10 de nov de 2012

Forbbiden - Twisted Into Form (CD)


Shinigami Records - Nacional
Nota 10

Por Marcos Garcia

E a Shinigami Records ataca mais uma vez, trazendo a versão nacional remasterizada de 'Twisted Into Form', segundo álbum do FORBIDDEN, tornando o acesso ao trabalho mais fácil aos bangers brasileiros.

Dois anos após o lançamento de 'Forbidden Evil', a banda se mostra mais polida musicalmente, um pouco menos bruta que antes, consequência direta do amadurecimento e evolução musical de cada um deles, especialmente da parte de Russ Anderson, que está mostrando uma forma absurda, bem como a entrada de Tim Calvert nas guitarras no lugar de Glen Alvelais também deu um fôlego novo e mais entrosamento com Craig Loucicero. A cozinha de Paul Bostaph e Matt Camacho dispensa maiores comentários, pois está fantástica neste CD.

Produzido por Michael Rosen, a produção está ainda mais limpa que no CD anterior, o que deixou o som da banda mais polido e acessível, mas que fique claro: o som do quinteto continua intenso e agressivo, mesmo com a inclusão de momentos mais suaves no instrumental da banda, e vocais mais melodiosos aqui e ali. Mas não se enganem, já que a banda quando pega pesado, é coisa de quem conhece bem o assunto.

Como dito antes, o disco em si apresenta uma maior diversidade musical que o anterior, melodias mais explícitas, o som mais trabalhado, mas mesmo assim, a banda não fica descaracterizada por esta evolução natural, mas suas músicas ganharam muito em termo de qualidade, como pode ser atestado por canções como a intrincada 'Infinite', onde toda a banda mostra excelente técnica, bem como coesão e peso; 'Out of Body (Out of Mind)', um pouco mais cadenciada e que mostra algumas características antigas da banda se mesclando com as atuais; 'Step by Step', que rebusca a agressividade e impacto antigos, com excelente trabalho de guitarras, e vocais mostrando garra e rispidez explícitos; 'Twisted into Form', onde mais uma vez a banda lança mão de técnica apurada, com ótimos riffs; 'Tossed Away', outra não tão veloz, mostrando certas influências do Metal Tradicional; fora o pesadelo sonoro 'One Foot in Hell', lenta e pesada, com um trabalho de guitarra sólido, e vocais se alternando entre urros agressivos e outros mais melodiosos.


Ainda temos de bônus o EP 'Raw Evil: Live at the Dynamo', onde além das versões ao vivo para as faixas próprias 'Forbidden Evil', 'Chalice of Blood' e 'Through the Eyes of Glass', mostrando que a nova formação estava muito bem entrosada ao vivo, temos uma versão ótima para 'Victim of Changes', do JUDAS PRIEST, que ficou bem Thrasher e personalizada, mas sem pôr a perder nada da versão original, que é um dos grandes clássicos do Metal de todos os tempos.

Devido à queda que o Thrash Metal sofreu no início dos anos 90, forçando todas as bandas naqueles tempos a buscarem formas sonoras alternativas para sua música para sobreviverem. Mas esses caras, depois de alguns fiascos comerciais, retomaram a carreira em 2001 e estão dando um tempinho no momento, mas quem conhece a banda, sabe que isso é temporário. E esperamos sua volta ansiosos!!!

Step by Step


Tracklist:


01. Parting of the Ways (instrumental)
02. Infinite
03. Out of Body (Out of Mind)
04. Step by Step
05. Twisted into Form
06. R.I.P.
07. Spiral Depression (instrumental)
08. Tossed Away
09. One Foot in Hell
10. Victim of Changes (live)
11. Forbidden Evil (live)
12. Chalice of Blood (live)
13. Through Eyes of Glass (live)


Formação:

Russ Anderson – Vocais
Tim Calvert – Guitarras
Craig Locicero – Guitarras
Matt Camacho – Baixo
Paul Bostaph – Bateria


Contatos:

Forbidden - Forbidden Evil (CD)


Shinigami Records - Nacional
Nota 9

Por Marcos Garcia

Falar no Bay Area Thrash Metal na segunda metade dos anos 80 não é algo muito simples, já que as bandas da geração posterior à primeira (ou seja, a segunda leva de bandas da época) não atingiram a mesma popularidade de bandas como SLAYER, MEGADETH e TESTAMENT, mas mesmo assim, insistiram na luta e foram à frente, fazendo trabalhos tão bons, e até mesmo superiores aos pioneiros, já que poderiam pegar os elementos iniciais do estilo e moldarem conforme sua persona, e assim davam toques pessoais ao Thrash Metal de San Francisco.

E a Shinigami Records vem prestado grande favor ao headbanger brasileiro ao lançar por aqui títulos de bandas dessa geração que possuem ótimos trabalhos, como o FORBIDDEN, e nos referimos ao ótimo primeiro disco da banda, 'Forbidden Evil', de 1988.

Para quem ainda não conhece, o quinteto californiano despejava um Thrash Metal bem trabalhado, com algumas boas melodias, mas bruto e agressivo, ou seja, uma mistura entre EXODUS e SLAYER muito coesa, e adicionado a isso influências do Metal Tradicional e toques pessoais e pronto: super-banda formada.

Vocais agressivos e ríspidos mesmo no tom normal de voz, uma dupla de guitarristas hiper-afiada seja nos riffs brutos e coesos, seja nos solos esbanjando técnica e melodia, cozinha baixo-bateria entrosada e técnica,e tudo isso resultava em uma banda com personalidade muito própria.

Produzido por Doug Caldwell e John Cuniberti (este sendo bem conhecido por ter trabalhado com JOE SATRIANI), obviamente que a clareza sonora seria a tônica do álbum, mas isso só deixou a técnica e brutalidade do quinteto ainda mais evidente. Já a produção visual é ótima, e mesmo que algumas pessoas reclame do excesso de cores, lembremos que isso era um recurso muito comum na época.

Musicalmente, não dá para ficar parado ou indiferente, pois o som da banda mantém o nível o tempo todo, destacando-se faixas como a brutal 'Chalice of Blood', onde técnica e rispidez se unem de forma maciça, com excelentes guitarras e bateria matadora; 'Off the Edge', uma pancada não tão veloz, mas pesada, com ótimos backing vocals e grandes vocalizações; a energética 'Through Eyes of Glass'; a esmagadora de tímpanos incautos 'Feel No Pain', onde a bateria se destaca mais uma vez, fora as guitarras opressivas e técnicas, que reaparecem ainda mais brutas em 'As Good as Dead', onde os vocais roubam a cena; e 'Follow Me', outra muqueta extremamente pesada e densa. E de bônus, ainda temos 4 faixas ao vivo, gravadas no Trocadero Theatre, na Filadélfia, em 23 de outubro de 1988, que são 'Fell No Pain', 'As Good as Dead', 'Through the Eyes of Glass' e a furiosa 'Chalice of Blood', e podemos comprovar que a banda ao vivo tinha uma energia ímpar ao vivo, sem perder a força do estúdio.

Não é à toa que do FORBIDDEN saíram Paul Bostaph (que depois esteve no SLAYER) e Rob Flynn (que não participa deste disco, mas compÕs três das faixas, e depois esteve no VIO-LENCE, e hoje esbanja peso e técnica no MACHINE HEAD).

Chalice of Blood


Tracklist:

01. Chalice of Blood
02. Off the Edge
03. Through Eyes of Glass
04. Forbidden Evil
05. March into Fire
06. Feel No Pain
07. As Good as Dead
08. Follow Me
09. Feel No Pain (live)
10. As Good as Dead (live)
11. Through Eyes of Glass (live)
12. Chalice of Blood (live)


Formação:

Russ Anderson – Vocais
Glen Alvelais – Guitarras
Craig Locicero – Guitarras
Matt Camacho – Baixo
Paul Bostaph – Bateria



Contatos:


Evildead - Evildead (Demo)


Independente - Nacional
Nota 8,5

Por Marcos Garcia

O EVILDEAD, quinteto vindo de Avaré (SP), é mais uma banda que busca inspiração no Metal dos anos 80, mas longe de cair no ponto comum ou fazer um trabalho enfadonho, a banda faz algo digno de aplausos. 

Fazendo um estilo que transita entre o Power Metal americano e o Metal tradicional da NWOBHM, o som da banda mixa melodia e agressividade na medida certinha, com vocais melodiosos muito bons, contrastando com alguns mair guturais aqui e ali, guitarras esbanjando riffs fortes e solos melodiosos na linha PRIEST/MAIDEN, mas sem soar como cópia, baixo e bateria bem entrosados e firmes. A música que ouvimos, apesar de não ser nada novo, tem persona e vida, logo, é um prato cheio para os ouvidos ávidos por um bom trabalho.

Gravação limpinha e produção sonora em cima, a sonoridade que ouvimos não é pasteurizada ou tentar soar como os discos dos anos 80, mas flui de forma plena de vida e atualizada, logo, se preparem para ouvir algo que satisfaz até os mais exigentes.

E o nível das canções em si é homogêneo e acima da média, e nas quatro composições, a banda coloca bastante energia e melodia de sobra, pois em 'Another Tyrant', vemos uma canção muito bem feita, com bases e solos de guitarra mostrando técnica e sobriedade, ou seja, sem exagerarem demais; 'Heavy One' mostra a força do conjunto da banda em uma música empolgante, com boas variações de andamento e estruturas harmônicas muito boas, com vocais contrastando bem entre o melodioso e o gutural; 'The Seer' começa mais lentinha, introduzindo uma cacetada à lá o bom e velho MAIDEN de sua melhor fase, com um trabalho ótimo de baixo e bateria, vocais mais uma vez mostrando força, e a dupla de guitarras arrasando, como torna a fazer em 'Evildead', com belas cavalgadas, fazendo desta uma faixa bastante empolgante. E infelizmente o trabalho encerra aqui, deixando o gosto de 'quero mais' nos ouvintes, pois a banda é muito boa.

Boa revelação do Metal nacional, e ainda mais atrativo porque o trabalho foi disponibilizado para download gratuito neste link, mas façam um favor a si mesmos e curtam a página da banda no Facebook e vão aos shows deles.

E este Demo CD serve como aperitivo para um futuro CD, que esperamos avidamente.

The Seer

Tracklist:

01. Another Tyrant
02. Heavy One
03. The Seer 
04. Evil Dead


Formação:

Tiago Oliveira - Vocais
Rodrigo Souza - Guitarras e backing vocals
Jonathan Trindade - Guitarras
Maurílio Nespeca - Baixo e backing Vocals
Fábio Clemente - Bateria


Contatos: