9 de mar de 2015

NOFX adia oficialmente tour pela América do Sul




A banda norte-americana NOFX acaba de comunicar que todas as apresentações na América do Sul estão adiadas. O grupo era uma das principais atrações do Lollapalooza Chile e Argentina, também tinha quatro shows agendados pelo Brasil: Porto Alegre (17/03– Bar Opinião), Rio de Janeiro (19/03 – Circo Voador), Curitiba (20/03 – Vanilla Music Hall) e São Paulo (21/03 – Via Marquês).

“É com grande pesar que anunciamos que teremos que adiar a nossa passagem pela América do Sul, devido a um grave e sério problema familiar. Um dos nossos integrantes está passando por um momento pessoal bastante delicado; agradecemos a compreensão e privacidade que precisamos. Já estamos trabalhando com os promotores para remarcarmos estas datas o mais breve possível e assim que tivermos uma chance, divulgaremos todas as informações. Agradecemos pela compreensão dos nossos fãs”, declarou o comunicado publicado nas redes sociais do grupo.

Highlight Sounds e Hangar 110, produtoras responsáveis pela turnê no Brasil, lamentam o ocorrido e estão totalmente a par da atual conjuntura. Os fãs que já compararam ingresso não precisam se preocupar. O ticket será válido para as novas datas. 

Responsáveis por alguns dos maiores clássicos da década de 1990 como "White Thrash, Two Heebs and a Bean" e "Punk in Drublic", o NOFX recentemente lançou seu 12º disco de estúdio. Batizado de “Self Entitled”, este álbum tem como marca registrada o retorno da sonoridade agressiva do inicio de carreira. São 12 composições que traduzem literalmente a hostilidade do punk rock de Los Angeles.

Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC – PR:
28-29/03 – Lollapalooza – Autódromo de Interlagos – SP/SP
12/04 – Paul Di’Anno + Korzus – Carioca Club – SP/SP
18/04 – Marduk – Clash Club – SP/SP
03/05 – Grave Digger – Carioca Club – SP/SP
15/05 – Krisiun + Confronto + Projetct 46 – C.E. Pedro Bortolosso – Osasco/SP
30/05 – Vader – Clash Club – SP/SP
19/07 – Opeth – Carioca Club – SP/SP
Mais infos sobre os shows acima, acesse https://www.facebook.com/UltimateMusicPR.



A/C Costábile Salzano Jr

Revista Rock Meeting Nº 66 OUT NOW!





Mais uma edição da Rock Meeting acaba de ser lançada!

A maior que já lançamos!

Leia agora esta edição feita especialmente para você!


# Nesta edição #

Capa: Sonata Arctica

Coluna – Doomal | O que estou ouvindo? | Perfil RM com Fernanda Lira (Nervosa | Movie | Opinião

News – World Metal 

Entrevista – NW77 | Mugo | Wagner Gracciano | She Hoos Go | Skin Culture | Blackning | Dreadnox | Commodities

Review – Sonata Arctica | Rebellion Tour





Você não viu as edições anteriores?

Veja todas as edições - http://issuu.com/rockmeeting



Fonte: Rock Meeting

Addicted To Pain: guitarrista se inspira em filmes pornô para música instrumental




O guitarrista da banda ADDICTED TO PAIN, Thiago Olveira, teve a honra de participar de uma coletânea virtual chamada “Guitars On The Road”, que tem como foco a música instrumental. Thiago gravou a música “Cyber Sex” de maneira independente e contou com a ajuda de Fabio Carito (baixo, ADDICTED TO PAIN, Seventh Seal, Warrel Dane). Além do guitarrista, o projeto conta com grandes nomes do cenário brasileiro como Mozart Mello, Joe Moghrabi, Isa Nielsen, Marcio Okayama, Vandré Nascimento, dentre muitos outros.

O músico conta que se inspirou em filmes pornô para fazer os efeitos e boa parte da composição, mas explica que pegou como referência ídolos mundiais como Hermeto Pascoal e Steve Vai. “As pessoas vão pensar que eu sou um tarado por conta da referência pornô, mas não é bem isso (risos). Sou fã do Hermeto Pascoal e ele sempre pegou sons humanos e trabalhava para que se tornasse uma música ou uma linha melódica. Outro cara que sou fã é o Steve Vai, que já usou o seu próprio filho como inspiração em uma música”, disse o guitarrista.

"Além disso, é uma honra participar de uma iniciativa dessas, ao lado de caras que eu sempre ouvi e respeitei. Parabéns ao Tiago Candido, grande guitarrista, pela ideia e espero que outras venham. Sobra a faixa Cyber Sex, ela fará parte de do CD solo instrumental que eu estou preparando. Eu coloquei alguns samples de filmes eróticos e a ideia foi simular como seria uma mulher fazendo sexo com uma guitarra. Acho que o resultado é divertido e vai surpreender a todos.", finalizou Thiago Olveira.



O guitarrista utilizou para a gravação de "Cyber Sex" as Cordas La Bella, que fazem parte de seu cotidiano como músico profissional já tem alguns anos.

Para baixar a coletânea clique no link:


Para escutar a música clique no link abaixo:


Informações:

Syren: nota máxima na primeira resenha de ‘Motordevil’!





Os cariocas do SYREN não podiam começar melhor sua campanha de lançamento de ‘Motordevil’. O site Metal Samsara teve acesso antecipado ao disco e foi categórico: nota 10!

O tradicional site declara já em suas primeiras linhas: “E eis que a máquina mortífera do Metal carioca volta, detonando tudo e todos que tentarem ficar em sua frente, desembestada como uma carruagem de peso que desce morro abaixo!”

Mas os elogios não param por aí, sempre buscando ângulos diferentes para analisar o disco, a resenha comenta:

“Ao ouvir as músicas, fica clara a competência e espontaneidade da banda na composição de seu trabalho. Os arranjos são caprichados, mas sem exageros técnicos que tirariam o foco do que é mais importante na música do SYREN: a unidade como grupo.”

O editor Marcos Garcia foi enfático em sua conclusão e declara que ‘Motordevil’ é uma “aula de Metal tradicional em todos os sentidos, um dos melhores lançamentos do ano, e que todo bom Headbanger que se preza precisa ouvir e adquirir.”

Mas a análise não se resume a estas frases, confira a resenha completa, pelo link:



‘Motordevil’ já está em pré-venda na loja virtual da gravadora do SYREN, Shinigami Records. Previsto para ser enviado no início de abril, quem comprar agora receberá 20% de desconto e, claro, receberá antes. Para comprar:


‘Motordevil’ foi gravado por Bruno Coe, Guilherme de Siervi e Julio Martins. A mixagem e masterização ficaram nas mãos de Bruno Coe. A arte da capa foi feita pelo artista Antonio Cesar da Not A Pipe Studio.

O SYREN acaba de disponibilizar uma primeira música retirada de ‘Motordevil’, ‘My Shadow, My Dear Friend’, e que foi lançada em formato de lyric video, confira:



Sites relacionados:



Fonte: Metal Media

09/03/2015: Metal Media Management



Dysnomia: primeiro teaser de novo trabalho é lançado


Já gravando o tão esperado álbum, o DYSNOMIA apresenta um pouco do que está por vir.

A banda se encontra no NOVA! Estúdio, em Araraquara/SP, onde registra as músicas. A produção ficará a cargo do próprio DYSNOMIA. Neste primeiro teaser, mostra o grupo tocando partes de músicas novas e mandando um recado:


Este álbum sucederá o premiado EP ‘As Chaos Descends’, destaque na revista Roadie Crew e citado como um dos lançamentos de 2013 pelos conceituados sites: Arte Metal e Som Extremo.

‘As Chaos Descends’ foi disponibilizado gratuitamente para audição e download, mas também está disponível para venda diretamente com a banda.


O mesmo também está disponível para venda diretamente com a banda.


Sites relacionados:



Gutted Souls: música na compilação Death Metal Brasil Vol 7


O carioca GUTTED SOULS é uma das atrações da compilação Death Metal Brasil em seu sétimo volume. A banda é representada com duas músicas de seu EP.

Além do GUTTED SOULS, bandas como IncognoscI, Trator BR e Sangrena também participam da coletânea. Para baixar gratuitamente, clique no link:


O grupo segue na produção de seu vindouro álbum, ‘Oligarchy and the Illusion of Freedom’, e que contará com o baterista do lendário Korzus, Rodrigo Oliveira, gravando e produzindo o trabalho.



Em pouco tempo, mais detalhes sobre o trabalho serão anunciados.


Sites relacionados:



Slasher: atração na coletânea ‘O Impávido Colosso’


SLASHER, uma das bandas mais premiadas de 2014, está participando da nova coletânea “O Impávido Colosso” com a faixa “Overcome” do mais recente trabalho “Katharsis”.

A compilação é uma iniciativa da página Metaleiro Patriota e, nesta segunda edição, conta com 16 músicas de nomes emergentes do Rock/Metal brasileiro como A Red Nightmare, Dynahead, Voodoopriest, entre outros.

Para mais informações e o link para baixar esta coletânea, acesse: http://on.fb.me/1Mfgn0O

Para conhecer mais sobre o Metaleiro Patriota: https://www.facebook.com/MetaleiroPatriota

‘Katharsis’ foi lançado há exatamente um ano e é o segundo registro em estúdio do grupo. O álbum obteve excelente receptividade do público e mídia, fruto de um trabalho árduo e, principalmente, de toda a qualidade apresentada no disco.



Este nível de excelência foi enfatizado em dezenas de resenhas positivas que o citaram como um dos melhores discos do ano, reconhecimento nacional e internacional com notas máximas em vários cantos do planeta.

As citações a seguir são trechos destas avaliações positivas: “este lançamento coloca o SLASHER entre os gigantes do metal nacional” (Heavy Metal Brasil), “a minha reação foi explosiva ao ouvir este material” (Whiplash!), “já é sério candidato a entrar na lista de melhores do ano” (Arte Metal), “Uma banda preparada para alçar grandes voos” (Roadie Crew), entre outras.

A banda não poupou esforços na produção deste álbum, assinada pelo dinamarquês Tue Madsen (THE HAUNTED, DARK TRANQUILITY, KATAKLYSM, etc) que mixou e masterizou este projeto no Antfarm Studio em Aarhus, Dinamarca.

Para ilustrar a temática de ‘Katharsis’, o grupo convocou o designer francês Stan W Decker, conhecido por ter trabalhado com artistas como TIMMO TOLKKI, VANDEN PLAS e as gravadoras Metal Blade e Frontiers Records.

Do álbum também foi retirado um videoclipe para a música ‘Final Day’.



Sites relacionados:



Tellus Terror: anunciada a nova formação


Uma das grandes revelações dos últimos anos, o carioca TELLUS TERROR, está com caras novas no lineup.

Quem acompanhou os shows da banda ao lado do Behemoth e Belphegor no final do ano passado já conhece o primeiro anunciado, o baterista Ali Ahmed Ghazzaoni, que entrou substituindo outro grande baterista, o Mike Nil. Dono de uma técnica extrema, o músico é multi-instrumentista e já atuou em diversas bandas do Underground carioca como baterista, baixista ou guitarrista. Ali traz uma bagagem diferenciada para banda, pelo fato de ter convivido sob diferentes vertentes e cenários do Metal, com uma visão especial para o metal moderno, trazendo muita riqueza e versatilidade ao som extremo da TELLUS TERROR e agregando ainda maior diversidade ao estilo da qual a banda é pioneira, o M.M.S (Mixed Metal Styles).

