12 de set de 2014

Músicos do Fresno, Vanguart, Uganga, Noturnall, Devachan e outros em nova versão para "Pegasus Fantasy"



Em comemoração aos 20 anos da chegada do anime "Os Cavaleiros do Zodíaco" no Brasil, estreia hoje (11/09) um novo filme em CGI baseado na "Saga do Santuário".

Para celebrar esta data especial, o canal de televisão PlayTV fez uma série de especiais sobre o anime e agora traz uma versão de "Pegasus Fantasy" cantada por artistas nacionais que são fãs incondicionais da série.

Entre eles estão Thiago Bianchi e Junior Carelli do NOTURNALL, Manu Joker do UGANGA, Lucas Silveira do FRESNO, David Dafré do VANGUART, DETONATOR, Gabriel Dias da Banda DEVACHAN, entre outros.


Assista o vídeo: 


Mais Informações:



Fonte: Som do Darma
Informações para Imprensa
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621

ALMAH: Marcelo Barbosa lança primeiro single do seu próximo CD solo




O guitarrista do ALMAH Marcelo Barbosa acabou de disponibilizar no seu canal no Youtube o primeiro single “Unlocked Scream” do seu próximo trabalho solo. O lançamento do disco instrumental está marcado para o início de 2015 e, além do Barbosa, o álbum conta com a participação de Felipe Andreoli no baixo, Bruno Valverde na bateria e Gregoree Junior nos teclados.

Filmado no BroadBand Studio, o vídeo “Unlocked Sream” é produzido por Marcelo Sá e dirigido por Caio Cortonesi. O material já está disponível no link abaixo:


Em paralelo, Marcelo Babrosa está dedicado à divulgação do álbum Unfold (2013), que gravou com a banda ALMAH, além de atividades como dono e professor do GTR Instituto de Música em Brasília-DF e Florianopolis-SC.

Marcelo Barbosa já estabeleceu o seu nome na área do metal com as bandas ALMAH e KHALLICE. Será o primeiro disco solo do guitarrista tão esperado pelos fãs e profissionais do mundo de guitarra. O material já lançado está sendo super bem recebido, com mais de 1500 visualizações nas primeiras 10 horas após seu lançamento no Youtube.




Fonte: Almah

Fates Prophecy: The Cradle of Life lançado em CD




O veterano grupo paulista de heavy metal FATES PROPHECY lança neste 12 de Setembro seu esperado CD "The Cradle of Life". O álbum é o mesmo que foi lançado digitalmente no início de 2013 - ainda com Ricardo Peres nos vocais - mas só agora alcança as prateleiras no em formato físico.

O disco traz algumas diferenças com lançamento digital anterior. Primeiramente, conta com um rico encarte de 20 páginas, recheado de belas imagens que, fazendo um paralelo com as letras, remetem o ouvinte a reflexões sobre vida, morte, e a visão dos nativos sobre a origem da humanidade. Além disto, as músicas também foram remasterizadas para o formato em CD, destacando melhor tanto o belo trabalho de guitarras quanto a produção do guitarrista Paulo Almeida em conjunto com o ex-guitarrista Fernando Poles. Completando as novidades, foi incluído um cover licenciado de CRIMSON GLORY como faixa bônus. A música em questão é "In Dark Places", resgatada de antigas sessões de gravação da banda, e que contou com Paulo Lara como vocalista convidado.

Tracklist do álbum:

1. 24/7 To Death
2. New Degeneration
3. Resurrection
4. A Prayer To The Sun
5. The Cradle Of Life
6. The Unbeliever
7. Primitive Man
8. Devil Is My Name
9. One Life
10. In Dark Places



Um show de lançamento será realizado no Blackmore Rock Bar, tradicional casa de eventos da capital paulista. O evento terá ainda participações dos grupos OUTLOVE, de hard rock, e DEVASTAGE, tributo ao SAVATAGE. Quem comandará a linha de frente será Leonardo Beteto, que assumiu o posto de vocalista do FATES PROPHECY após a saída de Ricardo Peres.


A Arthorium Records, selo responsável pelo lançamento, prepara uma campanha de distribuição por todo o território nacional através de selos e lojas especializados, além da distribuição internacional.


Fates Prophecy Official Fanpage - facebook.com/fatesprophecy
Contato para shows - showsfatesprophecy@gmail.com
Arthorium Records - arthorium.com/label



Resenha: Gustavo Diaz - Mystic Eye (CD)

Independente
Nota 9,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia

Sempre há uma certa expectativas quando se fala em discos instrumentais: serão discos para os ouvidos de fãs de música que não sejam instrumentistas, ou serão trabalhos voltados a um público mais seleto, daqueles que são iniciados na teoria musical, ou que, no mínimo, sejam instrumentistas?

Essa dualidade já destroçou muitos bons trabalhos, especialmente quando falamos em termos de Brasil, já que o fã de Metal (e mesmo de Rock) é extremamente conservador, e discos instrumentais tendem a ser recebidos de maneira fria pelo grande público. É sempre muito problemático vencer mentalidades já formadas. E é uma pena, pois muitos se privam de trabalhos instrumentais fantásticos, como o que o guitarrista carioca GUSTAVO DIAZ acaba de nos conceder em "Mystic Eye", seu primeiro trabalho.

Antes de tudo, o disco realmente é quase todo instrumental (se não fosse uma bela incursão de soprano no disco, uma participação especial de Bu Bolzan em "Marching Through the Flames"), mas não se assustem: a forma de Gustavo tocar não cansa nossos ouvidos, pois suas bases são pesadas e de bom gosto, e seus solos são excelentes, um misto de guitarristas com estilos mais clássicos como Ritchie Blackmore e alguma coisa de Tony Macalpine, e mesmo uma certa aura de Malmsteen devido ao jeitão neo-clássico das canções, mas não chegamos a ter 1000 notas por segundo. O jeito de Gustavo fazer solos é bem sóbrio, e não que ele não tenha excelente técnica. Apenas prefere que as canções falem por si como um todo, e não é uma exibição ou um cartão de apresentação. Não, de forma alguma, pois "Mystic Eye" nasceu para o fã comum, que apenas quer ouvir música de qualidade. E isso ele vai encontrar aqui, sem sombra de dúvidas.

Gustavo Diaz
A produção ficou a cargo do próprio Gustavo, com tudo gravado no Transiente Studio (exceto a bateria, gravada no HCS Studio), e podemos ver que houve um enorme capricho no disco como um todo, com tudo soando claro e com devido peso, cada instrumento com seu destaque (mostrando que, embora instrumental, não se foca em algum instrumento em especial). A arte de Luciana Lebel ficou ótima, aclimatando bem o conteúdo sonoro do CD.

Mesmo sendo instrumental, as músicas de "Mystic Eye" nos prendem pelos ouvidos, e nos envolvem completamente. A dinâmica musical é ótima, os arranjos muito bem pensados e trabalhados, nada ficou fora do lugar ou presente apenas por estar ali. Tudo é muito bem acabado, e a mistura de Metal tradicional, Hard, Música Clássica e outros flui de forma espontânea. Outro ponto forte: as músicas possuem duração econômica, quase sempre em torno de três minutos e meio até quatro, ou seja, não dá sono ou deixa o ouvinte cansado.

O disco como um todo é excelente, bem homogêneo, e cada uma das nove faixas é uma jóia preciosa. Em "Distant Paradise", uma faixa de andamento mais mediano e que evoca um certo "feeling" anos 80, vemos solos muito bons, sem recursos técnicos exagerados. Em "Wisdom and Glory" surge um jeitão mais Power Metal, com a bateria mais rápida nos bumbos, e toques mais clássicos nos solos, e alguns momentos muito tocantes. Novamente elementos de Power Metal se fazem presentes em "Temple of the Lost", embora a faixa tenha mais diversidade de andamentos e solos fantásticos (lindas melodias e acordes). Já "Ancient Secrets" é mais seca, com uma bela guinada para o Metal tradicional, com bela incursão e presença do contrabaixo, alguns momentos mais agressivos da bateria, e a guitarra faz belíssimos solos (um pouco mais técnicos, mas nada de "fritadas"). A curta "Purple Shades of a Dream" é mais climática, quase como uma introdução à dinâmica e pesada "Race Against Time" (base rítmica fortíssima e bem variada), com solos técnicos e envolventes. "Don't Break the Spell" também é pesada, mas surge certo toque de ecleticismo musical. Em "Marching Through the Flames", temos a maior faixa do CD, introduzida por vocais em soprano em conjunto com lindas orquestrações (André Tavares sempre é um monstro nos teclados), então se iniciam os seis minutos de puro prazer, cheios de mudanças de andamento e arranjos ótimos nas bases (os solos, sinceramente, são de uma beleza imensa). Fechando o CD, temos a um pouco mais agressiva "Maniac in the Mirror", onde surgem belíssimos arranjos de teclados, quase como se rivalizando com as guitarras.

Sim, "Mystic Eye" é um disco que merece estar em qualquer coleção de discos, pois o bom gosto é imenso. E aos que gostam dos ases das gutarras, podem colocá-lo ao lado do "Marching Out" e do "Surfing With the Alien" sem medo e com méritos. Ah, sim: pode ser adquirido direto com Gustavo na página oficial do Facebook por uma bagatela (R$ 12,00), e ainda vem de brinde uma palheta personalizada.




Tracklist:

01. Distant Paradise
02. Wisdom and Glory
03. Temple of the Lost
04. Ancient Secrets
05. Purple Shades of a Dream
06. Race Against Time
07. Don't Break the Spell
08. Marching Through the Flames
09. Maniac in the Mirror


Banda:

Gustavo Diaz - Guitarras, baixo
Tcharles Cipriano - Teclados
Róbson Lima - Bateria
André Tavares - Teclados em "Marching Through the Flames" (convidado)
Bu Bolzan - Soprano em "Marching Through the Flames" (convidada)


Contatos: