10 de out de 2012

Notícias: Shinigami Records (10/10/2012)



- - -

Sacrificed: vocalista entrevistada pelo blog M. G. Heavy


O blog M.G. Heavy, especializado na cena minera, entrevistou à vocalista Kell Hell da banda SACRIFICED, que falou sobre os shows da banda,  a gravação do primeiro clipe e a participação da mulher na cena metal, entre outros temas. Confira trechos da entrevista:


M.G. Heavy: Desde o lançamento de “The Path of Reflections”, a banda tem excursionado bastante. Como tem sido essa experiência de levar o trabalho a outros lugares?

Kell: Viajar com a banda fazendo shows em diversas cidades é sem dúvida uma tarefa gratificante e ao mesmo tempo cansativa. Deslocar toda a estrutura é uma odisseia! Mas fazemos isso com muito prazer. Tocar “fora da nossa casa” acaba sendo muito interessante, conhecer um público diferente e ter a oportunidade de mostrar nosso trabalho para ele é importante e também prazeroso. Afinal, é ótimo poder dizer que fomos a tal cidade e que as pessoas curtiram nosso som.


M.G. Heavy: A SACRIFICED tem grande respaldo em BH e região, e tem participado de grandes eventos, inclusive algumas aberturas para bandas internacionais. Como vocês avaliam a atual posição da banda aqui em Minas?

Kell: O cenário em Belo Horizonte e em Minas Gerais como um todo é recheado de bandas com talento. Sendo assim, nos orgulha muito saber que somos considerados um dos expoentes da cena mineira atual. Afinal, Minas foi (e esperamos que ainda seja) o celeiro de grandes nomes do Metal. Acredito que o bom resultado de nosso álbum de estreia e o reconhecimento de grandes veículos de comunicação, têm aberto muitas portas ao SACRIFICED, inclusive em nosso próprio estado. As aberturas para o Eluveitie e o The Agonist entraram para as nossas apresentações memoráveis. E foram fruto de trabalho duro. Compartilhar o palco com bandas assim é uma grande aula de profissionalismo e até mesmo um grande aprendizado como pessoa, pois as duas bandas estão repletas de grandes músicos atenciosos e humildes. Além também da oportunidade de apresentar nosso trabalho para um público diferente do nosso.


M.G. Heavy: A banda está gravando um videoclip, que já se encontra em adiantado processo nas filmagens. Como se deu a escolha da música? Conte-nos sobre essa experiência?

Kell: Bom, escolhemos uma música que sabemos ser uma das prediletas dos admiradores do nosso trabalho. Já gravamos as imagens. Foi um dia intenso de gravação em um estúdio de cinema aqui em BH. Agora estamos em fase de pós-produção, na qual as imagens estão sendo editadas. Pessoalmente, pude perceber que fazer um clipe não é uma coisa nada simples, pelo contrário, é mais complicado do que eu imaginava. Tivemos bastante trabalho. Mas graças ao esforço de toda a equipe, e principalmente do diretor – Rodrigo Reinke – tenho certeza de que nosso esforço será recompensado e de que o público vai curtir muito esse primeiro videoclipe da SACRIFICED.


Leia a entrevista na íntegra em: http://bit.ly/Rg6Qel

“The Path of Reflections” , álbum de estreia de SACRIFICED, já está disponível através da Shinigami Records e nele encontraremos melodia, peso, riffs vigorosos e poderosos vocais nas dez faixas cuidadosamente finalizadas.
Para mais informações de como adquirir uma cópia deste CD, basta entrar em contato através do e-mail: loja@shinigamirecords.com ou compre aqui.

- - -

Notícias: Metal Media Management (10/10/2012)



- - -

NervoChaos: Mais informações sobre a nova turnê europeia


Já no Velho Continente, o NERVOCHAOS nos apresenta mais detalhes da ‘To The Death European Tour 2012’.

Assim como a excursão anterior, esta será mais uma turnê sem pausas para descanso. O grupo tem agendado 20 apresentações em 20 dias com início no dia 11 deste mês e final para o dia 31 de outubro.

O grupo passará por aproximadamente seis países: Alemanha, Itália, França, República Tcheca, Portugal e Espanha e levará mais uma vez o nome do Brasil em suas músicas e provando mais uma vez a tamanha importância que o nome NERVOCHAOS tem no underground, não só nacional, mas internacional também.


11.10 – Mannheim (Germany) @ 7er Club
14.10 – Mlada Boleslav (Czech Republic) @ Club Orthodox
17.10 – Aix-en-Provence (France) @ Le Korigan
18.10 – Zaragoza (Spain) @ Arena Rock
19.10 – Guadalajara (Spain) @ Sala Bumerang
20.10 – Palencia (Spain) @ At.Mosh.Phera
21.10 – Braga (Portugal) @ Dinaamo
22.10 – Vigo (Spain) @ Frenopatiko
23.10 – Salamanca (Spain) @ Sala 13 Monos
24.10 – Badajoz (Spain) @ Sala Metalarium
25.10 – Madrid (Spain) @ Sala Excalibur
26.10 – Castellon (Spain) @ Emetic Club
27.10 – Valencia/Aldaia (Spain) @ Agora
28.10 – Badalona (Spain) @ Sala Estraperlo
30.10 – Milan (Italy) @ Blue Rose Saloon
31.10 – Padova (Italy) @ Seven Live
09.11 – Medellin (Colombia) @ Teatro Matacandelas
10.11 – Cali (Colombia) @ Bar Mystik
11.11 – Bogota (Colombia) @ Teatro La Mama
17.11 – Gravataí/RS (Brasil) @ Sitio do Beto
21.11 – San Juan del Rio (Mexico) @ TBA
22.11 – Uruapan (Mexico) @ TBA
23.11 – San Luis Postosi (Mexico) @ Steel Metal Bunker
24.11 – Ciudad de Mexico (Mexico) @ Billy’s
25.11 – TBA (Mexico) @ TBA
01.12 – Itapevi/SP (Brasil) @ Kolping
02.12 – Porto Alegre/RS (Brasil) @ Bar Opinião
07.12 – Marília/SP (Brasil) @ TBA
08.12 – Maceió/AL (Brasil) @ TBA
15.12 – São Paulo/SP (Brasil) @ Seringueira
16.12 – Rio Negrinho/SC (Brasil) @ Zoombie Ritual Festival
21.12 – São Paulo/SP (Brasil) @ Hangar 110

Mas a grandiosa turnê de divulgação de ‘To The Death’ está longe de terminar, voltando, a banda já tem agendadas datas pela América do Sul, América do Norte e por todo o território tupiniquim.

Contato para shows e merchandise: nervo666@hotmail.com

Sites Relacionados:

- - -

Rhevan: Novo álbum pela Shinigami Records

Foto: Larissa Pajaro, Jennifer Montenegro & Gisele Vergilio

Com o novo álbum “One More Last Attempt” em fase final de produção, o RHEVAN anuncia o lançamento pela renomada gravadora Shinigami Records.

“A Shinigami é atualmente a gravadora que mais apoia as bandas nacionais e mais da suporte nos lançamentos. Estamos mega felizes por eles terem acreditado em nosso material”, comemora Daniele Navarro.

“One More Last Attempt” é sucessor do album “Perpetually”. Além dos álbuns, a banda também possui lançados dois Websingles e um EP. O material foi gravado no Anubis Estúdio, em Campo Grande, e está sendo produzido por Aldo Carmine, baixista da banda.

A previsão de lançamento é para a segunda quinzena de novembro.


Confira o videoclipe para a música “Drunk With the Blood of the Saints’, música que fará parte do novo álbum:


Contatos para shows e merchandise: bandarhevan@hotmail.com

Sites Relacionados:

- - -

HellArise: Baixista do Ancesttral gravando com a banda

Foto: Evandro Camelinni
   
Depois de anunciar a gravação de seu novo trabalho, um single ainda sem título, o HELLARISE nos agracia com uma ótima novidade: o responsável pela gravação dos baixos será Renato Canonico, do Ancesttal e Goatlove.

“Renato é uma pessoa muito querida pela banda e um exímio baixista, na hora de escolher alguém para gravar os baixos não tivemos nenhum dúvida sobre quem convidar! Está sendo inacreditável trabalhar com ele!” nos conta a baterista Mirella Max.

Com a saída da guitarrista Renata Petrelli, Mirella também acumulou mais uma função no processo de gravação do novo trabalho, ela está ajudando na gravação das guitarras! “Sempre compus com a guitarra e agora estou experimentando gravá-las, tem sido uma experiência bem bacana”, finaliza.

O single está sendo gravado em São Paulo no estúdio Pedrada e em breve teremos uma previsão de lançamento.

Contato para shows e merchandise: contact@hellarise.com

Sites Relacionados:

- - -

Blackmass: Confirmado no Zoombie Ritual 2012

Foto: Amanda Rossetim
  
O Zoombie Ritual Fest, considerado um dos principais festivais brasileiros, sempre teve a tradição de trazer grandes grupos do mundo todo. Este ano não será diferente e entre as atrações nacionais estará o BLACKMASS.

Como de costume, o festival está lotado de grandes nomes da cena nacional e internacional, entre eles Hirax, Malevolent Creation, Vital Remains, Ratos de Porão, Violator, Red Front, Necropsya, NervoChaos, entre outros renomes do underground.




Para mais informações sobre o evento, visite:


A horda está com formação renovada e gravando o sucessor do aclamado ‘Nemesis’, uma nova música pode ser conferida abaixo:


A banda continua em estúdio e em breve irá disponibilizar mais informações sobre o andamento das gravações.

Contatos para shows e merchandise: blackmass.contato@gmail.com

Sites Relacionados:

- - -


Psique do Headbanger Brasileiro - Matéria Especial


Por Alexandre Watt Longo

“Ninguém liberta ninguém, ninguém se liberta sozinho, os homens se libertam em comunhão”. (Freire, 1980 p.04)

Marcos Garcia, colaborador de vários órgãos da imprensa
metálica no Brasil, em sua apresentação oral no IV Simpósio Brasileiro de
Geofísica Espacial e Aeronomia, em São Paulo.
Após ter aceitado esta difícil, porém desafiante e nobre tarefa de tentar “esquadrinhar” um perfil do amante da música “pesada” (sic) brasileira - decidi começar com uma frase de Paulo Freire, que além de ser nosso maior educador, só não ficou mais famoso porque era brasileiro... O que retrata bem a situação tanto das bandas nacionais, quanto do público, que sofrem uma espécie de estigma, por sermos de um país marcado por extremas diferenças sociais e que infelizmente reverberam há anos no imaginário dos estrangeiros e que ainda são os grandes produtores da música da qual falamos.

Mas esta frase de Paulo Freire, também retrata o espírito por aqui dos nossos “bangers” (Professor Pasquale diria batedores de cabeça mesmo, já que estamos no Brasil), pois esse estigma que passamos de povo ainda em desenvolvimento (e já melhorou bastante essa imagem) faz com que sejamos sempre muito unidos, com este espírito de comunhão altamente ativado (os que se queixam de desunião são aqueles que se perderam em seus próprios devaneios Egóicos e sem estrutura emocional) e digo mais: somos altamente fiéis ao estilo, ao ponto perigoso de nos tornarmos dogmáticos... O que não é salutar em nenhuma instância de vida.

Mas vamos em frente: como definir o perfil de um banger brasileiro? Existe mesmo um perfil ou algo maior que nos liga e nos define?

Débora Brandão, da Metal Media Management, mãe coruja e orgulhosa Alec.
Temos experiências concretas tais como o grupo Metal Friends, com mais de 1.200 membros e que além da paixão pelo estilo, também ajuda seus membros em vários aspectos e mantém a cena das bandas nacionais sempre ativa, indo aos shows, comprando camisetas e material promocional e divulgando nas mídias a música como um todo. Temos também excelentes sites, blogs e revistas, todos especializados como o Metal Samsara, Vandohalen, Roadie Crew, entre outros... Que mantém a “chama do metal” sempre acesa. Mas ainda não chegamos nesse perfil... Por isso quero convocar Carl Gustav Jung para definir a Psique do banger Brasileiro.

Jung
Segundo Jung, Psique (leia Pisíke – acentuando a letra í) é a denominação da fonte de toda atividade mental humana. Ela abriga nossa consciência e também nosso inconsciente, ou seja, é a totalidade.

Nos séculos XVI e XVII, a psicologia considerava somente a porção consciente da personalidade, praticamente não se falava em inconsciente, sendo que o Ego seria um núcleo central como o Sol, com os planetas que seriam as paixões e os instintos orbitando ao seu redor.

Mas na segunda metade do século XIX, pensadores e cientistas postularam que os fenômenos conscientes são complementados por outra parte, que é inconsciente, sendo que muito antes disso, Nicolau Copérnico já havia balançado a posição do homem no Cosmos: não éramos mais o centro do Universo, assim como o Ego não era mais a parte central da mente.

Portanto, o banger brasileiro tem uma Psique particular, influenciada por toda uma cultura e arquétipos, que são muito diferentes dos europeus e norte-americanos.

João Zattarelli, colaborador da Roadie Crew, administrador dos fã-clubes
brasileiros do ICED EARTH, GUS G e TIM RIPPER OWENS, com esposa e filhos.

Arquétipos são tipos arcaicos, postulados por Jung, mas antes já definidos por Santo Agostinho (um dos maiores filósofos e pensadores da Igreja Católica) e estes tipos arcaicos são elementos culturais que nos transpassam por seu poder numinoso (fantástico) e nos influenciam. As vocações seriam explicadas pela regência desses arquétipos, por exemplo: um sujeito que decide ser médico, ele estaria se ligando a arquétipos específicos da Medicina e cura e assim todos nós somos direcionados e impelidos a algo maior.

A Psique do banger brasileiro também sofre influência desses arquétipos que formam uma fonte de cultura, uma espécie de DNA cultural que nos influencia. Por isso, somos tão viscerais, pois somos ligados, antes de qualquer coisa, aos arquétipos do escravos africanos, dos Orixás, dos Índios, pois são estes povos que nos concedem esta força e garra, características típicas do povo brasileiro e também do amante de música pesada no Brasil.

Germânia Gonçalves e o filho Aleister.
Lembro-me de conversar com o saudoso Wander Taffo, com quem tive o prazer de trabalhar em sua escola de música, que na época que ele começou a tocar, o material de guitarra era escasso e equipamento idem. Por isso, ele fazia de palheta aquelas antigas fichas telefônicas, pois quando chegavam palhetas eram todas muito caras e não duravam tanto. Mais uma prova da brava Psique dos amantes do rock no Brasil.

E o público foi se desenvolvendo assim em todas as vertentes do rock: sempre com muita dificuldade e acesso aos materiais, repressão extrema por conta da ditadura imposta tantos anos. E diferente dos norte-americanos que criaram o Rock por um distanciamento entre os pares parentais (a guerra do Vietnã deixou filhos sendo criados por avós, isso provocou um abismo de ideias e para ter voz em detrimento daquelas ideias foi criado o estilo), aqui no Brasil o rock já entrou na cultura como uma “contracultura”, marginalizado e subversivo, mas sempre muito engajado política e socialmente e com uma mensagem forte sempre.

Isso criou uma marca na Psique dos bangers brasileiros, pois como disse, alguns americanos só queriam ter voz, mas não necessariamente protestar, mas aqui tudo sempre foi muito visceral, intenso e esta marca psíquica perdura até hoje.

Rodrigo Balan e Débora Brandão, da Metal Media Management, e o filho Alec.
Por isso não adianta comparar: o banger brasileiro é fruto dessas energias essenciais dessa Psique construída com nossa história. Somos intensos e quase primitivos, o que nos concede uma força extraordinária quando necessitamos de união, pois somos quase que um povo totêmico (Totem e Tabu – Freud), mas que pode ser perigosa quando essa força fica descontrolada ou dogmática, ela pode ser levada a uma polaridade perigosa e ficar sem sentido ou significado.

Alexandre Watt Longo, baterista do GOATLOVE,
Psicólogo e autor desta matéria com sua filha Camila.
Portanto, o banger brasileiro é dotado de uma Psique forte, com muita base, o que nos torna uma potência, mas uma Ferrari nas mãos de um piloto despreparado perderá a corrida para um fusquinha...

Por isso de nada adianta tanta força e robustez, sem inteligência. O preparo anterior é sempre bem-vindo. Então bangers de todo Brasil, vamos refletir sobre nosso papel, que é forte por si só, mas que precisa ainda de muito preparo e sutileza para se consolidar como efetivo em nosso cenário musical.




Referência Bibliográfica:

Agostinho, Santo. Retirado de: http://pt.wikipedia.org/wiki/Agostinho_de_Hipona
Freire, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 1980. São Paulo – Editora Paz e Terra
Freud, Sigmund. Totem e Tabu. In: Obras Completas. 1993 – Editora Imago, Rio de Janeiro.
Jung, Carl Gustav. A natureza da Psique. 1985. São Paulo – Editora Vozes

O autor é Psicólogo clínico Junguiano, baterista da banda GOATLOVE, e dono dos sites  iluminandoasombra.blogspot.com www.wix.com/alexandrewatt/psicologo