22 de jun de 2012

Master – The New Elite (CD)


Pulverised Records – Importado 
Nota 10
Por Marcos Garcia

Falar em certas bandas históricas, muitas vezes, chega a pôr o crítico em situações um pouco constrangedoras, pois muitas vezes, a longa estrada os faz cansar do que fazem e os levam a transitar por outros caminhos, deixando sua identidade de lado. Mas ao mesmo tempo, a felicidade de ver bandas que se mantêm fiéis às suas raízes, sabendo evoluir na medida certa que a criatividade da banda permite é bem grande.
Falar do Master é chover no molhado, já que na banda está o baixista/vocalista Paul Speckmann, um dos co-criadores do Death Metal na primeira metade dos anos 80, e o único deles ainda na atividade, sem viver de seu passado glorioso, fazendo músicas novas sempre mantendo o alto padrão que sempre soube impor, e no recém-lançado trabalho da banda, The New Elite (via Pulverised Records), Paul e seus mostram o quanto são fiéis às suas convicções.
Gravado nos Shaark Studios, na República Tcheca (onde Paul mora hoje em dia), onde Root, Fleshless, Goreinhaled e outros já gravaram seus trabalhos, a produção sonora deixou a banda polida o suficiente para que nenhum instrumento fique oculto, mas ao mesmo tempo, soa intensa e ríspida como o estilo da banda pede. A arte, muito bonita, mais uma vez é um trabalho de Mark Bridgeman, que também fez a capa do The Human Machine, CD anterior da banda. As letras continuam despejando protestos conscientes e irados contra o 'American Way of Life' sem dó ou piedade.
O que o CD musicalmente apresenta é o bom e velho Death Metal Tradicional direto, sem muitos rodeios, com certas doses ‘motorheadianas’ aqui e ali, só que este é um dos melhores lançamentos da banda depois da fase considerada clássica (lá pelo início dos anos 90), e há momentos ótimos como em The New Elite, que remete diretamente à fase clássica da banda, em um arrasa-quateirões com fortes bases de guitarra, bem como na empolgante Rise Up and Fight, com ótimo trabalho da bateria, fora os urros de Paul; já Remove the Knife é um pouco mais cadenciada e focada no peso em seu início, para logo depois virar uma golfada de brutalidade rápida; a rascante e veloz Smile as You're Told; o peso mamutesco de Redirect the Evil, mais lenta e pesada, com um andamento ótimo e grandes guitarras mais uma vez; a esporreira bem feita de Out of Control, sem firulas e bem agressiva, como é costumeiro da banda; e as ótimas As Two Worlds Collide e Souls to Dissuade, onde o pogo ocorre e os pescoços não param de agitar.
Ouvir novos trabalhos do Master é sempre um imenso prazer, e a banda mostra que ainda tem muita lenha para queimar nessa estrada. 
Hey, Paul, com to Brazil again soon, please!!!

The New Elite

Tracklist:

01. The New Elite 
02. Rise Up and Fight
03. Remove the Knife 
04. Smile as You're Told
05. Redirect the Evil 
06. Out of Control
07. As Two Worlds Collide 
08. New Reforms
09. Guide Yourself 
10. Souls to Dissuade
11. Twist of Fate


Formação:

Paul Speckmann – Baixo e vocais
Alex "93" Nejezchleba – Guitarras 
Zdeněk Pradlovský – Bateria 


Contatos:


Fastkill – Bestial Thrashing Bulldozer (CD)


Pulverised Records – Importado 
Nota 8,5
Por Marcos Garcia

O Japão nunca foi lá muito conhecido por sua cena metálica, com algumas exceções que buscaram sair do mercado interno (que é enorme) em busca de horizontes mais amplos, logo, muitas vezes, nomes fortes com muito a dizer ficam escondidos dos bangers, e mais uma se juntar aos nomes que andam buscando espaço fora das terras nipônicas é o quinteto Thrasher Fastkill, que acaba de lançar seu novo CD, Bestial Thrashing Bulldozer, pela Pulverised Records.
E saiam da frente os mais incautos, pois a banda destila um Thrash Metal totalmente Old School, mas feito com bastante energia, garra, brutalidade e aquilo que é importante: identidade.
Gravado no Sound Studio NOAH, em Tóquio, sob o olhar cuidadoso de Keisuke Okada, que já produziu outras bandas como Disconformity, Rest In Gore, Woundeep e Infected Malignity, o resultado final é uma produção não tão limpa assim, mas que não obscurece nenhum dos instrumentos e deixa o trabalho da banda intenso, coeso e pesado. A capa é totalmente voltada para o Thrash Metal pré-1986, ou seja, bem despojada, como quando as bandas do estilo ainda eram mais brutas, sem se preocuparem muito com visual.
Agora, quando as faixas começam a tocar, a impressão que fica é muito boa, que, embora nada inovadores, esses 'Kamikaze guys’ a serviço do Thrash Metal não têm o mínimo pudor de expor os ouvidos dos mais incautos a um autêntico massacre de vocais agudos insanos à lá Baloff/Zetro Souza, guitarras rascantes em bases e solos rápidos, mas com boa técnica e melodia, ou seja, a boa e velha escola 'Petrozziana'; baixo preocupado apenas com a marcação (que no caso da banda não é algo lá muito simples), e bateria pesada e variada, com ótimos bumbos.
O que se pode esperar da música da banda?
Basta dar uma bela ouvidinha nas faixas In Thrash We Trust, onde o andamento começa um pouco cadenciado, mas logo vira um raid de velocidade e rispidez; Die in the Pentagram, bastante variada e com um ótimo refrão; Terminal Disease, outra faixa esmagadora, especialmente por conta da cozinha rítimica; Guillotine Attack, que é uma massacre à vista; Endless Game, um cover dos compatriotas Thrashers do Nigaboro; e Tortured Again.
Não há como explicar em palavras direito, logo, ouçam, e se preparem para um autêntico raid Thrasher!
Kill Fast /In Thrash We Trust

Tracklist:

01. Kill Fast 
02. In Thrash We Trust
03. Die in the Pentagram 
04. Stench of Hell
05. Terminal Disease  
06. Guillotine Attack  
07. Toxic Tormentor  
08. Endless Game (Nigarobo Cover) 
09. Tortured Again 
10. Merciless Onslaught


Formação:

Toshio Komori – Vocais 
Akihiro Ito – Guitarras
Jiro Mochizuki – Guitarras
Suguru Ando – Baixo
Kazuhiro Mochida – Bateria


Contatos:

Notícias - Wargods Press (22-06-2012)


Juggernaut - Banda participará de festival dedicado ao Thrash Metal

No próximo sábado a banda catarinense Juggernaut participará do festival Thrash Day Fest, na cidade de São José/SC, juntamente com as bandas Fuzilador, Deadpan e Violent Soul, prometendo uma noite de devastação e muito mosh, continuando o processo de divulgação de seu segundo álbum, Ground Zero Conflict. Haverá ainda uma super “jam” com os músicos de todas as bandas, tocando clássicos do Thrash Metal mundial.







Informações:

Deadpan - Florianópolis

Violent Soul - Tubarão 

Fuzilador - Itajaí


Juggernaut - Blumenau


Van/Micro - informações:

e


Local: Valhalla Rock Bar
Rua: Cândido Portinari, 2070
Cidade: São José/SC
Ingressos – Somente no local:
R$ 15,00 – Masculino
R$ 10,00 – Feminino
Inicio: 18h

Teaser do evento:

Contatos: 

Assessoria e Shows: contato@wargodspress.com


Notícias - Metal Media Management (22-06-2012)






========================================================================

Foto: Lailson Santos


Ancesttral: Videoclipe está disponível no You Tube!


Depois da première apresentada exclusivamente ontem no programa Interferência Stay Heavy, o Ancesttral lança oficialmente hoje, dia 22, seu primeiro videoclipe oficial.
O vídeo é para a música Bloodshed and Violence, faixa-título de seu novo EP. A direção do clipe foi feita por Vinícius Neves e a edição ficou a cargo de Fernando Bonifácio.


Ancesttral continua finalizando seu novo álbum que já está em processo de pré-produção.
A banda também convida a todos que gostaram do videoclipe a baixar o EP Bloodshed and Violence completo de forma gratuita pelo link: Bloodshed and Violence EP

Contato para shows e merchandise: press@ancesttral.com

Sites Relacionados:

========================================================================
Foto:Maria Fernanda Cals


Unearthly: Banda apresenta novo baterista

Após a saída de Rafael Lobato (Leghor Supay), por motivos de incompatibilidade profissional, o Unearthly recrutou B. Drummond para assumir as baquetas.
A banda segue normalmente com a agenda de shows e possui as seguintes datas:

ForCaos: Fortaleza – CE 20/07
PlanetMetal: Cascadura, Rio de Janeiro – RJ 21/07
Europa: Agosto-Setembro
Austrália: Outubro

Em breve mais informações.

A banda continua na promoção de seu mais recente álbum Flagellum Dei considerado por muitos como um dos novos clássicos do Metal tupiniquim. O trabalho foi lançado em Digipack pela renomada gravadora Shinigami Records.

Contato para shows e merchandise: shows@theunearthly.com

Sites Relacionados:

========================================================================

Fonte: Metal Media

Ancesttral - Clip de Bloodshed and Violence no ar

Acaba de sair o vídeo da banda Ancesttral para a música Bloodshed and Violence, faixa-título de seu EP, que está disponível para download gratuito na página da Metal Media Management e na página oficial da banda.

O vídeo é lançado no exato momento em que a banda se encontra na fase de pré-produção de seu próximo Full Length, ainda sem nome e data de lançamento definidos.
Mais notícias em breve.

Evocation – Evoked from Demonic Depths – The Early Years (CD Compilação)


Century Media Records - Importado
Nota 8
Por Marcos Garcia

Ainda há tesouros escondidos nos porões do underground mundial, alguns que poderiam ter causado pequenas (ou grandes) revoluções musicais dentro das subdivisões de Metal. No caso dessa resenha específica, os suecos do Evocation, banda sueca de Death Metal que surgiu há mais de 20 anos atrás, poderia ter sido uma das responsáveis por desencadear o Techno Death Metal com nuances mais melodiosas, ou seja, é um grupo que mixa o característico Death Metal sueco com um tiquinho do que vemos no som de Gotemburgo, e assim, lá na década de 90, poderia ter dado o ponta-pé inicial da coisa, mas que infelizmente, após duas Demos de boa receptividade, deu uma para, retornando à atividade em 2004. A banda, então, começou a fazer um relativo sucesso, o que a levou a gravar 3 CDs de estúdio de 2006 a 2010, e em uma homenagem aos fãs antigos, acabam de pôr no mercado a compilação Evoked from Demonic Depths – The Early Years.
Sim, esta compilação nos trás as duas Demos da década de 90 (The Ancient Gate e Promo 1992), um ensaio da banda, mais a inédita Genesis, que apesar de gravada apenas agora, data de 1992, ou seja, é uma canção antiga, gravada nos IF Studios (onde In Flames e The Haunted já gravaram) e produzida por Robert Laghi. As músicas das Demos foram remasterizadas no Fascination Street Studio (onde Opeth, Paradise Lost, Enslaved, Grand Magus e outros já estiveram gravando), sendo que o processo foi feito usando diretamente as versões contidas nas fitas master. Já o ensaio possui uma gravação não tão boa, mas se pensar direito, poucas são as bandas que os gravam na intenção de lançá-los no mercado.
O resultado é bastante satisfatório, já que apesar das faixas ainda serem mais primitivas, já mostram as características sonoras que o Evocation iria mostrar após sua volta, como técnica acima da média, bons vocais urrados (fugindo do gutural comum), e sabendo dosar um pouco de velocidade com uma sonoridade bruta.
O CD todo é muito legal, destacando-se as faixas Through the Darkened Peril, que tem aquele jeitão Death Metal Way bem legal; a cadenciada e empolgante The Ancient Gate; Desolated Spirits, que se inicia com um baixo bem jazzístico antes de virar uma pedrada ríspida e técnica; Spiritual Affinity, mais cadenciada e bruta, com ótimo trabalho de bateria; e Genesis, que mostra que a banda, apesar de toda sua evolução, se mantém fiel às suas raízes.
Ainda há três vídeos da época de bônus, gravados ao vivo, para The Ancient Gate, Genesis, e Where the Headstones Shine, e o CD ainda trará um encarte com 32 páginas e um O-Card.
Um bom disco, que merece bastante uma conferida mais apurada.

Trailer

Tracklist:

01. A Wind Has Risen
02. Through the Darkened Peril
03. The Ancient Gate
04. Desolated Spirits
05. On a Journey to Heaven
06. Where the Headstones Shine
07. Veils Were Blown
08. Spiritual Affinity
09. Outro
10. On a Journey To Heaven (rehearsal)
11. Where The Headstones Shine (rehearsal)
12. Spiritual Affinity (rehearsal)
13. Veils Were Blown (rehearsal)
14. Genesis


 Formação:

Janne Kenttäkumpu Bodén – Bateria, backing vocals
Vesa Kenttäkumpu – Guitarras
Marko Palmén – Guitarras
Tjompe – Vocais , baixo                        


Contatos: