21 de ago de 2013

Silêncio gritante do Metal brasileiro – Entrevista com HIBRIA


Por Marcos Garcia


O HIBRIA é uma banda que tem crescido bastante em termos de Brasil nos últimos tempos, mas o quinteto gaúcho é extremamente conhecido no exterior, especialmente no Japão. Prova disso é a permanência de ‘Silent Revenge’ por duas semanas no topo da parada do site japonês HMV, e a participação especial de Iuri Sanson, vocalista da banda, no show do LOUDNESS no último Live’n’Louder do Brasil. E tal reconhecimento culminou no convite à banda para se apresentar no próximo Rock in Rio, em setembro deste ano.

Aproveitando o ótimo momento, com o auxílio da Metal Media Management, fomos falar com o grupo e saber do momento atual e dos planos da banda.


Metal Samsara: Primeiramente, agradecemos de coração esse tempo de vocês que nos concederam, então, vamos nós: ‘Silent Revenge’, o último CD, está uma obra-prima, sendo aclamado por público e crítica. Como foi o processo de composição, já que vocês já contam com 3 discos antes dele? Sentiram alguma pressão durante o processo?

A gente é quem agradece o espaço e o apoio!

A gente costuma gravar nossas idéias e compartilhar por MP3 com toda a banda para ir desenvolvendo as músicas e ir sacando como elas soariam numa gravação final. A partir disso, a gente leva os sons para o estúdio e daí vem o “teste de fogo”: Se a música não nos empolgar ao vivo, não entra no CD! Esse é um critério básico que temos desde o nosso primeiro álbum, 'Defying the Rules'. O que a gente mais curte fazer é estar no palco curtindo o show com o público e para isso precisamos de músicas que realmente tenham a energia do ao vivo e nos façam viver esse momento tão especial que é tocar ao vivo como se fosse o último de nossas vidas.

É natural rolar certa pressão no processo de composição de um novo trabalho e quem faz é a gente mesmo. Nós somos nossos críticos mais exigentes. Para a gente, o lançamento de um CD tem que ser algo marcante. Algo que faça as pessoas saírem de suas casas para comprar o álbum e / ou ir ver a banda ao vivo. A gente nunca trabalhou com uma idéia que ouvimos muitas bandas comentarem que é o lance de ter várias músicas e daí escolher as mais legais pro CD. A gente sempre trabalha com um número X de projetos e tentamos tornar esses projetos em músicas que valham a pena ser gravadas e tocadas ao vivo.


Metal Samsara: O HIBRIA sempre foi uma banda que ficou meio que “oculta” em termos de Brasil, pois muita gente ouvia falar no nome, mas poucos de fato ouviam os discos. Acredita que este despertar do público brasileiro ao trabalho de vocês se deve à conquista de respeito no mercado externo? Em termos históricos, esta não seria a primeira vez que isso ocorre em nosso país...

Infelizmente, essa questão de ter reconhecimento antes no exterior para depois ter no país é uma realidade. Para muitos, isso pode ser uma novidade, mas o fato é que o HIBRIA é já faz algum tempo o nome mais forte do Metal brasileiro no Japão, que é um dos lugares mais importantes da música no mundo. Todo esse reconhecimento lá foi conquistado com muito trabalho. Lançamos 4 CDs que atingiram o primeiro lugar em vendas na maior cadeia de lojas deles lá, o HMV, e também lançamos um DVD em Tóquio, que também alcançou o primeiro lugar nessa mesma cadeia de lojas. Estamos indo para a nossa quinta turnê no Japão, lançamento do 'Silent Revenge', em cinco anos consecutivos, feito que nenhuma outra banda brasileira alcançou pelo que sabemos. Também tocamos duas vezes no maior festival de metal lá que é o Loud Park, dividindo um dos palcos principais com as maiores bandas de Metal do mundo como Judas Priest, Megadeth, Arch Enemy, Anthrax, Slayer, entre outros grandes nomes. Também fomos a primeira banda brasileira de Metal a tocar na China e estamos indo tocar lá pela segunda vez, além de já termos tocado duas vezes na Coréia do Sul, Taiwan, Hong Kong, Canadá de costa a costa e também termos feito uma tour underground na Europa antes mesmo de termos lançado nosso primeiro álbum. 

O fato é que o HIBRIA sempre trabalhou muito independente de ter reconhecimento no país ou não e agora felizmente conseguimos fechar uma parceria de assessoria de imprensa de sucesso que é Metal Media Management. A Débora e o Rodrigo têm feito um trabalho notável e creditamos a eles também nosso crescimento no Brasil. Como comentei, muita coisa já tinha sido feita pelo HIBRIA mas só agora grande parte do público brasileiro está conhecendo nosso trabalho.


Metal Samsara: Voltando ao ‘Silent Revenge’, a produção sonora está fantástica, permitam-nos elogiar. Mas ao mesmo tempo, chama a atenção o fato de vemos que há um “domínio” de vocês em cada aspecto, como ter o Renato (Osório, guitarrista da banda) na produção, o Benhur (Lima, baixista do grupo) na mixagem e na arte. Só mesmo a masterização que não é de um membro da banda. Isso foi algo espontâneo, ou realmente vocês preferem ter o controle total de tudo que envolve a concepção de um disco?

Muito obrigado! 

As duas coisas. Tudo isso foi acontecendo ao natural (O Renato produzir e o Benhur mixar e fazer a arte) e a gente realmente prefere ter o controle total de tudo. Cremos que dessa forma conseguimos extrair o máximo de cada processo, e de cada músico, e oferecer o nosso melhor em cada trabalho.

A gente vê como fundamental o lance dos músicos de uma banda desenvolverem outras habilidades além de compor e tocar. Isso que vemos hoje na banda é um processo de muitos anos de estudo e envolvimento com a música e nos sentimos muito seguros trabalhando dessa forma.


Metal Samsara: Outro ponto muito interessante de ‘Silent Revenge’ é a agressividade natural que flui das músicas, que é algo um pouco estranho para bandas de Power Metal, que sempre dão preferência à produções extremamente limpas. Não que este aspecto não façam parte do disco, mas como conseguiram chegar a este equilíbrio, isso é, mixar produção limpa + técnica + agressividade? E isso seria devido à aglutinação de novas influências ao trabalho de vocês?

O HIBRIA não se considera uma banda de Power Metal por mais que esse estilo tenha uma contribuição forte no nosso som no que diz respeito à velocidade. Achamos que a coisa vai muito além da sonoridade. Música é atitude e não vemos isso em muitas bandas desse estilo. A gente se identifica muito mais com bandas de Thrash e Heavy tradicional, mas nunca limitamos, nem limitaremos o nosso som a qualquer estilo. A gente se sente com total autonomia para compor o que a gente quiser e creio que isso seja um grande diferencial no nosso som.

A gente chegou a esse equilíbrio com muito trabalho e perseverança. A gente sempre planeja o que vamos fazer nos mínimos detalhes e estudamos muito, não só nossos instrumentos, mas tudo o que envolve a música em geral para conseguirmos o resultado que almejamos.

A aglutinação de novas influências no HIBRIA é uma coisa bem natural para a gente. Como disse, não nos limitamos a nenhum estilo.


Metal Samsara: Há uma música que, apesar de não destoar do conceito do disco como um todo, é bem acessível, que é “Shall I Keep on Burning”. Seria ela uma das ditas “faixas de trabalho” do grupo, ou seja, aquela que pode virar um Single para a divulgação em rádios, visando atingir um público maior? Inclusive a letra parece lidar com o sentimento de perda, seria isso?

A 'Shall I Keep on Burning' não foi concebida para ser um Single, mas a gente entende essa associação por ser uma música mais cadenciada, “acessível”, como tu mencionou.

Sim, seria isso. As letras do 'Silent Revenge' foram inspiradas num filme espetacular chamado “O Segredo dos seus Olhos”, e “perda” certamente é um dos temas do filme e das letras. A ideia básica é: Algo terrível aconteceu e temos que nos posicionar em relação ao que fazer. Seguimos em frente ou continuamos sofrendo ('Shall I Keep on Burning' – numa tradução bem livre).


Metal Samsara: Os primeiros vídeos do CD são justamente para “Silent Will Make you Suffer” e “Silent Revenge” (nesta ordem, respectivamente). A ordem tem algo de estratégico em termos de marketing, ou realmente foi apenas uma coincidência, já que a primeira é uma faixa bem ganchuda, do tipo que gravamos facilmente nas primeiras ouvidas, e a segunda é mais bruta e agressiva? 

No primeiro clipe, 'Silence Will Make You Suffer', queríamos passar um pouco da história da música e do álbum e por isso convidamos dois atores. Também tem o fato de ela ter um dos refrões mais fortes do álbum, o que também contribuiu significativamente para a sua escolha.

Por outro lado, também queríamos mostrar que o novo álbum era bruto e agressivo, como tu bem observou, e cremos que a escolha de 'Silent Revenge' se encaixou bem nessa proposta, além de ter uma sonoridade bastante peculiar a nosso ver.


Metal Samsara: Uma curiosidade: o título “Silent Revenge” seria uma resposta à frieza com que muitos encaravam a banda até os dias de hoje? Sim, uma vez que o HIBRIA começou a ter mais respeito em nosso país após o sucesso lá fora? E se for, verdade seja dita: é uma vingança saborosa para vocês e quem já os conhecia, pois todos ganharam com isso...

A escolha do nome tem a ver com o filme “O Segredo dos seus Olhos”, que foi a fonte de inspiração para a gente escrever as letras e também trabalhar a parte visual.

De qualquer forma, a gente fica muito feliz em saber que todos ganharam com o novo álbum do HIBRIA. Trabalhamos muito para que ele fosse um marco na nossa carreira.


Metal Samsara: “Silent Revenge” da a impressão que é um divisor de águas na carreira de vocês e até mesmo na música da banda, então, como comparam ele aos trabalhos anteriores, e o que esperam de sua música mais para frente?

A gente considera 'Silent Revenge' um divisor de águas na carreira da banda e também o nosso melhor álbum até então, mas temos muito orgulho de todos nossos trabalhos. Cada um deles teve um papel fundamental no crescimento da banda e no desenvolvimento da nossa sonoridade. Os dois primeiros, 'Defying the Rules' e 'The Skull Collectors', respectivamente, foram álbuns que abriram as portas para a gente no Japão, principalmente o DTR. Com o 'Blind Ride', terceiro álbum da banda, mostramos uma mudança forte no som do HIBRIA, tendência mais desenvolvida no 'Silent Revenge', e gravamos um DVD em Tóquio.

Em uma palavra: PESO! Muito peso! O HIBRIA vai pesar cada vez mais o som para quebrarmos os pescoços de tanto bater cabeça ao vivo!


Metal Samsara: Como vocês se sentiram ao ver que o Iuri foi convidado para aquela participação especial no show do LOUDNESS no Live’n’Louder em Abril? Aliás, nos conte como surgiu esta amizade com o quarteto japonês, por favor.

A gente se sentiu muito lisonjeados com o convite para o Iuri! O LOUDNESS é uma grande banda e o nome mais forte e conhecido do Metal japonês no mundo.

Essa amizade vem desde nossa primeira tour no Japão, em 2009. Nos conhecemos e desde então matemos contato com os caras. Eles também são fãs do HIBRIA e ficamos muito felizes com o apoio deles no Japão.


Metal Samsara: O HIBRIA foi convidado a tocar no próximo Rock in Rio, justamente no dia 19 de setembro, em que se apresentarão METALLICA, ALICE IN CHAINS, GHOST B.C., SEPULTURA, SEBASTIAN BACH e BULLET FOR MY VALENTINE. Como se sentem sendo convidados para um evento desse porte em seu próprio país? E acreditem: este autor acredita que vão dar um banho na maioria dos grandes nomes da noite, hehehehehe...

É a consagração de uma carreira! A gente tem muita noção do tamanho dessa oportunidade e estamos ensaiando MUITO forte para o Rock in Rio já faz um bom tempo, assim como para nossa quinta tour no Japão agora em setembro. 

Obrigado pelo apoio! Uma coisa todos podem ter certeza: O HIBRIA vai dar o sangue no palco para fazer com que esse dia seja um dia memorável não só para a gente mas também para todos que assistirem nosso show seja ao vivo, na TV, ou no youtube.


Metal Samsara: Desde que a banda começou a ter a Metal Media Management divulgando o trabalho de vocês por aqui, o nome do HIBRIA foi parar nas alturas. Acreditam que o trabalho deles com vocês está por trás de tanta repercussão? E como se sentem em relação ao trabalho deles por aqui?

Com certeza! Como comentei em outra resposta, o HIBRIA e a Metal Media Management fazem uma parceria de grande sucesso! 

É fundamental uma banda ter uma assessoria competente para a divulgação do seu trabalho e estamos muito felizes com o trabalho da Débora e do Rodrigo. Eles trabalham sério, com responsabilidade e estão sempre interessados a ajudar a banda a crescer.


Metal Samsara: Agradecemos de coração pela gentileza, e deixamos o espaço para suas considerações e mensagem aos seus fãs.

A gente gostaria de agradecer pela oportunidade e parabenizar pelas ótimas perguntas!

O que o HIBRIA mais curte fazer é tocar ao vivo! Então, ajudem a gente divulgando nosso som e fazendo com que produtores levem a banda para tocar ao vivo na sua cidade. Basta mandar um e-mail para hibria@hibria.com que teremos o maior prazer de tocar na sua cidade!

Também fica o convite para visitarem o nosso site, facebook, e conhecerem um pouco mais do trabalho da banda.

Um forte abraço a todos!