4 de jul de 2014

Resenha: Anathema - Distant Satellites (CD)

Nota 9,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


O Pai Marcão aqui confessa que, há anos, não é fã do trabalho do ANATHEMA. Isso se deve ao fato de preferência pelo trabalho mais seminal e bruta da banda, da fase "The Crestfallen", "Serenades" e "Pentecost III", mas os anos se passam, as pessoas evoluem, sejamos justos e dando meu braço gordo a torcer: a banda realmente mostra um trabalho fantástico com "Distant Satellites", seu mais novo disco.

O Progressive Rock do grupo é de uma elegância e requinte enorme, sendo bem variado, mas ao mesmo tempo, há doses de peso aqui e ali, ao passo que a banda mostra uma desenvoltura em um enfoque coerente com seus últimos trabalhos. Não existe uma diferença tão gritante do que se ouve em "Falling Deeper" ou "We're Here Because We're Here" ("Falling Deeper" não conta, já que são remakes atualizados de faixas da fase Doom Death Metal), apenas parece mais inclinado ao Dream Rock experimental do que ao Pop-Folk que comumente já vemos em seus trabalhos, algo que se fazia mais presente antes. Não que seja algo ruim, longe disso, mas a banda deu uma diferenciada sutil em seu trabalho.

A produção e mixagem de Christer-André Cederberg (que ainda toca baixo no CD) deu uma limpeza muito grande ao trabalho do ANATHEMA, mas menos que antes. Sim, a banda apesar de cristalina, está com uma sonoridade não tão limpa quanto antes, o que dá o peso que mencionei acima (em alguns riffs, ele fica muito evidente), embora permeado por forte melancolia e vocais limpos intensos. Já a arte da capa dá apenas dá o clima necessário, como a banda já faz de longa data, usando uma imagem simples e mais abstrata.

Anathema
E não há como negar que o grupo mostra maturidade e domínio dentro do que se propõe a fazer, com muita elegância, explorando climas amenos e mais melancólicos sem pudor, mas com desenvoltura de quem sabe o que quer fazer e como fazer, com arranjos ótimos de teclados, pianos e guitarra, ao mesmo tempo em que os vocais masculinos e femininos, juntos ou separados, mostram um trabalho magnífico.

É um pouco difícil realmente destacar uma ou outra faixa, já que "Distant Satellites" mostra-se um disco deliciosamente bem feito. Mas podem começar por faixas como "The Lost Song - Part 1" (com bons arranjos de piano), "The Lost Song - Part 2" (que belíssimos vocais femininos sobre uma música mais amena, inclusive nos crescendos aqui e ali), a mais intensa e viajante "Dusk (Dark is Descending)" (finalmente os vocais masculinos da banda me convenceram, pois estão em ótima forma), a perfeita "Ariel" (os cantos masculinos e femininos estão ótimos, mais os arranjos de teclados e guitarras estarem no ápice), a linda "Anathema", e a um pouco mais eclética "Distant Satellites" (a presença da bateria eletrônica dá um toque de Industrial ao trabalho do grupo, mas sem descaracterizar o clima etéreo da canção). Mas particularmente, o experimentalismo avant-garde visto em "You're Not Alone" (as brincadeiras com elementos eletrônicos que deram uma escorregada perigosa na direção da música eletrônica mais comercial) e "Firelight" (quase três minutos só de órgão chega a ser meio chato em certos momentos, concordam?) poderiam ser descartados, com todo respeito aos fãs do grupo.

No mais, se "Distant Satellites" não pode ser considerado o melhor disco do ANATHEMA na fase mais Progressive Rock, mostra que a banda não perdeu o pique, e se encontra em boa forma e capaz de deixar os fãs extasiados.




Tracklist:

01. The Lost Song - Part 1
02. The Lost Song - Part 2
03. Dusk (Dark is Descending)
04. Ariel
05. The Lost Song - Part 3
06. Anathema
07. You're Not Alone
08. Firelight
09. Distant Satellites
10. Take Shelter


Banda:

Lee Douglas - Vocais
Vincent Cavanagh - Guitarras, Vocais, teclados, programação, baixo
Danny Cavanagh - Guitarras, Vocais, teclados, piano, baixo
John Douglas - Bateria eletrônica, teclados, percussão, programação
Daniel Cardoso - Bateria
Christer-André Cederberg - Baixo (músico de estúdio)


Contatos:

Resenha: OldBoy - Songs From My Sadness (EP)

Independente
Nota 9,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Há certos momentos em que o Rock'n'Roll mais intimista e orgânico nos fala mais a fundo, já que nem sempre nossos corações pedem uma música mais bruta ou cheia de energia. E é para momentos assim que existem discos como o EP "Songs From My Sadness", de OLDBOY, do músico Belmílson Santos (que assina o trabalho como OldBoy, sendo conhecido por seu trabalho como baixista da banda HATE FOR REVENGE e do POSEIDON).

Mais intimista, beirando o Country e o Folk-Pop com um approach mais melancólico, clima ameno e envolvente, todo focado em violão e bandolim, e com outros instrumentos com pouca ou nenhuma distorção, é sensível como o feeling percorre cada uma das cinco faixas do trabalho. Vocais calmos e muito bem postados, belo trabalho de violões e guitarras (que aparecem com um pouco de distorção aqui e ali, como em "Maria"), bateria bem compassada e mantendo o andamento calmo e constante.

Gravado no estúdio Sign of Sanity, em São Paulo, com produção de Belmílson e de Marco Alexandre (parceiro nessa empreitada mais pessoal), mais a masterização feita nos estúdios Sage, em Tennessee (EUA), temos uma clareza límpida e translúcida impera de ponta a ponta o EP, com qualidade muito boa. É incrível como a música soa viva, sólida e cativante neste formato mais comportado e belo. Já a arte, feita por por João Duarte, é algo de belo e realmente dá corpo ao trabalho musical aqui ouvido.

Não é um trabalho trivial, já que de longe, é raro ouvir este tipo de música feito aqui no Brasil com competência, com vontade e qualidade, pois antes de tudo, o primeiro sentimento que nos dá ao ouvir o EP é honestidade. 

"Feel Alone" é uma música um pouco mais de energia, com um andamento bem envolvente, enquanto "Can't You See" tem um pouco mais de introspecção, com ótimos arranjos de teclado. "Forever and Ever" é uma instrumental de violão curta e agradável. "Maria", a mais longa, é uma canção muito melancólica, onde guitarras com um pouco de distorção aparecem vez por outra. E "One More Day" é uma canção densa, mas com belos momentos mais animados, novamente com os teclados aparecendo bastante. Ou seja, cinco faixas bem preciosas e dignas de nossa audição bem atenta e de coração aberto.

Esperamos, sinceramente, que este projeto venha a dar mais frutos no futuro!



Tracklist:

01. Feel Alone
02. Can't You See
03. Forever and Ever
04. Maria
05. One More Day


Banda:

OldBoy - Vocais, violões, guitarra solo em "Can't You See"
Marco Alexandre - Bandolim, guitarra solo, vocais em "Maria", teclados


Contatos:



Resenha: Revolted - Revolutionary Order (CD)

Independente
Nota 9,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Aos poucos que prestam atenção aos detalhes de uma banda, especialmente de onde elas são, já sabe de uma realidade bem clara: a cena do Centro-Oeste brasileiro anda produzindo grandes talentos naquelas terras. E agora, chega mais um ótimo nome, o quarteto REVOLTED, que mostra um trabalho absurdamente bom em "Revolutionary Order", seu primeiro disco. É tão bom que o grupo parece um veterano calejado.

Assim como o quinteto paulista SLASHER, podemos dizer que o REVOLTED também trilha os caminhos do Modern Thrash Metal, ou seja, um Thrash Metal agressivo até os dentes e ríspido de doer, mas ao mesmo tempo, sabe usar de boas melodias (em especial nos solos), além de uma sonoridade bem mais moderna. E no caso do quarteto, é pesado até doer os dentes. Vocais vociferados com raiva, guitarras com riffs maravilhosos e solos inspirados (há um certo feeling de Metal tradicional neles), e base baixo-bateria com peso absurdo e ótimo nível técnico. Resultado: os vizinhos "vuvuzelistas" irão reclamar horrores quando o disco começar a tocar, mas eles merecem...

"Revolutionary Order" foi gravado estúdio Grafton, e teve produção feita por Junior Xavas e Xavier Collard em conjunto com o próprio quarteto, fora mixagem e masterização feitas na França pelo próprio Xavier, que mixou e masterizou tudo no SteelMind Studios. E a sonoridade é para realmente impactar o ouvinte com agressividade e clareza instrumental, ao ponto de cada arranjo ficar bem audível. A arte da capa, um trabalho muito legal de Thiago Andrade (ex-DEADLY CURSE, e que atualmente está com o FANTTASMA e com o ABSTRAKTA) dá corpo às idéias líricas do grupo e transpira o que se ouve no disco.

Revolted
Musicalmente, o grupo surpreende em todas faixas, por onde a qualidade se distribui homogeneamente, mostrando que o trabalho de composição foi feito com esmero e bastante paciência, pois cada arranjo está no lugar certo, cada riff e acorde é precioso e está como deveria, sem exageros, mas sem ser simplista em momento algum.

E os pontos altos do disco são: a ganchuda e bruta "Heartbreaking" (vocais selvagens, e belo trabalho de guitarras conduz a música perfeitamente), a rápida e empolgante "Behind the Sacred Verses" (com riffs bem intrincados, fora a cozinha esbanjando categoria e técnica), a bem trabalhada "The Scars of Insanity" (os vocais mostram um trabalho muito bom aqui, com boas mudanças de tons), as fortes e impactantes "Hope is Just an Illusion" e "Imperfect Memories", a mais cadenciada e azeda "Epidemia", e a vibrante "We are Only Free". Mas o disco inteiro é ótimo, tenha certeza.

Ótima revelação!



Tracklist:

01. Revolutionary Order
02. Heartbreaking
03. Behind the Sacred Verses
04. The Scars of Insanity
05. Follow the Shadows
06. Hope is Just an Illusion
07. Imperfect Memories
08. Epidemia
09. Your Fate is What Destroys You
10. We are Only Free


Banda:

Hedrey Glissiério - Vocais
Alex Fernando - Guitarras
Raphael Torlezzi - Baixo
Yanomani Ami - Bateria


Contatos:

Metal Media (Imprensa)

Resenha: P.O.C. - For Sex, For Violence, For Alcohol (CD)

Independente
Nota 8,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Imaginem que bandas como o NAPALM DEATH ou CARCASS antigos surgissem no Brasil, ao invés da Inglaterra. Esse é um ótimo gendaken para se adaptar a este disco seria o que o PILE OF CORPSES (carinhosamente apelidade do P.O.C.) apresenta em "For Sex, For Violence, For Alcohol", um disco insano e capaz de deixar os ouvidos apitando por horas de abusar do volume.

Primeiramente, sob tanta pancadaria voltada ao Grindcore/Death Metal, existem pitadas de Thrash Metal, mais é o que este autor que vos escreve gosta de se referir como "porradaria inteligente", já que sob a violência sonora desmedida, existem mentes pensantes. E se preparem para a avalanche de vocais urrados extremos (na escola de Lee Dorrian em seus tempos de NAPALM DEATH), riffs velozes e empolgantes, base baixo-bateria coesa e veloz, trazendo um arsenal de músicas que realmente é muito bom.

Gravado (ou poderíamos dizer destroçado?) no estúdio Zastras, sob a tutela de Alexandre Pereira e JP Amaral, a banda preferiu uma sonoridade suja, orgânica e densa (reparem no som da caixa da bateria e tons de guitarra), digna de suas raízes brutais, mas sem soar embolado ou tosco além da compreensão. Está bruto, mas limpo. A capa, hilária, é uma obra de Paulo Roberto Yamashiro, cheia de referências bem sarcásticas a diversos aspectos da cultura em que estamos imersos.

Pile of Corpses
Como dito antes, o grupo investe no Death Metal/Grindcore, logo, suas músicas na maioria não são muito longas, o que acaba fazendo a audição do trabalho mais fácil e prazeirosa, e vemos que o grupo se esforçou bastante em suas composições, pois a fácil assimilação é um de seus pontos mais fortes.

Destaques: a bruta e distorcida "Gore Sex" (que riffs cortantes e envolventes), a pútrida "The Hymen Collector" (o batera mostra um trabalho bem animal aqui), a opressiva "Masturbation of the Wicked", a pancadaria desenfreada de "Hail War" (esta um pouco mais variada, com belo trabalho de vocais e guitarras), e a ótima "Cut the Liver" (belas mudanças de andamento e bom trabalho do baixo).

Um trabalho honesto, bem feito e que merece uma boa conferida. Além do investimento em uma cópia física.



