31 de jan de 2016

LYNYRD SKYNYRD - One More For The Fans (CD Duplo - DVD)


2016
Shinigami Records
Nacional

Nota 10,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques"Whiskey Rock A Roller", "You Got That Right", "Workin’ For MCA", "Simple Man", "Call Me The Breeze", "Tuesday’s Gone", "Travelin’ Man", "Free Bird", "Sweet Home Alabama"


Em vista das polêmicas que abrangem o Rock e o Metal nos dias de hoje por conta do bom mocismo vigente, que exige um comportamento padrão para todos, certos grupos andam sendo perseguidos por polêmicas. Mesmo alguns bem importantes, sem os quais o Rock e o Metal de hoje seriam bem diferentes. Um dos que mais é atacado pela turminha que falo (que no fundo, querem cortar do Metal e do Rock sua rebeldia natural) é o grupo norte americano LYNYRD SKYNYRD, uma instituição mundial que merece respeito. E de tão respeitado, recebeu um tributo todo especial em "One More For The Fans", um duplo CD ao vivo e DVD, que a Shinigami Records acaba de disponibilizar a versão nacional de ambos.

O que dá ao DVD e ao Duplo CD este ar de tributo é que cada uma das faixas é interpretada por um músico famoso, sendo acompanhado pela All Star House Band (liderada por Don Was, que já ganhou um Grammy). E que lista de feras, já que CHEAP TRICK, BLACKBERRY SMOKE, PETER FRAMPTON, ALABAMA, GREGG ALLMAN (do ALLMAN BROTHERS BAND) e outros, além do próprio LYNYRD SKYNYRD fazendo as honras. Feras que, talvez no Brasil, sejam pouco conhecidas, mas fora daqui, são quase unanimidades entre os fãs dos vários estilos musicais ligados ao Southern Rock.

É algo lindo, absurdo, que deixa qualquer fã do bom e velho Southern Rock americano com água na boca. Aliás, qualquer fã de boa música, pode-se dizer, pois o trabalho do grupo é bem abrangente, como eram as bandas da época.

traduzindo: temos um disco duplo maravilhoso, e um DVD excelente!

Gravado em 12 de Novembro de 2014 no Fox Theatre, em Atlanta (Georgia), que se encontrava ameaçado de demolição, e o show visou arrecadar fundos para salvar o local. E tanto gravação de áudio como a captação de vídeo são perfeitas, nos permitindo ter o melhor de tudo que foi apresentado. 

Ainda bem que assim o é, pois o show é grandioso.

Fora isso, a parte gráfica deu uma caprichada e tanto, baseada em fotos de todos os participantes do evento.

E que belíssima apresentação de cada um dos envolvidos. São momentos que tocam o coração, como a animada "Whiskey Rock A Roller" (onde RANDY HOUSER coloca fogo na platéia em uma interpretação excelente), a forte e swingada "You Got That Right" (onde a dobradinha de ROBERT RANDOLPH e JIMMY HALL dá um show, especialmente devido aos duetos de ambos), a intensa e forte "Workin’ For MCA" (onde o BLACKBERRY SMOKE dá as cartas, levando muito bem esta canção), a mais divertida e rocker "Don’t Ask Me No Questions" (cuja interpretação do O.A.R. lhe deu um toque Pop lindíssimo e que encaixou muito bem), a pesada "Gimme Back My Bullets" ( o que é óbvio, já que o CHEAP TRICK deu um peso cavalar nesta versão), a densa e bruta versão de "Simple Man" (como o GOV’T MULE caprichou. Os arranjos de guitarra e teclados são excelentes), a introspectiva e quase Country "Four Walls of Raiford" (o trabalho de JAMEY JOHNSON ficou muito bom), PETER FRAMPTON arrasando em "Call Me The Breeze", assim como "Gimme Three Steps" com o ALABAMA trazendo aquele feeling Country/Southern tão preciso e GREGG ALLMAN botando tudo abaixo com "Tuesday’s Gone" (um Southern Blues lento e cheio de pura emoção, adornado com guitarras ótimas e sopros ótimos). 

Lynyrd Skynyrd
Agora, quando os próprios homenageados entram em cena, a coisa pega fogo...

Sim, quando o LYNYRD SKYNYRD sobre ao palco, é algo sublime.

Eles detonam "Travelin’ Man" (onde o finado Ronnie aparece no telão, cantando trechos da canção com a banda atual. As maravilhas da tecnologia que tantos tanto reclamam por aí...), além do hino "Free Bird" (onde o LYNYRD SKYNYRD está sozinho no palco, e uma linda homenagem aos membros falecidos do grupo surge no telão. Sim, aqueles que faleceram no acidente de avião. Infelizmente, Bob Burns ficou de fora, pois faleceu em 03 de Abril de 2015, em um acidente de carro), em um momento extremamente tocante. 

E após comentários de alguns participantes, vem o encerramento com a clássica "Sweet Home Alabama", onde o grupo é acompanhado por todos os músicos da noite, em um momento de pura festa enquanto os créditos vão passando.

Existe ainda bônus, mini-documentários feitos com declarações de membros do grupo.

Estes dois lançamentos (pois o CD duplo e o DVD são itens separados) são obrigatórios para todo bom fã de Southern Rock, e compreender de onde vem o Groove e Swing de muitas bandas de Metal do sul dos EUA, como PANTERA e DOWN.

Agora, adquiram suas cópias, e deleitem-se!

E longa vida ao LYNYRD SKYNYRD, o Último Rebelde!




Músicas:

1. Whiskey Rock A Roller (Randy Houser)
2. You Got That Right (Robert Randolph & Jimmy Hall)
3. Saturday Night Special (Aaron Lewis)
4. Workin’ For MCA (Blackberry Smoke)
5. Don’t Ask Me No Questions (O.A.R.)
6. Gimme Back My Bullets (Cheap Trick)
7. The Ballad of Curtis Loew (moe. & John Hiatt)
8. Simple Man (Gov’t Mule)
9. That Smell (Warren Haynes)
10. Four Walls of Raiford (Jamey Johnson)
11. I Know A Little (Jason Isbell)
12. Call Me The Breeze (Peter Frampton)
13. What’s Your Name (Trace Adkins)
14. Down South Jukin’ (Charlie Daniels & Donnie Van Zant)
15. Gimme Three Steps (Alabama)
16. Tuesday’s Gone (Gregg Allman)
17. Travelin’ Man (Lynyrd Skynyrd com Johnny e Ronnie - Ronnie no telão)
18. Free Bird (Lynyrd Skynyrd)
19. Sweet Home Alabama (Lynyrd Skynyrd e todos)


Banda:

Johnny Van Zant - Vocais
Gary Rossington - Guitarras
Rickey Medlocke - Guitarras, backing vocals 
Mark Matejka - Guitarras, backing vocals
Johnny Colt - Baixo 
Peter Keys - Teclados
Michael Cartellone - Bateria
Dale Krantz-Rossington - Backing vocals 
Carol Chase - Backing vocals


Contatos:

DEEP PURPLE - From the Setting Sun... In Wacken (Duplo CD - DVD)


2016
Nacional

Nota: 9,0/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

Destaques"Highway Star", "Vincent Price", "Lazy", "Perfect Strangers", "Smoke on the Water", "Black Night".


O tempo é cruel com o ser humano, e com tudo aquilo que permeia nossa cultura. E transferindo esta mentalidade para o Metal e o Rock, nos últimos tempos, temos visto vários ídolos partirem, nos deixando legados sublimes. Isso porque a maioria deles está na ativa desde os anos 70, onde todo este estilo que tanto amamos ganhou solidez em seus aspectos mais diversificados. E um dos remanescentes da época, apesar de tantas tribulações, uma das três cabeças do Cérbero chamado Heavy Metal, um dos pais do Metal e um dos maiores influenciadores das gerações futuras é o quinteto DEEP PURPLE, de Hertford (Inglaterra), que nos chega com dois trabalhos excelentes de uma única vez, um DVD e um Duplo CD ao vivo (que são vendidos separadamente), ambos sobre o nome "From the Setting Sun... In Wacken", que são duas obras que nos levam a refletir o quanto tempo ainda os teremos por aqui.

O conteúdo do DVD e do CD é a apresentação do quinteto no Wacken Open Air Festival de 2013, a primeira vez deles no festival, durante a excursão do CD "Now What?!". Algo justo, já que o quinteto é um dos grandes nomes dos anos 70 que ainda está na ativa, e merece o brilho do palco principal do festival.  O estilo do DEEP PURPLE dispensa grandes apresentações: o mesmo Hard Rock pesado e com toques elegantes que os caracteriza desde que sua MK II surgiu e entrou para a história da música. E ao vivo, justamente por evitar muitas complexidades, funciona cheio de energia, ainda mais com uma banda tão entrosada.

Todo o trabalho de som e imagem está perfeito, com sincronia excelente. E podemos ver que o número de câmeras é grande, pois temos takes em várias posições, o que nos permite ter uma clara idéia de tudo que se passou no show. E como o som está bom, nos permitindo entender tudo que a banda está tocando, e bem.

A única ressalva que nos cabe fazer é em relação a voz de Ian Gillan.

Tudo bem, ele ainda canta muito bem as partes em tons mais baixos e comportados, mas os gritos de antes são bem difíceis para ele. Mas como eu disse lá no início: o tempo é inclemente, e ainda lembramos que ele teve problemas severos com as cordas vocais ainda nos anos 80, antes de entrar no BLACK SABBATH. Mas o que lhe falta em gritos agudos, lhe sobra de boa performance cantando, sem contar que Ian se mostra um frontman e tanto, mesmo aos 70 anos, indo de um lado para o outro e se comunicando muito bem, além de tocar gaita. O fôlego ainda está bem. No que tange à cozinha rítmica de Roger Glover e Ian Paice, ela continua excelente, e o entrosamento dos anos se reflete no peso das canções. Don Airey ocupa a vaga do mestre Jon Lord, e se mostra muito bem, fazendo um trabalho ótimo, respeitando a herança de seu antecessor. E Steve Morse, sempre tão perseguido pelos xiitas fãs de seu antecessor, mostra-se um guitarrista excelente, fazendo as coisas à sua maneira, mas sem destoar do que o grupo já fez. E ara dar um brilho a mais, temos a participação especial de Uli Jon Roth no hino "Smoke on the Water", talvez a mais conhecida canção da banda.

Mas resta uma pergunta: o que podemos esperar de uma apresentação do DEEP PURPLE?

Deep Purple
Simplesmente, energia aos montes, e a compreensão dos motivos de serem cultuados até os dias de hoje.

Um dos pontos mais legais tanto do CD duplo quanto do DVD é a diversidade de seu repertório, onde canções clássicas são entremeadas com músicas mais recentes. E como prova que o quinteto não vive de passado, "Vincent Price" (que tem o vídeo oficial como bônus no DVD), "Hell to Pay", e "Above and Beyond" do último álbum estão lá.

Com isso tudo, não é preciso falar mais de músicas como "Highway Star" (um show de Ian Paice e Roger Glover), "Hard Lovin' Woman", "Lazy", a maravilhosa "Perfect Strangers" (Gillan está muito bem nela, assim como Steve), a arrasadora "Space Truckin'" (outro show de Gillan e Morse, mas Don aparece muito bem nos teclados), o hino eterno "Smoke on the Water" (meus caros, os duetos entre Steve e Uli Jon são algo de fantástico. Isso sem falar no público interagindo durante o refrão), assim como ver a banda levando seu primeiro sucesso comercial, uma versão para "Hush" de Billy Joe Royal (cuja versão original foi gravada quando Rod Evans e Nick Simper ainda estavam na banda). Agora, vê-los tocando a velha "Black Night" é algo de maravilhoso, que faz bem aos ouvidos e coração em um tempo em que a música anda tão artificial e sem sentimento.

Impossível ver e ouvir uma vez apenas...

Como dito acima, o repertório do CD e do DVD são iguais. Vale adquirir ambos, pois nem sempre se pode ver o DVD, mas o CD (que é duplo, com uma qualidade de áudio excelente) se pode ouvir no carro ou no trabalho sem problemas.

Ok, pode não ser um clássico como "Made in Japan", mas merece respeito e a aquisição.





Músicas:

1. Highway Star
2. Into the Fire
3. Hard Lovin' Man
4. Vincent Price
5. Strange Kind of Woman
6. Contact Lost
7. The Well-Dressed Guitar
8. Hell to Pay
9. Lazy
10. Above and Beyond
11. No One Came
12. Don Airey's Keyboard Solo
13. Perfect Strangers
14. Space Truckin'
15. Smoke on the Water
16. Hush (Billy Joe Royal cover)
17. Black Night


Banda:

Ian Gillan - Vocais
Steve Morse - Guitarras, backing vocals
Roger Glover - Baixo, backing vocals
Don Airey - Teclados, órgão
Ian Paice - Bateria


Contatos: