22 de jun de 2016

OCULTAN: "Profanation" e "Atombe Unkuluntu" relançados no formato 2 em 1 CD



Mais uma cooperação da Cold Art Industry Records com a Pazuzu Records e a Hells Productions.



Relançamento dos álbuns "Profanation" (2005) e "Atombe Unkuluntu" (2010) em uma única edição, lançado em 2106.

Dois clássicos do Death/Black Metal nacional reunidos em um único CD. 

Encarte com várias páginas e muito bem feito!!!

Para os amantes da musica extrema!




Descrição do produto:

CD Caixa Acrílica - Lacrado
Ano: 2016
País: Brasil
Gravadora: Pazuzu - Cold Art Industry - Hells Productions 
Estilo: Black / Death Metal da melhor qualidade

TRACKLIST:

Profanation (2005):

Profanation
Burning The Pearl Gates
Ejaculating In The Nazarene’s Face
Fuck Off The King Of Jews
Necrophilia With The Nazarene’s Bitches
Ritual And Pleasure To The Bastard
Sodomizing The Whore, The Virgin Mary
Blasphemy


Atombe Unkuluntu (2010):

Kalunga Ngombe (Intro)
Atombe Unkuluntu
Tata Caveira
Rites Of The Dark Legions
Unguia Unketa Muki Azan Akodi
King Of The Night Tribes
O Triunfo Da Escuridão
Kakulo (Reign Of The Ancient Dead)
Uanga Asueki (Outro)


Como realmente se deve ser!!!

Adquira o seu AQUI!


Fonte: Cold Arts Industry Records

DUST COMMANDO: para os que detém o poder uma sociedade educada e informada não serve


Os tempos são outros para música e para política no Brasil, muitas mascaras caíram e de certo modo vamos tendo um retrocesso social. E no mercado musical, mesmo tendo a ajuda virtual que leva a música para qualquer lugar, sofremos um certo retrocesso cultural, pois todo o encanto e arte de se ter um material físico em mãos parece ter ido por água abaixo.

Sobre esses assuntos e algumas coisas a mais, o vocalista/baixista Thiago Rabuske do DUST COMMANDO comenta com a Heavy And Hell Press o seu ponto de vista, confira:

Hoje o cenário está tomado pela comunicação virtual, tendo menos interações reais se assim podemos dizer. De certo modo isso para indústria fonográfica é ruim, na visão do Dust Commando é ainda viável lançar materiais em formato físico?

ThiagoEu (Thiago) sou da época da música em suporte físico, no caso, vinil e depois cd, então sou suspeito para falar - acredito que a mídia seja uma obra junto com a música em si. Cresci lendo e apreciando encartes e capas de vinis e cds das bandas que mais gostava, e até hoje acredito que um álbum deva guardar relação direta entre a música e a arte visual que dela tira inspiração para vir à tona.

Acredito, também, que entender e utilizar corretamente a mídia eletrônica (no caso o MP3 e os sites de streaming) é fundamental para sobreviver no meio musical atual.

Um bom momento que a cena vive, é o maior nascimento de bandas só de mulheres ou com que tenha algum membro feminino, desmitificando certas regras impostas em estilo que não tem regras. Como é para vocês este momento em que as mulheres headbangers crescem a passos largos?

ThiagoEu acho sensacional que todo ser humano que tenha vontade e talento para disseminar sua arte possa ter a oportunidade de fazê-lo, pois é uma maneira de expressão e como temos liberdade total e irrestrita para isso devemos aproveitar da melhor maneira possível. Ando escutando direto os novos trabalhos da Nervosa e da Demolition, por exemplo, e estou impressionado com o que tenho ouvido!!! É muita qualidade! Não pode haver preconceito ou divisão a meu ver em uma cena que depende do público e somente dele para se manter!

O Brasil vive um momento complicado em termos políticos é escândalo em cima de escândalo, um país que virou chacota mundial. E parece que a situação só tende a piorar. Como vocês enxergam o Brasil daqui a cinco anos?
ThiagoOlha... Eu não tenho muita esperança, sinceramente. Se algum político atingisse um cargo muito elevado e fizesse um pacto pela educação que durasse pelo menos 100 anos eu começaria a acreditar... Mas como sabemos que quem se elege só faz obra de infra-estrutura e que apareça bem claramente aos olhos eu não sou muito otimista! A educação é a única estrutura capaz de sustentar o desenvolvimento de um país tanto em termos econômicos como sociais. A coisa anda tão difícil que todas as ideias atualmente andam convergindo para um futuro bem obscuro a meu ver - e acredito que haja um ardil político para garantir a votação que sempre alcançam distribuindo benesses de toda sorte, desde dinheiro a cargos. Para os que detém o poder, uma sociedade educada e informada não serve, pois ela se recusaria a ser servil e manipulada como sabemos ser, mas, fingimos não ser!

Falando sobre o Debut “ChaosLives In Fur”. O mesmo tem recebido muitas críticas positivas, tendo um ótimo reconhecimento no underground. Gostaria que comentassem tal momento.

ThiagoPara nós cada palavra contida em uma resenha, seja ela positiva ou negativa, é como se fosse uma vitória. É como diz o velho ditado - falem bem ou mal, mas falem de mim! Tivemos a sorte de ter recebido somente críticas positivas até o momento, e isto é o motivo pelo qual não desistimos e seguimos com força trabalhando para nos mantermos na cena e, quem sabe, adquirirmos uma relevância maior na mesma no futuro. Acreditamos na música como uma maneira de expressão livre, onde o que importa é tanto a ela em si quanto a mensagem, seja ela pela palavra, seja pela coerência do conteúdo, seja pelo amor com que tentamos colocar em tudo que fazemos por esta banda e pela nossa cena!

Links Relacionados:


CREPTUM: debut sendo masterizado pela Absolute Master



Falta pouco para que o primeiro álbum de uma das maiores promessas do Black Metal nacional dos últimos anos veja a luz do dia. Estamos falando de ‘of lies, curses and blood’, disco do CREPTUM que acaba de ir para a fase de masterização.

O trabalho está nas mãos do engenheiro Neto Grous, na Absolute Master. A empresa, uma das maiores do ramo de masterização na América Latina, vem se voltando cada vez mais para o trabalho com bandas de Rock e Metal, estilo favorito dos proprietários. Entre nomes que já passaram por lá Rebaelliun, Woslom, Blackning, entre outras. Para conhecer mais da empresa: www.facebook.com/masterizacao


‘of lies, curses and blood’ foi gravado no estúdio Ponto Zero (Santo André/SP) e produzido por Eric Cavalcante (Deimous Nefus), também guitarrista da banda, já a capa ficou nas mãos do vocalista Raphael Grizilli (Tanatos).


O disco, que será lançado pela Mutilation Records, conta com dez músicas, incluindo as duas presentes no single ‘In The Arms Of Death’, aqui regravadas e revistas. Confira o tracklist:

1. On The Pale Horse
2. In The Arms of Death
3. Against the Lies
4. An Inevitable End
5. Burn The Cross
6. Memento Mori
7. The Unknown Darkness
8. Through the Flames and Shadows
9. New Aeon Misanthropy
10. The Black Sword

A data de lançamento do álbum será anunciada em breve.


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

EDEN SEED: conheça a nova banda de Gisele Marie Rocha



Quando a guitarrista Gisele Marie Rocha surgiu no mundo da música, algo chamou atenção de todos do meio: o fato de ser muçulmana e usar regularmente o niqab, deixando apenas os olhos à vista. Mas a guitarrista provou que, independente de sua religião, seu amor pelo metal e sua técnica no instrumento – com jeito Randy Rhoads -, são os fatores que realmente se destacam em sua carreira de musicista.

A guitarrista montou então a banda EDEN SEED, que, ao lado dos músicos Cláudio Marchese, Caio Caruso e Gilberto Meneses, executa um Thrash Metal que não se enquadra em apenas um estilo artístico, pois flerta com diversas influências trazidas por todos os membros.

O show de estreia da banda já tem data marcada: será no dia 29 de junho no Espaço Som, apenas para convidados. E a banda promete um espetáculo, acompanhado de uma dançarina árabe e um derbakista (um tipo de percussão árabe).


Em breve a banda apresentará mais novidades e convida a todos a seguirem sua página no Facebook https://www.facebook.com/EdenSeedBand/


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

AFFRONT: confira fotos do making of do vindouro clipe


Depois de apresentar uma música do que vem por aí, o AFFRONT prepara também um videoclipe. O grupo divide conosco algumas fotos da produção.


O clipe será para a música ‘Under Siege’ e conta com a produção da renomada CS Music Videos. (escrito e dirigido por M.Mictian). Confira algumas fotos do trabalho pelo link:

Para quem não conhece, a AFFRONT é nova banda de Thrash/Death Metal dos músicos do UNEARTHLY. O grupo é formado pelo fundador e baixista da lendária banda, M. Mictian (que aqui também assume os vocais) e de seu companheiro de banda, o guitarrista R. Rassan. Completando o lineup, o baterista Jedy Najay.

A música ‘Under Siege’ já está disponível para audição, quem quiser conhece-la mesmo antes do clipe, visite:


Quem preferir conferir no Facebook:


Para ficar por dentro de todas as novidades do AFFRONT, curta e acompanhe a fanpage oficial do grupo: https://www.facebook.com/affrontmetal/


Fonte: Metal Media

GORE - CONSUMED BY SLOW DECAY (Relançamento)


2016
Nacional

Nota: 8,5/10,0

Músicas:

1. Fetus Jejunii
2. Incomplete Evacuation
3. Hysterical Extraction of Facial Tissue
4. Intestinal Pestilence
5. Dissimultated Incubation and Maximum Infection
6. Phlatulent Manifestation of Alcaligenes Faecalis
7. Exposed Guts
8. Syndrome of Intensive Regurgitation
9. Attenuated Mutant Worms
10. Inquisitive Corporeal Recremation
11. Unfinished Radiation
12. Frenetic Fetishism for Human Pieces in Decomposition
13. Human Limbs Mutilated
14. Circle Of Suffocation
15. Cannibal Zoophilism With Extreme Sexual Aberration

Bonus Tracks (Recorded At the "More Gore That Before Festival"):

16. Consummated Cancer
17. Ominous Lamentation
18. Fetus Jejunii
19. Hysterical Extraction of Facial Tissue
20. Inquisitive Corporeal Recremation
21. Cannibal Zoophilism With Extreme Sexual Aberration
22. Tips Trans Jugular Intra Hepatic Porta Tystematic Schunts
23. Incomplete Evacuation
24. Intestinal Pestilence
25. Consummated Cancer
26. Human Limbs Mutilated
27. Cursed Bitch
28. Unfinished Radiation
29. Pyosisified (Rotten to the Gore)
30. Submerged in Diarrhea
31. From Deep Obscurity
32. Oral Sex With Decapited Female Head


Banda:

1995:
Robot - Baixo, vocais
Morto - Guitarras
Victor Rocco - Bateria

2016:
Robot - Baixo, vocais
Will "Sacer" Vieira - Guitarras
Márcio Cativeiro - Bateria


Contatos:



Ser pioneiro não significa que as coisas são melhores ou mais simples. Longe disso: são justamente aqueles que começam algo que mais se arrebentam com mil dificuldades, e uma das piores é justamente não ser bem aceito por estar expandindo fronteiras. Um grupo guerreiro, em geral, tem que se impor e mostrar que não se render diante das dificuldades de seu tempo. E é assim, na marra, na cara e na coragem, que grandes nomes que são vistos no cenário como influentes se ergueram e chegaram lá. Alguns, diante de tanta dificuldade, cedem e param.

E é esse o caso do GORE, de São Gonçalo (RJ), um veterano com quase 30 anos de muita experiência e garra. E motivados pela resposta em shows recentes, e com a parceria da Cold Arts Industry Records, relançaram o clássico "Consumed by Slow Decay", seu primeiro álbum. Mas esta versão tem algumas surpresas muito interessantes.

Antes de tudo, o trio segue a mesma linha de bandas como o CARCASS (na época de seus dois primeiros discos), DISGORGE e outros: Goregrind sujo, podre e sem limites em termos de tosqueira e agressividade. Mas verdade seja dita: o que um fã pode esperar do gênero que não seja isso?

E, aliás, me permitam dizer: é justamente dessa forma que se percebe o talento, a vontade e pioneirismo da banda. Tudo bem que o disco originalmente é de 1996. E imaginem o quanto o trio lutou no cenário até chegar a ele. Foram 10 anos de muito sangue, suor e lágrimas com recursos bem mais limitados dos que existem hoje. E isso no Brasil!

Gore
Urros guturais extremos e gritos estridentes, riffs de guitarra com uma distorção extrema, com solos típicos do gênero, baixo e bateria soando pesados e bem entrosados, e isso nos permite ver que a música do GORE prima pela simplicidade, mas ao mesmo tempo, quem disse que para ser bom é preciso ter complexidade técnica absurda? É brilhante como é!

O disco soa bem aos ouvidos, já que o mesmo foi remasterizado em janeiro deste ano por Glésio "Shitfun" Torres, e o áudio das faixas bônus teve toda edição feita por Márcio Cativeiro (baterista atual) e Will "Sacer" Vieira (guitarrista). Mesmo mantendo o charme tosco do original, soa bem aos ouvidos, com maior definição sonora, mesmo nas faixas ao vivo (que não receberam nenhum overdub ou regravação. É tudo artesanal, como foi captado no "More Gore That Before Festival", em 07/11/2015).

Já a arte é um atrativo à parte: ela foi toda refeita pela Cold Arts Industry, com direito a depoimento de Robot (único membro que gravou o disco original que ainda permanece na banda), várias fotos novas e da época, e tudo isso em papel couchet com verniz, tudo muito caprichado.

Musicalmente, pouco se precisa falar do GORE: é sujo, podre, distorcido, mas feito com a sabedoria de quem conhece os caminhos do Goregrind. É esporreira, porrada seca e direta na cara, sem dó dos mais incautos. E isso com faixas curtas, diretas, sem firulas, onde os andamentos mudam de forma insana. E por isso é tão bom.

"Fetus Jejunii", "Intestinal Pestilence", "Dissimultated Incubation and Maximum Infection", "Attenuated Mutant Worms", e "Frenetic Fetishism for Human Pieces in Decomposition" são testemunhos de uma época bem intensa no underground carioca, todas elas com seu valor inerente. Mas evitem consultas às letras, pois haja estômago para tanta podridão. Legistas vomitariam com facilidade!

Nas faixas ao vivo, vemos a formação atual em ação.

É incrível ver que a vontade, o tesão e força da música continuam ali, mesmo com a formação sendo diferente. E tudo é feito sem overdubs, como dito acima, deixando o trabalho mais espontâneo e solto, como visto em "Consummated Cancer" e "Cannibal Zoophilism With Extreme Sexual Aberration". E de quebra, temos "Ominous Lamentation" do GENERAL SURGERY, "Tips Trans Jugular Intra Hepatic Porta Tystematic Schunts" do LYMPHATIC PHLEGM, e um dos hinos da distorção abusiva e podreira absoluta, que é "Pyosisified (Rotten to the Gore)", do CARCASS, e cada uma delas em uma versão personalizada e muito criativa (coisa que o GORE cana de mostrar que sabe ser).

No mais, parabéns à Cold Arts Industry pela aposta, e ao GORE por nos oferecer algo tão bom. E que venha logo o segundo álbum!

Agora, com licença, pois preciso ir pôr as tripas para fora de tanto vomitar!

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


DOOMSDAY HYMN: grupo tem participação em coletânea americana gratuita.


A banda DOOMSDAY HYMN esta participando da coletânea virtual 'The Pack Vol. 1'.

Idealizada pelo selo Rottweiller Records, 'The Pack Vol.1' contém 21 faixas, todas de artistas de seu cast, sendo 'Recomeçar' a faixa que está representando os brasileiros nesta compilação.

O material está disponível para download no Bandcamp do selo através do sistema 'name your price', ficando ao gosto do ouvinte se o material será gratuito ou não.


Track list :

01 - Lost (Becoming Saints)
02 - Incarnate (Pantokrator)
03 - Let The Killings Begin (Hand Of Fire)
04 - The Trail In The Snow (Immortal Souls)
05 - Veneration (Death Requisite)
06 - Perversion Of The Cross (Soul Embranced)
07 - Burning Of The Last Bible (Forfeit Thee Untrue)
08 - Recomeçar (Doomsday Hymn)
09 - The End Of Emnity (The Autumn League)
10 - Amusing (Final Surrender)
11 - Vivente (Aggelos)
12 - Straigth To Hell (Grave Robber)
13 - Until My Head Rolls (Skald In Veum)
14 - Finger (Lust Control)
15 - Avenging The Martys (Every Knee Shall Bow)
16 - Violence (Abated Mass Of Flesh)
17 - Living Hope (Behold The Kingdom)
18 - Grred Machine (The Order Of Elijah)
19 - Save Me (Flawless Of Design)
20 - What Child Is This (Wretched Grave Robber)

Link para audição: https://thepackvol1.bandcamp.com/



Você encontra o álbum 'Mene Tequel Ufarsim' nos seguintes formatos :

Plataformas Digitais:

CD - Versão Nacional:

CD - Versão Americana (Com bônus).
Rottweiler Records: http://bit.ly/RottweilerRecords
Nordic Mission : http://bit.do/DDHNM

Clip "Mene Tequel Ufarsim":


DOOMSDAY HYMN é :
Gil Lopes (V)
Karim Serri (G)
Angelo Torquetto (G)
Allan Pavani (B)
Jarlisson Jaty (D)

HARRINGTONES: band signs with Sliptrick Records for Debut EP


HARRINGTONES were born in December 2014 in Milan by free spirit of musicians Ivan Oliva and Morris Gun: Ivan played in the middle 80s and in the 90s in many rapresentative bands of The Milan underground 60s and indie scene.


Gun started playing the Bass in the beginning of the century in the Dusk (post punk band); he was inspired by the new wave Dark brit scene and by the madchester sound of the beginning of brit 90s. Gun, on february 2015 decided to introduce in the band Otto Raw that influenced HARRINGTONES' sound with his 60s psichedelick guitar background and his soul inspirations. Raw played and recorded with Smodati two singles and one album; he toured and performed with The band opening act to important brit mod revival legends like Purple Hearts, Lambrettas and Long Tall Shorty.

In 2010 Raw recorded the Collection 1990-2010 with the punk band Asociale and he toured in America, Mexico and Germany.

In 2015 the band introduced Freddy Rim, a professional young musician (he is studying at Conservatorio Musicale - Lake Como - Italy). Freddyplays inthe band keyboards.

The drummer of the band is Mr. Ghido and excentric guywitha personal60s Style.

The band recorded in 2015 the first Ep "This is the New Age" with the collaboration of the british legend Steve Cradock: Cradock played in the EP guitars, piano and autoharp.

The cover artwork was designed by Fabrizio Musa, one of the Most popular artist in the contemporary US and European Art scene.

The outfit of the cover is designed by the Italian Griffe Pantero Pantera.


HEARTACHE: band is signing with Sliptrick Records


HEARTACHE progressive rock/metal enters the Sliptrick Records roster, setting the bar higher with their sophomore album "Skyscrapers and Firefalls".

Progressive rock, metal, atmosphere and skill are fused with almost pop music flavoured melodies in what becomes the perfect marriage of inspiration and history of the great progressive and rock bands from the seventies until today.

HEARTACHE - Rome (Italy)

Progressive Rock/Progressive Metal
Influences: Genesis, Dream Theater, Pain of Salvation, Banco del Mutuo Soccorso


Current line-up:
Thomas Gabriele [Vocals]
Matteo Palladini [Guitar]
Giancarlo Vizzaccaro [Keyboards]
Alessandro Giordano [Drums]
Andrea Prestia [Bass]
Paolo Di Gironimo [Guest / Session Bass]


TIMOR TRAIL: quarteto lança novo clipe


Após o video da faixa "Finding the Goblin", os paulistas do TIMOR TRAILS estão lançado um novo clipe, dessa vez para a faixa "Sweet and Cruel", mais uma que compõe o homônimo EP de estréia da banda. 

Produzido Rafael Agostino, o vídeo conta com imagens do quarteto captadas em apresentação no no dia 30 de abril, no Café Aurora, uma das mais tradicionais casas de eventos da noite paulistana. 

Além dos videos, a banda de Stoner/Doom segue com os shows de divulgação do EP, enquanto produzem material para seu primeiro full length.
Assista ao video de "Sweet and Cruel":


Conheça também o video de "Finding the Goblin":


Ouça o EP Timor Trail na integra: https://timortrail.bandcamp.com/releases

Para contactar o produtor Rafael Agostino, acesse: https://www.facebook.com/rafael.agostino/about?section=contact-info&pnref=about