Tracklist:

01. Foreplay  
02. Gore Sex  
03. Drowned in Cum  
04. The Hymen Collector
05. Masturbation of the Wicked  
06. Estupra Mas Não Mata  
07. Hail War  
08. Cut the Liver  
09. Devouring the Pork  
10. Smashed in the Thrash Truck


Banda:

Alba - Vocais
JP - Guitarras
Chefe - Baixo
Pinguim - Bateria


Contatos:

Metal Media (Pile of Press)

Resenha: Hate for Revenge - Return of the Hate (EP)

Independente
Nota 8,5/10

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Heavy Metal puro e simples, sem milhões de acordes por segundo ou infinitos dedilhados e arpejos, bateria à velocidade da luz. É isso que o HATE FOR REVENGE de Santo André (SP) oferece aos ouvintes em "Return of the Hate", EP que marca a volta do quinteto à ativa após algum tempo parado.

Mas não é porque a banda prefere algo mais direto e seco, e que não seja inovador, que não tem valor, longe disso. O EP é uma bela paulada bem pesada direta no queixo, com ótimos vocais (que lembram bastante o estilo de feras como Steve Grimmet e outros da NWOBHM), uma dupla de guitarras com ótimas bases e solos, base baixo-bateria pesada e eficiente.

A produção, feita pelo quinteto, ficou em bom nível, nos permitindo acessar sem dificuldades os elementos musicais que compõem seu trabalho. Está tudo pesado, audível e em ótimo nível de clareza. E a capa, apesar de bem simples, é uma referência direta à NWOBHM, evocando as imagens simples e funcionais dos discos daqueles áureos tempos 

Hate for Revenge
Musicalmente, nada de novo ou transformador, mas de muito bom gosto e requinte, logo, tornamos a fazer uma pergunta aos caros leitores: se está bom como está para eles, mantendo a identidade, para que fazer mais? Acreditamos sinceramente que o velho e o novo devam conviver harmoniosamente, sem que as pessoas fiquem criando competições vazias de sentidos práticos. 

As três faixas do EP, a melodiosa e pesada "Hate for Revenge" (belo trabalho de guitarras e ótimo refrão, diga-se de passagem), a variada e cativante "Apogee in Zodiacal Circle" (com muito boas variações rítmicas, mostrando que a cozinha sabe o que faz e tem bom nível técnico), e a mamutesca "Foretaste of Blood" (onde o andamento não tão veloz prioriza o peso, e os vocais se sobressaem bastante).

Realmente um belo quinteto, e que faz um trabalho muito bom. Esperemos logo pelo álbum, e sejam bem vindos de volta.


Tracklist:

01. Hate for Revenge
02. Apogee in Zodiacal Circle
03. Foretaste of Blood


Banda:

Daniel Monfil - Vocais
Jason Priéster - Guitarras
Ricardo Oliveira - Guitarras
Belmilson Santos - Baixo
Sidnei Nonato - Bateria


Contatos:

Metal Media (Imprensa)

BACKSTAGE homenageia Dio e traz novas de Accept e Overkill



Maior vocalista da história do heavy metal faleceu há quatro anos vitima de câncer

O programa Backstage, que vai ao ar, todos os domingos, das 22 às 24h, pela Kiss FM (102,1 MHZ – SP), faz uma justa homenagem à Ronnie James Dio. Esta semana um dos maiores vocalistas da história do rock completaria nobres 72 anos de idade. O produtor e apresentador Vitão Bonesso selecionou momentos do DVD “Live In London – Hammersmith Apollo 1993”, registrado durante a tour promocional do álbum “Strange Highways”.

A edição nº 1386 também traz os novos trabalhos do Accept, que está lançando o álbum “Blind Rage”, e os americanos do Overkill com o CD “White Devil Armory”. Ambos já fazem parte da programação 24 horas da Rádio Backstage, (www.radiobackstage.com).

O programa exibe entrevista com a banda Nervosa, além de sons de: Wami e Seventh Seal. No tradicional bloco “Backstage The Classics”, mais um destaque para um grande clássico gravado ao vivo, desta vez, Robin Trower e o álbum “Live”.

Curta a página oficial do BACKSTAGE no Facebook: https://www.facebook.com/RADIOBACKSTAGEOFFICIAL

Programa Backstage: 1988 – 2013 – 25 anos a serviço da música pesada!
Domingo das 22 às 00h
Kiss FM:
102,1 MHZ - São Paulo e Grande São Paulo
107,9 MHZ - Campinas e região
102,9 MHZ - Litoral Paulista
102,3 MHZ - Brasilia e região
Ouça pela internet acessando: www.kissfm.com.br
Confira as edições anteriores no sistema “On Demand”, acessando www.radiobackstage.com (.br)
Rádio Backstage: www.radiobackstage.com (.br) – 8 anos transmitindo 24 horas com canais dedicados ao Heavy Rock e ao Classic Rock.

Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC – PR:
20/07 – Peter Murphy e Wayne Hussey – Carioca Club – SP/SP
20/08 – The Mission – Carioca Club – SP/SP
26/08 - 07/09 – CJ Ramone (ex-baixista dos Ramones)
07/09 – DEATH: DTA – Via Marquês - SP/SP
17-28/09 – Dave Evans (1º vocalista do AC/DC)
04/10 – Exodus – Carioca Club – SP/SP
05/10 – Toxic Holocaust – Clash Club – SP/SP
08/11 – Behemoth – Carioca Club – SP/SP
Mais infos sobre os shows acima, acesse https://www.facebook.com/UltimateMusicPR.



A/C Costábile Salzano Jr
11 4241.7227 | 11 9 6419.7206

Primator: ouça a faixa que leva o nome do grupo




Com cinco anos de estrada, a banda de heavy metal tradicional PRIMATOR já é bastante conhecia nas noites de São Paulo pelos vários shows já realizados nos principais bares de rock da cidade como Manifesto, Blackmore, Dynamite Pub, Gillan's Inn, Cerveja Azul, entre outros.

Depois de uma grande temporada de ensaios, shows e pré-produções, a banda atingiu o nível técnico e criativo que julgavam ideal para se trancar no estúdio e começar a gravar o primeiro álbum da carreira. Com produção de Daniel de Sá (Andragonia, Crossrock, Strip No Altar), o disco de estréia do PRIMATOR ainda não tem título definido, mas já está sendo gravado no Estúdio GR na Zona Norte de São Paulo e está previsto para ser lançado no segundo semestre de 2014.

A banda postou em seu canal oficial no Soundcloud a faixa que leva o nome do grupo e que fará parte do álbum.

De acordo com o guitarrista Márcio Dassié, a faixa "Primator" foi uma das primeiras a serem compostas e resume bem a proposta da banda, tanto musicalmente como conceitualmente. 
"A faixa Primator serviu de alicerce para a identidade musical da banda. O riff principal foi concebido com powerchords pouco convencionais, palm mute em sincronia com a bateria, buscando a agressividade que a letra retrata. A bridge propicia a atmosfera necessária para o refrão forte e marcante, principal característica da banda. Segue um dueto de guitarras executando a melodia com tônicas e quintas, culminando no magnífico solo de guitarra criado pelo Diego Lima (que inclusive lhe serviu de passaporte para passar a integrar a banda) que entrega ao ouvinte a segunda parte da música e o desfecho final. Já em relação a letra, ela fala sobre esse monstro que representa a banda. Primator foi nascido das chamas e é caçador de tudo e todos. Frio e sem piedade, é um símbolo de justiça desenfreada que o mundo precisa, numa forma bem radical de se pensar. Denota superioridade através da violência e não diferencia credo, sexo ou idade. Nos torna suscetíveis aos impulsos sombrios e bárbaros que brotam dos níveis mais primitivos da mente humana, traçando um verdadeiro paralelo entre a criação divina e a ciência evolutiva. É a representação do lado maligno do ser humano, que age por instinto e não por racionalidade, revelando que a bestialidade de nossos ancestrais persiste viva e gravada no DNA do homem moderno." 

Além de Márcio, o PRIMATOR é formado por Rodrigo Sinopoli (vocal), Diego Lima (guitarra), André dos Anjos (baixo) e Alexandre Birão (bateria).

Mais Informações:



Fonte: Som do Darma
Informações para Imprensa
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621

Crédito Fotos: Amanda Dassié

Hate Embrace: Recém lançado “Sertão Saga” vende 400 cópias em 7 dias!




Hate Embrace de Recife-PE, acaba de lançar o segundo disco oficial, se trata da obra “Sertão Saga” que já vendeu inicialmente 400 cópias em 7 dias. Foi lançado por Insane Records de Nove Friburo-RJ e Black Legion Productionsde Resende-RJ. As gravadoras já estudam uma nova prensagem ainda em 2014 por conta das vendas otimistas e concretas realizadas.

Nota 9,5

“O músico Sérgio Ferraz também participa do disco, já que a faixa bônus Sertão Dual é de sua autoria. Vale lembrar que as letras são cantadas em português, o que deixa o trabalho ainda mais interessante e mais digno. A boa produção a cargo da banda e de Joel Lima e uma maravilhosa arte gráfica do baterista Ricardo Necrogod só dão ainda mais ênfase para a qualidade do trabalho. Nem ouso destacar apenas algumas composições.”  Vitor Hugo Franceschini - Hell Divine / Arte Extrema / Blog Arte Metal



Um disco rico em detalhes culturais do Brasil, especificamente aborda as origens dos cangaceiros no Nordeste do País, álbum conceitual que se compara a temática do “Roots” do Sepultura, que abordou temas de uma tribo indígena e sons peculiares nunca usados antes em música pesada. O álbum espera mostrar ao grande público um Death Metalcantado em português, muito original mas com uma cara única. Criando um forte embasamento na história real das origens no sertão do Nordeste, tendo como tema as histórias do herói/bandido Lampião.

A alquimia de som pesado, técnico e sons de violas, se transforma numa viagem rítmica que nos remete a imagens de suas narrações.

Para adquirir sua cópia ou a atacado:

Insane Records

Ou:

Black Legion Productions
(24)9.8182-3264 TIM


Gravado no J.A Studio (Malkuth, Infested Blood, Beast Conjurator, Goryhate) entre setembro de 2013 a fevereiro de 2014 de forma profissional mas completamente independente. Joel Lima produziu, mixou e masterizou o disco.


O álbum também conta com as participações especiais de Sergio Ferraz (Produtor Musical/compositor/instrumentista), Silvério Pessoa (cantor e compositor), Washington (The Ax), Pedro Thomaz (Necroholocaust), Rafael Cadena e Magno Barbosa (Cangaço), Adriano Forte (Lethal Rising), Alcides Burn (Inner Demons Rise), Ivanubis (ex-Emptybook e violista na Orquestra sinfônica do CPM) e Wanessa Campos (Pesquisadora do Cangaço-PE).

Confira a faixa inédita "Utopia":



Acompanhe Hate Embrace no FB:
Oficial:



Assessoria de Imprensa

Cris Delyra: Hard Rock com identidade e cantado em português




O Rio de Janeiro nos brinda a cada ano com grande bandas, e muitas vezes com identidade musical e visual diferenciada, o que vale ser ressaltado positivamente. CRIS DELYRA é uma banda que apresenta uma série de características, que elevam o trabalho profissional proposto.

CRIS DELYRA eleva o trabalho por uma curiosidade positiva, tudo na banda é feita pelo mentor do grupo. A produção musical, gravação, confecção da arte gráfica, identidade visual e inclusive os clipes são rodados e editados pelo cara. Uma obra completa, por um músico completo.

Relativamente nova, foi formada em 2011 e em seguida já iniciou as gravações de seu primeiro disco que foi lançado em 2012, atualmente vem promovendo o disco “Debut”, este conta com produção acima da média e músicas cantadas em português. A língua de origem é algo que reforça a tendência de Rock e Metal que vai se tornar cada vez mais forte, já é uma realidade.

No momento a banda está montando a sua agenda de shows para 2014/2015, interessados podem entrar em contato através da Black Legion Prod (contato@blacklegionprod.com) ou nos links relacionados.

Formação atual:

Cris DeLyra – Guitarra e voz
Yves Aworet – Baixo e vocal
Bruno Coelho – Bateria

Confira o clipe de “Fotocopia”:


Confira a versão de “O Tempo Não Para”:



A capa de “Debut” de 2012:





Contatos para shows:
Alex Chagas
Twitter – @BlackLegionProd
Nextel – Id 35*2*66941
Mobile – 0249.81823264 (TIM)
Viber – 02499741934 / 024999741934



Antcorpus: Crowdfunding chega na reta final, faltam 4 dias para 15% restantes




A banda que existe desde 2004 já circulou em estados como Maranhão, Tocantins e Pará, onde em suas apresentações emplacou composições próprias, ao som do Thrash Metal.

E agora, o grupo pede sua ajuda para o patrocínio da prensagem e distribuição do seu 1º CD “Na Terra do Metal”. Participe!

Para colaborar, acesse o link: http://bit.ly/CDAntcorpus

Depois de 11 anos, chegou a hora que tanto esperávamos; Finalizar nosso 1º CD, e claro que pra isso contando com ajuda de amigos e fãs, só assim podemos ter a absoluta certeza de conseguiremos, com força sempre. Para repercutir o som atípico mas muito contundente, a Antcorpus busca na plataforma www.eupatrocino.com.br a possibilidade de ampliar a circulação e difusão de um processo criativo com mais de uma década. Para celebrar esta trajetória que ao longo do caminho consolidou letras fortes e com melodias impares junto ao publico paraense apresenta-se a proposta e um CD com o título “Na Terra do Metal”, uma homenagem a terra de origem conhecida nacionalmente como a capital dos minérios. Djair (Vocalista).


O CD que está em fase se prensagem, precisa do apoio dos parceiros para que se materialize, são 2000 Cd’s que serão lançados em shows durante turnê que acontecerá no fim de 2014. Em suas letras a história do Pará se contada pelos personagens do lado oculto da história. Guerrilha do Araguaia, o massacre de Eldorado dos Carajás, o Ciclo da borracha, os minérios por onde o trem da estrada de ferro Carajás passa, a disputa por terras, a mutilação e morte de trabalhadores ocultas com indenizações baratas e a busca pelo eldorado de milhares de trabalhadores do Maranhão e Tocantins. “Sangue na canela e crânios ao chão”.





R$50,00
01 Cd + Camisa
R$100,00
01 Cd + Camisa + Adesivo + Cachaça Chuva Ácida
R$150,00
02 CDs + Camisa + Adesivo + Cachaça Chuva Ácida + Path
R$200,00
02 Cd + Camisa + Adesivo + Cachaça Chuva Ácida + Path + logo no CD + Agradecimento no CD
R$500,00
02 Cd + Camisa + Adesivo + Cachaça Chuva Ácida + Path + logo no CD + Agradecimento no CD + Ingressos show Lançamento + App Antcorpus

Acompanhe ANTCORPUS na Fan Page:

Oficial



Assessoria de Imprensa

04/07/2014: Kriver, Soturnus, Lusferus, No Way, Dancing Flame, Warcursed, Torqverem, DarkTower, Agressor




KRIVER: disponibilizada a primeira parte do studio report no Youtube


A banda pernambucana KRIVER, praticante de um Heavy Metal técnico e cativante, acaba de lançar no seu canal oficial no YouTube a primeira parte do seu studio report, contendo alguns dos principais momentos do grupo em estúdio, registrando o seu novo EP “Foresight”. 


O referido material áudio visual teve como foco o trabalho inicial do baterista Ricardo Lira, que demonstrou todo o seu set de gravação para os fãs do grupo e do instrumento.

“Foresight” será lançado no primeiro semestre de 2014, e contará com distribuição digital conduzida pela CD-Baby, uma das principais empresas do mundo no setor.

Links Relacionados:



SOTURNUS: novo álbum será distribuído pela Voice Music


A veterana banda paraibana de Doom Metal SOTURNUS, confirmou recentemente que o seu novo álbum “Of Everything That Hurts”, terá distribuição da Voice Music para todo o Brasil.

“Of Everything That Hurts” em breve poderá ser encontrado nas principais lojas especializadas do país, bem como, nas MegaStores mais populares do mercado fonográfico nancional.

Links Relacionados:



LUSFERUS: confirmado show ao lado do Azaghal em São Paulo


A banda paulista LUSFERUS, confirmou para o próximo dia 03 de agosto, mais um importante show em sua atual turnê de suporte ao álbum “Black Seeds ov Obscure Arts”, ao lado dos finlandeses do Azaghal, em sua nova passagem pelo Brasil. 

O evento acontecerá no Paulistânia Rock Bar (Ribeirão Preto, São Paulo), às 16h00, e contará com as participações especiais das bandas Raptores e Nervochaos.

Os ingressos para o referido festival custarão R$35,00 (antecipado) e R$50,00 (portaria) – disponíveis no site oficial da Ticket Brasil.

Links Relacionados:



NO WAY: participando da campanha Escrevendo Outra Canção


A banda paulista NO WAY é uma das participantes nacionais da campanha “Escrevendo Outra Canção”, promovida pela família de Paulo Schroeber (ex-Almah), que tem como objetivo o incentivo à doação de órgãos.


O NO WAY disponibilizou no seu canal no YouTube, um vídeo contendo o seu depoimento acerca da importância da doação de órgãos, assim como fizeram diversos outros artistas da cena Metal do Brasil. 


Links Relacionados:



DANCING FLAME: confirmada como atração no Volta Redonda do Rock 2014


A banda fluminense DANCING FLAME é uma das atrações confirmadas na nova edição do Volta Redonda do Rock Festival, em suporte de divulgação do seu segundo álbum “Carnival of Flames”. 

O evento acontecerá nos dias 25 e 26 de julho, na Ilha São João, Rio de Janeiro, e contará com as participações de algumas das principais bandas do cenário underground nacional. 

Segue abaixo a ordem das apresentações e horários do Volta Redonda do Rock Festival:

25 de julho

19h00 – Banda Municipal
20h00 – Stone House on Fire
20h40 – Amplexos
21h20 – Imóvel
22h00 – Dr. Sin
23h20 – Dancing Flame
00h00 – Tim “Ripper” Owens
01h20 – Iguanas
02h00 – Blaze Bayley
03h20 – Mavericks

26 de julho

19h00 – D’ Hanks
20h00 – Metal Thorn
20h40 – The Alchemists
21h20 – Quarto do L
22h00 – Kiara Rocks
23h20 – Eu, Você e a Manga
00h00 – Project 46
01h20 – Inabitual
02h00 – Sepultura
03h20 – Figurótico

Informações sobre valores dos ingressos e seus pontos de venda serão divulgados em breve. 

Links Relacionados:



WARCURSED: levando o Metal brasileiro para Europa em sua primeira turnê


A banda WARCURSED está neste momento, dando continuidade à sua bem sucedida primeira turnê na Europa, ao lado das bandas Centurian e Nervochaos. 

O referido giro começou no último dia 20 de junho, em Tilburg, Holanda, tendo como pontos altos até agora os shows na Espanha, nas cidades de Palencia e Castellon.

Acompanhe as próximas as datas do primeiro giro da WARCURSED pelo velho mundo logo abaixo:

Centurian + Nervochaos + Warcursed – Versus All Eurotour 2014

02.07 Leipzig (GER) @ Stö
03.07 Rostock (GER) @ Alte Zuckerfabrik
04.07 Hamburg (GER) @ Bambi Galore
05.07 Wolfsburg (GER) @ Jugendhaus Ost

Links Relacionados:



TORQVEREM: confirmada turnê nacional ao lado do Pátria


A banda paulista TORQVEREM, um dos principais representantes do Black Metal nacional, confirmou para o mês de agosto sua primeira turnê brasileira, ao lado da banda Pátria.

Batizado de Profana Aliança Tour, o giro passará, inicialmente, pelas cidades de belo Horizonte, Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro.

Profana Aliança Tour:

01/08 Fofinho Rock Bar - São Paulo/SP
02/08 Matriz - Belo Horizonte/MG
08/08 Hangar Music Hall - Curitiba/PR 
09/08 Planet Music - Rio de Janeiro/RJ

Em paralelo, a TORQVEREM está em processo avançado de composição do seu novo álbum, ainda sem título definido, e que será mais uma vez lançado pela Eternal Hatred Records no Brasil.

Links Relacionados:



DARKTOWER: produzindo o seu primeiro videoclipe da carreira


A banda DARKTOWER está atualmente produzindo o seu primeiro videoclipe da carreira, para a música “Dawn of Darkened Times”, extraída do debut “...Of Chaos and Ascension”.  

O supracitado material audiovisual tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2014, e contou com a produção da empresa CS Music Videos, que já trabalhou com as bandas Ratos de Porão, Confronto, Unearthly, Lacerated and Carbonized, Chaos Synopsys, entre outras.

“...Of Chaos and Ascension”, debut álbum da DARKTOWER já está disponível para compra através da Eternal Hatred Records. Para adquirir o material por um preço especial, basta enviar um e-mail para contato@msmetalpress.com.

Em paralelo, o DARKTOWER continua o agendamento das novas datas pelo Brasil em suporte ao seu primeiro álbum. Para mais informações sobre como reservar uma data para qualquer cidade do país, basta entrar em contato através do e-mail contato@msmetalpress.com.

Links Relacionados:




AGRESSOR: novo álbum prestes a ser lançado no Brasil


O segundo álbum da banda carioca AGRESSOR, intitulado “Demise of Life”, já está totalmente finalizado e já se encontra em poder da Eternal Hatred Records, para que em breve se dê o início do processo de prensagem do material físico. 

“Demise of Life”, sucessor do mega clássico “Victim of Yourself”, será lançado no Brasil no segundo semestre do corrente ano, através da Eternal Hatred Records, dentro do enorme cronograma de lançamentos do selo para 2014. A distribuição do material será realizada pela Voice Music, garantindo o produto nas principais lojas especializadas e MegaStores do país.

Links Relacionados:



Fonte: MS Metal Press
Para mais informações sobre as atividades da banda AGRESSOR e dos demais clientes da empresa, basta entrar em contato com a MS Metal Press através do e-mail contato@msmetalpress.com.