal limpo foram o meu maior desafio. Como disse anteriormente, sempre quis me desenvolver por esses níveis maiores, obviamente em minhas condições, o importante é saber até aonde você pode chegar com sua personalidade, sem essa de querer imitar alguém. Eu procuro fazer o melhor com o que eu tenho, mas não me sentia muito capaz, no entanto toda essa energia que me envolvia em relação ao nível das músicas me fez ter um pouco mais de coragem...

E como tem sido a repercussão do disco até então?

Alexandre Pontes – Eu me deparo com essa questão através de vários panoramas. Ter sucesso ou ser bem repercutido entre o público e mídia é algo que não se tem como medir, pois estamos lhe dando com as chances de ser aceito ou não diante do gosto pessoal das pessoas, nem as grandes bandas tem muita noção disso hoje em dia. Um grupo lança um CD, vende-se pouco, é feito muito o download dessa obra. Tocar no próprio estado é complicado, em outros estados é mais ainda, mas se as pessoas ouvirem algo de seu som e gostarem seu nome será repercutido. A divulgação “boca a boca” ainda é uma das melhores formas de divulgação. No nosso caso eu tenho muito os pés no chão, pessoas de gostos musicais bem distintos curtem nosso trabalho e isso é bom, demonstra que não estamos focados em estar dentro de apenas um segmento musical, mas isso não é uma opção, é a nossa característica musical, a nossa música fala por si. Não estou nesse meio pra ser famoso.

Interessante notar que, apesar de “Crown” ser o primeiro disco do As Dramatic Homage, mostra uma evolução na sonoridade das composições. Isto é, a banda iniciou se enveredando pelos caminhos do Black/Doom Metal, mas hoje explora outros elementos como o do Progressivo e do Metal em si. Fale-nos um pouco a respeito.

Alexandre Pontes – É algo que desde o começo da banda existiu, seguir esse caminho foi uma novidade que me marcou bastante na época e evoluir no meu caso sempre foi um objetivo, a ambição de progredir e não seguir tendências. Não acho que mudamos muito o estilo, mas acho que ampliamos dentro de nossa própria identidade. Sei que sou responsável pelo fato dessas “mudanças” por sempre ter sido o compositor e por isso ao longo dos anos tive, assim como ainda tenho interesse em transitar por novos caminhos e me desenvolver como compositor.

Acesse o link e leia a entrevista na integra: http://bit.ly/190HmZN


Links Relacionados

Twitter: ADHMetal




Ut Opia: participando do "Peia Metal" e parceria com web rádio americana






Dando continuidade a divulgação do EP "Sem Direção" (faça o download do mesmo aqui: http://bit.ly/VMbm8n) e do novo videoclipe "Epidemia", os paraenses do UT OPIA se apresentam no dia 24/11 no "Peia Metal" no Centro Cultural Mat Iaperê no Pará.

O festival ainda contará com as bandas Immortal Share, Sonni e Lapaz, tendo inicio as 18h.

Para divulgar ainda mais seu som, o UT OPIA também fechou uma parceria com a Web rádio americana DMMCompany (http://dmmcompany.com/), onde a banda tem um canal exclusivo, e suas músicas ficam rodando 24h e tendo acesso de vários ouvintes de todo o mundo.





Informações sobre o festival:

Peia Metal

Bandas:

UT OPIA
Immortal Share
Sonni
Lapaz

Dia: 24/11

Local: Centro Cultural Mat Iaperê - Cidade Nova I, Av. 3 corações em frente ao Renascer, Ananindeua/PA

Ingresso (somente no local): R$5,00

Horário: 18h

Aproveite também e confira no link a seguir o videoclipe de "Epidemia": 




Links Relacionados

Twitter: @UtOpiarockbr

Wael Daou: "Ancient Conquerors" disponível via BandCamp e novo vídeo lançado





E o EP de estreia do guitarrista paraense WAEL DAOU agora está disponível também no BandCamp, onde você pode ouvir as faixas gratuitamente e adquirir "Ancient Conquerors" via Paypal em formato MP3 ou FLAC. Para ouvir as faixas e comprar o download autorizado acesse aqui: http://waeldaou.bandcamp.com/album/ancient-conquerors.

Recentemente WAEL DAOU lançou seu novo vídeo em seu canal no Youtube, desta vez a faixa escolhida foi "Xerxes I", onde mostra todo seu feeling e técnica apuradíssima. Vale mencionar que o vídeo foi lançado a menos de 15 dias e já passou as 700 visualizações!

Confira "Xerxes I" no link a seguir: 



Link Relacionados:

Embrio: Sorteio de box exclusivo





Em comemoração aos mais de 800 likes em sua página oficial no Facebook, o EMBRIO resolveu lançar uma promoção exclusiva, e não é uma simples promo, mas sim o sorteio exclusivo do "Box Embrio/Crânio Camisetas", onde contém todo material da banda, mais camiseta, adesivos, patch e mais o disco solo do líder guitarrista/vocalista Emerson Pereira.



E para participar e concorrer a este prêmio exclusivo é simples:

1° Basta curtir a página da assessoria de imprensa Heavy And Hell Press (https://www.facebook.com/HeavyAndHellPress).

2° Curtir a página do EMBRIO (https://www.facebook.com/EmbrioMetalPR) ir no aplicativo "Sorteie Me" e clicar em "Quero participar".

3° E por ultimo compartilhar o cartaz da promoção (em modo público) que está na página da banda.

Feito estas três e rápidas etapas você estará concorrendo ao "Box Embrio/Crânio Camisetas"!

Só estará concorrendo quem obedecer as etapas acima, agora é correr e participar, o sorteio será dia 25/11/13.

Vale ressaltar que o  EMBRIO continua com sua agenda em aberto, e se você tem interesse em levar para sua cidade um dos melhores shows de Thrash Metal do país entre em contato: renatoj40@gmail.com ou https://www.facebook.com/Renato.Sanson.Thrash

Aproveite também e acompanhe os paranaenses na Web rádio americana DMM Company: https://dmmcompany.com/Embrio


Links relacionados:




Para-Raio da Desgraça: Gravação do primeiro videoclipe no "Domini Inferi Fest"





E a PARA-RAIO DA DESGRAÇA se prepara para gravar seu primeiro clipe! E o local escolhido será o "Domini Inferi Fest", onde será captado várias imagens da banda ao vivo de uma música inédita, que irá se tornar o primeiro video oficial.

O evento ocorre no dia 17/11 (domingo) na Praça Coração de Maria na cidade de Esteio/RS, com entrada franca e inicio as 16h. Alem da PARA-RAIO DA DESGRAÇA, também tocarão as bandas: Revogar, Revolta XXI, El Diablo e Carniça.

Agora é se programar e ir bater cabeça com o melhor do underground gaúcho, em um evento gratuito onde estará reunindo grandes bandas!



Informações sobre o festival:

Domini Inferi Metal Fest

Dia: 17/11/13

Bandas:

PARA-RAIO DA DESGRAÇA
Revogar
Carniça
El Diablo
Revolta XXI

Onde? Praça Coração de Maria - Esteio/RS
Horário: 16h

ENTRADA FRANCA


Links relacionados:

Twitter: @PRDDPUNK


Imminent Attack: Split ‘Three Ways To Hell’ está disponível






O 3-way-split, ‘Three Ways To Hell’, que conta com a participação dos mamutes do IMMINENT ATTACK, já está disponível para venda.

Lançado pela gravadora Shinigami Records ‘Three Ways To Hell’ conta com as bandas vencedoras da votação na coletânea ‘Hellstouch’.


Além do IMMINENT ATTACK, que levará seu crossover para o trabalho, o split conta com as bandas Hocnis e Puppets.

