2 de nov de 2015

EMPIRE OF SOULS - Si Vis Pacem, Para Bellum (EP): Retomando seu lugar com dignidade.

2015
Nota 8,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


A produção em termos de Metal extremo no Brasil vai muito bem, obrigado. E é estranho que, em uma época de crise (tanto no aspecto financeiro quanto na indústria fonográfica), muitos trabalhos bons sejam lançados. Ao que parece, o Metal brasileiro cresce em momentos de adversidade. E é ótimo ver uma banda como o lendário quinteto EMPIRE OF SOULS, vindo de Santos (SP), chegar com seu novo trabalho, o EP "Si Vis Pacem, Para Bellum". E sim, ele marca a volta da banda, que parou entre 2009 e 2014. E já chegaram pondo a porta da casa abaixo.

Veteranos com mais de 20 anos de luta no cenário, o quinteto é adepto de um Black Metal mais próximo ao que era feito no Brasil na segunda metade da década de 90, embora já se sintam influências não tão ortodoxas em sua música. Algumas melodias soturnas adornam o trabalho do grupo, e podem ser ouvidas claramente nos solos de guitarras e em alguns riffs. Mas ao mesmo tempo, o trabalho deles não deixa de ser bruto e opressivo, recheado de vocais rasgados (e alguns guturais), e uma cozinha rítmica muito boa. Ou seja: sem abrir mão de suas raízes, é uma banda que olha para o futuro de cabeça erguida.

Em termos de qualidade sonora, os fãs mais xiitas de Black Metal não terão do que reclamar, pois a sonoridade do grupo é áspera, mas sem deixar de soar com certa clareza, necessária para a compreensão do que o quinteto está fazendo. E a arte da capa é uma declaração do que a banda tem em suas letras.

Arranjos bem feitos sem serem por demais polidos, com a boa qualidade individual de cada músico se aliando mutuamente para criar um trabalho musical de bom gosto. E é bom lembra que o nome do EP, em latim, significa "Se deseja a paz, prepare-se para a guerra" atribuída ao autor Flávio Vegécio.


Empire of Souls

Temos duas músicas neste EP:

To Become Maker - com o andamento em velocidade mediana (apesar da velocidade inicial imprimida pelos bumbos), boas mudanças de ritmo e um belíssimo trabalho dos vocais, aliados à baixo e bateria muito bem postados, com bom nível técnico.

Lycanthropic Duality - Mais soturna e climática que a anterior, também mostra uma diversidade interessante de andamentos, mas com as guitarras roubando a cena em vários momentos devido aos bons riffs e solos mais caprichados.

Além delas, o EP ainda tem de bônus o vídeo oficial para a faixa "To Become Maker", todo feito com cenas ao vivo.

Um lançamento digno, uma ótima volta, e esperamos que a banda retorne em breve com mais um álbum, pois já fazem 11 anos desde que lançaram "Revenge Circle". E "Si Vis Pacem, Para Bellum" mostra que o EMPIRE OF SOULS ainda está cheio de gá e que tem muita lenha para queimar.



Músicas:

1. To Become Maker 
2. Lycanthropic Duality 


Banda:

Mário César - Vocais
Cléber Juca - Guitarras
André Henrique - Guitarras 
Christian Bacci - Baixo 
Paulo Ferramenta - Bateria


Contatos: