11 de jan de 2016

11/01: DUST COMMANDO, GODZORDER, STONERIA



DUST COMMANDO: sendo grande destaque na opinião dos portais O SubSolo e Roadie Metal


Surgindo como uma das grandes promessas do Heavy Metal nacional, o DUST COMMANDO aos poucos vai conseguindo seu espaço, e mostrando que não é apenas uma promessa, mas sim uma realidade.

Recentemente o portal O SubSolo mencionou o DUST COMMANDO e seu Debut “Chaos Live In Fur” como um dos destaques de 2015, além de mencionar os gaúchos como uma das grandes expectativas para este ano quando irão lançar seu próximo material, o EP “Between Chaos and Grace”.

Leia a matéria completa no link a seguir:


Já o site Roadie Metal citou o DUST COMMANDO na sessão “O Rock Brasileiro Não Morreu”, onde a banda figura com o videoclipe de “Nero”, confira um trecho do que foi citado sobre a banda:

“Sempre podemos esperar bons frutos do Rock Gaúcho, esses são o Dust Commando, a música do Clipe em questão é uma das minhas favoritas Nero – assim como o restante do EP – é uma música que pode se tornar um hino...”

Acesse o link e leia a matéria na integra:



Links Relacionados:




GODZORDER: entrevista para o Jornal de Jundiaí!


E o cometa GODZORDER chega aos jornais! É isso mesmo, pós um “boom” na cena nacional com o lançamento do aclamado EP “Obey” os paulistas concederam uma entrevista ao Jornal local da cidade de Jundiaí, onde Rafael Barba (baixista/vocalista) fala da ótima repercussão de “Obey”, do começo da carreira e do início das composições para o Debut álbum.


Leia a entrevista no link a seguir:


Aproveite e ouça um dos melhores EP’s de 2015 agora mesmo e sinta o poder do GODZORDER e seu “Obey”:



Links Relacionados:




STONERIA: primeiro show de 2016 acontece no famoso Café Aurora


Para iniciar 2016 com tudo o STONERIA já está retornando aos palcos, onde iniciarão sua nova jornada de shows no famoso Café Aurora em São Paulo no dia 22/01 (sexta-feira).

O evento terá início as 1h30min da madrugada, com a casa abrindo as 23h. Os ingressos estão disponíveis a partir de R$20,00. Para maiores informações acesse o evento:



Enquanto o show não chega confira o poder do STONERIA:



Links Relacionados:



GOLPE DE ESTADO: banda retorna com nova formação e turnê comemorativa de 30 anos




Uma das bandas mais tradicionais do Rock nacional está de volta com nova formação, e o melhor; com novo gás para cair na estrada e dar continuidade a sua rica história, iniciada em São Paulo, no ano de 1985, com Catalau (vocal), Hélcio Aguirra (guitarra, R.I.P.), Nelson Brito (baixo) e Paulo Zinner (bateria).

Dessa formação, segue firme e forte o baixista Nelson, além de Rogério Fernandes (que já havia sido vocal da banda no passado, atual Carro Bomba), Marcello Schevano (guitarra, Carro Bomba) e o baterista Roby Pontes (que já estava na banda, em seu último disco, “Direto Do Fronte”, de 2012).

Em 2016 o GOLPE DE ESTADO fará shows por todo o Brasil, com uma turnê comemorativa, especial de 30 anos, que será iniciada em Fevereiro.

O repertório desses shows será recheado de clássicos – e podem contar com aparições de outros ex-integrantes, e convidados especiais.

A turnê será empresariada pela TC7 Produções. Interessados em levar o show do Golpe de Estado para suas cidades devem entrar em contato em tc7producoes@gmail.com


Fonte: Lanciare Comunicação & Entretenimento 
A/C ​Luciano Piantonni (director)

DISTRAUGHT - Locked Forever


ALBUM: Locked Forever
Directed by Kiko Prata
Produced by Prata Films


DESDOMINUS - Certo e Convicto




Desdominus - Certo e Convicto
Album: Uncreation, 2015
Produced by: Last Mosh



RONALDO E OS IMPEDIDOS: show em Itanhaém neste final de semana





“Ronaldo Giovanelli e banda se apresentam no ‘Blue Brother Music Bar’ em Itanhaém/SP, no dia 16/01, sábado”

O comentarista da Band e da rádio Transamérica, o ex-goleiro do Corinthians Ronaldo Giovanelli, se apresenta nessa quarta, 16/01, em Itanhaém, com sua banda, RONALDO E OS IMPEDIDOS, mostrando que também é afiado no bom e velho rock’n’roll, Blue Brother Music Bar (Av. Condessa de Vimieros, 11, Centro, Itanhaém/SP). Será a primeira vez de Ronaldo e banda na cidade.

Ronaldo gravou um vídeo onde convida todos para o show: (assista o vídeo aqui:)


Acompanhe a página do evento no Facebook:



RONALDO E OS IMPEDIDOS mostram além de clássicos do rock, músicas de seu novo EP, que será composto de canções inéditas e regravações – e está previsto para ser lançado até o fim do ano. Sem contar as já tradicionais versões de bandas como Creedence Clearwater Revival, Elvis Presley (o ídolo de Ronaldo!), entre outras.

Com uma agenda de shows apertada, RONALDO E OS IMPEDIDOS tem lotado os locais por onde passa, mostrando que sua volta para aos palcos, é mais do que acertada.

Curta a página do RONALDO E OS IMPEDIDOS no Facebook:



Contato/Shows: (11) 99653-9014 (WhatsApp)



Serviço:

Ronaldo e os Impedidos pela primeira vez em Itanhaém!
Dia 16/01 – Sábado
Horário: 22h
Local: Blue Brother Music Bar (Av. Condessa de Vimieros, 11, Centro, Itanhaém/SP)

Ingressos: R$35,00 (os 50 primeiros ganham o CD da banda!!!!)


A/C ​Luciano Piantonni (Director)

Gloria e Reffer confirmam show gratuito em Osasco




Bandas encerram o “2º CONCURSO DE BANDAS” da cidade – fotos: Luringa | divulgação

Devido ao sucesso da primeira edição do “CONCURSO DE BANDAS”, que tem como prêmio a participação no OSASCO ROCK FEST, a Prefeitura Municipal manteve a ideia do evento justamente para que as bandas independentes da cidade, região metropolitana de São Paulo e até de outros Estados, voltem a ter a oportunidade de mostrar seu potencial e talento.

O “2º CONCURSO DE BANDAS” acontece, nos dias 23 e 24 de janeiro, no Centro de Eventos Pedro Bortolosso. Enquanto os jurados decidem qual grupo realizou a melhor performance, o público contará com a apresentação das bandas Gloria e No Way na primeira seletiva e, Reffer e SubEclipse no dia seguinte. A entrada será gratuita.

Os grupos interessados em participar do “2º CONCURSO DE BANDAS” tem até 15 de janeiro para preencher obrigatoriamente todos os dados e ler devidamente o regulamento disponível no site www.osascorockfest2016.com.br.

As bandas participantes deverão interpretar duas músicas: um cover para aquecimento e passagem de som, e outra de autoria própria para julgamento. Cinco jurados ligados à área musical selecionarão 20 bandas, que serão divididas em dois grupos de 10. 

No total, apenas quatro grupos serão classificados como vencedores. Os selecionados sairão de ambas as seletivas, um artista escolhido pela internet e outro com o maior número de votos em ambos os dias de concurso. 

O prêmio será a oportunidade de tocar no OSASCO ROCK FEST II, que será realizado no dia 28 de fevereiro, a partir das 10h, na Concha Acústica da Fito. Até então, o NX Zero é uma das atrações principais do evento. Com realização da Prefeitura Municipal de Osasco, produção da Amplitude Produtora & Studio e apoio Mix FM, a entrada será apenas 1 litro de leite.

A 1ª edição do OSASCO ROCK FEST ocorreu em setembro de 2013, no Estádio Elzo Piteri. Cerca de 15 mil pessoas curtiram aos shows das bandas Velhas Virgens, Troll, Krisiun, Matanza, Infestatio, No Way, Stoneria, Suíte de Luxo, Euphúria e Etnias. Além disso, o evento teve importante papel social ao arrecadar mais de 7,5 toneladas de alimento não-perecíveis para o Fundo Social de Solidariedade. 


Links relacionados:

Serviço Concurso de Bandas – OSASCO ROCK FEST II


Data: 23 de janeiro – Gloria e No Way
Data: 24 de janeiro – Reffer e SubEclipse
Local: Centro de Eventos Pedro Bortolosso
End: Avenida Visconde de Nova Granada, 513 - Jardim Alvorada, 06194-025
Hora: a partir das 15h
Entrada Gratuita
Imprensa: press@theultimatemusic.com | (11) 964.197.206

Serviço OSASCO ROCK FEST II
Prefeitura Municipal de Osasco orgulhosamente apresenta OSASCO ROCK FEST II
Produção: Amplitude Produtora & Studio
Apoio: Mix FM
Bandas: NX Zero, Marrones + bandas
Data: Domingo, 28 de fevereiro
Local: Concha Acústica da Fito
End: Rua das Flores, 711
Hora: das 10h às 22h
Imprensa: press@theultimatemusic.com | (11) 964.197.206
Entrada: 1 litro de leite
Censura: Menores de 16 anos poderão entrar acompanhado pelos pais ou dos responsáveis legais maiores de idade* | *Sujeito a alteração judicial.


A/C Costábile Salzano Jr.

HEAVIEST: música ‘Nowhere’ em destaque no game Guitar Flash e na RedeTV!






2016 mal começou e a HEAVIEST colhe os frutos do álbum de estreia “Nowhere”. Recentemente, o videoclipe da música “Nowhere” foi apresentado no programa Leitura Dinâmica da RedeTV! ao lado de algumas bandas brasileiras como Semblant, John Wayne e Project46. Segundo o Leitura Dinâmica, a HEAVIEST foi um dos grandes destaques de 2015 e será uma das promessas para 2016 no cenário nacional do Heavy Metal. Confira o vídeo do programa Leitura Dinâmica pelo link http://www.redetv.uol.com.br/jornalismo/leituradinamica/videos/musica/saiba-quem-podera-se-destacar-no-cenario-musical-em-2016.

Outra grande conquista foi que o famoso jogo ‘Guitar Flash’ convidou a HEAVIEST e a banda cedeu a música “Nowhere” para os usuários do game jogarem e brincarem no simulador de guitarra. O Guitar Flash é um jogo de simulação onde o objetivo do jogador é tocar a guitarra da música que está sendo reproduzida, para isso basta acertar as notas que surgem na pista. O jogo está disponível para as plataformas desktop e mobile. O jogo é exatamente o mesmo, mas cada local possui sua própria base de usuários. Várias bandas de todos os gêneros do Rock e Metal fazem parte do Guitar Flash tal como Metallica, Iron Maiden, Dragonforce, Angra, entre outros.

Para jogar:


O game possui 2 modos de jogo, que são Apenas Tocar e Tocar e Palhetar. Para cada um destes estilos, existem quatro diferentes níveis de dificuldade, o Fácil, Médio, Difícil e Expert. Para vencer no jogo você não pode errar muito, ou irá ver uma maldosa tela informando que você falhou! Quanto maior o número de acertos mais pontos você fará. Acertos em sequencia rendem uma pontuação melhor e é possível melhorar ainda mais acertando sequencias de notas em forma de estrela. Elas permitem que você utilize o especial e dessa forma obtenha pontos dobrados durante o período que o especial estiver ativado.

O fã da HEAVIEST, Raphael, já jogou no ‘Guitar Flash’ e filmou a experiência. Veja no link:



HEAVIST – line-up:

Mario Pastore (vocal)
Guto Mantesso (guitarra)
Marcio Eidt (guitarra)
Renato Dias (baixo)
Vito Montanaro (bateria)

Informações:

BRING ME THE HORIZON: últimos ingressos para show em SP à venda



Show faz parte da turnê promocional do elogiado novo álbum “That’s Spirit pela América Latina – foto: divulgação


Restam poucos ingressos à venda para a apresentação do BRING ME THE HORIZON, em São Paulo. O show confirmado para o próximo dia 5 de março, no Carioca Club, marca o retorno da “melhor banda britânica de 2015” (Kerrang!), cinco anos após brilhante estreia no Brasil.

É justamente devido a grande repercussão desta performance, que os fãs resolveram não deixar para a última hora e logo garantiram presença para esta tão aguardada nova exibição de Oliver Sykes (vocal), Lee Malia (guitarra), Matt Kean (baixo), Matthew Nicholls (bateria) e Jordan Fish (sintetizador/teclado) na capital paulista.

A Liberation Tour Booking, produtora responsável pelo evento, informa que estão praticamente esgotadas as entradas de pista e camarote disponíveis no site Clube do Ingresso e nos devidos pontos autorizados. Existe a possibilidade de que todos os tickets sejam vendidos ainda nas próximas horas. No Rio de Janeiro, a procura também é grande. Mais informações no serviço abaixo.

Este show faz parte da turnê promocional do novo álbum “That’s Spirit” pelo Mundo. Este trabalho recebeu excelentes notas, conquistou o topo dos principais charts da América do Norte, Reino Unido e Oceania, além de manter a porta dos grandes festivais aberta.

Até o momento, a América Latina será comtemplada com as seguintes datas:

01/03 – Teatro Cariola – Santiago, Chile
05/03 – Carioca Club – São Paulo, Brasil
06/03 – Circo Voador – Rio de Janeiro, Brasil
08/03 – Groove – Buenos Aires, Argentina
11/03 – Pepsi Center WTC – Cidade do México, México
12/03 – Escena – Monterrey, México
13/03 – Teatro Estudio Cavaret – Guadalajara, México

Com apenas 12 anos de carreira e milhões de álbuns vendidos, o BMTH é um dos nomes mais expressivos do novo rock/metal mundial. Formado na bela Sheffield, em pouco tempo, o grupo conquistou uma legião de fãs mesmo após deixar a sonoridade mais pesada do metalcore e apostar em um lado mais alternativo, sendo comparado a Muse, Linkin Park e 30 Seconds to Mars. A banda ficou mundialmente famosa quando o single “Drown” chegou a 1ª posição na lista de mais vendidos do iTunes em 2014.

Links relacionados:


Serviço São Paulo

Liberation Tour Booking orgulhosamente reapresenta Bring Me The Horizon
Data: 5 de março – sábado
Local: Carioca Club
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 (próximo ao Metrô Faria Lima)
Infoline: (11) 3813.8598
Informações gerais: info@liberationmc.com
Classificação: 14 anos


Ingressos (3 º lote):
Pista: R$200 (meia entrada/estudante e promocional para não estudantes*)
Camarote: R$300 (meia entrada/estudante e promocional para não estudantes*)
Inteira: R$400
*Doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada).

Pontos de Venda: Galeria do Rock - Loja 255 (11) 3361.6951 e bilheteria do Carioca Club


Serviço Rio de Janeiro

Liberation Tour Booking e Circo Voador orgulhosamente reapresentam Bring Me The Horizon
Data: 6 de março – domingo
Local: Circo Voador
End: Rua dos Arcos S/N, Lapa
Informações gerais: www.circovoador.com.br
Classificação: 14 anos

Ingressos (2 º lote):
Pista: R$180 (meia entrada/estudante e promocional para não estudantes*)
Inteira: R$360
*Doe um kilo de alimento na entrada da casa no dia do evento e pague meia entrada).

Ponto de Venda: bilheteria do Circo Voador


A/C Costábile Salzano Jr.

SEMBLANT: destaque nacional em 2015-16




A banda curitibana SEMBLANT ganha destaque em 2015 na Amazon MP3 e é indicada como grande promessa para 2016 na Rede TV!

O ano mal começou e a banda SEMBLANT ainda colhe frutos de seu trabalho em 2015, e recebe indicação de destaque para 2016. 

Enquanto a banda ganha destaque há 3 semanas no primeiro lugar do site da Amazon MP3 no segmento "Goth/Industrial", na frente de bandas como KMFDM e The Birthday Massacre. Já no site Leitura Dinâmica da Rede TV!, a banda ganhou destaque com um das promessas para 2016. Confira o vídeo do programa Leitura Dinâmica pelo link: http://goo.gl/cNTunn


Ainda falando de 2015, o segundo vídeo da banda Semblant também ganhou grande destaque no ano passado pela sua qualidade de produção e execução. Retirado do excelente álbum da banda “Lunar Manifesto”, a faixa “Dark of the Day” foi lançada no dia 16 de Novembro e já alcançou mais de 170.000 views. O vídeo pode ser conferido no link: 


Estamos há 3 semanas no primeiro lugar do segmento "Goth/Industrial", na frente de bandas como KMFDM e The Birthday Massacre e chegamos a atingir o NR 35 do chart geral de Hard Rock/Heavy Metal em vendas digitais


Fonte: X-PressON!
Assessoria de Imprensa 
A/C André Smirnoff

LEMMY KILMISTER: artistas da Heavy And Hell Press homenageando este grande ícone




A morte de Lemmy Kilmister foi algo que todos já esperavam, mas é inevitável a surpresa de tal anuncio, pois estava sendo difícil acreditar que alguém tão representativo para o Rock/Heavy Metal teria partido para outro plano.

A Heavy And Hell Press junto aos artistas de seu cast resolveram prestar uma singela homenagem, onde cada músico/banda expressou a importância de Lemmy e seu Motörhead em suas vidas, confira:

Raoni Joseph (DISLEXIA): “A primeira vez que eu ouvi 'Ace Of Spades' foi zapeando nos canais e de repente vi alguém com um chapéu de cowboy, 'guitarra' de 4 cordas e uma voz rouca cantando um estilo bem rápido e pesado. O canal em questão era a MTV. Curti de primeira aquele som. Nunca fui um grande Motörhead, mas tinha um sonho de assisti-los ao vivo algum dia. Esse sonho quase se realizou no Monsters Of Rock 2015 em São Paulo, se ele não tivesse ficado doente no dia... Infelizmente nunca mais terei essa chance de ver um show do Motörhead e ouvir 'Overkill', 'R.A.M.O.N.E.S', 'Going To Brazil' e, claro, um hino absoluto do Rock 'n Roll, 'Ace Of Spades'. Espero que ele esteja curtindo muito sua nova vida em outro plano, pois na Terra ele aproveitou bastante, como um verdadeiro Rockstar.”

Emerson Pereira (EMBRIO): “Conheci Motörhead em 91 por intermédio do Sepultura. De lá para me tornei fã da banda com vocal e postura inconfundível de Lemmy. Infelizmente ele se foi, mas deixou grande legado... Que contempla vida e obra de sua maravilhosa carreira.”

Everson Krentz (SACRARIO): “Uma grande perda, e pensar que tantos outros podiam morrer e não morrem como políticos, Regina Casé e tantos outros...”

CHAOTIC SYSTEM: “Muitos somos aqueles que cresceram influenciados pela voz embriagada e contagiante de Lemmy. Não só pela voz, mas por sua irreverente postura também questionada por alguns indivíduos. Não estamos falando apenas de Motörhead, estamos falando de Ian Kilmister, que muito antes disso, já participava de todo o processo evolutivo da música, em um amplo contexto. Não há, portanto, forma de não sentir essa perda, mas honraremos toda a genialidade de quem como muitos temiam, foi finalmente assassinado pela morte. Eternamente gratos.”

Tormento (BRUTAL MORTICÍNIO): “O mundo do metal lamenta a perda Lemmy Kilmister. Lamentamos por ele representar não apenas a alma do de uma das maiores bandas de metal, mas também por tudo que ele significou para o meio. Embora cercado por futilidades que rondam a música internacional, Lemmy se apresentava com humildade e simplicidade, o que deveria inspirar muitos artistas do underground, que agem com arrogância e nunca chegarão ao nível de genialidade de Kilmister. Tomou muito trago, compôs muitos álbuns e viveu com intensidade. Embora não fosse um instrumentista virtuoso entra sem dúvida para a galeria dos grandes gênios musicais.”

Thiago Rabuske (DUST COMMANDO): “Lemmy foi, na minha formação musical, o que Nietzche foi para minha formação intelectual - algo como um guru. Enquanto outras bandas mais celebradas do rock (principalmente a preferida dos rockeiros de ocasião, o AC/DC) primavam por simplesmente contar causos de suas bebedeiras e experiências com drogas e farras com mulheres Lemmy sempre foi um letrista sério, com claras intenções e um cuidado com sua obra que é característico dos grandes gênios. Além disso, era amigo de todas as lendas e jovens lendas que o reverenciaram como deveriam - Deus Lemmy. Meu primeiro contato com ele foi com o disco “Sacrifice”, que comprei aos 14 anos e me fascinou desde a primeira audição - tanto que aos 15 eu já possuía mais da metade da discografia desta que para mim é a banda mais importante do metal! Afinal, não sei se teríamos o thrash metal como o conhecemos sem eles, e sem isso a cena que bateu de frente com o hard rock farofa nos anos 80 poderia não ter tido a mesma força. Assisti a 2 shows deles e por isso me sinto honrado! Na minha opinião, a pior notícia do mundo da música em muito tempo foi a morte desse ícone.”

Marcus Iahn (MACACOS ME MORDAM): “Lemmy Kilmister para mim sempre será a personificação da insanidade mais consciente da história do rock. Ele realmente viveu sua própria essência.”

Rafael Barba (GODZORDER): “O trecho da letra da música “Ace Of Spades” que diz “...I don't want to live forever” só se aplicará a Lemmy organicamente falando, pois seu nome, sua música, seu estilo e seu legado serão sempre eternos pilares estruturais do rock e do heavy metal.”

WAEL DAOU: “Um dos maiores nomes do som pesado, que influenciou gerações e estilos. Lemmy pode ser considerado o homem Rock N’ Roll, pois viveu cada segundo intensamente sem olhar para trás.”

STONERIA: “Lemmy foi o maior “anti-coxinha” do Rock. Pregou aquilo que é o Rock de verdade: alegria, diversão, sexo, drogas e claro, Rock and Roll. Ele fez tudo aquilo que hoje o Rock “não pode faze”, e mandou um foda-se para o politicamente correto. Este além da música, é o maior legado que ele deixou para nós.”

Renato Sanson (Manager HEAVY AND HELL PRESS): “O verdadeiro “Rei do Rock”, a lenda que vivia como queria e bem entendia, além de fazer o som que lhe agradava e que acabou mexendo e influenciando multidões. Esse foi Lemmy Kilmister e seu Motörhead, a verdadeira essência do som pesado.”


Mais um adeus à boa música: David Bowie nos deixou


E nem ao menos tivemos tempo de nos recompor, e 2016 já tem sua primeira grande perda: no dia 10/01, a Luz de DAVID BOWIE se apagou, após 18 meses lutando contra um câncer.

Um músico adiante de seu tempo, David é um dos criadores do Glam Rock, e um dos influenciadores de várias vertentes do Rock, como o Punk e o Gótico, bem como fez muitas incursões no Pop, no Blues e tantos outros gêneros.


Mas ao mesmo tempo, David nos concedeu obras e mais obras, sempre indo adiante de seu tempo, sempre ousado e criativo.

Nos resta apenas agradecer a possibilidade de termos vivido na época em que este Monstro da música esteve aqui, e pelo imenso legado musical/artístico que ele nos deixou.

Obrigado, DAVID BOWIE, e Rock in Peace...

JACKDEVIL: os Cangaceiros do Thrash Metal voltam à carga



Por Marcos "Big Daddy" Garcia


São Luis do Maranhão tem uma triste marca para o Metal, que é o festival Metal Open Air de 2012, que entristeceu todos os headbangers brasileiros do Brasil. Mas incrivelmente, como se uma maneira da natureza reequilibrar tudo, uma leva de novas bandas anda surgindo naquelas paragens, e causando um forte barulho no underground nacional.

E um dos nomes mais promissores de lá é o quarteto de Thrash/Heavy Metal JACKDEVIL, que anda caminhando com passos firmes na cena nacional, correndo o país com shows e lançando ótimos trabalhos. E seguindo um caminho oposto à maioria, a banda lança "Evil Strikes Again", seu novo álbum, pouco mais de um ano depois de "Unholy Sacrifice".

Aproveitando a deixa, lá fui bater um papo com eles, e saber um pouco sobre tudo relacionado à banda desde "Unholy Sacrifice" até o momento, e dos planos futuros do quarteto.


BD: Antes de tudo, muito obrigado por nos concederem esta entrevista. Vamos lá, então: nesses tempos em que as bandas de Metal andam apelando muito para músicos contratados ou possuem inúmeras mudanças de formação, como o JACKDEVIL consegue esta proeza de ficarem 5 anos com a mesma formação lá do início? Sério, quando parei para pensar nisso, quase que deu bug aqui (risos)...

R. Speedwolf: Nós que agradecemos o carinho e o espaço, Big Daddy, deixamos de pronto nossa admiração pela sua figura, obrigado mesmo pela atenção dada ao nosso trampo. Pois bem mano, esse ponto que você levantou quase não é explorado, porém é recorrente no cotidiano da cena do Heavy Metal. Eu tenho uma visão um tanto dura acerca disso, acredito que o Metal nacional não necessita de pseudo-músicos, e sim de guerreiros, ou melhor, guerrilheiros, já que manter uma banda, loja, zine, produtora é, antes de tudo, uma prova de resistência. Acredito que o grande culpado por criar essa visão romântica da figura do músico foi o ANGRA que criou um exército de autointitulados músicos que nada fazem além de se promoverem individualmente através deste circo de técnicas estéreis e carreiras forçadas a todo custo encima de polêmicas e ego. O JACKDEVIL sempre procurou andar na contramão disso tudo, aqui existe o grupo e o individual só serve se estiver a serviço do todo. Não queremos carreira solo, vender DVD de técnica ou sermos contratados por ninguém. Nós só existimos enquanto integrantes do JACKDEVIL. Talvez esse seja o segredo da longevidade de nossa formação e qualidade da relação interna da banda.


André Nadler (guitarras/vocais)
BD: Bem, "Unholy Sacrifice" já saiu há um ano e meio, mais ou menos. Como foi a recepção do disco? E como a banda foi recebida por público, dentro e fora do Brasil? 

RS: Nós temos muito orgulho deste disco. O "Unholy Sacrifice" foi a verdadeira realização de um sonho de gravar um álbum completo. Ele representou a nossa afirmação como banda já que até então tínhamos gravado apenas uma demo ("Under The Satan Command" - 2012) e um EP ("Faster Than Evil" - 2013). Esse álbum também contou com o início da nossa parceria com a Urubuz Records e o balanço que eu posso fazer disso tudo é o melhor possível. Achávamos que era hora de lançar um álbum completo e o "Unholy Sacrifice" se encaixou perfeitamente com nossos objetivos. Sem contar com as boas histórias e lembranças que todos nós guardamos daquelemomento, foi uma fase que significou muito pra todos da banda.

BD: Por falar nisso, "Evil Strikes Again" veio pouco depois de um ano de lançamento de "Unholy Sacrifice". E isso é algo que quase não se vê mais nos dias de hoje, uma banda lançando discos todos os anos, devido à crise causada pelos downloads ilegais. Houve alguma pressão externa para o lançamento do segundo disco assim, tão rápido? E como a Urubuz Records recebeu a proposta para o segundo disco de vocês tão cedo? 

RS: Não houve nenhuma pressão, nós começamos a trabalhar ainda em 2014 com a Cronos (NR.:  Cronos Entertainment, que empresaria a banda) em prol de uma gira pela América Latina. Quando tivemos a confirmação do período em que a turnê iria se concretizar pensamos: e se nós gravássemos um novo disco? No começo essa ideia parecia um tanto ousada, porém nós decidimos desafiar o risco e emplacar esse novo material. A Urubuz ficou um pouco surpresa com esse novo projeto, já que nós tínhamos acabado de lançar o "Unholy Sacrifice" em formato vinil, no entanto deu suporte incondicional e caiu pra dentro do trabalho ao nosso lado. Com o JACKDEVIL não rola esse lance de pressão, temos total controle de todas as nossas ações e não temos rabo preso com ninguém. 


Ric Mukura (guitarras)
BD: Ainda sobre este tempo, como foi compor músicas nesse ritmo, já que ano passado, fizeram muitos shows? A impressão é que vocês ou são workaholics por música ou que tinham canções guardadas, estou certo?

RS: Você acertou na mosca, acredito que somos viciados nesse lance de trampar com a banda, tanto é que não temos férias ou qualquer tipo de pausa. O trabalho é ininterrupto desde 2011. Mas pensando bem, se eu tivesse que elencar uma característica que mais admiro na nossa banda é essa pressa, a vontade de fazer as coisas acontecerem, a nossa correria contra o tempo. Penso que esta simples virtude está em falta em algumas bandas da atualidade. O que vejo a todo momento são bandas sabotando seu próprio trabalho através de atitudes imbecis e ridículas, esquecendo de pôr a mão na massa, pagar o preço por suas escolhas.Voltando as novas composições tenho que destacar a enorme evolução do Ric Mukura que neste disco novo nos apresentou sua primeira composição: "Beelzebub", uma das melhores do disco. 


BD: Agora que "Evil Strikes Again" (que eu cismo de trocar o nome por "Evil Strikes Back" sempre. Perguntem pro Márcio da Urubuz quantas vezes ele já me corrigiu (gargalhadas)) está lançado, a pergunta que fica é: quais as maiores diferenças que você vê entre eles hoje em dia? Particularmente, achei "Evil..." um pouco mais melodioso e com as composições um pouco mais lapidadas.

RS: Eu ainda estou viciado no "Evil Strikes Again", ouço diariamente e a cada escuta a sensação de dever cumprido fica mais forte. As músicas vieram mais legais e ao mesmo tempo o instrumental ficou bem mais ajustado, pois desta vez tivemos uma preocupação maior com a tonalidade e harmonia das músicas justamente pra criarmos um material que no todo fosse rápido, cortante, equilibrado e que tivesse uma audição agradável para os fãs de Speed/Thrash. Neste quesito eu dou um ponto especial pro Filipe Stress que conseguiu fazer uma mixagem certeira, conseguindo impor mais personalidade ao novo álbum e ainda mantendo intacta aquela “sujeirinha” que deixa o Heavy Metal mais legal.


R. Speedwolf (baixo)
BD: Outro contraste que vi foi entre o vídeo promocional de "Age of the Antichrist", do "Unholy Sacrifice", e "Evil Strike sAgain". No primeiro, algo mais voltado ao mundo do horror, e no segundo, algo mais leve e muito bem humorado. Por que deste contraste? Pergunto por que realmente chega a ser algo gritante.

RS: Nós sabíamos que a repercussão deste nosso novo clipe seria esta. Mas o que eu acho mais curioso é que no Brasil fazer um clipe de com a temática de humor dentro do Metal choque mais do que falar, por exemplo, de Satanás ou da Era do Anticristo. As nossas temáticas continuaram muito semelhantes aos dos trabalhos anteriores, o que fizemos foi um clipe que propositalmente não segue os ditames da letra da música. Na verdade o clipe se tornou um fator independente e quase autossuficiente e nós achamos isto fantástico, pois nossa expectativa era ampliar os horizontes já que, como dito anteriormente, temos o controle total dos nossos trabalhos e não somos escravos de qualquer regra do Metal que determine, por exemplo, normas de conduta. A cena precisa de personalidade e não de repetições de ideologia importada.


BD: Aliás, parabéns, pois o vídeo de "Evil Strikes Again" ficou muito, muito legal mesmo. Mas como escolheram justo ela, e como foi que a idéia de algo mais bem humorado surgiu?

RS: Tenho que admitir que foi bem complicado decidir qual seria a música de trabalho. Debatemos bastante e fizemos uma espécie de exposição de motivos pelas quais dávamos nossos votos. No final decidimos que "Devil Awaits" sairia em Lyric vídeo e "Evil Strikes Again" seria a música do clipe. Poderia ser qualquer uma outra, eu gosto de todas. A ideia inicial para a realização do clipe nesta temática partiu do André e foi aprimorada através de muito suor e dedicação de todos da banda.

Felipe Stress (bateria)
BD: O famoso tema chato de toda entrevista, mas é preciso: sobre o André, há algum tempo, algumas pessoas ficam com fofoquinhas na internet, relacionando ele e igrejas. Não sei bem o que é, pois não é algo que tenha peso para mim (me importa a música, apenas), mas em um momento em que o metal brasileiro anda cheio de extremismos, é sua vez de falar. O espaço é de vocês.

RS: Já nos pronunciamos acerca disso. Quem já teve um contato mais próximo com a gente já pôde perceber que nós somos pessoas muito pacíficas e jamais iremos discriminar alguém por sua ideologia, raça, credo ou o que for. Não somos adeptos de qualquer ideologia segregadora e essa balela envolvendo White Metal tem como finalidade unicamente tentar tirar a legitimidade do nosso trabalho e são disseminados pelos que não têm capacidade de fazer melhor. Essa leitura ainda demonstra que nosso nome está se tornando cada vez mais tema de debate na cena do Metal Nacional, os esclarecimentos prestados pelo Andrezão bateram recorde no site da UOL. Não participamos de qualquer culto, seita, congregação ou afins. 

Meu recado então será direcionado a duas vertentes: Aos que se utilizam disso pra de alguma forma atacar pejorativamente nossa banda desejo boa sorte na empreitada e obrigado por dedicar tanto tempo e energia de sua vida à gente, sei que você quando faz isso nos dá prioridade frente a diversos outros fatores de sua vida. Aos que estão começando na cena agora ou que estão começando a descobrir o nosso trabalho digo que nós devemos começar a criar uma estrada sólida para tentar aprimorar o cenário nacional que está apresentando cada vez mais sintomas de crise e o primeiro passo pra isso é: Valorize o trabalho das bandas do Brasil. Fofocas, zum zum zum, mexericos ou qualquer tipo de distinção não levarão a cena a lugar algum senão do fosso pra onde ela já está caminhando. 


BD: Ainda falando sobre extremismos e mesmo no radicalismo que vemos no Metal, não acredita que isso acaba prejudicando o cenário como um todo? Poxa, as pessoas parecem achar que conservar instrumentos, gravar e mesmo fazer shows é feito de graça... 

RS: Eu vejo de outra forma, não vejo os radicais, por exemplo, como inimigos, eu entendo perfeitamente o ponto de vista deles e concordo bastante com a visão deles acerca do Metal. O que atrapalha, a meu ver, é a militância vil de alguns alienados com objetivo de sabotar a cena. Quando reflito sobre isso, me vem à mente o exército de babacas que fazem oposição ao trabalho das meninas do NERVOSA, pelo fato de ser uma banda constituída só por mulheres, o hilário é que estes imbecis recebem por resposta a carreira cada vez mais consolidada delas no cenário internacional, o NERVOSA já é uma realidade. Quanto aos problemas da cena nacional, me refiro a boicotes, produtores corruptos, excesso de shows gringos, etc. Isto sim causa impacto negativo na cena. Extremistas ou radicais não trazem obstáculos concretos com relação ao JACKDEVIL, pois aqueles que têm convicção do que fazem e acreditam em seu próprio trabalho não necessitam da aprovação de ninguém.


BD: Lá no início, falamos sobre os famosos downloads. Muitas vezes, os fãs esquecem que a música é uma coisa que pertence ao compositor, que ele criou e isso dá trabalho demais. Não acham que já está na hora de uma conscientização maior dos fãs de Metal nesse sentido? E qual a opinião de vocês sobre downloads ilegais? 

RS: Eu não sou contra o download. Vejamos bem, o download digital é apenas uma das consequências trazidas pela expansão da internet. Décadas atrás era exigido de uma banda uma quantidade de trabalho exorbitante para divulgar seu material fora de sua região de atuação. Dessa forma algumas bandas selecionadas recebiam uma quantidade gigantesca de investimento por parte das gravadoras que detinham o poder da disseminação da informação. As bandas que não tinham gravadora estavam fadadas ao fracasso e ao esquecimento, salvos apenas pela paixão dos verdadeiros fãs de Metal que não deixaram seus trabalhos serem em vão. As bandas que se saíram vitoriosas dessa verdadeira loteria estavam aí ganhando cifras astronômicas por terem se beneficiado deste investimento maciço em mídia. Vale destacar que inexiste qualquer apoio dos Titãs do Metal aos artistas novos, salvo raríssimas exceções. Assim, era necessário que a crise viesse para deter esse crescimento exagerado destas grandes bandas. Neste momento, eu vejo o surgimento da única oportunidade que nós, artistas novos, temos para formar nossa carreira. Por isso é que afirmo que o download é o grande herói das novas bandas. Com ele é criado uma grande rede de compartilhamento que iguala, em certas proporções, este abismo que existe entre as bandas grandes e as de menor porte. O download é o fator que dá equidade a balança. Nosso EP "Faster Than Evil", por exemplo, foi disponibilizado gratuitamente e alcançou mais de 25.000 downloads. Embora nós fazermos questão de manter o lançamento de materiais físicos, trabalhamos de forma tranquila com os downloads pagos e não fazemos alguma oposição ao compartilhamento digital dos nossos materiais.


BD: Bem, a Cronos Entertainment está tomando conta da parte de shows de vocês, e vi que tem uma boa tour chegando, com várias datas fora do Brasil. Como é a expectativa para os shows fora? Já existem planos para alguns shows na Europa ou EUA? E por que cargas d'água nada no RJ? Olhem que eu vou me aborrecer com o manager de vocês por isso (risos)!

RS: Na verdade esta é apenas a primeira parte da turnê "Evil Strikes Again", nosso plano é estendê-la por 2016 também e pode ter certeza, amigo, nós também ficamos um tanto tristes por não ver o RJ na primeira rota. Aqui posso ressaltar que no ano de 2014 fizemos um dos melhores shows da história da nossa banda na Cidade Maravilhosa. Pois bem, não estamos nervosos, porém muito ansiosos. Vamos ter a possibilidade de conhecer diversas pessoas que curtem nosso trabalho desde o lançamento do "Under The Satan Command" e isso é incrível, na verdade é uma das coisas mais legais de se ter uma banda, poder tocar nas cidades das pessoas que realmente querem assistir um show seu, isto não tem preço. Vamos tocar no Sudeste e Sul, além de países do Mercosul e falar disso me dá um orgulho ímpar pelo fato de sermos a primeira banda Maranhense de metal a trilhar uma tour latino americana. Devemos isso a todos aqueles que sempre apoiaram o nosso trabalho, aqui vai a certeza de que daremos o nosso melhor.


BD: A última: após o fracasso do Metal Open Air em São Luis, em contrapartida, muitas bandas novas daí estão mostrando a cara, como vocês, o PÚRPURA INK, o FÚRIA LOUCA, o BRUTALLIAN... Está até parecendo que São Luís vai se tornar mais uma grande cidade em termos de Metal em breve, se já não o é. Falem-nos um pouco da cena local, da experiência de vocês por aí, bem como o que é bom e o que ainda pode melhorar na cena maranhense.

RS: A cena maranhense é igual a do resto do Brasil, com todos os defeitos e virtudes, há algum tempo vem-se querendo criar uma expectativa de que São Luís poderia se tornar um novo pólo do Metal. A meu ver isto não tem fundamento ao passo que bandas promissoras podem surgir em qualquer parte do Brasil. Acredito que seja até perigoso levantar um status a uma região específica pois isto além de tirar os méritos de quem realmente merece ter o trabalho reconhecido, pode acabar beneficiando uma ou outra banda de qualidade duvidosa. Fora de São Luís, mas ainda no Maranhão, nós temos bandas excelentes, o Mortos (Death Metal) está aí para não me deixar mentir. Concluindo, a cena de São Luís nunca será melhor do que nenhuma cena de alguma região brasileira, pois isto de ser melhor não existe, é falácia, é falso. O Metal não precisa de mais lendas ou mitos, o que devemos é apoiar bandas de qualidade independente de que região do Brasil sejam oriundas. Tenha certeza de que se você trabalha firme com os pés no chão, se você tem talento e age com honestidade sua banda colherá frutos você estando em São Luís ou em qualquer parte do Mundo, o JACKDEVIL é um exemplo disso.

Devils alive!

BD: Chegou a hora. Agradeço de coração mais uma vez, e por favor, deixem a mensagem de vocês para nossos leitores e seus fãs.

RS: Em primeiro lugar queremos dizer aos estimados amigos que acompanham a jornada do JACKDEVIL que somos imensamente gratos pela energia que vocês nos passam e neste momento nos sentimos completamente incentivados a seguir em frente com a força total que nos é peculiar. Também quero aproveitar a oportunidade para agradecer o espaço que nos foi dado por você, Big Daddy, nós realmente te admiramos muito e nos sentimos realizados por ter nosso trampo reconhecido por alguém de sua estirpe. E, por fim, para aqueles que não conhecem o nosso trabalho, acompanhem a banda pela nossa página do Facebook e canal no YouTube. 


Assistam os vídeos de "Evil Strikes Again", "Devil Awaits" e "Iron Fist" (cover do MOTORHEAD e uma homenagem da banda a Lemmy):







Contatos: