20 de abr de 2015

Rhino – Like a Horn Ripping Flesh (EP)

Independente
Nota 8,5/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Devido à atual evidência do Thrash Metal, muitas bandas do gênero têm aparecido no underground brasileiro. Algumas com uma pegada mais retro, outras com algo mais moderno. Mas é preciso sempre citar algo: como o Thrash Metal é um estilo bem antigo, é necessário que a banda saiba dar personalidade à sua música. E isso, meus caros leitores, é um desafio. Muitos sucumbem diante dele, fazendo apenas o “famoso mais do mesmo”, mas existem aqueles que se sobressaem, justamente porque puseram na cabeça “eu vou fazer do meu jeito”, e são essas que realmente valem a pena. E o quinteto RHINO. O que vemos no EP “Like a Horn Ripping Flesh” é de muito boa qualidade.

Antes de tudo, ficam claras as referências no Thrash Metal da Bay Area, especialmente pelo approach técnico do grupo. Ao mesmo tempo, óbvio que eles querem deixar o ouvinte surdo devido à agressividade ríspida de sua música. Ou seja, eles aliam bem a brutalidade à técnica, no que podemos classificar como Modern Thrash Metal. E a adrenalina é alta com esses vocais ríspidos e agressivos, riffs ganchudos e bem feitos, solos caprichados, baixo e bateria com peso e técnica nas medidas certas. Ou seja, o quinteto consegue fazer algo muito bom, mas justamente porque é bem espontâneo e do jeito deles.

Rhino
A produção é seca, mas bem feita. E nisso, o grupo consegue ter qualidade musical clara, mas sem soar oca ou perder peso em momento algum. Pelo contrário, chega a ser uma massa sonora insana às vezes, tudo isso em uma apresentação gráfica bem simples, mas funcional.

A banda capricha em suas composições, pois brutalidade explícita não significa ausência de qualidades. Nada disso, eles fazem uma música insana, mas temperada com belos arranjos e boas mudanças de ritmo.

São seis faixas de amassa-crânios, com faixas cuja duração média é de três minutos, o que torna o trabalho bem dinâmico e nada cansativo. E os destaques óbvios são a bruta e agressiva “What’s Your Side” (vocais perfeitos, bem abrasivos e assentados em uma base instrumental agressiva e técnica), a mais cadenciada e azeda “Vertigo” (algumas melodias soturnas muito bem embutidas nas guitarras), e a rápida “Repulsion”.

É de bandas assim que o Thrash Metal precisa...





Músicas:

01. What’s Your Side
02. Vertigo
03. Impaled
04. Traitors
05. Repulsion
06. Extreme Morbid Xexels


Banda:

Viola – Vocais 
Fausto – Guitarras 
Gustavo – Baixo 
Ian – Bateria 


Contatos:

Facebook
Lanciare (Assessoria de Imprensa)