25 de mai de 2014

Resenha: X-Empire - End of Times (EP)

Independente
Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Há certas bandas no Brasil que realmente surgem do nada para nos surpreender. 

Após o Single "Fallen", desta vez, temos a volta do quarteto paulista X-EMPIRE, que finalmente chega com seu primeiro disco, o EP "End of Times", que é um petardo de primeira grandeza, coisa muito fina em termos de Brasil.

Antes de tudo, a música da banda foge bastante de padrões convencionais, buscando mesclar influências brutais com o Metal tradicional moderno. Ou seja, é quase uma mescla de JUDAS PRIEST e ICED EARTH com urros guturais e outros mais rasgados. E vejam bem, soa pesado, intenso e bem inovador, fugindo um pouco dos padrões convencionais tão em voga na cena Metal atual, tanto em termos de Brasil quanto lá fora.

Vemos que os vocais foram muito bem cuidados, para se encaixarem sobre a base instrumental com perfeição. As guitarras do grupo são muito boas, sabendo oscilar entre riffs melodiosos e outros mais agressivos (com solos bem feitos e certo feeling mais clássico). Baixo e bateria mostram técnica invejável em termos técnicos, mas ao mesmo tempo, sem ficarem de exibições desnecessárias. E tudo isso junto resulta em algo vibrante, vivo, e cheio de energia e com cara própria.

Óbvio que os convidados especiais Willian Vankar (teclados), Raphael Dantas e Cauê Leitão do ANDRAGONIA, Raphael Dafras (do ALMAH), Airton Araújo (DELOHIM), Leandro Tristane, Daniel Kopecky e Bruno Santos (do CHIMERAH), Daniel Della Santina (SÓRIA), Sidnei Hares e Carolina Frade (do OPIUM) deram um brilho todo especial a esta obra produzida por Michel Marcos e Rogério Oliveira (nos M&H e Flight e M&H estúdios, de propriedade deles dois, respectivamente). A gravação ficou limpa, intensa e pesada nas mesmas medidas, sem priorizar este ou aquele instrumento. Mesmo sendo independente, está muito caprichada e minimalista. Já a arte, feita por Cleyton Souza e Michael Douglas Bruno está caprichada, apesar de evitar algo super complexo. E bem antenada com o que o grupo faz musicalmente.

X-Empire
E o grupo soube caprichar em suas composições, tendo em vista que o mix de melodia e brutalidade não ser algo novo em termos de Metal, mas acreditem: estes caras acharam um caminho deles, algo surpreendente, pois a criatividade parece inesgotável, passando por cada uma das faixas sem deixar uma sequer como faixa "para completar tempo de disco". Cada detalhe brilha como um diamante precioso, cada arranjo foi bem cuidado para se encaixar perfeitamente.

Nas cinco faixas do EP (uma é uma intro, outra um outro), não há como ter um destaque mais evidente, pois todas se nivelaram por cima.

"Fallen" tem toda uma pegada moderna muito bem feita, boa diversidade de andamentos, com riffs galopantes e vocais muito bem encaixados (faixa que foi o primeiro Single da banda há um tempinho). Já "WarCry" tem um clima bem mais agressivo e duro, em uma faixa que se desenvolve em cima de belos arranjos de bateria e vocais (os urros guturais, unidos à vozes rasgadas e lindas melodias são algo de um refinamento raramente visto). O clima opressor é quebrado pela belíssima "No Answers", uma faixa muito elegante, com belos arranjos de piano e grande dueto de vocais femininos e masculinos, e um refrão absurdamente envolvente. Mas a agressividade opressora e melódica da banda volta à carga em "Scars from the Past", uma faixa bem sinuosa em termos musicais, novamente com ótimos riffs de guitarras e o baixo dá um peso bem evidente à canção. "End of Times" é uma música onde a fusão melodia/agressividade é muito bem balanceada, graças aos vocais e riffs, sem mencionar um solo bem técnico e cheio de alavancas (não, nada que lembre o Kerry King) e incursões mais técnicas do baixo, e vai deixar pescoços doídos e ouvidos apitando. 

Perfeito, deve estar na lista do Top 10 de muitos, e por méritos. E é apenas um aperitivo para o Full que será gravado este ano.

Ah, sim: o EP pode ser adquirido em seu formato digital nas seguintes lojas na internet:

Amazon.com - http://amzn.to/1nJyfJv
CDBaby - http://bit.ly/1mi6Ajg
iTunes - http://bit.ly/1oMmDD9
Bandcamp - http://bit.ly/1kBDEyW

Além disso, "End of Times" é dedicado ao Sr. João dos Santos, pai de Michel. E acreditamos que ele esteja orgulhoso demais em ver o que o filho pôde criar.



Tracklist:

01. Principium et Finis (intro)
02. Fallen
03. WarCry
04. No Answers
05. Scars from the Past
06. End of Times
07. Reflections in the Dark (outro)


Banda:

Michel Marcos - Vocais
Rogerio Oliveira - Guitarras
Felipe Gabriel - Baixo
Raphael Jorge - Bateria
Raphael Dantas - Vocais limpos em "Warcry" e "End of Times"
Cauê Leitão - Guitarra solo em "End of Times"
Raphael Dafras - Baixo em "Scars from the Past"
Airton Araújo - Vocais limpos no piano em "Scars from the Past"
Bruno Santos - Guitarra solo em "Scars from the Past"
Leandro Tristane - Bateria em "Scars from the Past"
Willian Vankar - Orquestrações em "Scars from the Past"
Daniel Della Santina - Piano em "No Answers"
Sidnei Hares - Vocais limpos em "No Answers"
Carol Frade - Vocais femininos em "No Answers"


Contatos:

Metal Media (X-Imperial Press)

Resenha: Kliav - This is a New Kliav (EP)

Independente
Nota 8,0/10

Cada vez mais, as bandas buscam novas sonoridades para expandir as fronteiras musicais do Metal, já que mudanças de paradigmas têm sido a tônica da necessidade das pessoas no caminho constante da evolução humana, que nada pode parar, e boas e novas bandas têm surgido todos os dias, com sonoridades cada vez mais interessantes e fortes, capazes de satisfazer o mais exigente dos fãs, e o quinteto paulista KLIAV, adepto de um som intenso, feroz e inovador, que poderia ser rotulado de um crossover entre o Metalcore, o New Metal e o Thrash/Death anos 90, de tão bruto e pesado, que chega até nós através do EP "This is a New Kliav", um autêntico murro raivoso nos tímpanos incautos, um lançamento independente desses protegidos pela Ziv Produções, de Sol Brocanelli.

A produção visual é muito boa por sinal, e bem inovadora no formato, já que a capa feita com papel rígido é algo já bem usado, mas não da forma que eles usaram, com letras presentes e a capa mostrando que eles têm muito a dizer nas letras, também presentes.

O lado sonoro prima por uma produção sonora límpida e cristalina, mas que dá ênfase à brutalidade e peso de uma banda que sabe o que quer, como quer e onde quer chegar, pois usam da tecnologia do estúdio como aliada de seu som.

Kliav
São quatro faixas muito boas, mostrando as facetas do trabalho da banda: uma mostra que primam algumas vezes mais pelo peso e brutalidade em cada uma delas em detrimento à velocidade, como visto em ‘Can You Hide?’, que é uma verdadeira insanidade musical, com grandes guitarras e solos (que mostram intimidade com melodias bem estruturadas); outra mostra andamentos mais variados, como em ‘This is a New Kliav’, onde os vocais se mostram algo realmente caótico e insano. Uma tem algumas levadas mais empolgantes e brutas, que leva ao slam dancing com enorme facilidade, que é ‘Fame’s Virus’, que saiu na coletânea ‘Rock Now!’ em 2010, onde a cozinha baixo-bateria se destaca bastante no meio de tanta agressividade. E uma que mostra todos estes elementos em uma fusão bem homogênea, que é ‘Bullet Time’, cujo vídeo deve estar quase saindo, e pelo que já sabemos, deve ser algo extremamente inovador em termos de vídeo por aqui.

Mais uma boa banda, que merece destaque e mostra que boa música não é boa para ouvidos mais abertos às novas tendências musicais do Metal, mas a todos com bom senso de não se fazerem surdos a novidades.

Em tempo: este EP pode ser baixado de forma gratuita no site da banda, ou seja, com apenas um simples clicar no mouse, poderá conferir o poderio de fogo da banda.

Recomendado.



Tracklist:

01. Can You Hide?
02. This is a New Kliav
03. Fame’s Virus
04. Bullet Time


Banda:

Theago Loco – Vocais
João Paulo – Guitarras
Piu – Guitarras
Kabello – Baixo
Natinho – Bateria


Contatos:



Originalmente publicado no Whiplash!

KLIAV: Banda publica vídeo nas gravações do CD




A banda KLIAV está no meio das gravações do seu primeiro CD, sendo produzido por Thiago Bianchi (Noturnall) no estúdio Fusão em Cotia/SP, neste último final de semana, dia 25, a banda publicou em seu canal no YouTube, um vídeo registrando o andamento das gravações, num clima bem descontraído.



"Finalizamos uma etapa importante hoje, a cara do CD ganhou a expressão que a gente queria!" diz Theago liddell, vocalista, que fez questão de registrar trechos de várias músicas enquanto o Guitarrista, Piu Loko, fazia as linhas de Guitarra de todo o CD.


O produtor da banda, Thiago Bianchi, durante as gravações postou em suas contas pessoais do instagram e Facebook:

"Producing the new brazilian Thrash Metal promise.. KLIAV!!
Produzindo a nova promessa do Thrash Metal brasileiro, @KLIAV!!" 

Nas próximas semanas mais vídeo virão com o andamento das gravações, que culminarão no lançamento do aguardado CD.


Links relacionados:


Fonte: Kliav