11 de jun de 2016

INSANE DRIVER - INSANE DRIVER (álbum)


2016
Independente
Nacional

Nota: 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Músicas:

1. Endless Path
2. The Edge of Life
3. Firstly My Breakfast
4. Tide of Fears
5. Buried Thoughts
6. Fallen Dreams
7. Change
8. Today is Sunday
9. Faithless Breath
10. Make Decisions
11. Tears of Blood


Banda:

Marcos Bolsoni - Vocais
Danilo Bigal - Guitarras, backing vocals
Deivid Martins - Guitarras
Nei Sousa - Baixo, backing vocals
Wagner Neute - Bateria, teclados


Contatos:

Lanciare (Assessoria de Imprensa)


Eis que mais um nome de força se revela no Metal nacional.

Sim, o INSANE DRIVER, banda de São Paulo, mostra que tem personalidade e que pode ajudar o Metal nacional a ir em direção a algo mais amplo (musicalmente falando), com seu primeiro disco, "Insane Driver".

A banda foi capaz de fazer algo bem diferenciado, fundindo o peso e melodia do Metal tradicional, a força agressiva do Metalcore e alguns toques do Grunge, Groove Metal e Rock'n'Roll, e pronto: temos algo melodioso, intenso, introspectivo (mas com alguns momentos bem agressivos), com boa técnica, e diferente do que se anda fazendo por aí em termos de Metal. E digamos de passagem que "Insane Driver" soa bem aos ouvidos, é como um bom vinho envelhecido no tempo certo e com muito esmero. Salute!

A produção é de primeira.

Insane Driver
Em termos de sonoridade, "Insane Driver" soa bem aos ouvidos, pesado e impactante, mas com uma preocupação grande em manter o disco soando limpo. Sim, a força sonora do grupo vem dos arranjos, das músicas em si, e na escolha bem feita dos timbres dos instrumentos. Mas isso vem de uma pré-produção bem feita por Tiago Oliveira, mais a produção, mixagem e masterização do Rua D (http://www.rua-d.com/).

A arte de Alexandre Santos e Fabíola Russo é de primeira, com uma bela capa, encarte e tudo mais muito bem feito. Quase não aparente algo independente, devido ao alto nível.

Em termos de composição, o quinteto caprichou. Sem perder a espontaneidade, os arranjos da banda são muito bem cuidados, tudo ficou em alto nível, se preocupando apenas em criar algo diferenciado, mas que expressa musicalmente a personalidade de cada um dos seus integrantes.

O disco é muito homogêneo em termos de composição, mas podemos destacar o peso absurdo de "The Edge of Life" (que apresenta um andamento cadenciado, mas com boas mudanças de ritmo quando necessário. Fora isso, o trabalho de guitarras é de primeira, fora os backing vocals bem encaixados), as sensíveis e introspectivas "Tide of Fears" (com vocais mais amenos e melodias bem delineadas, embora existam crescendos mais agressivos. Mas como é bom reparar o quanto baixo e bateria estão bem, guiando o ritmo o ritmo sem problemas) e "Buried Thoughts" (esta já possui momentos muito pesados em meio à levada mais introspectiva, fora vocais bem encaixados e solos de primeira), as mais brutas e esporrentas "Change" e "Today is Sunday" (esta possui um refrão bem grudento, em meio ao som gorduroso e cheio de groove), a mastodôntica "Make Decisions" e seus arranjos polidos nas guitarras, e a sensível e bela "Tears of Blood" (uma bela e introspectiva balada, baseada apenas em voz e piano, até ganhar peso e força, mostrando um trabalho ótimo de baixo e bateria).

Definitivamente, o INSANE DRIVER chega em um bom momento, destoando do ponto comum de muitos e trazendo algo novo, vivo e cheio de frescor.

Sejam bem vindo, e por favor, fiquem!