11 de fev de 2015

Superando dificuldades e abrindo caminhos – Entrevista com o SUPERSONIC BREWER




Por Marcos “Big Daddy” Garcia


O Rio Grande do Sul é uma terra extremamente fértil em termos de Rock, como o livro "Tá no Sangue – A História do Rock Pesado Gaúcho" atesta. LEVIAETHAN, ASTAROTH, KRISIUN, SYMPHONY DRAKONIS e outras excelentes bandas surgem neste celeiro musical há anos. E um dos nomes mais fortes da cena gaúcha é do excelente quarteto SUPERSONIC BREWER, de Bento Gonçalves. 

Formado por músicos experientes e com várias influências musicais diferentes, o que ouvimos em "Overthrow the Bastards", disco mais recente da banda, é uma aula de agressividade com feeling bem peculiar. 

Aproveitando o momento, e agradecendo a MS Metal Press por intermediar o contato, fomos bater um papo com o quarteto e conhecer um pouco de sua história e planos.


BD: Antes de tudo, quero agradecer de coração pela entrevista. Conte um pouco a história da banda para nós, e uma das coisas que primeiro chama a atenção no grupo é seu nome. Como foi que a idéia para ele surgiu? Uma idéia bem particular minha é que ele me lembra alguma coisa ligada ao trabalho do BLACK LABEL SOCIETY...

Vini: Nós que agradecemos pelo espaço concedido Marcos, sobre a pequena história da banda o Rodrigo contará melhor.

Rodrigo: Putz, eu nem me lembro direito, hehehehehe... Mas foi algo do tipo, que depois de tentar montar várias e várias bandas e conhecer vários caras, nenhum queria levar a serio, apenas encher a cara e pegar menininhas, mas a parte das menininhas não rolava, hehehehe... Até conseguir montar a banda que estamos hoje. Foi algo por ai.... E o nome teve sim uma pequena dose de influencia do BLS.


BD: Em 2010, vocês lançaram "Broken Bones" de maneira totalmente independente, e seguraram a barra de gravar e mixar o disco sozinhos. Por que preferiram tomar as rédeas sozinhos na época, e esta experiência tem algum reflexo no trabalho de vocês nos dias de hoje?

Vini: Esse sim podemos dizer que foi totalmente independente, criamos, produzimos, gravamos, fizemos o mix e masterizamos. Tomamos essa decisão, pois na época para nós era a opção mais coerente a se tomar, não nos arrependemos de jeito nenhum de nossa escolha e essa grande experiência refletiu em todos os sentidos nos próximos discos.


BD: Ainda falando de "Broken Bones", como foi a recepção deles pelos fãs? Chegaram a ter algum feedback de outras regiões do Brasil, ou mesmo do exterior? E como foram os shows de divulgação?

Vini: Não houve tanta divulgação como estamos tendo agora com nosso lançamento do "Overthrow the Bastard" pela MS Metal Agency, mas digamos que atingiu proporções grandes pela pouca divulgação que fizemos, de todas partes do Brasil e também de alguns países estrangeiros, mas como toda banda tem um cartão de visitas, posso dizer que o nosso é o "Overthrow the Bastard", nosso segundo disco, pela divulgação e distribuição que esta tendo.

Rodrigo: Exato, e um dos motivos que estamos regravando o "Broken Bones" e lançando em formato de EP via Ms Metal Records é pelo fato que todo mundo acha que nosso primeiro disco é o "Overthrow the Bastard", estamos querendo mostrar para o pessoal que estamos na estrada já faz algum tempo e esse lançamento será muito legal, contará com 5 faixas do "Broken Bones", uma música inédita e um cover para o Led Zeppelin.


BD: Bem, já avançando para tempos mais atuais, "Overthrow the Bastards" já representa um passo adiante. Como foi o processo de composição? Existe uma idéia mais explícita por trás do título e capa do CD que poderiam nos contar? 

Vini: Não existe nenhuma explicação obscura por trás do titulo e da capa, a ideia é aquilo e terminou, mas cada um acaba tendo seu ponto de vista particular e isso que é o mais legal em uma música, você tem uma perspectiva e eu tenho outra totalmente diferente, e isso apenas a música pode fazer.

Rodrigo: A gente apenas mostrou o que estávamos sentindo em um determinado momento, e se tu chegar a ver a época que estávamos compondo e gravando vai ver que era um momento difícil de nosso Brasil e o mundo, não que isso esteja melhor, mas tudo acaba influenciando em uma canção.


BD: Ainda sobre "Overthrow the Bastards", é sensível que existem muitas influências musicais distintas no CD, mas ao mesmo tempo, elas não dão aquela impressão de uma banda que atira para todos os lados. Longe disso, é bem conciso o trabalho de vocês. Não chega a ser difícil associar tantas influências musicais ao mesmo tempo? Tudo bem que em bandas, o processo de composição tende a ser sempre democrático, ou seja, se bobear, um agarra no pescoço do outro (risos).

Vini: Hehehehe... Não, de jeito nenhum, o negócio flui mesmo, não existe essa história de fazermos uma música Thrash, outra Heavy e outra mais light estilo Southern, simplesmente vai rolando, se a música merece um andamento mais rápido, ela terá, caso contrário será do jeito que soe melhor para nós. Quando criamos algum riff ou música, nos botamos no lugar do ouvinte, pensando o que gostaríamos de ouvir se caso fosse outra banda tocando aquilo.


BD: Outra característica interessante do som de vocês é que ele foge um pouco à invasão Old School que temos no Brasil no momento. Não que seja ruim, longe disso, mas muita gente tentar refazer o que já foi feito e mesmo esgotado, enquanto vocês estão buscando ter uma personalidade mais própria, e mesmo uma "vibe" do Southern Rock americano. Não chega a ser um fator que dificulte a aceitação de vocês por um público maior por aqui? Ou no RS, essa tendência "anos 80" tem menor impacto que em outras regiões?

Vini: Não vejo por esse lado, como um fator que dificulta nossa aceitação, pois me parece que esta acontecendo ao contrário. 

Rodrigo: Cara, é o seguinte: cada um de nós tem suas influências particulares e algumas como um todo. Nossas musicas refletem tudo isso junto, então, dane-se o Old School, o que estamos fazendo é o nosso próprio som sem nos vendermos para a mídia.


BD: Ainda falando da cena gaúcha, vocês são de uma terra que já deu ótimos nomes ao Brasil, como REBAELLIUN, KRISIUN, ASTAROTH, LEVIAETHAN e tantos outros nomes na música pesada. Como é a cena daí, e quais as maiores dificuldades que vocês sentem em atingir outras regiões do país? Este autor conheceu o RS em 2011, e sentiu uma forte aura roqueira, especialmente em Santa Maria... Parece ser quase uma herança do povo gaúcho (e uma bela herança, diga-se de passagem).

Vini: A cena local está crescendo e evoluindo em todos os aspectos, bandas, produtores, locais de shows, etc... Uma das grandes dificuldades que estamos tendo para tocar fora do RS é o alto custo das despesas que tem para uma viagem.

Rodrigo: Essa terra é uma terra de muita batalha e é o que estamos fazendo como muitas bandas que estão no mesmo barco que nós. E graças a essa grande mídia que temos no nosso país, que só divulga lixo, faz com que bandas como a nossa e as citadas acima se fodam para conseguir alguma coisa, mas ainda temos os guerreiros das mídias especializadas que nos apoiam e fazem a cena metal ficar cada vez mais forte.


BD: "Overthrow the Bastards" tem um vídeo oficial de divulgação em "End Times" e dois lyric vídeos, um para a própria "Overthrow the Bastards" e outro para "Broken Line". Como surgiu a idéia para eles, e como foram escolhidas justamente estas músicas? E me permitam elogiar: o trabalho visual de "Overthrow the Bastards" e "End Times" ficou muito bom. 

Vini: Tudo graças ao Ernani. Tínhamos pensado em "Vatican’s Downfall" para o clip, por ser uma música “porrada”, mas Ernani chegou com a ideia visual de "End Times", então fechou todas!

Rodrigo: E antes de "End Times", lançamos "Overthrow the Bastard", uma música que em nossa opinião representa o álbum musicalmente falando.


BD: Em março próximo, "Overthrow the Bastards" completará um ano de lançamento, então, como foi a recepção de público e crítica especializada? Conseguiram atingir a meta que tinham? E mesmo em tão pouco tempo, já existem planos para um sucessor do CD?

Vini: Podemos dizer que sim, que estamos satisfeitos pelo resultado tanto com o público quanto a mídia especializada, pois para muitos, esse representa nosso cartão de visita.

Rodrigo: E esse é um dos motivos que estamos preparando um novo EP, com regravações do nosso primeiro disco, e iremos lançar ainda no primeiro semestre desse ano, e também já estamos preparando algumas musicas para o terceiro full-lenght, que planejamos lançar em 2016.


BD: Bem, ora de criar um pouco de polêmica: como todas as bandas que possuem discos lançados, o SUPERSONIC BREWER deve ter sofrido com os downloads ilegais. Qual é o ponto de vista de vocês sobre o assunto? E quais seriam as melhores formas de lidar com o problema?

Vini: Pra mim não existe mais controle no download ilegal e acho que irá demorar muito para ter algum tipo de controle. Temos que conviver e aproveitar ao máximo esse mundo online a nosso favor. Semanas atrás achei uns sites russos com nosso último disco para download, achei fantástico! Iriamos demorar muito para alcançar algum público na Rússia e países vizinhos a ela sem o apoio de uma grande gravadora.


BD: E shows? Como andam os shows desde que "Overthrow the Bastards" foi lançado? Já existem possibilidades para algo no Sudeste, Nordeste e outros estados fora do Sul? E algum contato do exterior para licenciamento do CD por lá?

Rodrigo: Pouquíssimos. Estamos em contato com alguns produtores, mas para Sudeste e Nordeste no momento é difícil, mas para alguns estados próximos estamos em negociação, e estamos indo atrás para licenciar nosso CD no exterior.


BD: Bem, vamos encerrando por aqui, e gostaria de mais uma vez agradecer pela entrevista. Por favor, deixe sua mensagem aos nossos leitores e seus fãs. E quando eu retornar ao RS, espero poder tomar um bom chimarrão com vocês (risos).

Vini: Churrasco e bom chimarrão!! Hehehehehee.... Nós quem agradecemos pelo espaço concedido.

Rodrigo: Mantenham o metal como religião, pois essa máquina não pode parar!!



Contatos:

Rock in Rio anuncia Slipknot



Banda de Heavy Metal será headliner em uma das noites da edição de 2015, no Rio de Janeiro

Rio de Janeiro, 11 de fevereiro de 2014 - A primeira atração de heavy metal acaba de ser confirmada para a edição brasileira do Rock in Rio 2015. A banda SLIPKNOT será a atração principal de uma das noites do festival, que acontece na Cidade do Rock, no Rio de Janeiro, nos dias 18, 19, 20, 24, 25, 26 e 27 de setembro. O grupo já se apresentou na edição de Lisboa, em 2004, e no Rio de Janeiro, em 2011. 

O SLIPKNOT estourou em 1999, com seu estilo único de rock pesado e, desde então, já vendeu mais de 14 milhões de álbuns em todo o mundo. Os álbuns de estúdio incluem o disco homônimo (1999), "Iowa" (2001); "Vol. 3 The Subliminal Verses" (2004); "All Hope is Gone" (2008); e ".5: The Gray Chapter" (2014), cujas vendas renderam 40 discos de ouro e 11 discos de platina ao redor do mundo.

De criatividade feroz e popularidade crescente, o SLIPKNOT foi uma das bandas mais pedidas pelos fãs na edição do festival em 2011. Tal como acontece com sua música, as máscaras e uniformes emblemáticos do SLIPKNOT também evoluíram ao longo do tempo, e os membros Sid Wilson (nº 0, DJ), Chris Fehn (nº 3, percussão, backing vocals), James Root (nº 4, guitarra), Craig "133" Jones (nº 5, sample e teclado), Shawn "Clown" Crahan (nº 6, percussão, backing vocal), Mick Thomson (nº 7, guitarra) e Corey Taylor (nº 8, vocais) agora representam um exemplo intransigente do melhor do rock pesado moderno.

Já estão confirmados para a edição brasileira do Rock in Katy Perry, A-Ha, System Of A Down e Queens of the Stone Age, no Palco Mundo. Para o Palco Sunset, a organização do festival já anunciou o músico de R&B John Legend.


Sobre o Rock in Rio


Com 30 anos de história, o Rock in Rio é o maior evento de música e entretenimento do mundo por uma série de razões. Das quatorze edições anteriores, cinco ocorreram no Brasil (1985, 1991, 2001, 2011 e 2013), seis em Portugal (2004, 2006, 2008, 2010, 2012 e 2014) e três na Espanha (2008, 2010 e 2012). Em 2015, o Rock in Rio acontecerá em Las Vegas, EUA, em maio, pela primeira vez. Em setembro, a sexta edição no Brasil acontecerá na Cidade do Rock.

Combinando todas as edições já realizadas, mais de 7,5 milhões de pessoas já participaram do evento. Outro número que não para de crescer é o das redes sociais, nas quais o Rock in Rio está quebrando recordes com mais de 11 milhões de seguidores. Em termos de atrações, somando-se as edições brasileiras, portuguesas e espanholas, mais de 1.274 atrações musicais se apresentaram nos palcos do Rock in Rio, com um total de 1.200 horas de música, com transmissão para mais de 1 bilhão de telespectadores em todo o mundo, pela TV e Internet. 

Ao longo dos anos, mais de US$ 530 milhões foram investidos na marca. Além disso, mais de US$ 23,2 milhões foram investidos em projetos sociais e ambientais. Mais do que os índices de audiência e de investimentos significativos, o Rock in Rio tem ajudado na economia dos lugares visitados: mais de 148 mil postos de trabalho foram gerados ao longo dos últimos 29 anos. Na Espanha, o festival é top of mind, superando a concorrência da Fórmula 1. Na edição de 2013, 46% da platéia do Rock in Rio era de fora do estado do Rio de Janeiro. O impacto econômico da edição de 2013 na cidade, publicado pela Riotur, foi de R$ 1 bilhão, e as taxas de ocupação de hotéis eram de cerca de 90% no período.



Informações para a Imprensa
A/C Fabiana Fuchs

Project46: Confira "Acorda pra Vida" versão Guitar Cam por Jean Patton





Formada em 2008 e atualmente formada por Caio MacBeserra (vocal), Jean Patton (guitarra e backing vocal), Vini Castellari (guitarra), Rafa Yamada (baixo) e Henrique Pucci (Bateria, ex-Paura), a banda paulistana PROJECT 46, um dos mais novos representantes da atual safra do metal nacional, está conquistando cada vez mais espaço no com suas letras ácidas cantadas em português. Depois da visibilidade adquirida com o excelente "Doa a quem doer" (2011), a banda se encontra em trabalho de divulgação do seu mais recente lançamento, "Que Seja Feita a Nossa Vontade" (2014).

Confira o vídeo recém-divulgado da música “Acorda pra Vida” ao vivo no Porão do Rock através das imagens da Guitar Cam do guitarrista Jean Patton.



Informações para imprensa: info@hoffmanobrian.com.br

Página oficial: www.facebook.com/Project46



Marketing artístico/entretenimento
A/C Damaris Hoffman
Cel: +5511-987916446
Cel: +5511-77912363
Nextel ID: 55*966*13116

Save Our Souls: Marlon Lago em parceria com a Budda Amplification





Mais uma adição de qualidade ao equipamento usado pelo SAVE OUR SOULS. O guitarrista Marlon Lago acaba de anunciar que é o novo endorser da marca de efeitos para guitarra Budda.


A Budda Amplification é uma empresa norte-americana especializada na fabricação de Cabeçotes, Amplificadores e pedais de efeitos, e conta em seu tipo com nomes como Alex Skolnick, Robin Zander e Leslie West. Mais aqui: www.budda.com

A banda SAVE OUR SOULS acaba de lançar um novo single, ‘Soul Domination’, gravado no estúdio UFO em Capão da Canoa/RS, com produção de Diego Voges. A capa ficou por conta do artista João Duarte (Korzus, Hangar, Woslom).


Para baixar, visite:


Para ouvir via streaming:


Soundcloud (audição e download):


O single foi gravado nos estúdio UFO em Capão da Canoa/RS, com produção de Diego Voges. A capa do single ficou por conta do renomado artista João Duarte (Korzus, Hangar, Woslom).

Agora o grupo se foca totalmente na finalização do vindouro álbum e muito em breve deve anunciar os primeiros detalhes do trabalho.


Sites relacionados:



Fonte: Metal Media

Andralls: anunciada volta da formação original; primeiro show confirmado





Depois de um hiato para colocar a casa em ordem, um dos principais nomes do Metal nacional está de volta: ANDRALLS, com a formação original!

Após sete anos sem tocar juntos, Alex Coelho, Eddie C. e Alexandre “Xandão” Brito voltam para uma apresentação – imperdível – no dia 28 de fevereiro no Bar do Mineiro em Osasco ao lado dos grandes amigos Woslom, NervoChaos e Warsickness.

O trio é a primeira formação por traz do ANDRALLS, tocando juntos desde 1994 na extinta banda Over Chaos que originou o grupo.

“Deixamos aqui nossos agradecimentos ao Cleber Orsioli que fez um trabalho muito legal conosco durante toda a fase do Breackneck e desejamos pra ela todo o sucesso do mundo em seu novo projeto.”

Além do show no dia 28 de fevereiro, o grupo, entre um ensaio e outro, já está compondo material para o novo trabalho do grupo. Mais informações em breve!

Contato para shows e merchandise: andralls@andralls.com.br

Sites Relacionados:



Fonte: Metal Media

Syren: novo álbum sairá pela Shinigami Records!





Os ‘Brazilian Metal Bastards’ orgulhosamente anunciam que seu novo álbum, intitulado “Motordevil”, será lançado pelo renomado selo brasileiro Shinigami Records. O lançamento está previsto já para março.

O tradicional selo é conhecido por apostar em grandes nomes do metal nacional e internacional, e já lançou no Brasil nomes como Slayer, Deicide, Arch Enemy, Paradise Lost, Panzer, Unearthly, Skinlepsy, entre outros. Confira mais do selo: www.shinigamirecords.com.br


O SYREN acaba de disponibilizar uma primeira música retirada de ‘Motordevil’, ‘My Shadow, My Dear Friend’, e que foi lançada em formato de lyric video, confira:



Sites relacionados:



Fonte: Metal Media

Hibria: iniciando a gravação do novo disco, confira prévia




Descanso é uma palavra que nem passa pela cabeça do quinteto gaúcho HIBRIA, que cada dia colhe mais e mais resultados positivos em sua carreira.

Depois de lançar no final de dezembro do ano passado a edição comemorativa de 10 anos do debut ‘Defying The Rules’ no Japão, agora o grupo entra em estúdio para gravar seu quinto álbum de inéditas.

Ainda sem muitas informações para apresentar, o HIBRIA disponibilizou um trecho da demo de uma das novas músicas, ‘Tightrope’, confira:


Gostou do trechinho? Quer ouvir a prévia completa? Então é só “dar um LIKE” no Facebook oficial do HIBRIA. Alcançando 40.000 LIKES a banda disponibilizará o vídeo com a nova música completa!


O HIBRIA começa a gravar o novo disco nesta segunda-feira em seu estúdio na capital gaúcha e muito em breve dividirá conosco mais informações.

Este será o sucessor direto de ‘Silent Revenge’ de 2013, trabalho que pode ser considerado como “divisor de águas” na carreira do talentosíssimo grupo. Álbum que, além de chegar ao topo das vendas no Japão e ser um dos álbuns mais vendidos no Brasil, proporcionou ao HIBRIA novamente menções de melhor disco do ano, mantendo o nome da banda como um dos representantes do Metal brasileiro mundo afora.

No quesito shows, novamente a banda realizou shows lotados no Japão e no Brasil, tudo coroado pela apresentação em um dos maiores festivais do mundo: o Rock In Rio, além, claro, da abertura para os criadores do Metal, o BLACK SABBATH, que ainda contou com o MEGADETH.

Agora nos resta esperar pelas boas novas que a banda prepara e convidar os amigos a dar “aquele” Like na fanpage dos gaúchos!


Sites Relacionados:



Fonte: Metal Media

Statik Majik: Banda faz show no “Palco Rock” em Salvador, neste domingo





Enquanto muitos enxergam Salvador como sinônimo de Axé, e tudo aquilo que envolve o Carnaval, o já tradicional “Palco Rock” apresenta 4 dias de muito barulho, em sua vigésima primeira edição.

E a STATIK MAJIK está inserida na grade de atrações. O trio do Rio de Janeiro se apresenta no próximo domingo, 15 de Fevereiro, às 23h, na Praia de Jardim de Alah.




Atenção, o festival é GRATUITO!

Confira todas as atrações e horários dos quatro dias de “Palco Rock”:


"Estamos regressando a Bahia, e muito felizes por estarmos tocando em um evento que eu desejava há anos, com a STATIK MAJIK. Quando tocamos na Bahia transformamos poucas pessoas em milhares e agora no “Palco do Rock”, vamos transformar a Bahia em um caos sonoro de muito Stoner Metal, para honrar toda luta da organização e daquele público, que sempre merece o melhor!", disse Luis Carlos, baterista da Statik Majik.



O tema 2015 do festival é Saga Nordeste - “Brasileiro filho do Nordeste, sou cabra da peste”.

Através do tema visamos contar a história desta terra e de seus filhos sob a ótica moderna e orgulhosa de ser Nordestino. Tendo como enredo uma concepção nada convencional ao imaginar as guitarras do rock unidas aos costumes e culturas literárias do sertão, não parece nada fácil! Porem estamos acostumados aos desafios, isso acaba estimulando o nosso senso criativo e nos trazendo um rendimento ainda maior a cada ano. Coisa de Nordestinos!

O Rock está ligado às causas, as políticas culturais e sociais naturalmente, devido a sua história. Juntando passado e o presente, onde recentemente nos deparamos com um arsenal de críticas preconceituosas em torno do nordestino, resolvemos escolher este tema, “Brasileiro, filho do nordeste, sou cabra da Peste”. Que valoriza o orgulho e autoestima do estado Nordestino de ser, acreditamos ter encontrado os elementos corretos com a inclusão de cordelistas, repentistas, e tudo que se refere diretamente à literatura do nordeste. Queremos expor na edição do Palco do Rock 2015 um grande sarau que irá ovacionar grandes nomes como: Graciliano Ramos, Gregório de Matos, Jorge Amado, Jose de Alencar dentre os que nos deixaram este ano o grande Ariano Suassuna, nascido na Paraíba tinha a defesa do nordeste como uma das marcas da sua trajetória de vida. Assim como o João Ubaldo Ribeiro, baiano, nascido na Ilha de Itaparica, mais uma figura importante e imponente da literatura brasileira, por estes feitos serão lembrados.

A Marca ou identidade visual, remete a visão de um homem forte que representa o nordeste calcado nas suas raízes, o seu corpo tronco remete a criação, construção, transformação e sobrevivência, e por fim seus galhos que representam sua fertilidade seus frutos e sua liberdade! Todo o cenário em volta deixamos para que o seu imaginário interprete! Sejam bem-vindos ao Nordeste que conhecemos!



A STATIK MAJIK é: Thiago Velasquez (baixo e vocal), Leonardo Cintra (guitarra) e Luís Carlos (bateria)

Siga o STATIK MAJIK nas redes sociais:




Fonte: Lanciare

Tamuya Thrash Tribe: Participação no “Unmasked Metal Fest” neste mês





Prestes a se trancar no estúdio para a gravação e produção de seu primeiro ‘full lenght’, o Tamuya Thrash Tribe, se apresenta no “Unmasked Metal Fest, que acontece no dia 21 de Fevereiro, no Planet Music (Rio de Janeiro)

No evento, além do TTT, também tocam as bandas, Unmasked Brains (que organiza e dá nome ao fest), Hatefulmurder, Dark Tower, Forkill, Syren, Melyra e Killrape.

Assista o vídeo com o teaser do Fest:


A entrada é gratuita e na ocasião serão sorteados diversos brindes, das bandas, como camisetas, CDs, etc.

Acompanhe mais informações, curtindo a página oficial do evento:



Serviço:

UNMASKED METAL FEST – Beta edition
Dia : 21 de fevereiro 
Horário: às 17:00 
Local: Planet Music
Av Ernani Cardoso, 66, 21310-310 Rio de Janeiro


### ENTRADA GRATUITA ###
CHEGUE CEDO. O PRIMEIRO SHOW COMEÇARÁ PONTUALMENTE 18H.

ALÉM DE SER GRATUITO, AS BANDAS DISPONIBILIZARÃO DIVERSOS BRINDES COMO CDs E CAMISAS.

PLANET MUSIC, DIA 21 DE FEVEREIRO

ACESSE O SITE DO EVENTO E BAIXE MÚSICAS DAS BANDAS!!!


BANDAS:

UNMASKED BRAINS



HATEFULMURDER



DARK TOWER



FORKILL



SYREN



TAMUYA THRASH TRIBE



MELYRA



KILLRAPE




O FESTIVAL TERÁ COBERTURA DO PROGRAMA HEAVY METAL ONLINE, COM TRECHOS DOS SHOWS E ENTREVISTAS!



Fonte: Lanciare

Voodoopriest se apresenta neste sábado no especial de Carnaval do Manifesto Bar





O VOODOOPRIEST irá se apresentar pela primeira vez no Manifesto Bar no sábado, 14 de fevereiro. A banda paulista de metal é formada pelo vocalista Vitor Rodrigues (ex-Torture Squad), os guitarristas César Covero (Endrah, ex-Nervochaos) e Renato De Luccas (Exhortation), o baixista Bruno Pompeo (Aggression Tales, ex-CPM) e o baterista Edu Nicolini (ex-Nitrominds, ex-Musica Diablo).

O grupo nasceu como uma grande força no cenário musical brasileiro e internacional, devido à experiência e bagagem musical de seus integrantes. Já nos primeiros meses de lançamento, o grupo conseguiu grande visibilidade na mídia e muito interesse e curiosidade por parte do público em geral, obtendo ótimos resultados ainda em seus primeiros meses de existência.

A proposta da banda é combinar elementos do thrash, death e heavy metal tradicional, com uma sonoridade moderna. Com músicas bem construídas, cheias de riffs instigantes, refrãos marcantes e doses fartas de peso equilibradas com um toque de groove, o VOODOOPRIEST mostra que tem todas as qualidades para se tornar um grande nome do metal brasileiro e internacional.

No show do Manifesto a banda divulgará o trabalho do seu primeiro álbum "Mandu".

O disco é conceitual e conta a história verídica de Mandu Ladino, um índio que viveu no século 18 na região que é hoje o estado do Piaui. Um grande líder e herói, omitido dos livros de história do Brasil, Mandu reuniu diversas tribos e as liderou até à morte contra a invasão de suas terras e a aniquilação do povo indígena.




Ingressos antecipados:


Programação de carnaval completa:

Quinta-feira (12/02) – 20 horas – Tribos do Rock (Entrada: R$20)

Sexta-feira (13/02) – Friday The 13th – Black Sabbath Tribute (Heaven & Hell), Judas Priest Cover (Hell Patrol) e Edguy Cover Brasil | Secret Room: DJs Edu Rox (Lokaos Rock Show) e Joonior Joe (Banda Viva Noite) (Até às 23 horas: Mulheres VIP e Homens R$15. Após às 23 horas: Mulheres R$20 e Homens R$25)

Sábado (14/02) – 22 horas – Voodopriest, Furia INC. e Exodus Tribute (Valved Violence) | Secret Room: DJs Edu Rox (Lokaos Rock Show) & Joonior Joe - Banda Viva Noite - Pânico na Band (Pista Promocional R$30,00, Camarote Promocional: R$60 – Vendas no Manifesto e www.ticketbrasil.com.br)

Domingo (15/02) – 22 horas – Primeira Eliminatória do Concurso da Camiseta Molhada | Show: Shocker | DJ Edu Rox (Lokaos Rock Show) (Até às 23 horas: Mulheres VIP e Homens R$15. Após às 23 horas: Mulheres R$20 e Homens R$25)

CENSURA 16 anos

Segunda (16/02) – 22 horas – Segunda Eliminatória do Concurso da Camiseta Molhada | Show: Mötley Crüe Cover (Mötley Screw) | DJ Edu Rox (Lokaos Rock Show) (Até às 23 horas: Mulheres VIP e Homens R$15. Após às 23 horas: Mulheres R$20 e Homens R$25)

Terça-feira (17/02) – 22 horas – Grande Final do Concurso da Camiseta Molhada | Show: Comitiva do Rock | DJ Edu Rox (Lokaos Rock Show) (Até às 23 horas: Mulheres VIP e Homens R$15. Após às 23 horas: Mulheres R$20 e Homens R$25)



Marketing artístico/entretenimento
A/C Damaris Hoffman
Cel: +5511-987916446
Cel: +5511-77912363
Nextel ID: 55*966*13116

Mork – Awake (CD)

Sulphur Records/Eternal Hatred Records
Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia



Existem bandas que são autênticos exemplos de resistência às muitas dificuldades em se fazer Metal no Brasil. Aqui, nada é simples, e mesmo medalhões sofrem com os problemas de nossa cena, seja de qual estilo forem. E isso sem falar na concorrência entre bandas, que é acirrada. Somente os bons se sobressaem, e é dessa forma que o grupo MORK, de Brasília, mostra sua força: pela capacidade de ser criativo e de sair do marasmo, sem se tornar mais um clone grosseiro como os que infestam a cena nacional. E seu segundo álbum, “Awake”, é uma prova de quanto o grupo é excelente.

Criando sua música em um nicho entre o Black Metal mais tradicional e o Black Metal sinfônico, o grupo consegue criar uma música híbrida, forte e pesada, capaz de agradar qualquer fã de Metal extremo que se preze. Ou mesmo fãs de Metal que já jogaram essa estória de “vertentes” no abismo em que todas as péssimas idéias devem ser jogadas. Vocais rasgados muito bem casados com a base sonora, riffs insanos nas guitarras e ótimos solos melodiosos (aquela melodias mais sombrias que podem imaginar estão aqui), baixo e bateria muito bem entrosados e com bom nível técnico. E assim, a música do grupo pulsa com vida e personalidade, com uma energia e feeling ótimos e bem pessoais deles.

Com mixagem e masterização de Samhen (vocalista/guitarrista do grupo), podemos dizer que a qualidade sonora é muito boa, com peso, agressividade e clareza nas devidas proporções. Mais limpo que encontramos aqui seria pedir demais a uma banda de Black Metal com os elementos sonoros aqui encontrados. Seria pedir que a atmosfera intensa e soturna do álbum fosse obliterada, e isso, para quem compreende, faz parte do trabalho deles, de sua essência. 

Mork
A arte da banda reforça o lado sombrio de sua música, tudo em um belíssimo Digipack, com encarte com layout mais simples. Mas existem duas fotos no encarte que mostram uma banda sem medo de ousar, e mesmo afrontar certos aspectos de nossa sociedade, e mesmo de alguns fãs dogmáticos do Metal. Deixo ao caro leitor o sabor da descoberta.

Quem acha que o ponto mais forte da banda é a parte dos arranjos, acertou. Sim, a banda cria arranjos muito bons, mais uma perfeita escolha de timbres e boa dinâmica nas músicas, evitando que os ouvintes tenham aquela impressão de que estão ouvindo sempre a mesma música. E ponto para V. Digger, baterista convidado que fez um ótimo trabalho no CD, mais a presença de Ana Cláudia nos gritos em “Infirmita Carnis”.

O disco já abre muito bem com a soturna e brutal “Untamed”, bem trabalhada e com guitarras primorosas, seguida de “Sacrifice”, outra com um ótimo nível técnico nas guitarras, mas onde a base rítmica mostra variações fenomenais (reparem na bateria bem diversificada). “Infirmita Carnis”, música do vídeo oficial de divulgação, é belíssima em seus arranjos, um andamento um pouco menos veloz e ótimos vocais em meio a uma atmosfera macabra, que também é sentida em “Svatan”, outra bruta golfada no ouvinte. Em “Three Transformations”, vemos uma formatação mais agressiva e brutal, embora não destoe da personalidade do grupo, embora o nível técnico se mantenha o mesmo. Introduzida de forma mais climática, “Human” mostra outra faceta do grupo, uma pouco mais melodiosa e sinistra, depois ficando mais agressiva e bruta, mas com um trabalho de bateria fenomenal. “Lobos” é uma instrumental em pianos, mostrando um lado mais climático e depressivo da banda, seguida de “Apostaticos”, outro assalto feito com equilíbrio perfeito de melodia e brutalidade, sempre mantendo o nível de crueza sonora mórbida. “Preached by Death” é outra tijolada mais ríspida, com ótimos riffs, e fechando o caixão, temos “Awake”, uma faixa de oito minutos que mostra todos os elementos que o MORK usa em sua música, sem pudores de se mostrar inovador, com partes mais cadenciadas e soturnas, e outras mais rápidas e agressivas.

Sim, o grupo mostra um trabalho fascinante, bem diferente do que ouvimos em termos de Black Metal, e tende a ir muito longe.

Compre seguro de que ouvirá uma obra-prima.



Músicas:

01. Untamed
02. Sacrifice 
03. Infirmita Carnis 
04. Svatan 
05. Three Transformations 
06. Human 
07. Lobos 
08. Apostaticos 
09. Preached by Death 
10. Awake


Banda:

Samhen – Vocais, guitarras
Foizer – Guitarras 


Contatos: 



Shows de power metal agitam fim de semana em SP!




Foto: Mari Lima

As bandas SleepWalkers e Eyes Of Gaia, tocaram no último domingo, no Gillan’s Inn Pub, no centro de SP.

Foto: Mari Lima
O evento teve como especial, o lançamento do álbum “The Power Of Existence” do quinteto power metal Eyes Of Gaia! E a abertura ficou por conta da banda paulista de power metal sinfônico SleepWalkers, que tocou algumas de suas músicas autorais: “Rise In The Fire”,”Nowhere”, “Will Rebirth”, “Talking Of An Angel”, entre outras, ao final do show Mariana Li (vocalista) anunciou a entrada do Eyes Of Gaia.


Ao som da plateia gritando “Eyes Of Gaia”, a banda sobe ao palco quebrando tudo! Tocaram as músicas do cd de lançamento: “Nightmare's Beginning”, “Heart Never Lies”, “Darker Wings”, “Rage of The Storm”, “Hidden From The Light”, e “Wake Up Call, “Full Power”.

E para agitar mais a galera que estava presente chamaram ao palco Thiago Oliveira, guitarrista da banda Seventh Seal e Warrel Dane tocando: Fuel (Metallica). Após Thiago, sobe ao palco Flávio Sallin, tecladista do metal opera brasileiro Waterghost e Jhonny Moraes, guitarrista da banda Hevilan e Warrel Dane, e tocaram “Separate Ways”, do Journey.

Foto: Mari Lima
Raphael Dantas, vocalista das bandas Perc3ption e Waterghost, também marcou presença no evento, cantando “Painkiller” do Judas Priest. Em seguida foi a vez de Tito Falaschi, baterista do Zaltana e Ricardo DeStefano, vocalista do Inheritance subirem ao palco e cantarem: “Aces high”, do Iron Maiden.

E para finalizar Vitor Rodrigues, vocalista do VoodooPriest, encerra a noite com: Until The Days Go Blind, que faz parte do álbum do Eyes Of Gaia.

Todo o evento foi regado de muita alegria e agitação como diz Mário Kohn, vocalista do Eyes Of Gaia:

“Foi realmente muito foda. O Gillan's estava cheio e todo mundo agitou muito. É muito bom pra cena metal ter um bar que trata as bandas e o público com respeito.”

Confiram as fotos do evento na página da Alive Comunicações e curtam a página das bandas: SleepWalkers e Eyes Of Gaia.


Foto: Marcos Lopes

Foto: Mari Lima

Links relacionados:



Links Relacionados:




Unearthly: lançado vídeo oficial para "The Sin Offering"




Os Brazilian Devils do UNEATHLY acabam de soltar o vídeo oficial de 'The Sin Offering', divulgando seu novo álbum, 'The Unearthly'.

Mais uma vez a banda trabalhou com a CSMusic Videos, um dos principais nomes da América do Sul quando o assunto é vídeos de Música Pesada. Confira a ficha-técnica da produção:

Direção: Vinicius Hozara
Direção de fotografia: Paulo Barros
Iluminação: Victor Pinheiro
Contra-regra: Douglas Araújo

Assista:


A banda continua promovendo ‘The Unearthly’ e agora segue para Europa onde se apresentará em 31 datas entre os meses de fevereiro e março, passando por países como Rússia, Polônia, Alemanha, Holanda, Bélgica, França, Suíça, República Tcheca, Eslováquia, Lituânia, Letônia e Estônia.

Para comprar ‘The Unearthly’ pelo site da Shinigami Records, com várias opções de pagamento, visite: http://goo.gl/Dg623u


Sites Relacionados:



Fonte: Metal Media

Primator: videoclipe "Face The Death" já disponível




Foto: Amanda Dassié


A banda de heavy metal tradicional PRIMATOR prepara-se para lançar, ainda em fevereiro, o seu álbum de estreia intitulado "Involution". 

Com um conceito e letras inspiradas na "A Origem das Espécies" de Charles Darwin e em outros pensadores da filosofia e psicanálise, "Involution" foi produzido por Daniel de Sá (Andragonia, Crossrock) e vai reunir as faixas "Primator", "Black Tormentor", "Deadland", "Flames of Hades", "Erase The Rainbow", "Caroline", "Let Me Live Again", "Face The Death", "Praying for Nothing" e "Involution". 

"Face The Death" é o primeiro videoclipe em divulgação ao álbum e foi dirigido pelo próprio produtor do disco, Daniel de Sá. 

O vídeo estreou em rede nacional na edição do último sábado do programa Udigrudi da Play TV e agora já está disponível no canal oficial da banda no Youtube.

Para assistir, acesse:



Mais Informações:



Fonte: Som do Darma
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621