Confira as músicas do IMMINENT ATTACK que estão no lançamento:


Couch Potato
Dirty, Noise and Fun
Nobody Cares
United by Fear
Noise for Nothing
Splact

Com duração total de aproximadamente 78 minutos, ‘Three Ways To Hell’ é outro empreendimento da Shinigami Records para apoiar o metal nacional e será lançado em formato envelope e vendido a um preço bem econômico para atingir o maior número de pessoas possíveis.

O Split pode ser comprado diretamente pelo site da Shinigami www.shinigamirecords.com.br ou com o IMMINENT ATTACK: kabeloduro@gmail.com.

Assista o videoclipe de SPLACT:


Para entrar em contato com a banda e agendar shows: kabeloduro@gmail.com

Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

Woslom: Firmando seu nome no Thrash Metal





Se formos basear em estatísticas, o primeiro álbum serve mais como apresentação de uma banda, sem muitas pretensões. A afirmação normalmente vem em seus trabalhos posteriores.

Com o WOSLOM não foi bem assim… Apesar de ‘Time To Rise’ ter servido de cartão de visitas, o trabalho foi além! Transformou o nome do quarteto thrasher em um dos mais queridos e fortes de nossa cena.



Entre notas máximas, citações de melhor banda e revelação, ‘Time To Rise’ colocou uma grande pressão no WOSLOM para que seu segundo disco conseguisse superar o petardo.

Eis que em 2013, com uma banda mais madura e entrosada – contando inclusive com uma bem sucedida turnê pela Europa -, nasce o tão esperado segundo disco de estúdio: ‘Evolustruction’.

O trabalho que tinha a difícil missão de superar o impacto causado pelo debut e ainda expandir as divisas do WOSLOM, novamente superou as expectativas. Thrash Metal em seu mais alto nível!

“Primeiro escalão do Thrash Metal brasileiro.” – Metal Clube

“Já possui cadeira cativa na lista de melhores do ano” – Durr Campos/Whiplash!

“Uma das maiores representantes do Heavy/Thrash nacional!” – Som Extremo

“Tem tudo para ser lembrado como um dos clássicos do metal” – New Horizons

“Um dos melhores trabalhos de Thrash Metal que eu já ouvi” 10/10 – Rock Clube Live

“Transborda composições brilhantes” – The Metal Crypt (Canadá)

“Um dos mais interessantes álbuns de Thrash Metal do ano” – Power Metal Warrior (Polônia)

“É 10 e com louvores!!!” – 10/10 – Brave Metal

“Se consolida com uma das melhores bandas do Brasil” – 10/10 – Die Fight

“Altamente indicado para os mais exigentes fãs de metal” – Heavy Metal Brasil

“‘Evolustruction’ é um dos melhores álbuns de thrash de ultimamente” – HardSounds (Itália)

“Vai ser um dos grandes lançamentos de 2013” – Metal Militia

“Thrash Metal de luxe” – Voices From The Dark Side (Alemanha)

“Irrepreensível” – 10/10 – Metal Samsara

“Forte candidato a brigar pelo topo das listas gerais de melhores de 2013? – 10/10 – Junior Frascá/Whiplash!

“Extremamente superior a muitas bandas gringas” – 5/5 – A Ilha do Metal

Lançado de forma independente, o álbum foi gravado em São Caetano do Sul/SP no Studio Acustica com a produção do WOSLOM juntamente com o engenheiro de som Danilo Pozzani. A capa ficou a cargo do artista João Duarte.

Confira um videoclipe:


Contato para shows e merchandise: woslom@woslom.com

Sites Relacionados:

Fonte: Metal Media

O Núcleo do Terceiro Mundo – Entrevista com o LACERATED AND CARBONIZED



Por Marcos Garcia


Poucos nomes da cena brasileira andam causando tanta agitação como o do quarteto carioca LACERATED AND CARBONIZED, uma unanimidade da cena brasileira.

Após o ótimo “Homicidal Rapture” e de uma extensa turnê sul-americana, resolveram dar mais um passo adiante, fizeram uma tour pelo Leste europeu para divulgar o single “Third World Slavery”, e na volta, soltaram o novo CD, “The Core of Disruption”, mostrando a ousadia do uso de elementos brasileiros em sua música, bem como centrando toda sua proposta lírica na violência cotidiana da cidade do Rio de Janeiro.

E assim, o quarteto nos recebeu para uma entrevista, onde pudemos saber mais sobre o CD, a tour passada e os planos futuros do grupo.

Metal Samsara: Bem, começamos com uma pergunta bem clichê: como foi o tempo entre o lançamento de “Homicidal Rapture” e o do “The Core of Disruption”? Teve uma época, inclusive, onde vocês estavam quase que fazendo um show a cada 15 dias. E diriam que foi justamente durante estes muitos shows que começaram a surgir as idéias sobre o segundo álbum?

Caio Mendonça: Em primeiro lugar, obrigado Marcos & Metal Samsara pelo apoio de sempre! Como você disse, fizemos muitos shows após o lançamento de "Homicidal Rapture". Viajamos para uma longa turnê sulamericana e tocamos em alguns festivais com grandes nomes do metal mundial. Voltamos da nossa primeira turnê internacional com muito mais experiência e um modo diferente de enxergar a banda. Isso se refletiu nas composições embrionárias, que viriam a se tornar as músicas de "The Core Of Disruption".


Metal Samsara: Ainda sobre “Homicidal Rapture”, depois de dois anos, podem dizer que o resultado, tanto em termos de vendagens quanto de divulgação, e até mesmo a realização pessoal com ele foi satisfatória para vocês?

Caio: Com certeza! Quando fomos gravar "Homicidal Rapture", éramos inexperientes em estúdio, mas metemos a cara, pois sabíamos que tínhamos um material com grande força em mãos. No final das contas, o álbum foi lançado no Brasil e Peru, sendo distribuído para vários países, e conseguimos excursionar ao máximo graças ao interesse das pessoas em ver a banda tocando esse novo material ao vivo. "Homicidal Rapture" abriu as portas para o LAC.


Metal Samsara: Focando um pouco em “The Core of Disruption”. O disco não foi um passo, mas um salto adiante em termos de qualidade e músicas. Como foi que as músicas foram se desenvolvendo, e chegaram ao ponto que ficaram? Um ponto que chama a atenção é que em algumas faixas, vocês estão soando um pouco mais refreados que antes, e até mais técnicos, especialmente no tocante ao trabalho de bateria. Isso foi algo mais intencional?

Caio: Antes de "The Core Of Disruption", eu pegava a guitarra e focava toda a agressividade na palhetada. É por isso que "Homicidal Rapture" é rápido e direto. Em "The Core Of Disruption", nós temos uma mensagem muito forte. Eu precisei compor grandes riffs que pudessem combinar com a temática das músicas e transmitir toda a violência que a gente queria. As mudanças no som não foram intencionais, mas a verdade é que você não precisa tocar rápido o tempo todo para soar brutal. 


Metal Samsara: E por falar na bateria, além da técnica de Vitor está mais apurada, sem perder a pegada, podemos reparar os “inserts” de percussões tipicamente brasileiras. Como foi que esta idéia surgiu, e como se deu a escolha dos instrumentos?

Caio: O Victor já era um grande baterista quando começamos a banda, mas agora eu posso garantir que ele está tocando de forma muito mais brutal. Sua performance em "The Core Of Disruption" reflete isso. Foi dele a ideia de inserir alguns inserts percussivos regionais em algumas músicas para que esses elementos pudessem ajudar o ouvinte a se identificar com a temática do álbum. Utilizamos bongô em "Corrupt Foundations", tamborim em "Call For Blood" e tambores e até um botijão de gás em "Third World Slavery". Foi um desafio conseguir microfonar e conseguir o melhor timbre desses instrumentos na gravação, mas o resultado ficou ótimo e a o Victor fez um ótimo trabalho durante a gravação.

Metal Samsara: A produção sonora está fantástica, em um nível de primeiro mundo, então, Caio (guitarrista da banda), como foi a experiência de produzir o trabalho? E como foi a relação com Flávio Pascarillo e Julio Oliveira no HR durante as gravações?

Caio: O importante é entrar em estúdio já sabendo aonde você quer chegar e o tipo de som que quer para o álbum. Eu já tinha isso em mente, precisava somente de um estúdio que fornecesse a infraestrutura necessária para que eu pudesse chegar a esse resultado, e o HR se mostrou uma ótima escolha. Além do ambiente, trabalhar com o Flávio e o Júlio foi muito bom, pois além de serem ótimos engenheiros de som, também são ótimas pessoas.


Metal Samsara: Em separado, o Andy Classen, lá na Alemanha, foi quem mixou e masterizou o disco. Como se deu o processo, ou seja, chegaram a ir lá e ficar com ele um tempo? E como foi conviver com Andy, que já trabalhou com KRISIUN, VIOLATOR e BELPHEGOR? Ele chegou a contribuir mais do que apenas mixar e masterizar o CD? E para o futuro, acreditam que vão ter Andy novamente no mesmo papel, se ele produzirá ou mesmo irá participar de alguma forma?

Caio: O resultado final mostrou que foi muito acertado trabalharmos com o Andy. Nosso contato foi todo pela internet, mas as ferramentas disponíveis hoje fazem com que esse contato seja muito fácil. Conversamos bastante durante todo o processo, desde a pré-produção do álbum até a masterização, e ele esteve 100% ativo no desenvolvimento do álbum, mesmo que em continentes diferentes. Ele é ótima pessoa e muito profissional. Com certeza vamos trabalhar juntos novamente no próximo álbum.


Metal Samsara: De certa forma, as letras e arte de “The Core of Disruption” enfocam bem a realidade das grandes cidades do Brasil, em especial a do Rio de Janeiro, onde são relembrados eventos extremamente violentos de nossa história, como o Massacre da Candelária de 1993. De onde veio esta inspiração para falar em temas mais voltados à nossa realidade?

Caio: Em 2011, a sobrinha de um amigo foi uma das crianças assassinadas no "Massacre de Realengo". Nessa época, já estávamos compondo material para "The Core Of Disruption" e decidimos fazer uma música sobre isso, que acabou virando a faixa "BloodDawn". A partir desse ponto, percebemos que o dia a dia da nossa Cidade tem elementos violentos o suficiente para serem explorados em nossas letras: tráfico de drogas, abuso policial, assassinatos, corrupção... LAC é Rio de Janeiro, e Rio de Janeiro é violência!


Metal Samsara: Estes temas, inclusive, são abordados no vídeo de “Awake the Thirst”, onde vemos cenas aéreas de favelas da cidade do Rio de Janeiro, lixões com catadores de lixo, fotos de pessoas mortas no chão, ao lado de cenas das praias cariocas. Não chegaram a ter problemas sérios com ele por parte de censura do governo (que tenta sempre censurar mensagens de que não está tudo bem por aqui)? Já no vídeo de “Third World Slavery”, onde a banda aparece, vemos a aparição de referências à violência, uso de drogas e tudo mais. Como ele foi concebido, isso é, como a idéia dele se desenvolveu? Além disso, vemos que o trabalho de Vinícius Hozara na produção (pela CS Music Videos) ficou bem refinado, e a cara da banda. Foi bom trabalhar com ele? E é óbvio que o nosso querido Bruno Horgy deve ter aparecido por lá... (risos)

Caio: Lançamos "Awake The Thirst" antes da nossa última turnê Europeia e a resposta foi impressionante. Muitas pessoas vinham até nós durante a tour para perguntar detalhes sobre as imagens, se eram reais ou não. Em "Third World Slavery", filmamos um policial atormentado com a rotina de violência do Rio de Janeiro. Ele está imerso em um cotidiano tão violento e corrupto que suas válvulas de escape são a droga e mais violência. Tivemos uma equipe grande nos apoiando nesse clipe. Vinícius Hozara é o cara que esteve presente em todas as etapas, desde a concepção à pós-produção, e o Bruno Horgy contribuiu com as filmagens do making of.


Metal Samsara: Bem, vamos falar um pouco do giro pela Europa que deram ano passado. E aí, foi uma experiência boa para a banda? Quais seriam as grandes lições que tiraram? Ah, sim: sempre existe uma das famosas experiências toscas nas excursões, então, tem alguma que poderiam contar? Mas cuidado com o nível da tosqueira (risos)!

Caio: A verdade é que uma banda não sobrevive sem turnê. Você pode até optar por tocar somente na sua cidade, mas tenha em mente que sua banda não vai crescer. A resposta que a gente tem com uma tour é enorme: novos fãs, merch vendido, parcerias, contatos, contratos, fora a experiência de conhecer pessoas, lugares e culturas diferentes. Excursionamos ano passado com o Vile (EUA) e com o Slaughter Denial (Itália) por toda a Europa, e quando você está na estrada tocando e bebendo todos os dias, sempre existem muitas histórias. Por exemplo, em um festival na Rússia, a cozinheira do festival ficou apaixonada pelo Jonathan. Foi amor à primeira vista! O problema é que ela era careca e o namorado dela, que era o segurança do evento, estava puto, pois ela perseguia o Jonathan para todos os lugares. Ele queria conversar com fãs e algumas garotas, mas a cozinheira sempre vinha atrás dele com um prato de sopa e muito amor (risos)!


Metal Samsara: Bem, como o “The Core of Disruption” está se saindo em termos de crítica e vendagens? Fora isso, a Eternal Hatred tem feito um trabalho bem legal de divulgação, mas sabem dizer se lá fora, o disco já teve algum impacto? E já existem planos para mais um giro na Europa? E por aqui e América do Sul?

Caio: "The Core Of Disruption" foi lançado no Brasil pela Eternal Hatred e no Canadá/ EUA pela Mulligore Records. As críticas estão sendo ótimas, tanto no Brasil quanto na Europa/ EUA. Parece que todos estão curtindo as novas músicas e o fato de estarmos contando um pouco da nossa realidade brutal nas letras. Sobre as vendagens, a primeira leva está se esgotando e vamos reprensar o disco novamente em dezembro com uma faixa bônus. Levaremos boa parte dessa reprensagem para a nova turnê europeia em março e abril de 2014. Ao retornar da Europa, estamos planejando uma mini tour pelo Nordeste. Em breve anunciaremos os detalhes.


Metal Samsara: Uma coisa que sempre chega ao nosso conhecimento é: em geral, para que a banda possa se sustentar, é necessário um esforço hercúleo, e vocês devem estar quase chegando ao ponto de escolher entre uma carreira estável fora do Metal ou a banda. Qual a previsão de vocês para que isso ocorra? E já se prepararam para ela?

Caio: Alguns de nós já tivemos que abandonar o emprego para poder cair na estrada. Essa decisão não se torna difícil quando a banda é uma prioridade para você. Em 2014 faremos duas turnês europeias e duas mini turnês, uma no nordeste e uma no Peru/ Ecuador. Será um ano corrido, mas muito produtivo para o LAC!


Metal Samsara: Agradecemos muito mesmo pela entrevista, e deixem, por favor, sua mensagem aos nossos leitores.

Caio: Obrigado, Marcos e Metal Samsara! Espero que todos procurem conhecer as músicas de "The Core Of Disruption" e suas mensagens. Para ficar ligado nas novidades da banda, basta acessar o site oficial: WWW.LACERATEDANDCARBONIZED.COM

Valeu!


Assistam o vídeo de "Third World Slavery":




Open the Road Fest II: horário das apresentações e mudança de lote de ingressos




Os ingressos de primeiro lote para o Open The Road Fest, que acontece no dia 15 de Dezembro, na Via Marquês, e terá as bandas D.R.I., Benediction, Ratos de Porão e Violator, se esgotaram. Os ingressos de segundo lote estão a venda. Corra e garanta o seu.


O link para a compra dos ingressos é esse:




Confira o serviço:

Serviço OPEN THE ROAD Festival:

Open the Road apresenta:

Open the Road Festival - II Edição

D.R.I, RATOS DE PORÃO, BENEDICTION E VIOLATOR
Data: 15/12/2013
Local: Via Marquês
Endereço: Av. Marquês de São Vicente, 1589
Cidade: São Paulo/SP
Capacidade: 2000 pessoas
Telefone: (011) 3611 2696

Horários:

17:00 abertura das portas
18:00 show com Violator
19:00 show com Benediction
20:00 show com Ratos de Porão
21:00 show com D.R.I


Pontos de venda:

Sem taxa de conveniência

• Die Hard - (Galeria do Rock) - Av São João, 439 – 2º andar/Lj 312
• Bilheteria do Via Marquês – Av. Marquês de São Vicente, 1589 – Tel (011) 36112696

Com taxa de conveniência

• Hole (Galeria do Rock) - Av São João, 439 – 1º andar/ Lj 275
• Shopping Oriente 500 - Rua Oriente, 500 2º andar - Brás - São Paulo – SP
• Cada Qual - Rua Augusta, 2171 - Jardim Paulista - São Paulo – SP
• Metal Music - Rua Dona Elisa Fláquer, 184 - Centro - Santo André – SP
• Age of Dreams - Av. Marechal Deodoro, 1754 - 2º Andar loja 33/36 - Centro - São Bernardo do Campo - SP



E em todos os seus pontos credenciados (12x s/juros no CC + taxa de conveniência).

Valores promocionais do 2º lote :
Pista Promocional - R$ 100,00
Pista Meia estudante – R$ 80,00
Pista Inteira – R$ 160,00
Mezanino Meia estudante – R$ 140,00
Mezanino Inteiro – R$ 280,00
Camarote Meia estudante – R$ 140,00
Camarote Inteiro – R$ 280,00



Sobre as bandas:

D.R.I.

Banda formada em 1982 nos E.U.A., começou como uma banda de punk, hardcore, e mais tarde foi de encontro ao thrash metal, sendo um dos criadores do crossover. A banda possui 7 álbuns de estúdio e 3 ao vivo (2 DVDs). A formação atual conta com os fundadores Spike Cassidy (guitarra) e Kurt Bretch (vocal), além de Rob Rampy (bateria, na banda desde 1999) e Harald Oimoen (baixo, na banda desde 1999).


BENEDICTION: 

O Benediction foi formado em Birmingham, Inglaterra, em 1989 e é a banda responsável por revelar o vocalista Mark “Barney” Greenway, que ficou mundialmente conhecido como o vocalista do Napalm Death. A banda possui 7 álbuns de estúdio. Atualmente é composto por Darren Brookes (guitarra), Peter Rew (guitarra), Dave Hunt (vocal), Frank Healy (baixo) e Per Karlsson (bateria). Eles prometem tocar na íntegra um de seus maiores clássicos, o álbum “Transcend The Rubicon” de 1993 – além de outros de sua longa carreira.


RATOS DE PORÃO:


O quarteto é uma das maiores e mais antigas do Brasil, assim como o D.R.I., um dos gigantes do crossover. Formado em 1981 em São Paulo, o R.D.P. (como também é conhecido), possui 12 álbuns de estúdio, 2 ao vivo, 2 DVD’s e inúmeros splits. Entre seus maiores trunfos, estão pérolas como “Cada Dia Mais Sujo E Agressivo” (1987), “Brasil” (1989) e “Anarkophobia” (1990). A formação traz João Gordo (vocal), Jão (guitarra), Juninho (baixo) e Boka (bateria).


VIOLATOR
Apesar de ser o mais novo do cast – formado em 2002, em Brasília – o Violator possui prestigio de sobra, sendo uma das bandas mais aclamadas aqui no Brasil. A banda acaba de lançar “Scenarios Of Brutality”, álbum que vendo sendo considerado o melhor de sua carreira, que inclui ainda mais 2 álbuns, 2 EP’s, 1 DVD e 4 Split’s. O Violator é formado por Poney (vocal e baixo), Capaça (guitarra), Cambito (guitarra) e Batera (bateria). 

Sites relacionados: 

Andre Matos confirma apresentação comemorativa encerrando turnê em São Paulo





Vocalista tocará clássico álbum “Angels Cry” na íntegra – foto: Amanda Louzada

Andre Matos e banda já estão a caminho de sua apresentação definitiva em São Paulo. Após a excelente participação no Rock in Rio 2013, votada na enquete do site UOL como o terceiro melhor show do festival - e completando um ciclo de mais de 30 performances nesta que é considerada a melhor turnê de sua carreira solo, o cantor retorna à capital paulista para celebrar os 20 anos de lançamento do disco “Angels Cry".

Além da execução na íntegra do álbum histórico, que vem impressionando e emocionando fãs por onde passa, o set list de mais de 2h30 de duração traz os maiores clássicos de sua carreira à frente do Viper, Angra, Shaman e banda solo, além da execução das principais faixas de seu último álbum “The Turn of the Lights” - o qual recebeu diversos prêmios como Melhor Disco do Ano em 2013.

A excursão, sucesso de público e crítica, comemora sua última data em São Paulo: dia 15 de dezembro, no Carioca Club. Além do repertório citado acima, o set list ainda incluirá 5 faixas extras ao vivo, preparadas com exclusividade para este show de despedida.

A noite promete música de muita qualidade e traz ao mesmo palco mais um grande vocalista do metal brasileiro: a abertura é da banda Voodoopriest, novo grupo de Vitor Rodrigues, ex-vocalista do Torture Squad. Ao lado de César Covero (guitarra), Renato De Luccas (guitarra), Bruno Pompeo (baixo) e Edu Nicolini (bateria), o grupo está divulgando o EP “Voodoopriest” e promete ‘voodoozar’ o Carioca Club com um repertório cheio de surpresas - fazendo as honras e preparando a atmosfera para esta que será sem dúvida a maior celebração de metal neste final de ano.

Serviço São Paulo

Show Andre Matos
Abertura: Voodoopriest


Data: 15 de dezembro (domingo)
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 – Pinheiros
Horário: 17h

1° lote (ingressos limitados)
Pista: R$ 40,00 (meia/estudante) | R$ 50,00 (promocional)
Camarote: R$ 70,00 (meia/estudante) | R$ 80,00 (promocional)

Passes Meet and Greet (encontro com a banda para fotos e autógrafos após o show - quantidades limtadas): R$50
Antecipados sem taxa de conveniência: bilheteria do Carioca Club e loja Lady Snake (Galeria do Rock)
Informações: www.cariocaclub.com.br e tel: 11 3813-8598
Classificação etária: 16 anos
De 14 a 16 anos: acompanhado dos pais ou responsável legal
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 9 6419.7206


Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC - PR:
09/11 – Hugin Munin (Asgard Fest) – Fofinho – SP/SP
16/11 – Shadowside (Noise Fest) – Clube Santa Helena – Cabo Frio/RJ
16/11 – Claustrofobia (Matanza Fest) – Music Hall – BH/MG
17/11 – Confronto – Teatro Odisséia – RJ/RJ
30/11 – Angra – Espaço Victory – SP/SP
05/12 – Mayhem – Hangar 110 – SP/SP
15/12 – Andre Matos – Carioca Club – SP/SP
21/12 – Nile – Carioca Club – SP/SP
21/12 – Krisiun + Confronto – Correria Music Bar – Vila Velha/ES
13/02/14 – Transatlantic – Carioca Club – SP/SP
23/03/14 – Iced Earth – Carioca Club – SP/SP
Mais infos sobre os shows acima, acesse https://www.facebook.com/UltimateMusicPR.


A/C Costábile Salzano Jr
11 4241.7227 | 11 9 6419.7206 | 13 9161.6267