17 de out de 2014

SUFFOCATION OF SOUL: entrevista diretamente do estúdios do Heavy Metal On Line




Os baianos do SUFFOCATION OF SOUL concedem entrevista no estúdio do programa Heavy Metal On Line, onde Clinger Carlos abordou diversos temas, incluindo a longa Tour 2014 da banda. 


Por Clinger Carlos

Chegamos ao #49, muita coisa aconteceu no passar deste ano e continuamos com muitos materiais arquivados para colocar no ar, alguns demoram mais outros menos, sempre fazemos uma mesclagem das bandas que estão nos programas. Sem centralizar nossos programas em determinados estilos no metal, sempre tentando mesclar as bandas dos diferentes estilos.

Mas neste programa temos duas bandas de Thrash Metal que estão botando pra quebrar Brasil afora, literalmente. Uma delas é o SUFFOCATION OF SOUL que está realizando uma longa tour pelo Brasil, outra o JackDevil, que vem ganhando a cada dia mais espaço junto as principais bandas do metal nacional. Outro grande destaque ficou por conta das bandas Amazarak, entrevistada por nosso colaborador Alex Chagas,  e o Descerebration, banda séria, comprometida com os ideais de seu estilo.

Assista a entrevista completa:






Skin Culture: Ouça novo single, “Murdernation”




O SKIN CULTURE acaba de lançar mais um single: “Murdernation”, que estará em seu novo álbum, com previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2015 – que será o sucessor de “The Flame Still Burns Strong”, lançado no final de 2013.

O Single foi lançado de forma virtual e você pode conferir aqui:


A banda afirma que essa é uma pré mix, já que a versão definitiva estará no ‘full lenght’, no ano que vem.


A capa do single é de autoria de Fabio Carito, da Info4RT design visual, que também é baixista do Shadowside, e tem ajudado o SKIN CULTURE em seus recentes compromissos – é capaz que ele grave o disco com a banda.

SKIN CULTURE é formado por Shucky Miranda (vocais), Tueu Isaac (guitarra), Leonardo Melgaço (guitarra) e Marcus Dotta (bateria) – por enquanto, o posto de baixista está com o já citado, Carito.


Links relacionados:




Fonte: Lanciare

Douglas Jen em entrevista para o Heaven and Hell News em New York






Seguindo a agenda de divulgação do CD "Traumatic Scenes", o guitarrista Douglas Jen (SUPREMA) em viagem promocional para New York (EUA) visitou uma série de pontos turísticos e respondeu entrevistas.

Em frente ao símbolo americano, a Estátua da Liberdade, Douglas Jen falou com o Heaven And Hell News, e entre os assuntos da entrevista falou sobre o clipe de "Fury and Rage, o endorsement com a Peavey Brasil, a sua viagem promocional nos EUA, abertura para o Marty Friedman e muito mais

Confira a entrevista em vídeo na íntegra:


A agenda da TOUR 2014 do CD "Traumatic Scenes" está aberta e a banda já passou por importantes capitais como São Paulo, Manaus e Maceió, e segue agendando datas para 2014 com seu novo cenário e toda estrutura que está rodando o Brasil. Para levar a "Traumatic Scenes Tour" para sua cidade entre em contato através do e-mail contato@furiamusic.com.br .



Nekrost: lançado Lyric Video de “Colluded” do novo disco The Dark Path



NEKROST, a maior banda atualmente do Inferno Verde acabou de lançar o debut “The Dark Path” de forma independente, no qual conseguiu concluir com qualidade elevada a produção geral do produto final. Atualmente vem divulgando o primeiro vídeo oficial de “Fall of the Tyrante” e agora o segundo Lyric Video do novo disco, se trata da faixa 5, intitulada “Colluded”.
No Amazonas já é possível encontrar o disco em diversas lojas espalhadas por localidades diferentes, a banda faz vendas via Correios também através do e-mail nekrost.am@hotmail.com.  No Sudeste e Sul do Brasil, será distribuído pela Black Legion Productions.
Dia 21/12/2014 a banda se apresenta em São Paulo-SP pela primeira vez, breve maiores informações.
Confira o Lyric Video de “Colluded”:
Acompanhe no Facebook: www.facebook.com/nekrost
Contato para shows: nekrost.am@hotmail.com



Assessoria de Imprensa

Resenha: Dancing Flame - Carnival of Dreams (CD)

Alternative Music
Nota 9,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Uma das sonoridades que mais rendeu frutos ao Metal em toda sua história foi a NWOBHM. Em raros momentos, o Metal como um todo sofreu um processo de renovação e atualização como no final da década de 70 e início dos 80. E ali surgem bandas seminais, como SAXON, IRON MAIDEN, DEF LEPPARD e tantos outros que irão levar o Metal a novos patamares e fãs. Até os dias de hoje, muitos ainda gostam de seguir as fórmulas e modelos deixados pelo movimento, o que não é errado. Mas alguns gostam de dar uma roupagem mais moderna e limpa, conseguindo usufruir bons frutos. E o experiente quinteto DANCING FLAME, de Volta Redonda (RJ) mostra em seu segundo álbum, "Carnival of Dreams", que veio para ficar.

Não há nada de muito inovador aqui, só aquela saudável e bem feita mistura de Metal e Hard Rock clássicos, mas se percebe que a banda deu uma roupagem um pouco mais modernosa (em termos de sonoridade), ganhando um peso fenomenal, mas com uma dose de melodia bem ganchuda, com ótimos refrões e corais muito bons. Vocais muito bem encaixados (que lembraram um pouco o estilão de Geoff Tate cantar, mas em muitos momentos também remete a Bruce Dickinson e Rob Halford), guitarras com riffs pesados e solos melodiosos (sem esbanjarem técnica demais), baixo e bateria com peso e nível técnico bem acima da média. E se preparem, pois é ouvir uma vez, e na segunda já estará cantando os refrões com eles.

Produzido pelo próprio quinteto e gravado nos estúdios E.M.E., Solaira, e Electric Experience, com mixagem feita por Diogo Macedo (no E.M.E. Estúdio) e masterizado por U.E. Nastasi (nos Sterling Sound Studios, EUA), a sonoridade é muito bem definida e clara, podendo mesmo ouvir as trilhas de guitarras limpas e solos ao mesmo tempo, bem como baixo e bateria estão com a dose certa de peso e clareza, e os vocais soam brilhantes. Ou seja, o trabalho em termos de sonoridade está em um nível muito bom. A arte, feita Mark Wikison (capa) e design de Jobert Melo (da Sledgehammer Graphic) ficou ótima, instigante e que deixa claro para o ouvinte o que ele pode esperar do disco.

Dancing Flame
A banda realmente consegue um resgate do bom e velho Hard'n'Roll da NWOBHM, mas sendo que não é algo com cheiro de mofo ou que soa datado (e chato). Pelo contrário, um dos pontos mais fortes do grupo é a capacidade de soprar vida em algo já meio desgastado pelo uso excessivo. Não, a banda consegue soar com frescor e muito peso, com energia e melodia desfilando sobre arranjos esmerados e bem lapidados. E ainda temos as participações especiais de D.C. Cooper nos vocais em "Dry My Tears", Mark Boals também nos vocais em "Follow the Sun", Márcio Carvalho (teclados), Angélica Hanks e Carol Kaperzi (ambas como backing vocals em "Fortress of Beliel" e "Queen or Clown").

Destaques em um disco tão bom: o arrasa-quarteirão Hard'n'Heavy "Dreamweaver" (que se inicia com uma bateria pesada, para depois as guitarras aparecerem com um solo muito bom, e enfim os vocais aparecem roubando a cena com timbres fortes, e alguns coros muito bem encaixados), a envolvente "Follow the Sun" (belíssimos riffs, mostrando muito peso e arranjos ganchudos, e mais um excelente refrão. E a participação de Mark Boals dá um toque especial à música), a pesada e com andamento mais focado no peso "Ronnie" (uma belíssima homenagem ao mestre Ronnie James Dio, recheada de mudanças de ritmo e mais uma vez com vocais mostrando um trabalho muito bom), a trabalhada e acessível "Higher Place" (algumas influências do QUEENSRYCHE surgem aqui e ali, já que o contraste entre momentos limpos e amenos com os mais distorcidos é muito bem utilizado), a também acessível "Runaway Soul" (um pouco mais macia, com trabalho bem legal de baixo e bateria), a acústica "Fortress of Belief" (uma semi-balada encantadora, levada apenas com voz e guitarras limpas), a balada pesada "Dry My Tears" (belos vocais, e a voz de D.C. Cooper dá um belíssimo contraste com a de Adriano), e a intensa "The Highest Hill" (introduzida por corais que lembra os que o QUEEN usava, que é bem macia no início, mas que logo ganha peso e novamente outro refrão ganchudo). Mas além delas, ainda temos as ótimas bônus em "Your Heart Must Be Strong" e "Life is Like a Wheel", ambas duas belas canções, a primeira mais ganchuda e com pegada pesada, a segunda mais amenas, mas com ótimos arranjos.

Sim, o disco é muito bom, é um produto tipo exportação, e merece aplausos, bem como a aquisição.


Tracklist:

01. Carnival of Flames (Intro)
02. Dreamweaver
03. Follow the Sun
04. Ronnie
05. Higher Place
06. Don't Let Me Down
07. Runaway Soul
08. Fortress of Belief
09. Dry My Tears
10. Warrior's Path
11. The Highest Hill
12. Queen or Clown?
13. Kalash
14. Your Heart Must Be Strong
15. Life is Like a Wheel


Banda:

Adriano Oliveira - Vocais
Emerson Mello - Guitarras
Glaydson Moreira - Guitarras
Rafael Muniz - Baixo
Bruno Martini - Baterista


Contatos:

Facebook (Grupo)
MS Metal Press (Assessoria de Imprensa)

Mad Dragzter: Confira a capa e tracklist do novo álbum “Master Of Space And Time”




O MAD DRAGZTER acaba de disponibilizar a capa e o tracklist de “Master Of Space And Time”, disco que será lançado no começo de 2015.

A arte da capa é assinada pelo artista Sergio Cariello, conhecido como um dos mais talentosos do mundo dos quadrinhos, com uma bagagem que inclui trabalhos nas gigantes Marvel Comics e DC Comics – além de tantas outras empresas, como as independentes, CrossGen Comics e Dynamite Entertainment.

“Master Of Space And Time” será o primeiro lançamento da Army Records – que também inclui uma marca de roupas, onde o MAD DRAGZTER é o responsável pela trilha sonora (veja mais abaixo)





O Tracklist de “Master Of Space And Time” traz as seguintes músicas:

1 - Valley Of Dry Bones
2 - Almighty
3 - Master Of Space And Time
4 - 5708
5 - Megiddo
6 - Gehenna: The Second Death 
7 - King Of Kings
8 - Army Of Truth
9 - Sons Of Thunder
10 - The Man By The Pool Of Bethesda 
11 - One Nation, One Church
12 - Mission Open Doors
13 - Vox Spiritus Sancti
14 - Wrath Of God
15 -  New Heaven And New Earth

Você pode conferir um pequeno trecho de “Sons Of Thunder” (versão demo), que foi usada na trilha sonora da coleção da Army Inc., outono/inverno, passado, aqui:



Por essa música, dá para notar que a banda virá ainda mais focada no thrash, sem inovações ou experimentos, apenas thrash metal em sua mais pura forma.
A espera dos fãs valerá a pena!

A formação do MAD DRAGZTER continua a mesma de “Killing The Devil Inside”, lançado em 2006, com Tiago Torres (vocal e guitarra), Gabriel Spazziani (guitarra), Armando Benedetti (baixo) e Eric Claros (bateria)


Acompanhe as novidades da banda no site e nas redes sociais:



Fonte: Lanciare

Tr00 Talk Show: o novo programa de rock/metal do Brasil



Dewwytto é uma dessas celebridades malucas do Youtube - foto: divulgação

Enfim, surge uma nova opção de entretenimento aos fãs de rock e heavy metal. Apesar de não estar diariamente na mídia mainstream, o cenário continua a todo vapor, necessita de meios de comunicação especializados para fomentar e aquecer todo o movimento. É justamente visando acabar com essa lacuna e abrir um canal de exposição, criou-se o Tr00 Talk Show.

O projeto em parceria do canal Planno D, com o Blackmore Rock Bar, tem sua estréia marcada para novembro. Confira teaser oficial, com o depoimento de vários artistas, elucidando o que está por vir em https://www.youtube.com/watch?v=kcblA02qFt4.

Assista chamada gravada por Max Cavalera em https://www.facebook.com/video.php?v=512296812206407.

O programa será apresentado por Dewwytto, uma dessas estrelas malucas do Youtube. O cardápio será bem variado tendo atrações para todas as idades. Informação, comportamento, celebridades, entrevistas, cobertura de shows e muito humor. O público terá participação ativa da platéia que estiver no próprio Blackmore Rock Bar e poderá interagir através de diversas plataformas como redes sociais, vídeos, fotos, e-mail, etc.

O primeiro programa será gravado, no próximo dia 14 de novembro, às 22h, no Blackmore Rock Bar, com as bandas Ancesttral, Woslom e Furia Inc.

Existe a possibilidade de que uma equipe de repórteres especiais colabore cobrindo os principais assuntos de entretenimento.

O Tr00 Talk Show vai mostrar os bastidores dos shows, entrevistar artistas nacionais e internacionais, e participar dos principais eventos que desembarcarem no país. A proposta é totalmente voltada ao público cada vez mais exigente, que quer apenas se divertir e se informar.

“Nossa intenção é oferecer algo quente e inovador. O objetivo é abrir espaço para artistas novos e consagrados. Assim como mostrar ao público que não é tão familiarizado a este segmento musical, um pouco mais deste rico universo”, declarou Dewwytto.

A principio, o TR00 TALK SHOW será veiculado para mais de 75 mil assinantes do canal Planno D no Youtube e mais de 85 mil fãs em sua página no Facebook. O projeto também será divulgado em diversos veículos e portais parceiros.





Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC – PR:
02/11 – Rosa de Saron – Clube Ítalo Brasileiro – Limeira/SP
07-08/11 – NO FUN AT ALL – Hangar 110 – SP/SP
08/11 – Behemoth – Carioca Club – SP/SP
09/11 – D.R.I. + Ratos de Porão – Carioca Club – SP/SP
16/11 – Sampa Music Festival 12 – Espaço Victory – SP/SP
20/11 – Kansas – Vivo Rio – RJ/RJ
21/11 – Kansas – HSBC Brasil – SP/SP
22/11 – O Teatro Mágico – Plaza Hall – Sorocaba/SP
23/11 – ForFun – Plaza Hall – Sorocaba/SP
28/11 – Age of Artemis – Gillan’s Rock Bar – SP/SP
06/12 – O Teatro Mágico – Clube Ítalo Brasileiro – Limeira/SP
14/12 – Rosa de Saron – Plaza Hall – Sorocaba/SP
Mais infos sobre os shows acima, acesse https://www.facebook.com/UltimateMusicPR
 

A/C Costábile Salzano Jr
11 4241.7227 | 11 9 6419.7206

Resenha: No Way - Rise of Insanity (CD)

Nota 9,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


A mistura entre Heavy Metal tradicional e o Thrash Metal não é algo novo. Ela já é feita desde os anos 80, mas deu uma caída no desuso por alguns anos, e com um número muito grande de bandas atualmente anda buscando revigorar sonoridades antigas, alguns nomes novos tem surgido. E em São Paulo, o quarteto NO WAY, na luta desde 2004, mostra-se um bom representante do gênero em "Rise of Insanity", seu primeiro álbum, que sucede o Demo CD "Leading Way to Suicide" (de 2012).

É necessário que se diga que a banda reescreve o estilo, atualizando-o, mas sem perder a essência, mas nos livrando do sentimento de estarmos ouvindo algo datado. Existe uma vibração, uma vida bem particular em seu ótimo trabalho. Vemos a agressividade do Thrash Metal em alguns arranjos das guitarras e nos vocais (com o detalhe que temos uma vocalista, ou seja, vocais femininos. Mas são rasgados e com uma impostação diferenciada, como se fosse uma mistura de timbres como "Zetro" Souza e Mille Petrozza em seus momentos menos guturais), mas o instrumental da banda não nega a sua veia mais tradicional, com boas e fortes doses de melodia. E a cozinha rítmica mostra uma boa técnica, verdade seja dita. Não é preciso dizer que o produto final é vibrante, bem feito e com bastante energia. E sim, é bem ganchudo.

No Way
O grupo produziu o trabalho, assim, manteve controle sobre tudo, mas não deixou que sua sonoridade ficasse sem vibração. Energia e agressividade se aliam à boas melodias como nossos ouvidos podem comprovar, e isso é fruto de uma qualidade sonora que não privilegia nenhum dos dois aspectos, e o CD consegue soar agressivo, pesado e limpo ao mesmo. E sim, temos a impressão de estarmos ouvindo uma banda jovem, já que a sonoridade é bem moderna. A arte, um bom trabalho de João Duarte (o mesmo que já trabalhou com VOODOOPRIEST, CIRCLE II CIRCLE, METAL CHURCH e WOSLOM, só para mencionar alguns), com uma capa instigante e um layout perfeito, dando corpo ao lado sonoro do quarteto.

Em termos de composição, esse quarteto arrasa. Cria uma música envolvente, de bom gosto e com uma boa dinâmica, já que a transição de andamentos e momentos em cada canção não é abrupta ou cause consternações, ou que o equilíbrio entre melodia e agressividade seja afetado. Longe disso, até mesmo assim, eles mostram uma deliciosa capacidade de criar algo agradável aos nossos ouvidos.

Destaques: a ganchuda, cadenciada e forte "March Through the Fire" (uma bela exibição de riffs thrashers à lá SLAYER em certos momentos aliados à melodia, fora belo trabalho da base rítmica), a trabalhada e azeda "Praying with Bullets" (reparem bem no ótimo trabalho do baixo, com vocalizações muito bem encaixadas sobre a base instrumental, e ótimo solo de guitarra), "We Will Take You Down" e seu jeitão mais Rock'n'Roll (tanto que a vocalista Diana dá uma amenizada nos tons agressivos, buscando timbres próximos ao natural), que mostra um trabalho mais acessível ótimo; "Collateral Murder" e suas excelentes guitarras (como são grudentas em nossos ouvidos, especialmente durante o solo), a vibrante "Power and Prejudice" (novamente com vocais agressivos muito bons), e a longa "Russian Roulette" (mais de sete minutos de duração, com ótimos momentos que nos rementem ao uso de Música Clássica em arranjos em seu início, antes de ganhar mais agressividade em meio ao andamento pesado, com muito bom trabalho de baixo e bateria, mas sem desmerecer os vocais e guitarras (ambos também estão mostrando um excelente trabalho aqui). Mas o disco como um todo é excelente.

Uma das grandes revelações de 2014, sem dúvidas, mostrando o quanto o Brasil pode produzir em termos musicais.


Tracklist:

01. March Through the Fire
02. Praying with Bullets
03. We Will Take You Down
04. Leading Way to Suicide
05. Collateral Murder  
06. Armies of the Night
07. Power and Prejudice
08. Gates of Hell
09. Let the Blood Run
10. Russian Roulette


Banda:

Diana “Rocker” Arnos - Vocais
Rodrigo “Sleepwalker” Alves - Guitarras
Felipe “BigHead” Ribeiro - Baixo
Daniel Bianchi - Bateria


Contatos:

MS Metal Press (Assessoria de Imprensa)

Resenha: Bloody Violence - Obliterate (EP)

Cianeto Discos/Eternal Hatred Recods
Nota 8,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Em termos de Death Metal, podemos dizer que é o estilo que no Brasil tem a maior quantidade de bandas. É impressionante, pois  em uma proporção de 10 trabalhos lançados, 5 são de bandas que se encaixam em alguma vertente do estilo. E isso não é ruim, já que podemos ver que, graças à latinidade no sangue do brasileiro, o estilo vai sofrendo mutações que o levam a novos patamares. E um bom exemplo de banda que tenta fazer algo de novo, mas sem que o estilo perca sua característica mais brutal é o BLOODY VIOLENCE, do RS, que chega com o EP "Obliterate".

Adeptos do que convencionou-se chamar de Technical Death Metal, o trabalho é bruto, extremo, rasgado, veloz e pesado como o estilo dita, mas ao mesmo tempo, existem algumas estruturas bem diferentes do que acostumamos a ouvir por aí. Basta sacar como baixo e guitarras mostram alguns acordes não convencionais, quase que herdados do Jazz, em meio à tanta agressividade. Vocais urrados na melhor escola gaúcha (chegando a alguns urros guturais em tons bem baixos), riffs de guitarras insanos (mas com um certo sentido bem diferenciado, como citado acima), baixo firme e com uma técnica muito boa (realmente o baixista pertence à escola de Alex Webster, sem dúvidas), e a bateria mostra peso e técnica bem acima da média. O resultado é algo bem brutal, mas técnico, e se por um lado (ainda) não é inovador, mostra personalidade e energia de sobra.

A produção do CD (bem como a mixagem e a masterização) foi feita por Sebastian Carsin. É algo caprichado, buscando deixar o som da banda cheio e agressivo, para que as baixas afinações e urros não façam com que a qualidade sonora fique embolada e confusa. Pelo contrário, a sonoridade dos instrumentos, mesmo debaixo de tanta brutalidade, é bem definida e clara. Um trabalho muito bem feito, e que merece aplausos.

A arte, um trabalho bem legal e que tem aquela aura Death Metal que todos os fãs apreciam, é feita por Rafael Tavares, e ficou bem legal, usando tonalidades de marrom-escuro e negro que deu um ar sombrio ao trabalho do grupo. E leiam os agradecimentos do encarte, pois tem uma surpresa bem legal no final.

Resta dizer que a essência do som do BLOODY VIOLENCE vem de seus arranjos bem feitos. Sim, a dinâmica de seus arranjos faz com que o trabalho não seja cansativo aos nossos ouvidos, mas ao mesmo tempo, é de fácil assimilação para os já acostumados. Mesmo usando de músicas não tão curtas (exceto "Born to Squirm", que dura quase 4 minutos), a banda não cansa os ouvidos. O trabalho deles é tão bom que algumas melodias surgem em solos vez por outra, mostrando o quanto a banda ainda vai render, pois "Obliterate" é seu primeiro trabalho, e um ótimo cartão de visitas.

Em "Piece of Shit", o grupo alterna bastante a velocidade dos andamentos, surgindo arranjos de guitarra e baixo bem jazzísticos, um solo bem melodioso sobre uma base rítmica intensa e pesada (reparem nos bumbos nesse momento), e vocais bem urrados. "Born to Squirm" é mais violenta e azeda, mesmo com a mesma dinâmica de arranjos da anterior, com destaque para o trabalho fantástico de baixo e guitarras. E em "Purge", temos uma faixa de início técnico e veloz, mas que depois começa a se alternar com uma pegada mais intensa e brutal, destacando-se o ótimo trabalho dos vocais, que preenchem bem os espaços sobre a base rítmica.

Podemos aferir então que "Obliterate" é uma boa estréia, e que mostra uma banda com um futuro promissor, ainda mais vindos de uma terra que já nos deu KRISIUN, LEVIAETHAN, DISTRAUGHT e tantos outros.




Tracklist:

01. Piece of Shit
02. Born to Squirm
03. Purge


Banda:

Cantídio Fontes - Vocais
Igor Dornelles - Guitarras
Israel Savaris - Baixo
Eduardo Polidori - Bateria


Contatos:

The Birthday Massacre: Novo álbum recebe nota máxima no exterior

A vocalista Chibi durante as filmagens do próximo vídeo do TBM



Leia a resenha traduzida pelo blog TBM Massacre Brasil clicando no link: http://bit.ly/1nrAClB


A produtora Dark Dimensions é a responsável por trazer os canadenses ao Brasil pela primeira vez. Os show ocorrerão em janeiro próximo e o momento será mais que oportuno, pois o supracitado "Superstition" já estará nas lojas de todo o planeta cerca de dois meses antes desses concertos, o que dará tempo de sobra a os fãs brasileiros para decorarem cada uma das novas canções.

Lembrando que os ingressos continuam a venda pelo site www.ingressosparashows.com.br

O TBM conta atualmente com Chibi (vocais), Falcore (guitarra), Rainbow (guitarra), Owen (sintetizadores), Nate Manor (baixo) e Rhim (bateria). Formado em na cidade de Londres, Ontario, Canadá, sob o nome Imagica [homenagem ao romance homônimo de Clive Barker], só veio a receber o nome atual em 2002. Desde então, cinco trabalhos de estúdio foram lançados: "Nothing and Nowhere" (2002), "Violet" (2005), "Walking With Strangers" (2007), "Pins and Needles" (2010) e "Hide and Seek" (2012), além do já mencionado "Superstition", previsto para o dia 11 de novembro. Veja reprodução da capa abaixo.         




Serviços:



São Paulo

Data: 24 de janeiro
Local: Inferno Club - Rua Augusta, 501 Consolação [próximo às estações de metrô Consolação e Anhangabaú]

Horário: 20h (abertura da casa às 18h)
Censura: 16 anos

PISTA PROMOCIONAL: R$ 90,00
PISTA ESTUDANTE: R$ 70,00


VENDA FÍSICA: Galeria do Rock [a partir do dia 30/09/14] nas lojas Hellion e Profecias


Porto Alegre

Data: 23 de janeiro
Local: Teatro CIEE - Rua Dom Pedro II, 861 - Bairro Higienópolis
Horário: 20h30 (abertura da casa às 18h30)

Censura: 16 anos

PLATÉIA BAIXA: R$ 90,00*
PLATÉIA ALTA: R$ 70,00*
MEZANINO: R$ 70,00*
CAMAROTE: R$ 90,00*
*Promocional antecipado e estudantes



Rio de Janeiro

Data: 25 de janeiro
Local: Teatro Odisséia - Av. Mem de Sá, 66 - Centro

Horário: 20h (abertura da casa às 18h)
Censura: 18 anos (abaixo [até 14 anos] somente acompanhados do pai ou da mãe)


PISTA PROMOCIONAL: R$ 90,00
PISTA ESTUDANTE: R$ 70,00



VENDAS FÍSICAS NAS LOJAS:


ROCK FOR YOU [Duque de Caxias] - SHOPPING ESTAÇÃO FASHION - AV. PRESIDENTE KENNEDY, 1910 LOJA D5 - DUQUE DE CAXIAS - RIO DE JANEIRO - RJ - http://pdv.ticketbrasil.com.br/rj/loja/rock-for-you/

UMBRELLA FOR GAMES [Niterói] - RUA JOSÉ CLEMENTE, 62 ST 17 INFOCENTER SHOPPING, CENTRO


FANSLAND [Freguesia] - ESTRADA DOS TRÊS RIOS, 200 LOJA 106 BLOCO 3 - JACAREPAGUÁ

SCHEHERAZADE - RUA CONDE DE BONFIM, 346 LOJA 209 - SAENS PENÃ - TIJUCA

SEMPRE MÚSICA - GALERIA FIAMMA - RUA VISCONDE DE PIRAJÁ, 365 LOJA 11 - IPANEMA

HARD N'HEAVY - RUA MARQUES DE ABRANTES, 177 LOJA 106, FLAMENGO


Sites Relacionados



Próximas divulgações
-Within Temptation em Recife (28/11 no Clube Português), Rio de Janeiro (29/11 - Circo Voador) e São Paulo (30/11 - Audio SP).
-Extreme Hate Festival com Watain (Suécia), Belphegor (Áustria), Suffocation (EUA), Cryptopsy (Canadá) e Chaos Synopsis (Brasil).
-Eluveitie Latin American Tour 2015: 11/04 - Carioca Club, São Paulo; 12/04 - Teatro Odisséia, Rio de Janeiro; 14/04 - Music Hall, Curitiba, Brazil





Fonte: "Durr" Campos
​Assessoria de Imprensa