Outra cara nova no TELLUS TERROR é o guitarrista Nelson Magalhães (ex Lost Forever, Allegro e Trovattore), que entra substituindo Álvaro Faria. Nelson, além de guitarrista profissional, é professor de música formado pela UFRJ, especialista em Musicoterapia pelo Conservatório Brasileiro de Música e Produtor Musical, trabalhando com produções de musica original para Tv, Cinema e Games em seu estúdio (Trovattore Studio). Sem dúvidas Nelson é dono de uma experiência e um talento único, que será essencial para o contínuo crescimento da banda ao longo de seus novos trabalhos.

A nova formação do TELLUS TERROR segue divulgando o álbum ‘EZ Life DV8’ e preparando algumas novidades para muito breve!

‘EZ Life DV8’ foi mixado e masterizado pelos renomados produtores suecos Fredrik Nordström e Henrik Udd (Dimmu Borgir, In Flames) e teve a capa confeccionada pelo artista grego Seth Siro Anton (Nile, Paradise Lost, Exodus, Rotting Christ).

Lançado no Brasil de forma independente, o álbum é distribuído pelos selos Shinigami Records, Vingança Music e Thrash S/A. Na Europa está sendo distribuído pela PHD, Plastic Head Distribution, empresa com mais de vinte anos de história em distribuição de discos mundo afora e conta, entre suas dezenas de clientes, com selos como Candlelight, AFM, SPV, Massacre, Metal Age, entre outros.


Sites relacionados:



Hellsakura: músicos do NervoChaos, Immolationn e Belphegor no novo disco


O HELLSAKURA não poupa esforços para que seu novo álbum ‘Venömrizer’ seja uma grande experiência para seus amigos e fãs e traz alguns dos grandes nomes do Metal para participar do disco.

Parceiros de longa data, os músicos do NERVOCHAOS estarão presentes no disco, assim como o João Test, da banda TEST.

Nos convidados internacionais está o guitarrista norte-americano do lendário grupo de Death Metal IMMOLATION, Bob Vigna.


Colocando a cereja no bolo, Serpenth, músico da banda austríaca BELPHEGOR, que não apenas participa do disco, mas também criou o novo logo do HELLSAKURA e a arte da capa de ‘Venömrizer’.

Este novo álbum também marca o primeiro lançamento da formação atual como um quarteto, com duas guitarras, tornando o som mais metal, vigoroso e pesado.

O HELLSAKURA conta com a produção da Loud Factory onde registra as dez faixas que compõem o álbum.

Em breve mais informações sobre o lançamento.


Sites Relacionados:



Fonte: Metal Media

HonorSounds: Ingressos á venda na Galeria do Rock




O HonorSounds é um projeto de comunicação em formato de festival itinerante que oferece para artistas de diferentes nichos a oportunidade de organizar movimentos e apresentações musicais dentro de um espaço mainstream com estrutura e atuação no âmbito social.

Com um grande apoio cultural e o intuito de expandir a música para fora de suas barreiras mercadológicas as edições do HonorSounds serão diversificadas entre a música contemporânea nacional e internacional sem rótulos.

Em sua primeira edição o festival, acontece no próximo dia 12 de Abril (Domingo), á partir das 17h00 no Estúdio (antigo Estúdio Emme) em São Paulo. 

Os ingressos promocionais do evento já estão disponíveis sem taxa de conveniência nas lojas Consulado do Rock e 255 na Galeria do Rock.

Os ingressos promocionais são válidos apenas com a doação de 1 kg de alimento não perecível no dia do evento.

LINE UP #nossacena:

- Choldra – única apresentação comemorando 10 anos de lançamento do álbum “Choldra” 
- Worst


SERVIÇO HONORSOUNDS EDIÇÃO BRASIL

Data: 12 de abril de 2015
Local: Estúdio
End: Avenida Pedroso De Morais, 1036 - Pinheiros (A 5 minutos do metrô Faria Lima)
Hora: das 17 às 23 horas

Ingressos: R$30,00 - Valor único doando 1 kg de alimento não perecível

Classificação: Menores de 14 anos somente acompanhados do responsável

Abertura da casa: 1h antes do início do evento

Acesso para deficientes.


