20 de out de 2016

GOLPE DE ESTADO: Catalau convida fãs para o show no domingo



O sonho dos fãs do GOLPE DE ESTADO – e de que curte rock em geral – será realizado no próximo domingo (23), em São Paulo, na Clash Club; É a chance dos mais saudosos, e de quem nunca viu, presenciar o grande Catalau de volta, cantando alguns dos clássicos da banda. A apresentação ainda contará com as participações especiais de Luiz Carlini (guitarra, Tutti Frutti, Camisa de Vênus) e Ronaldo Giovanelli (Ronaldo e os Impedidos, ex-goleiro do Corinthians). 

Ninguém esconde a felicidade em poder ver e ouvir Catalau, vocalista da primeira formação, revivendo alguns de seus clássicos, algo que até o mais otimista dos fãs não esperava que pudesse acontecer. E isso tem a ver com a comemoração de 30 anos da banda. 

Será uma noite histórica para os fãs do GOLPE DE ESTADO, que conta com Nelson Brito (baixo, e membro original), Rogério Fernandes (que já havia sido vocal da banda no passado, atual Carro Bomba), Marcello Schevano (guitarra, Carro Bomba) e Roby Pontes (bateria), para cantar alguns de seus maiores clássicos.

Catalau gravou um vídeo onde convida os fãs para o show. Assista, aqui:


Formada em São Paulo, no ano de 1985, a banda logo se tornou uma das mais queridas do Brasil, com Catalau (vocal), Hélcio Aguirra (guitarra, R.I.P.), Nelson Brito (baixo) e Paulo Zinner (bateria). Com essa formação, gravaram os clássicos “Golpe de Estado” (1986), “Forçando a Barra” (1988), “Nem Polícia Nem Bandido” (1989), “Quarto Golpe” (1991) e “Zumbi” (1994). As performances de Catalau, sempre foram bastante comentadas, graças à sua entrega nos palcos.

Siga a página do evento no Facebook:


A responsável pelo evento é a TC7 Produções.


Serviço:

GOLPE DE ESTADO – Show de 30 anos em SP, com as participações especiais de Catalau, Luiz Carlini e Ronaldo Giovaneli

Dia: 23/10 (Domingo)

Horário: 19h

Local: Clash Club (Rua Barra Funda, 969, Barra Funda – próximo ao terminal da Barra Funda)



Ingressos:

Pista Estudante: R$40,00 (segundo lote)
Pista Promocional: R$50,00 (segundo lote)
Camarote: R$70,00 (segundo lote)


Assessoria de Imprensa: Lanciare Comunicação (lpiantonni@lanciare.com.br)

Páginas relacionadas:

MAGISTER – The Magister (Remastered - Álbum)


2016
Nacional

Músicas:

1. Thy Birth (instrumental)
2. Rising of the Crown
3. Rain (Falling Tears)
4. Cemetery of Dreams
5. Edge of Clouds
6. Genghis Khan (Running Wild cover)
7. The Neverland Waltz (instrumental)
8. The Truth About the Lies
9. Massacre - Part I: Command of Death
10. In Straight Line
11. From Beyond the Grave
12. Rain (Falling Tears) (2008 Demo Version)


Banda:


André Evaristo - Vocais, guitarras, efeitos
André Mellado - Baixo, efeitos
Pedro Alzaga - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 8
Composição: 9
Produção: 7

8/10


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Já viram aqueles discos que você leva anos para ouvir, e quando consegue ter aquele seu momento especial com ele, se arrepende de não ter ouvido, ou mesmo conhecido, antes o trabalho?

Pois é a clara impressão que temos ao ouvir a versão remasterizada de “The Magister”, primeiro disco da banda MAGISTER, que na época da gravação (originalmente, é de 2000), já contava com músicos que viriam a se tornar bem conhecidos: André Evaristo (ex-vocalista/guitarrista do TORTURE SQUAD), André Mellado (baixista do WOSLOM), e Pedro Alzaga (baterista que tocou no LETHAL CURSE e no OF THE ARCHAENGEL). 

Aqui, temos um Metal tradicional com clara influência europeia (em especial da escola germânica do gênero) que esbarra no Progressive Metal vez por outra, com alguns elementos experimentais do Rock Progressivo setentista, e muita personalidade. Óbvio que hoje pode parecer algo já feito, mas na época era algo bem novo. Mas o que foi bom continua sendo bom, logo, o trio acerta a mão e nos envolve com sua música cheia de energia, espontaneidade e personalidade.

Originalmente, Luiz Abbondanza e Célio Barros produziram o disco em conjunto com a banda, e os dois primeiros dividiram a responsabilidade da mixagem com Gustavo Scremin. Gustavo ainda é o responsável pela remasterização do disco. Óbvio que a sonoridade é um pouco crua para os padrões atuais, mas sem que o disco perca peso, energia ou clareza. Está muito bom, com bons timbres e cada instrumento em seu devido lugar.

A arte da capa é um trabalho ótimo de Markus Saint, deixando claro que o grupo não respeitaria fórmulas ou regras pré-estabelecidas. Ela é abstrata, quase hipnótica, e nos atraia.

“The Magister” é um ótimo álbum, com músicas de primeira, sempre primando por ótimos arranjos, feitos com qualidade, e boa dinâmica entre os instrumentos. E o produtor Célio Barros ainda deu uma canja no baixo de seis cordas, sintetizador analógico, e no piano.

Melhores momentos:

“Rising of the Crown” – Aqui se percebe claramente a influência do Metal germânico, com aquele peso fundamental e boa dose de agressividade. Os vocais usam e abusam de tons altos, mas o destaque vai mesmo para o ótimo trabalho de baixo e bateria, que guiam os andamentos muito bem.

“Cemetery of Dreams” – Mais melodiosa, mas com boa velocidade, é uma música realmente grudenta, acessível e bem feita, mas com muito boa dose de técnica. Com um refrão de primeira, se destacam bastante o trabalho das guitarras e dos vocais.

“Genghis Khan” – Sim, é uma versão para a velha canção do RUNNING WILD. Eles deram uma dose extra de peso, com um trabalho de baixo e bateria mais técnico e pesado que o da versão original. E é interessante ver a diferença entre os vocais limpos de André, tão diferente do timbre rasgado da original.

“The Truth About the Lies” – O andamento com velocidade um pouco menor ajuda a música a ganhar mais peso, e assim, percebemos melhor como as guitarras estão afiadas e tecendo melodias lindas, mesmo quando a velocidade aumenta.

“In Straight Line” – O peso e a agressividade crescem, mas ao mesmo tempo se sente uma tendência moderna nela, algo mais experimental, com o uso de alguns vocais mais agressivos. 

For a elas, o lado extremamente experimental do grupo está evidenciado nas instrumentais “Thy Birth” e “The Neverland Waltz”, e também em momentos recheados de efeitos como “Massacre - Part I: Command of Death” e “From Beyond the Grave”. E como bônus, temos a versão Demo de “Rain (Falling Tears)”.

No mais, “The Magister” soa atual e forte, e assim, é um aperitivo para o próximo lançamento, o EP "In The Kingdom of the Blind", que sai no dia 28/10.

Ótimo trabalho!

DARKSHIP: guitarrista assina com empresa de palhetas Lost Dog!


O DARKSHIP segue fechando grandes parceria e, depois de anunciar uma parceria com a Extreme Art Acessórios, a banda anuncia que seu guitarrista Ismael Borsoi fechou uma parceria com a Lost Dog.

A empresa, situada em Cotia, interior de São Paulo, é especializada em fabricar palhetas personalizadas paras as mais diferentes demandas dos músicos. Em seu rol de endorsers, nomes com Armandinho, Marcos Kleine, Dado Villa Lobos. Conheça mais da empresa: www.lostdog.com.br

“Sempre usei palhetas Lost Dog e pra mim elas sempre foram as melhores”, afirma o guitarrista Ismael Borsoi.


Lembrando que o DARKSHIP está trabalhando mais uma vez com o diretor Douglas Castilhos Coutinho para mais um videoclipe. Ainda envolto em mistério sobre qual música ganhará o vídeo, podemos ver pelas primeiras imagens disponibilizadas que o DARKSHIP vai em busca de uma superprodução. Para conferir mais fotos, visite a fanpage do grupo: www.facebook.com/bandadarkship

Aos que ainda não assistiram o primeiro clipe, para a faixa ‘Frozen Feelings’, podem conferir pelo link:



Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

[MAUA]: atração na compilação Rock Meeting IV


A quarta edição da ‘Rock Meeting Collection’ tem o sergipano [MAUA] como uma das bandas participantes.

O grupo se apresenta na compilação com a música ‘Warhead’ de seu novo álbum, o aclamado ‘Unconscience’, lançado recentemente de forma independente.

Como de praxe, a compilação é voltada para as bandas nordestinas e mais uma vez está repleta de talentos, como Tchandala, Siege of Hate, Hate Embrace, e muitos outros. O download do material é gratuito e pode ser feito pelo link: http://www.rockmeeting.net/


O [MAUA] segue promovendo ‘Unconscience’ que, além da versão física em digipack, está disponível também nas principais empresas de música digital do mundo todo iTunes, Spotify, Amazon, etc.

Para ouvir ou mesmo adquirir sua cópia digital do álbum, basta ir para sua plataforma preferida e fazer uma busca pela banda, ou se preferir, siga um dos links abaixo:


Para quem preferir material físico, além de ‘Unconscience’, a loja conta com todo o merchandise da banda, pagamento de forma segura e envio. Confira:


Contato: andmaua@msn.com

Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

MATRICIDIUM: banda conta a experiência de gravar o novo clipe


Recentemente o MATRICIDIUM, mesmo trabalhando pesado no novo álbum, lançou um novo videoclipe com “ares hollywoodianos” e nos conta cum pouco de como foi a experiência de participar de um clipe desse tipo.

“A gravação do clipe foi bem diferente do estávamos acostumados. Foram feitas gravações em dois locais distintos e em dias diferentes. Toda maquiagem aplicada sobre o ator foi feita no local, por duas profissionais especialistas neste tipo de efeito. Nos pareceu tão real que ficamos com pena do intérprete, pois realmente transmite a dor que o personagem estava sentindo. Todo trabalho feito pela Caffeine nos surpreendeu e o resultado ultrapassou as expectativas.”

O grupo, junto com a produtora Caffeine Creative Studio, uma equipe de atores e profissionais de make-up transformaram a música ‘The Beating Never Stops’ – que estará no próximo disco – em uma espécie de curta-metragem, assista:


Além de estar presente no YouTube, o videoclipe também fará parte da compilação ‘DVD Roadie Metal – Vol 1’.

O MATRICIDIUM segue em estúdio com o produtor Japa Kikuchi e em breve novas informações e detalhes serão anunciados.


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

RIGOR MORTIS BR: confira a entrevista para o Programa Sangue Frio Produções



A banda gaúcha RIGOR MORTIS BR foi destaque na edição de número 24 do Programa Sangue Frio Produções onde concedeu uma entrevista para o mesmo.

Na entrevista, conduzida por Patrick de Souza, Alexandre Rigor – guitarrista do grupo – falou sobre o início da banda, mudanças de formação, atual álbum “The One Who...” e projetos futuros. Confira:


Em outras notícias, o RIGOR MORTIS BR lançou recentemente via Sangue Frio Records, seu debut álbum e já está com sua agenda aberta para shows de divulgação do “The One Who...”. Para levar o grupo ao seu evento/cidade, escreva para contato@sanguefrioproducoes.com ou alexandrerigormortis@gmail.com e saiba das facilidades.

Ouça “Human Flesh Juice”, música presente no CD de estreia da banda:


Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato


Sites relacionados:



MORTHUR: veja como foi a apresentação da banda no Necroptich Festival




O MORTHUR se apresentou recentemente na primeira edição do Necroptich Festival, que aconteceu no dia 08/10/2016 em Tapejara/RS.

Nesse show a banda apresentou seu repertório 95% baseado no vindouro álbum “Between Existence and the End”, previsto para 2017, além de contar com participações especiais, como na música “Demonized”, onde a vocalista Kelly Dornelles (ex vocalista da banda Krozodus), cantou junto com o grupo. Confira:


A banda também apresentou a música “Extremey Against The World”, música que até então não havia sido divulgada ao público na internet, veja:


E para fechar a sequência de vídeos divulgados, o MORTHUR apresentou um ótimo tributo à lendária banda alemã Sodom, intitulada “Napalm in the Morning” a música também contou com a participação de Felipe Fussieger (Fuzilador), assista:


Produtor, leve o MORTHUR para sua cidade/evento, escreva para contato@sanguefrioproducoes.com ou morthur@morthur.com e conheça as facilidades.

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:



OVERHEAD: muito Rock ‘n’ Roll agora também nas plataformas digitais


A banda de Rock ‘n’ Roll OVERHEAD disponibilizou o primeiro álbum de estúdio “Ressaca” (2014) nas principais plataformas digitais!

Google Play: https://goo.gl/sFJeYA

O disco foi gravado no Studio Music Plug, em Bauru/SP, sob a produção de Haraldo Amaral e masterizado por Heros Trench no Mr. Som, em São Paulo.

1. Overhead
2. Tangente
3. Muro
4. Ressaca
5. Vacilão
6. Situações Incertas
7. Presságio
8. Mina de Benga
9. Grande Guerreiro
10. Revolução

Acompanhe OVERHEAD no Facebook: www.facebook.com/overheadrock


Fonte: Island Music

MADDS: muito Classic Rock e novo álbum em entrevista no Groundcast


Matheus Maddia, vocalista e guitarrista da banda formada por irmãos MADDS, participou do Groundcast entrevista.

Ele falou sobre o início na música, influência do Rock das décadas de 60 e 70, como concilia o trabalho de covers com o problema da ausência de casas para performances autorais. Comentou também sobre o processo de produção do novo álbum de estúdio, importância das plataformas digitais pra ampliar divulgação e mais, aqui https://goo.gl/qCtMxx

Acompanhe MADDS no Facebook: www.facebook.com/osmadds


Fonte: Island Press

DARK INQUISITION – Before the Battle (Single)


2016

Nacional

Músicas:

1. Glorification of Evil
2. Exilium
3. Spiritfolk


Banda:

Daniel Malkafly - Vocais
Rafael Terueu - Guitarras
Eduardo Figueiró - Guitarras 
Michel Crisaor - Baixo
Rafael Brittus - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 8
Composição: 9
Produção: 9

9/10

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O que é, antes de tudo, o que chamamos de Pagan Metal?

Em palavras, é simples: é qualquer vertente do Metal em que a temática Pagan/Folk esteja incluída, e com alguns elementos musicais bem característicos, sem necessariamente ser necessário o uso de instrumentos não convencionais (violinos, ocarinas, harpas, flautas e outros). É uma boa forma de descrever o gênero, embora meras palavras não consigam retratar tanta diversidade musical de uma única vez.

E apostando em uma forma mais tradicional do tema, temos o experiente quinteto paulista DARK INQUISITION, que retorna com o Single “Before the Battle”, mais de dez anos depois do EP “Pagan Age”. E voltaram por cima, verdade seja dita.

Apostando no uso de Pagan Metal com um alinhavo todo feito com referências do Metal extremo (ou seja, Death, Black e Thrash Metal), o grupo se mostra coeso, firme, claro e com ótima noção melódica, e sempre com sua música sendo criada por um trabalho ótimo de baixo e bateria, com guitarras empolgantes (de onde flui toda a atmosfera Epick/Pagan Metal da banda), algumas flautas e vocais que usam bem timbres guturais e rasgados (e mesmo algumas narrativas em tom mais épico/viking). Ou seja, a banda sabe se diversificar, e mesmo apostando em uma fórmula que já foi usada antes, se sai muito bem e mostra personalidade.

As mãos de Fábio Gomes produziram e masterizaram o Single, dando aquele toque mais refinado e boa qualidade sonora ao peso agressivo e voraz do quinteto. Mas cuidado com suas concepções, que mesmo tão azedo e agressivo, as melodias do grupo foram evidenciadas, para que a atmosfera pagã fosse perceptível.

Em três músicas, o quinteto mostra que nunca deveria ter ficado fora da ativa por dez anos. É bom demais, com ótimas melodias, uma crueza musical que anda fazendo falta ao gênero por nosso país. E o grupo tende a mostrar seu valor assim que seu álbum, “We Are Coming”, que sairá em 2017. Mas “Before the Battle” é um aperitivo delicioso para nossas mentes.

“Glorification of Evil” – Apesar dos corais e algumas melodias Folk, a canção é focada na agressividade, com muitos momentos velozes da bateria, mas alguns onde aqueles arranjos Pagan Metal de guitarras dão as caras. E os vocais mostram uma alternância muito boa entre o rasgado e o gutural.

“Exilium” – Aqui, a banda anda em um meio termo entre o lado mais agressivo de sua música com o mais Pagan/Folk, com a presença de flautas e momentos mais amenos. O andamento é em tempo mediano, evitando ser extremado. Mas das guitarras surgem riffs melancólicos pegajosos em vários momentos. A criatividade do grupo é excelente, tanto que existem belas incursões de baixo e vocais viking.

“Spiritfolk” – Violões dão aquela atmosfera pagã tão preciosa e necessária à canção, com alguns solos melodiosos de primeira. Mas logo a agressividade surge, adornada com uma boa técnica musical. Mas a canção possui toda uma aclimatação Pagan de primeira, mesmo com tanta agressividade. E os famosos corais Pagan/Folk aparecem, bem como flautas e mais uma vez, baixo e bateria roubam a cena.


No mais, bem vindos de volta!

Ah, sim: quem mora em SP, eles tocarão no dia 29/10, na Feira ENTRE DOIS MUNDOS, com outras bandas do gênero. Vale a pena!

DARK INQUISITION: lança single "Before the Battle" em plataformas digitais



Ritmos de música medieval combinados a gêneros do metal extremo moldam a impactante sonoridade da DARK INQUISITION, a primeira banda nacional no cast da Abigail Records, que pode ser conferida no recém-lançado single “Before the Battle", com as músicas “Glorification of Evil”, “Exilium” e “Spiritifolk”. O material está disponível para download e streaming em divesos serviços de música online, como Spotify, Deezer, AppleStore ou GooglePlay. 

Com quase 15 anos de atividades, o quinteto de São Paulo promoveu determinantes ajustes na estética agressiva do passado ao incluir elementos folk e do próprio heavy metal às músicas presentes em “Before the Battle” e também nas do full length “We are coming”, com previsão de chegar ao mercado no fim deste ano. O álbum será masterizado na Finlândia pelo engenheiro de som Mika Jussila, do Finnvox, responsável por trabalhos do Children of Bodom, Stratovarius, Therion, entre outros. 

Agressividade e peso, passagens acústicas e ambientações com elementos da música folk utilizados e encaixados em cada música com minúcia é uma constante na atual proposta da banda, que tem como referência o trabalho de ícones do estilo, como Amon Amarth e Finntroll. 

A DARK INQUISITION foi formada em 2000 e que desde 2002 compõe a partir da fusão do folk com black/death/heavy metal. Para o vocalista Malkafly, neste recomeço a melhor definição é “uma banda de metal extremo, que mistura levadas de musica medieval. As letras falam do ser humano em seus primórdios, indiferente da cultura”. 




DARK INQUISITION line-up:

Daniel Malkafly - Vocais
Rafael Terueu - Guitarras
Eduardo Figueiró - Guitarras
Michel Crisaor - Baixo
Rafael Brittus - Bateria


DARK INQUISITION online:


Site: www.abigailrecords.com
Facebook Page: /AbigailRecordsBr
Instagram: @AbigailRecordsBr 
Twitter: @AbigailRecBr

HÅRD:ON – Hård:on (Álbum)



2016
Nacional


Músicas:

1. We’re Not Going Home Tonight
2. Pole Dance
3. Jungle Girl
4. Devil Inside
5. Are You Afraid of the Dark?
6. Adrenaline
7. Liv' It Up (The Festival Song)
8. Here I Am
9. Between the Weed’n’Whisky


Banda: 


Chris Hoff - Vocais
Alex Hoff - Guitarras, backing vocals
Hp Elliot - Guitarras, backing vocals
Ricardo Bolåo - Baixo, backing vocals
Daniel Gohn - Bateria


Contatos:

https://www.facebook.com/hardonmusic/
https://twitter.com/hardonmusic
https://www.instagram.com/hardonmusic/


Nota:

Originalidade: 7
Composição: 10
Produção: 7

8/10


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O Hard Glam, Hair Metal, ou o diabo que seja como queiram chamar o estilo, anda voltando à evidência no mundo inteiro, e crescendo cada vez mais e mais no Brasil. E isso é bom, pois assim, a cena Metal/Rock vai ganhando maior diversidade, atraindo mais e mais fãs para o lado de cá da música. E digamos de passagem: quando feito com o coração, não falha nunca, sempre alcança o objetivo.

E um nome bem forte que surge em São Paulo é o do quinteto nativo HÅRD:ON, cujo primeiro álbum, “Hård:on” nos chega e tome de assalto. É uma aposta da Shinigami Records, e que valeu a pena. 

O grupo não vem para renovar o estilo. Não, de forma alguma, é apenas o bom e velho Hard/Glam Metal pesado e agressivo que conhecemos dos anos 80, mas sempre melodioso e extremamente pegajoso. Mas se por um lado eles não inovam, a proposta é honesta e bem feita, e com boa dose de personalidade. Óbvio que a banda ostenta boa técnica musical (embora sem exagerar), bem como capricha em cada refrão grudento, e vai destilando seu estilo por todo o CD sem cansar nossos ouvidos.

É ouvir e ficar amarrado ao trabalho deles.

Com produção do próprio quinteto, mais mixagem e masterização de por José “Heavy” Luís, com parte da gravação feita no Rocks Studio (SP) e parte no Sound’n’Bulletproof Studio (em Munique, na Alemanha), a sonoridade de “Hård:on” está muito boa. As doses de peso, agressividade e clareza estão bem equilibradas, com tudo bem feito. Poderia ser um pouco melhor, pois o som parece um pouco cru em certos pontos, mas nada que os desabone.

O trabalho de Fábio Hoffmann e Marcelo Calenda na parte gráfica ficou muito bom, com uma capa isenta de complexidade, encarte bem feito, layout bem legal, e tudo nos conformes. Se não chega a ser uma superprodução gráfica, é eficiente e dá conta do recado.

E o recado musical do grupo em suas nove faixas é de primeira, sabendo fazer arranjos de primeira, e a dinâmica entre vocais e partes instrumentais ficou ótima. O grupo possui talento, sem sombra de dúvidas, e pode render ainda mais. Mas por enquanto, as faixas abaixo falam por si mesmas:

“We’re Not Going Home Tonight” – O disco já abre em grande forma, com uma música com andamento moderado, onde as melodias assentam sem causar problemas, e aonde os vocais vão nos envolvendo com sua fusão de um timbre forte com boa dose de melodia, bem como as guitarras estão ótimas. E que refrão de primeira!

“Pole Dance” – Outra que capricha nas guitarras (especialmente nos solos), sendo mais agressiva e seca, com bons momentos mais cadenciados. 

“Jungle Girl” – É aquele típico hardão mais cadenciado e pesado, com ótima performance de baixo e bateria, fora backing vocals muito bem pensados durante o refrão.

“Devil Inside” – Aqui, o grupo cai para o lado mais pesado de sua música, com belas partes melodiosas e intensas. Mas não pense que a garra Hard saiu de cena, óbvio que não, pois ela está evidenciada nas guitarras e refrão.

“Adrenaline” – Sabem aquela faixa que vicia, gruda nos ouvidos e se quer ouvir sempre, mas que tem uma boa dose de agressividade? Pois bem, ela está aqui, cheia de riffs e daquela atmosfera grudenta que existia no gênero por volta de 1985-1987.

“Liv’ It Up (The Festival Song)” – Aqui, uma faixa tipicamente para trabalho de divulgação. É altamente acessível e pegajosa, com refrão de primeira, ótimos arranjos de guitarra e ótimos vocais. É ouvir e ficar grudado.

São as melhores, embora o disco inteiro seja muito bom.

No mais, esperamos que este disco de estréia tenha sucesso, e que o HÅRD:ON volte com um novo trabalho ainda melhor.


HELL IN RIO: fechado o line-up do festival



A THC Produções, a mais nova produtora de eventos do Rio de Janeiro, formada por Eduardo Chamarelli e Themys Barros, orgulhosamente anuncia a 1ª edição do Rio Rock Festival – edição HELL IN RIO, o mais novo grande festival de heavy metal do Brasil.

Nos dias 5 e 6 de novembro, o Terreirão do Samba, na Praça Onze, no Centro do Rio de Janeiro, vai dar lugar ao heavy metal. Saem os pandeiros e tamborins, e abrem-se alas para os principais representantes do rock pesado brasileiro.

Importantes nomes da música pesada nacional já estão confirmados no line-up como Sepultura, Matanza, Angra, Korzus, Almah, Hibria, Claustrofobia, Project46, Oitão, Velhas Virgens, Garotos Podres Oficial com O Satânico Dr. Mao e os Espiões Secretos, John Wayne, Reckoning Hour, Perc3ption, Hatefulmurder e Eros.

A proposta do RIO ROCK FESTIVAL é oferecer um evento de qualidade, com infraestrutura de ponta, e o intuito de movimentar, fomentar e apoiar o cenário do heavy metal no país. A THC Produções visa apresentar um novo conceito, valorizando o rock nacional, reunindo nomes já consagrados, além de dar espaço para as grandes revelações do cenário underground.

“Em novembro, o calor no Rio de Janeiro é infernal e o nome HELL IN RIO surgiu justamente desta brincadeira com o já tão popular “Hell de Janeiro”, como os cariocas costumam chamar a Cidade Maravilhosa no verão. O público que vier curtir o evento vai se divertir com oito atrações por dia, além de comida e bebida a preços populares”, explicou Eduardo Chamarelli.

A venda de ingressos começa no próximo dia 19 de setembro pelo site da Ticket Brasil e também podem ser adquiridos em vários pontos de vendas autorizados no Rio de Janeiro e São Paulo. Mais informações no serviço abaixo.

O projeto do HELL IN RIO surgiu após uma enquete nas redes sociais para saber inicialmente quais as bandas os cariocas gostariam de assistir nos palcos de um festival no Rio de Janeiro. Surpreendentemente, mais de 20 mil pessoas participaram da pesquisa que, por ventura, acabou indicando mais de 200 grupos de todo país. E foi a partir destas sugestões, que a produtora iniciou as negociações para formar o cast do evento.

Desta forma também foi definida a parceria entre as produtoras com a RIOTUR, Prefeitura do Rio de Janeiro e a Associação de Barraqueiros do Terreirão do Samba, que disponibilizaram o espaço do TERREIRÃO DO SAMBA – Praça XI, para realização deste grande projeto.


Terreirão do Rock

O Terreirão do Samba é um espaço que comporta 15 mil pessoas. Com localização privilegiada, entre a Central do Brasil e a estação de metrô da Praça Onze, contando, assim, com toda a malha ferroviária da cidade (trens e metrô), além das linhas de ônibus que vêm de toda cidade, favorecendo a Baixada, Zonas Norte e Oeste, Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, entre outros, facilitando a chegada e volta para casa dos fãs de rock do Rio de Janeiro e de outras localidades.

Serviços:

- Evento: Rio Rock Festival – Edição HELL IN RIO
- Local: Terreirão do Samba – Praça XI
- Data: 05 e 06/11/16
- Abertura dos portões: Sábado às 16 horas / Domingo às 14 horas
- Ingressos: INICIO DAS VENDAS EM 19/09/2016

Antecipados:

Inteira dia 05 ou 06/11 - R$ 160,00
Meia estudante - R$ 80,00
Meia Social (levando obrigatoriamente 1 KG de alimento) - R$ 80,00
Na hora:
Inteira dia 05 ou 06/11 - R$ 200,00
Meia estudante - R$ 100,00
Meia Social (levando obrigatoriamente 1 KG de alimento) - R$ 100,00
Passaportes Antecipados:
Inteira Passaporte para dias 05 e 06/11 (Primeiro lote) - R$ 240,00
Meia Passaporte para dias 05 e 06/11 (Primeiro lote) - 120,00
Meia Social (levando obrigatoriamente 1 KG de alimento por dia) (Primeiro lote) - R$ 120,00
Inteira Passaporte para dias 05 e 06/11 (Segundo lote) - R$ 260,00
Meia Passaporte para dias 05 e 06/11 (Segundo lote) - 130,00
Meia Social (levando obrigatoriamente 1 KG de alimento por dia) (Segundo lote) - R$ 130,00
Passaportes na hora (A venda somente durante o dia 05/11/2016):
Inteira Passaporte para dias 05 e 06/11 - R$ 320,00
Meia Passaporte para dias 05 e 06/11 - 160,00
Meia Social (levando obrigatoriamente 1 KG de alimento por dia) - R$ 160,00

* Local de vendas:

Lojas:
Rio de Janeiro: Hard’n’Heavy (Flamengo), Sempre Musica (Ipanema), Rock For You (Duque de Caxias), Klein Tatoo (Resende), JKing Store (Nova Friburgo)
São Paulo: Joker (Galeria do Rock).

Line Up:
Dia 05/11 - Sábado
Reckoning Hour
Perc3ption
Dr Mao e os espiões secretos (Garotos Podres)
Oitão
Claustrofobia
Hibria
Dead Fish
Almah
Sepultura

Dia 06/11 - Domingo
Hatefulmurder
Eros
John Wayne
Project 46
Velhas Virgens
Korzus
Angra
Matanza

Este evento é uma realização da THC Produções.

Evento no Facebook: https://www.facebook.com/events/285876798463688/

- Informações:
THC PRODUÇÕES
Fone: (24) 992 617 597 (fone/whatsapp)


Fonte: Hell in Rio