Telefone para informações: (11) 4902-1093

- Não será permitida a entrada de pessoas portando qualquer tipo de alimento, bebidas e objetos cortantes.


Pontos de Venda sem taxa de conveniência:

Loja 255 (GALERIA DO ROCK)
Rua Vinte e Quatro de Maio, 62 – República - 1º andar 
Tel.: (11) 3361-6951 

Consulado do Rock (GALERIA DO ROCK)
Av. S. João, 439- LJ 236, República, São Paulo 
Tel.: (11) 3221-7933

Metal CD's (SANTO ANDRÉ)
Rua Dona Elisa Fláquer, 184 – Centro
Tel.: (11) 4994-7565
Vendas Online: www.ticketbrasil.com.br

Imprensa: bandas estão disponíveis para entrevistas

Credenciamento de Imprensa SP: solicitações devem ser encaminhadas através do email damarisjustlikeheaven@gmail.com até dia 05 de Abril.


APOIO CULTURAL: 
GW Entertainment, Hoffman O'Brian Marketing artístico & Spotify Brasil


Links relacionados:




Marketing artístico/entretenimento
Cel: +5511-987916446
Cel: +5511-77912363
Nextel ID: 55*966*13116

Motorhead - Ace Of Spades (CD)

Bronze Records

Por JP Carvalho


O que dizer de um dos mais absolutos clássicos lançados pelo Motorhead? A lista de discos “únicos” da banda é enorme, mas Ace of Spades se tornou tão íconico que chegou a ser taxado de “carne de vaca” por poucos detratores.

Lançado em 1980, com a formação mais clássica da banda, com com Lemmy, Fast Eddie Clarke e Philthy Animal Taylor, e de seu conteúdo ser de músicas pesadas, rápidas e extremas (sim, na época este disco era "extremo”) o disco é muito variado e diverso em sua essência.

O disco abre com a faixa título, e com o baixo avassalador de Lemmy mostrando a que veio, com a música que se tornou o clássico obrigatório nos shows da banda, a sequencia de "Love Me Like a Reptile" dá uma acalmada nos ânimos, mas não se pode dizer a banda abrandou a obra.

Na sequência de "Shoot You in the Black" até "The Hammer", o sr. Kilmister e seus comparsas distilam toda a filosofia das ruas em músicas, que mesmo tendo uma pegada bluesy, são extremas e barulhentas.

Motorhead

"Ace os Spades" foi sim o inicio de uma sequência de discos absolutos, e mesmo que a banda, hoje em dia, não seja mais um divisor de águas na música pesada, ninguém divida de sua popularidade e de ter ser tão relevante até os dias de hoje, como foi quando de sua formação na década de 1970.

Clássico absoluto!



Músicas:

1. Ace of Spades
2. Love Me Like a Reptile
3. Shoot You in the Back
4. Live to Win
5. Fast and Loose
6. (We Are) the Road Crew
7. Fire Fire
8. Jailbait
9. Dance
10. Bite the Bullet
11. The Chase is Better than the Catch
12. The Hammer


Banda:

Lemmy Kilmister - Vocais e Baixo
Fast Eddie Clarke - Guitarras
Philthy Animal Taylor - Bateria


Contatos:

Medulla: banda divulga vídeos de show no CCSP








Os cariocas do MEDULLA lançarão nesta semana cinco vídeos da apresentação realizada em 18 de janeiro deste ano, no Centro Cultural São Paulo (CCSP). Com o nome de "Medulla & Convidados", o show contou com várias participações especiais que agora poderão ser assistidas online.

O lançamento é uma parceria da banda MEDULLA e da gravadora Hearts Bleed Blue (HBB), com imagens e direção de Tinho Sousa. Os vídeos serão disponibilizados, um a cada dia, durante toda a semana no canal de youtube da HBB.

Confira a programação: 

1. Segunda-feira (09.03) - Medulla e Neto (Síntese): "Eis-me aqui" (Síntese).
2. Terça-feira (10.03) - Medulla e Emmily (Far From Alaska): "Lose Your Money" (Medulla) e "Thievery"(Far From Alaska).
3. Quarta-feira (11.03) - Medulla e Supercombo: "Piloto Automático" (Supercombo).
4. Quinta-feira (12.03) - Medulla e Haroldo (Maguerbes): "Paralelo ao Chao" (Medulla)
5. Sexta-feira (13.03) - Medulla e Chuck Hipólito/Tadeu (Vespas Mandarinas): "O Herói Devolvido" (Vespas Mandarinas)

Assista aos vídeos aqui: www.youtube.com/heartsbleedblue




Veja mais fotos da apresentação do MEDULLA no CCSP: 



Medulla - MVMT: www.hbbrecords.com


"MVMT" é a compilação de todas as músicas que fizeram parte dos cinco EPs Disponibilizados em diferentes formatos de mídias. Entre eles está o disco “O Homem Bom”, que ganhou o Prêmio Dynamite de Música Independente na categoria Melhor álbum de rock de 2013. O CD com doze faixas, conta com uma aquarela de Flávio Vasconcellos ilustrando a capa.



Assessoria HBB
Paola Zambianchi
+55 11 3141-0379

Overhead Rock: show em comemoração de cinco anos de atividades em Bauru





Em comemoração aos cinco anos de atividades a banda de rock'n'roll OVERHEAD ROCK irá se apresentar gratuitamente no dia 14 de junho no Parque Vitória Régia, situado na avenida Nações Unidas, s/n, em Bauru, interior paulista.


Informações sobre o evento na rede social Facebook:



OVERHEAD ROCK – Quando a Cerveja Faz Efeito (videoclipe)




Links relacionados:

Contato para shows, entrevistas, merchandise: pressrtv1@gmail.com



Fonte: Press RTV
Assessoria de imprensa e comunicação
Telefone/WhatsApp: 11-9-7397-3602
Skype: pressrtv

Infektor Self: lançado oficialmente a primeira edição




Surge no Brasil a mais nova zine, INFEKTOR SELF, de propriedade de Pedro Hewitt, colunista do site Full Rock e Metal Warriors Magazine.

A primeira edição lançada neste ano de 2015 sob o título de “Rock: Um bom negócio?” exibe entrevistas com as bandas Order of Tepes, Disformes, Flagrum, Thrashera, Terror Mosh e Vermgod. A zine também descreve relatos sobre a cena da cidade de Teresina (Piauí), indicações de filmes, séries, entre outros diversos assuntos.

Para adquirir a zine INFEKTOR SELF, entre em contato via e-mail:




Fonte: Press RTV
Assessoria de imprensa e comunicação
Telefone/WhatsApp: 11-9-7397-3602
Skype: pressrtv

Iron Maiden – Powerslave (CD)

Emi Odeon

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Rever as raízes de vez em quando faz bem a qualquer um, e em um lapso de puro romantismo da parte deste autor, e também para dar uma atualizada na sessão de clássicos, foi escolhido justamente o primeiro álbum de Metal que tive: “Powerslave”, do IRON MAIDEN.

A primeira coisa que deve ser dita sobre a banda é que o estilo musical dela, aquele Metal tradicional cheio de energia e vigor, que surgiu para o mundo em “Iron Maiden”, foi apurado em “Killers” e “The Number of the Beast”, e que ganhou mais técnica e arranjos diversificados em “Piece of Mind”, estava no auge de sua forma. Podemos dizer que, até então, é o disco onde Bruce cantou melhor, preenchendo bem as canções e usando boas variações de timbres (vejam o espetacular trabalho de vocais em “Rime of the Ancient Mariner”); as guitarras de Dave Murray e Adrian Smith estavam entrosadas, em um nível que poucas duplas de guitarristas estavam até então, explorando o máximo de cada um em riffs e solos (e um dos traços mais importantes da banda: os solos de Dave e Adrian possuem estilos tão diferentes que é possível distingui-los, mesmo para leigos no tocante a tocar guitarra); Nicko McBrain estava mais à vontade na bateria, mostrando técnica e peso absurdos, conduzindo os andamentos complexos da banda. E falar de Steve Harris chega a ser desnecessário: sua forma de tocar baixo é completamente diferente de todos os seus contemporâneos, a ponto de influenciar as gerações futuras. Pode ser que isso seja um reflexo de “Powerslave” ser o primeiro disco em que a formação da banda é a mesma do anterior.

Pela segunda vez, a banda foi gravar o disco no Compass Point Studios, em Nassau, nas Bahamas, e mixado no Electric Lady Studios, em Nova York, entre fevereiro e junho de 1984, sob a tutela de Martin Birch, produtor da banda desde “Killers” e que já havia trabalhado com BLACK SABBATH, DEEP PURPLE, RAINBOW, WISHBONE ASH, BLUE OYSTER CULT (e quase produziu “Iron Maiden”. Basta lerem na biografia “Run to the Hills” e entenderão o que digo/escrevo), e com masterização de George Marino. A sonoridade é robusta e refinada, que tem peso e clareza enormes e nas mesmas proporções, e o som de cada instrumento está bem evidenciado, conforme a personalidade da banda, lembrando que o IRON MAIDEN sempre teve uma sonoridade diferente, com o baixo bem evidente.

A arte é mais um lindo trabalho de Derek Riggs, artista que desenhou todas as capas e fez design de camisetas com Eddie por muitos anos. Só que na capa e contracapa de "Powerslave", ele exagerou muito nos detalhes, sendo de uma riqueza que só seria batida em "Somewhere in Time". Mas há espaço para algumas gracinhas, se repararem bem.

Falar nas composições de “Powerslave” é assunto polêmico: muitos críticos falam na flutuação de qualidade das músicas, mas mesmo assim, estas possuem uma qualidade que poucas bandas na época ousavam ter. E é talvez o disco mais democrático do grupo, já que existem músicas de Adrian e Bruce se destacando. Inclusive o tema principal é de uma música de Bruce (que mostra a fascinação do cantor por Egiptologia e Arqueologia).

E verdade seja dita: em termos musicais e de arranjos, a Donzela era imbatível.

O disco abre com “Aces High”, um de seus maiores sucessos, com o baixo de Steve ditando as regras e um belo trabalho das guitarras de Adrian e Dave, fora um refrão que todo fã que se preze já cantou com a banda (e que só faltou ter a introdução “Churchill’s Speech”, presente no clip e usada nos shows), seguida de outro clássico, “Two Minutes for Midnight”, mais uma vez com Adrian e Dave se destacando, com um riff inicial marcante e solos fantásticos, e mais um refrão excelente. Uma das canções mais criticadas do disco na época é “Losfer Words (Big ‘Orra)”, uma instrumental, recurso que o grupo não usava desde “Killers”, que nos permite ver bem como as linhas instrumentais da banda são ótimas e coesas, onde vemos a força de Nicko e Steve na base rítmica. “Flash of the Blade” é outra canção considerada mediana, mas a interpretação de Bruce é ótima, e “The Duellists” é uma música que merece mais respeito, pois é grandiosa e mais agressiva, bastando ver o trabalho de guitarras e baixo para ficar de queixo caído, e a bateria é incessante, com mudanças rítmicas incríveis. Ambas retratam a paixão de Bruce por esgrima. Outra faixa que foi alvo de críticas negativas é “Back in the Village”, mas se percebe certa similaridade das guitarras com algo mais moderno na época, fora os vocais estarem ótimo. Introduzida por sons que nos lembram as sombrias câmaras mortuárias dos faraós, vem “Powerslave”, mais arrastada, climática e densa, outra com refrão fenomenal e mudanças de ritmo absurdas, com guitarras fenomenais. E falar de “Rime of the Ancient Mariner” e seus mais de 13 minutos de duração é desnecessário, pois talvez seja o maior clássico da banda, onde todas as mudanças de ritmo e momentos permitem que cada um dos componentes se destaque. Arranjos fenomenais de Steve, Dave e Adrian em todos os momentos (seja nos mais velozes, mais amenos ou mesmo os mais introspectivos), Nicko arrasa e Bruce dá aula de interpretação, imortalizando o conto de Samuel Taylor Coleridge em forma musical, inclusive com citações direto da obra literária. 

“Powerslave” é o disco que afirma o IRON MAIDEN como o maior nome do Metal de sua geração, e desencadeou a “World Slavery Tour” (que 187 shows em 331 dias), levando a banda a ir onde ninguém havia ido antes, como os shows atrás da Cortina de Ferro (os países que viviam ainda sob o regime socialista/comunista, como Iugoslávia, Hungria e Polônia, que nunca haviam visto uma banda de Heavy Metal pisar em seus solos antes), e sendo sua apresentação mais importante a histórica noite de 11 de janeiro de 1985, a primeira noite do Rock in Rio. Digo que é a mais importante porque os jovens da época, ao verem a Donzela em seu auge, acabaram entrando na cena e ficando, permitindo que esta, enfim, pudesse ter mais expressão e abraçar as bandas daqui e de fora. Foi um divisor de águas para todos nós, veteranos.

Para a apreciação de todos os leitores, alguns breves comentários sobre as letras mais relevantes, mostrando a força do aspecto cultural do grupo.

* “Churchill’s Speech” é o discurso “We Shall Fight on the Beaches” do então Primeiro Ministro Wiston Churchill, proferido na Câmara dos Comuns do Reino Unido (a câmara baixa do Parlamento do Reino Unido) em 04/06/1940, poucos dias após assumir o posto em 10/05/1940, em uma reação contra a Alemanha de Hitler.

* Em “Aces High”, o tema da canção é referente à Batalha da Grã-Bretanha, travada entre as forças aéreas da Alemanha nazista (Luftwaffe) e a força aérea britânica (Royal Air Force, conhecida pela sigla R.A.F.), que durou de 10 de julho a 31 de outubro de 1940 (ou seja, três meses e três semanas). Devido ao número pequeno de Spitfires bem menor que o de Stukas que Churchill viria a dizer a famosa frase “nunca tantos deveram tanto a tão poucos”.

* Em “Two Minutes do Midnight”, e as letras evocam o Relógio do Dia Final, um dispositivo simbólico mantido pelo comitê de diretores do Bulletin of the Atomic Scientists da Universidade de Chicago. A proximidade da meia noite (a extinção do homem) indica o quão grande é risco do fim da raça humana, e a marcação de dois minutos para meia noite ocorreu em 09/1953, quando os EUA e a União Soviética fizeram os primeiros testes da bomba H. Foi o mais próximo que ele chegou de meia noite.

* Em “Rime of the Ancient Mariner”, as letras são uma descrição do poema de mesmo nome de Samuel Taylor Coleridge, escrito entre 1797 e 1798 (e publicado neste mesmo ano). A narrativa é sobre um velho marujo contando de uma longa viagem pelo mar para um homem que está indo a um casamento, narrando suas agruras e desgraças por ter matado um albatroz (que era um sinal de boa sorte para os marinheiros em geral na época), além de outros detalhes que merecem uma conferida no poema, que pode ser lido aqui.

E mesmo depois de tantos anos, “Powerslave” continua sendo uma experiência refrescante, maravilhosa de se ouvir e vivenciar. 





Músicas:

1. Aces High (Harris)
2. Two Minutes to Midnight (Smith, Dickinson)
3. Losfer Words (Big 'Orra) (Harris) 
4. Flash of the Blade (Dickinson)
5. The Duellists (Harris)
6. Back in the Village (Smith, Dickinson)
7. Powerslave (Dickinson)
8. Rime of the Ancient Mariner (Harris)


Banda: 

Bruce Dickinson – Vocais 
Dave Murray – Guitarras
Adrian Smith – Guitarras 
Steve Harris – Baixo 
Nicko McBrain – Bateria


Contatos: