7 de mar de 2016

07/03/16: Metal Media



DISTRAUGHT: preparando novo videoclipe


O DISTRAUGHT segue divulgando seu recém-lançado – e amplamente premiado – novo álbum de estúdio, ‘Locked Forever’, e prepara agora um novo clipe.

Os gaúchos estão novamente com a produtora Prata Filmes (www.facebook.com/PrataFilms) e registram um clipe para a música ‘Shortcut to Escape’, que tem previsão de lançamento para abril.

Anteriormente o DISTRAUGHT e a Prata Filmes já trabalharam juntos no primeiro clipe retirado de ‘Locked Forever’, exatamente para a faixa-título, assista:


‘Locked Forever’ nos leva a uma viagem profunda pelos confins dos hospícios e, entre riffs e vocais furiosos, foi eleito um dos grandes discos do ano passado. O disco que mesmo saindo no final de 2015, teve impacto suficiente para entrar na lista de melhores do ano de sites renomados como:

Arte Metal (http://goo.gl/92vq2q), Heavy Metal All Night (http://goo.gl/SMzX1J), Metal Na Lata (https://goo.gl/XqaqzZ), Heavynroll (Geraldo Andrade – http://goo.gl/77IaKq) e Rebel Rock (http://goo.gl/kZ62rS).

O DISTRAUGHT também foi um dos destaques da votação do público organizada pelo portal HeavynRoll (http://goo.gl/VSmkhT), onde entrou nas categorias: Melhor Baixista, Melhor Lyric video, Melhor Capa e Melhor Álbum de Thrash.

Outro grande reconhecimento foi do site Headbangers Latinoamerica, um dos principais portais especializados da América Latina, que colocou o álbum como quinto melhor lançamento de 2015 entre 250 nomes. (http://goo.gl/2s18Cv)

‘Locked Forever’ já está à venda nas melhores lojas do país e diretamente com a banda pela sua loja virtual:


O trabalho foi gravado no estúdio Monostereo com produção de Renato Osorio (Hibria), mixagem por Benhur Lima (Hibria) e masterização por Adair Daufembach. A capa ficou por conta do artista Marcelo Vasco (Slayer, Machine Head, NervoChaos, Astafix).


Sites relacionados:


LIAR SYMPHONY: Nuno Monteiro é o novo vocalista do Electric Funeral



Desde o final do ano passado o vocalista do LIAR SYMPHONY empresta seu talento para a banda tributo ao Black Sabbath Electric Funeral.

Nuno Monteiro junto com alguns dos principais nomes da música pesada nacional, Vitão Bonesso, Paulo Anhaia e Bruno Luiz formam o grupo que se apresenta pelo país prestando uma justa homenagem aos “pais” do Heavy Metal.

Lembrando que Nuno também canta no Balance – Tributo ao Van Halen, ou seja, o vocalista não gosta de se acomodar e está sempre procurando desafios.


Já sua banda LIAR SYMPHONY, uma das principais formações do Metal nacional, segue preparando novidades e, enquanto não elas vêm, continua na divulgação de extremamente bem-recebido álbum ‘Before The End’.

O disco foi gravado no estúdio Masterpiece e produzido pelo guitarrista Pedro Esteves e a capa ficou nas mãos do próprio vocalista Nuno Monteiro.



Sites relacionados:


LUIS KALIL: novo vídeo no canal da EMGtv. Assista!


O vídeos do jovem guitarrista LUIS KALIL no canal norte-americano da EMGtv estão chamando a atenção do público no mundo todo e ele acaba de disponibilizar mais um!

O músico não esconde a felicidade: “Dessa vez é a música ‘The Journey Has Begun’. Poucas coisas na vida são tão épicas quanto gravar um EMGtv!” assista:


Outros vídeos de LUIS KALIL no EMGtv já foram publicados, confira também:




Vale destacar que o guitarrista foi o primeiro brasileiro a se apresentar no programa norte-americano.

O prodígio compõe para o novo álbum e segue divulgando ‘Insight’, eleito um dos grandes lançamentos de 2015 pelo redator Marco Paim, do portal HeavynRoll. O disco conta com oito músicas e teve a produção feita por Renato Osorio (Hibria), mixagem e masterização por Benhur Lima e a participação especial de Edu Falaschi (Almah) e Iuri Sanson (Hibria).

Interessados em adquirir o material, podem entrar em contato através do e-mail contactluiskalil@gmail.com ou adquirir digitalmente em lojas como iTunes, Amazon, Google Play, entre outras.


Sites relacionados:


COLDBLOOD: confira o tracklist de ‘Indescribable Physiognomy of the Devil’


Depois de apresentar a capa e o título de seu novo álbum, o COLDBLOOD divide conosco o tracklist de ‘Indescribable Physiognomy of the Devil’.

A versão nacional, que será lançada em uma parceria entre os selos Distro Rock, Mutilation e Feed Bizarre, terá dez faixas e mais três bônus, confira:

1. Indescribable Physiognomy Of The Devil
2. Tetragrammaton
3. Darkness Above The Firmament
4. The Synchrony Of The Cursed Star
5. Cocoon Of Neophyte
6. Demons Of Nox
7. Sulphur
8. Draco/Pneumatik Phenom
9. Bury The Universe
10. Metaphysical Evil

Bonus tracks:

1. Indescribable Physiognomy Of The Devil (Instrumental version)
2. Draco/Pneumatik Phenom (Instrumental version)
3. Metaphysical Evil (Instrumental version)


‘Indescribable Physiognomy of the Devil’ foi mixado e masterizado no Underworld Studio na Alemanha por Mersus, que além de produtor é baterista da banda Destroyer 666. A capa ficou por conta do artista Rafael Tavares (Azaghal, Blood Red Throne, Ocultan, NervoChaos, Ophiolatry).


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

MACHINAGE: Ricardo Mingote em workshow com Ricardo Confessori




O baterista do MACHINAGE, Ricardo Mingote, fará as honras de abertura no workshow que o lendário baterista Ricardo Confessori realizará na cidade de Campinas/SP.

O evento acontece no dia 10 de abril na escola Bateras Beat Campinas (Rua Frei Manoel da Ressurreição, 1283) e a entrada custa apenas 1KG de alimento não perecível ou R$10,00. Saiba mais sobre como participar pelo link: https://goo.gl/1ELNWz

O talentoso baterista Ricardo Mingote, além de comandar as baquetas do MACHINAGE, é professor de bateria. Para saber mais sobre o trabalho do músico, visite: www.facebook.com/ricardomingotibaterista

Falando em MACHINAGE, está quase tudo pronto para o aguardado lançamento de seu novo álbum, ‘Slave Nation’, que sairá no Brasil pela Voice Music.


O material foi gravado nos Estados Unidos e produzido por Curran Murphy (Annihilator e Nevermore). A mixagem e masterização ficaram por conta de Max Norman (Ozzy Osbourne, Megadeth, Bad Company e Fates Warning). A capa foi criada por Jean Michel (Keep Of Kalessin, Vetor, Skinlepsy).


Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

YEKUN: banda atualizando o status de seu novo EP




Programado para ser lançado em janeiro desse ano, o EP ‘The Boars Nest’ do YEKUN sofreu um atraso e foi praticamente todo regravado. Agora a banda nos atualiza sobre o status do trabalho.

Nas palavras do vocalista JP Carvalho:

“Iniciamos as gravações no Estúdio Hardcaos, após concluirmos tudo, tive uma pane elétrica em casa e isso destruiu meu computador e consequentemente meus HD, o que conseguimos salvar era tão pouco que decidimos refazer, só que desta vez usando o estúdio onde seriam feitas a mixagem e a masterização.

O Purosom e seu proprietário, Edson Paulino, se tornaram a aposta mais certa para o Yekun, porque o nível de qualidade e profissionalismo são imperativos por ali.

Iniciamos as gravações no final de janeiro, começo de fevereiro e agora no início de março o trabalho já está em fase de mixagem e indo a passos largos para a masterização, eu acredito que até o final de abril já estejamos com tudo finalizado e pronto para o lançamento online num primeiro momento, e quem sabe, se tudo caminhar bem, em seguida o lançamento físico do trabalho, que virá acrescido do primeiro EP (Inside my Headcache) e também a música que gravamos para um tributo ao Melody Monster (que nunca saiu do papel).

Vou tentar parcerias para o lançamento físico deste trabalho, mas se não acontecer, ele será lançado da mesma forma pela banda.

The Boars Nest, na minha forma de ver, vem bem mais agressivo que seu antecessor, mas mostra também o lado melódico e psicodélico muito acentuado, Sinto que a banda está num momento de muita fluidez criativa e isso tem se refletido nas composições, The Boars Nest é apenas uma parte disso, mas já estamos negociando a gravação do primeiro full, se tudo der certo, teremos mais novidades em breve…”


O EP teve a capa a cargo do vocalista JP Carvalho. Serão quatro faixas – uma inclusive contando com a guitarrista do Nervosa, Prika Amaral, que aqui faz as honras de vocalista – que mais uma vez desafiarão o ouvinte com a mescla de estilos que o YEKUN trouxe para o cenário brasileiro:

1. The Last Sound of Silence
2. Faith of Serpents
3. Slowly (feat. Prika Amaral)
4. The Boars Nest


Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

Entrevista com Warrel Dane (inglês)

The Old, The Good and Metal - Interview with Warrel Dane



O Metal Samsara, com a ajuda providencial de Priscila Queiroz, teve a honra de poder entrevistar WARREL DANE, lendário vocalista das bandas SANCTUARY e NEVERMORE, que está em nosso país para mais uma longa excursão.

E mais uma vez, disponibilizamos as perguntas e o áudio com as respostas de Warrel. Mas como acreditamos que o aprendizado no Heavy Metal é constante, deixamos as perguntas em texto, bem como o áudio original, em inglês.

É uma entrevista, uma aula para todos nós, e um dom de Warrel Dane.



By Marcos "Big Daddy" Garcia

The name of WARREL DANE doesn't need great presentations. He is the voice behind legendary bands as SANCTUARY, NERVERMORE and made participations on BEHEMOTH "The Apostasy" and HEVILAN's "The End of Time", and released a solo album on 2008, "Praises to the War Machine". And now, he is again touring solo on Brazil.

We had the opportunity to interview this legendary vocalist, and we talked about the past, present and the future with him, that was extremely kind with us.


BD: Hi Warrel. First of all, I'd like to thank you for this opportunity. And as the first question, I'd like to know how did you come to be interest on singing? And how did you found your particular style? It was before SERPENT'S KNIGHT's or on SANCTUARY? And what are your favorite vocalists, the ones that influenced you?

BD: About SERPENT'S KNIGHT times, what are your best remembrances from those days? And there's a strange feature I notice: on the only album, "Released from the Crypt", there's a version for JEFFERSON AIRPLANE's "White Rabbit", the same song that SANCTUARY played on "Refuge Denied". What is the reason for this fact? Do you still remember?


BD: Now coming to SACNTUARY old days. How the band was founded? And were the scene on Seattle back on those days? Yes, because you were on the same city that brought names as QUEENSRYCHE, METAL CURCH, THE MENTORS and many others, so it seems that the Metal scene was strong on the 80...


BD: On 1987, "Refuge Denied" came to the world, showing an excellent mix between traditional Heavy Metal with some aspects from Thrash Metal, something really different. How was the recording of the album? Was it a bit difficult to have Dave Mustaine dealing with the album's production? And what were the feelings about the first album? And did think you get the answer you thought SANCTUARY deserved back then?


BD: About the times of "Into the Mirror Black", your music became a bit heavier and even darker than we heard on "Refuge Denied". What were the reasons the led the band to take this way? 


BD: It seems that Grunge Rock gave a shot on Metal scene of Seattle, because as soon as you were touring for "Into the Mirror Black", the whole things on music on U.S.A. changed. And SANCTUARY ended. But what were the reasons for this? Were things going nasty between you and the guys on that time? 


BD: As soon as SANCTUARY went to its early grave, you started NEVERMORE, with a musical style slightly different from your previous work. Even your singing style had a change, to a more deeper and dramatic singing, and instead of only singing the songs, your interpretation improved a lot. So, what were the motivations for these changes on musical styles from NEVERMORE to SANCTUARY, and in your singing style?


BD: Another interesting feature that astonishes us is your guest appearances on albums from bands with very different styles. But your voice perfectly fits on BEHEMOTH's "Inner Sanctum", on HEVILAN and on " And Life Was Great..." from SHADED ENMITY. But the question is: do you like these different styles, from Death/Black Metal to traditional Heavy Metal and Melodic Death Metal? 


BD:  Warrel, you've being playing on Brazil a lot for the last 2 or three years. It seems like you're in love with our country, isn't it? And how do you feel having Marcus Dotta (drums), Fabio Carito (bass), Tiago Oliveira (guitars) and Johnny Moraes (guitars) with you? I personally think you can have these guys on a future solo album...


BD: Then, as I spoke above about a new solo album, is there a chance for "Praises to the War Machine" have a successor? 


BD: One more about SANCTUARY: I really loved "The Year the Sun Died", so, how the things went with it on press and on selling, now that illegal downloads are bankrupting the records labels? And how was the reception of it?


BD: I really was caught back on 1991 by your work due "Future Tense" video on Furia Metal TV show (a Brazilian version for MTV's Headbangers Ball). But when I saw the lyrics, I became astonished, because it shows things about the past, but one line is disturbing, saying "What do you think they will say when they look back on this, were the eighties just a time of spoiled innocence". Man, you're a kind of prophet! So the question is: do you remember the main idea about "Future Tense" lyrics?


BD: Warrel, I really thank you a lot for your kindness, and for this interview. So, please, leave your message for your fans.

OPALA DE PRATA - Filho Feio (Demo EP)


2015
Independente
Nacional

Nota 7,5/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


O Rock é mesmo uma linguagem universal.

É diversificado, mutante, sempre se atualizando (para animar os pesadelos dos mais conservadores e puritanos), e assim, ele segue desde seu surgimento lá nos anos 50. E é interessante ver que, mesmo em cidades improváveis, ele surge do nada. E é este o caso do quinteto OPALA DE PRATA, vindos de Magé (interior do RJ), e que estréiam com o EP "Filho Feio".

Podemos perceber que o grupo aposta suas fichas em um Rock cru, sujo e visceral, que possui certa dose de peso, muita melodia e espontaneidade. É quase que um AC/DC um pouco mais metalizado, com uma música feita na garra e na coragem. E soa bem pegajoso, um deleite para os ouvidos cansados das músicas pasteurizadas dos dias de hoje. Aqui, tudo está soando cheio de vida e energia.

Opala de Prata
O único ponto fraco do EP é justamente sua gravação. Está suja e crua demais, e um pouco oca, lembrando os primórdios das gravações independentes no Brasil na primeira metade dos anos 80. Mas verdade seja dita: da cidade de onde o quinteto vem, fazer um trabalho desses é um verdadeiro triunfo, ainda mais de maneira independente, pois as dificuldades não possuem fim. Se por um lado ela poderia ser melhor (especialmente no quesito timbres, pois as guitarras mereciam um som mais gorduroso), ela não carece em clareza, pois se pode compreender tudo que o grupo está fazendo. E o trabalho gráfico é, propositadamente, desleixado, mostrando a personalidade crua e despojada desses sujeitos. Pelo visto, bom mocismo não é com eles.

Em termos musicais, o OPALA DE PRATA é uma banda que tende a evoluir, mas essa mistura de influências que a banda mostra em sua música que foge de complexidades desnecessárias, e aposta em algo mais direto e sem muitas firulas. Mas os arranjos são muito bons, a dinâmica instrumental é muito boa. 

Nada que Valha a Pena - Há uma dose de energia que mixa muito de Hard clássico com boas doses de peso. E se não fosse a gravação, se perceberia o poder de fogo das duas guitarras (os riffs são muito bons).

Ego Divino - Uma baladinha bem acessível e preenchida por uma atmosfera completamente "bluesy", onde os vocais se encaixam muito bem.

Meretriz - Curta e direta, é uma faixa divertida, onde o baixo se mostra bem no início. E uma ouvida na canção mostra que a base rítmica é boa, mesmo no meio desta simplicidade.

Vulgar Picture - Aqui, a banda pega um pouco mais pesado, mostrando riffs que lembram um pouco o Hard'n'Heavy da NWOBHM. E o uso do idioma bretão deixou a música um pouco mais solta que as anteriores.

Pai das Ilusões - A fórmula de peso cadenciado dá as caras no início, mas logo o andamento ganha um pouco mais de velocidade. Apesar da espontaneidade, ouvimos claramente um bom trabalho nos riffs e nos vocais (que podem dar uma melhorada dos timbres no futuro).

Oficina do Caos - Por ser uma canção bônus, a gravação aparenta ter vindo de um ensaio, abafada e ainda mais crua. Mas se percebe que o quinteto, como um todo, está muito bem, e sabendo o que quer de sua música. É uma canção grudenta e azeda nas mesmas medidas, e a base rítmica os vocais se mostram muito bem.

O OPALA DE PRATA tende a crescer e evoluir, pois o potencial deles é muito bom. E eu os saúdo com palmas, pela coragem de fazer um trabalho desse nível.




Músicas:

01. Nada que Valha a Pena
02. Ego Divino
03. Meretriz
04. Vulgar Picture
05. Pai das Ilusões
06. Oficina do Caos


Banda

Thiago Millôres - Vocais
Vitor - Guitarras
João Victor - Guitarras, backing vocals
Rodrigo "Kobé" - Baixo
Rique - Bateria, backing vocals


Contatos:


KING OF BONES: capa retrata a realidade da corrupção





Foto: Edu Lawless

"Don't Mess With The King", segundo álbum do KING OF BONES, está em fase final de produção. A capa do sucessor de "We Are the Law" (2012), criada pelo renomado Gustavo Sazes, expõe um problema que assola não só o Brasil, mas o mundo: o dinheiro sujo da corrupção. "Retrata bem a nossa realidade, pois todos os dias não só vemos como sentimos na pele os problemas criados por pessoas sem escrúpulos que mexem com o dinheiro sujo da corrupção", explica o vocalista Júlio Federici. "É o poder e os interesses acima de tudo e de todos, aquela coisa suja de 'custe o que custar' que vemos no dia a dia. Além de atitude, o Rock é a manifestação pura dos nossos sentimentos, seja positiva ou negativa", acrescenta o baixista Rafael Vitor.

Gustavo Sazes, que tem em seu currículo trabalhos para Morbid Angel, James Labrie, Kamelot, Manowar, Soto, Sepultura, Angra, Kiko Loureiro, Almah, entre outros, também explicou o conceito da arte: "É aquela onda do empresário desgraçado filho dum rato pelado fodendo geral com nossa vida, literalmente 'torrando' o que ganhamos. Os porcos representam essa opressão e também mostra que, aos olhos do 'rei', todos são iguais, todos são sacrificáveis. Detalhe para a coroa marcada na testa de cada porco."


A faixa "No Way Out", que deverá abrir o álbum, retrata a arte da capa. "A letra é um 'sermão' a esses corruptos ou pessoas falsas, que passam outros para trás sem nenhum remorso", explica o baterista Renato Nassif. "Já em 'Blinded By Faith' falamos sobre o terrorismo e aquela coisa de se tornar 'cego' por uma religião", acrescenta.

O objetivo do quarteto é manter a base que foi conquistada e dar um passo além em "Don't Mess With The King", que contou com produção a cargo de Henrique Baboom e será lançado ainda no primeiro semestre. "Além de uma pegada mais Hard Rock, Baboom acrescentou muito nesse disco. Ele soube entender bem os pontos fortes de cada músico e onde a gente queria chegar com esse trabalho sem perder nossa raiz, vinda de 'We Are The Law'", observa o guitarrista Rene Matela.

Sites relacionados:


Contato para shows e merchandising: management@kingofbones.com.br


Fonte: ASE Music
A/C Ricardo Batalha

GENOCÍDIO: Cerveja de 30 anos da banda à venda, assista o vídeo!




A partir de sábado, dia 5 de março, estará disponível para venda a cerveja de comemoração dos 30 anos do GENOCÍDIO.


Com graduação alcoólica de 5,8% e feita em parceria com a cervejaria Vila Chã, a Red Ale comemorativa é apresentada oficialmente em um vídeo promocional que narra em exatos dois minutos a história da banda.

Assista o vídeo:



Adquira a cerveja nos seguintes locais:
Vila Chã Bar – vilacbar@hotmail.com
Rua Piraçununga, 737 – Mooca – São Paulo/SP
Woodstock Discos – walcirchalas@gmail.com
Rua Doutor Falcão Filho, 155 – Centro – São Paulo – SP


Links relacionados


HEAVY METAL ONLINE #63: Sanctifier/Ruídos no Sertão/Festivalando/Certo Porcos




Viajar para festivais é o ponto forte do nosso trabalho, pois conseguimos em poucos dias realizar vários trabalhos e gerar uma quantidade enorme de matérias, além claro de encontrar nossos amigos que muita vezes encontramos somente pela rede social. E o Festival Ruídos no Sertão nos proporcionou exatamente isto e vocês poderão conferir tudo numa matéria especial que editei neste programa. Além disto, temos também a estréia do nosso novo cenário, onde daremos mais destaque a quem nos envia materiais e também coloca nossa logomarca em seus cartazes. 

As entrevistas que temos neste programa estão surpreendentes, temos uma lenda do death metal de Natal, o Sanctifier, a batalhadora Gracielle Fonseca, do Festivalando e ainda uma bate papo direto e reto com Lélio Gustavo, figura marcante da capital Belo Horizonte.


Aí está, de cara nova, mas com os mesmos objetivos de sempre, divulgar o metal do nosso Brasil.


Dirigido por Carlos Clinger.
Uma Produção de Heavy Metal online Web Tv.

------- ------ -------- --------- -------- ------------------ ----------
Twitter: @online_heavy
-------------- ------- ----------- -------------- ----------------- --------
EQUIPE TÉCNICA

Filmagem e Fotografia

Clinger Carlos
Igor Arruda
Vinícius Toledo


Reportagem 

Clinger Carlos

Créditos Especiais 

João Duarte Designer :http://jduartedesign.com/site/
Matheus Canto Motion :http://makeyourlight.com/
Derick Delavali - Novo Layout e Transições

Agradecimentos 

Sanctifier
Gracielle Fonseca
Lélio Gustavo e Certo Porcos
Festival Ruídos no Sertão
Todos envolvidos neste programa.


Fonte: Heavy Metal Online
A/C Clinger Carlos

ÚLTIMO SOPRO: disco novo, processo de criação e planos futuros




A banda de Post-Hardcore, ÚLTIMO SOPRO, formada em Petrópolis, Rio de Janeiro, fala em entrevista sobre o seu mais novo trabalho intitulado “Aurora”, processo de composição, influências e planos futuros. O disco novo tem previsão de lançamento para o primeiro semestre de 2016 e os integrantes se encontram em estúdio finalizando o novo trabalho.

O que o público pode esperar do primeiro trabalho do ÚLTIMO SOPRO?

U.S: Nós buscamos fazer um som original, com a nossa cara, tentando transmitir a essência da U.sopro. O que vocês encontrarão no Aurora é um pouco da vivência e do esforço de 5 garotos de uma cidade pequena tentando dizer para o mundo que vale a pena lutar pelos seus sonhos e sorrir a cada aprendizado.


O nome do EP “Aurora”. Qual é a ideia por trás disso?

U.S: Porque aurora é o começo de um dia, de um novo ciclo em que você resolve mudar, ser uma pessoa melhor e lutar pelos seus sonhos, ideais e por tudo que você ama. E é isso que queremos com a estréia da U.sopro: começar a trilhar um caminho de vitórias em busca de um sonho possível.


Existe uma relação entre as letras e o conceito do álbum? E como funciona o processo de composição da banda?

U.S: Nossas letras são sobre o cotidiano e sobre incentivo, como aquilo que você escuta e te anima a tentar outra vez, que te faz levantar a cabeça e encarar tudo de frente e com confiança! Normalmente nos reunimos na casa do guitarrista (Rodolfo) e trabalhamos para uma idéia se tornar música.


O Último Sopro tem uma base de vários gêneros musicais. E quanto a bandas? Quais são as grandes influências? 

U.S: Alexisonfire, ADTR, Emarosa, Bring me the Horizon, Envydust e R.sigma estão entre os gostos comuns dos integrantes, mas também temos fãs de Hendrix, Santana, Aerosmith, assim como As I Lay Dying, Parkway Drive, Suicide Silence... Mas também ouvimos muita coisa fora do “Rock”, como Blues, MPB, Jazz, Samba, Rap e outros.


Quais são os próximos passos da banda para este ano?
U.S: Divulgar ao máximo as nossas músicas, principalmente com shows pelo Brasil e continuar trabalhando em futuras composições para novos lançamentos. 


​​O ÚLTIMO SOPRO disponibilizou para streaming o seu trabalho nos links abaixo:


Links relacionados:



Links para download:



ÚLTIMO SOPRO nas redes sociais:


Mais informações sobre a banda através de: collapseagency@gmail.com


Fonte: Collapse Agency 
A/C Sylvia Sussekind e Bruno Moraes

DKRAUZ: aulas de técnica vocal gratuitas




Daniele Krauz lança projeto social online para oferecer aulas gratuitas para quem não tem condições de pagar por aulas ou não tem acesso a professores.

Proporcionar oportunidades de acesso ao conhecimento sempre foi uma preocupação da cantora Daniele Krauz. Em sua experiência de mais de 10 anos como professora de idiomas e técnica vocal já distribuiu várias bolsas de estudo e desenvolveu projetos de corais com adolescentes e crianças.

"Muitas pessoas me procuram online para pedir dicas de exercícios, avaliações de vocal ou dúvidas de como vencer medos. Resolvi aproveitar melhor o espaço virtual para estender esse trabalho ao invés de responder individualmente e beneficiar apenas uma pessoa por
vez." Diz a cantora. "A proposta é ser um grupo interativo em que todos possam compartilhar dúvidas e progressos."

O sistema desse novo projeto abrange postagens na página da cantora no Facebook, vídeo aulas em seu canal no YouTube e um grupo de trabalho no Whatsapp. Todos os interessados terão acesso ao material através do grupo aberto no Facebook Técnica Vocal com Dani Krauz, contando com informações sobre saúde vocal, exercícios para canto, ideias de repertório. Para selecionar os alunos que desejam participar do grupo de estudo no Whatsapp serão promovidos eventos periódicos através do Facebook.

Conheça todos os links para se comunicar com a cantora Daniele Krauz e acessar seu material: para fazer perguntas pode ser usado o seguinte link:




Conheça a banda DKRAUZ através dos links abaixo. No site, além de fotos e vídeos, também pode ser baixado gratuitamente o EP "Insight":


Contato para shows:

Links relacionados:


Fonte: PRESS RTV
Assessoria de imprensa e booking

GUTTED SOULS: banda assina com agência brasileira



A Collapse Agency apresenta GUTTED SOULS em seu casting de bandas.

Estabelecida na America Latina, a agência desenvolve turnês, eventos, promotion, press, booking e gestão de negócios em diversas áreas do ramo musical, e acredita que a banda carioca é atualmente uma das mais brutais do segmento.


Banda de Death Metal formada no Rio de Janeiro, com membros remanescentes da Necropedophile. Em novembro de 2012 lançaram seu primeiro registro, o EP “Unconscious Automaton”. 

O GUTTED SOULS pratica Death Metal com estruturas que remetem ora ao tradicional, ora ao mais técnico e brutal que o estilo tem a oferecer, influenciados pelas raízes do Death Metal e diversos estilos musicais.

A banda se prepara para lançar seu novo álbum , ‘Oligarchy and the Illusion of Freedom’, que está em fase final de produção e será lançado ainda neste primeiro semestre. O álbum conta não apenas com a produção do renomado baterista do Korzus, Rodrigo Oliveira, mas também com sua participação nas baquetas. Atualmente é formada por Iron (vocal), Wellington Ferrari (guitarra), Marcos Medeiros (baixo), Oman Idjarruri (bateria) e Leandro Alves (guitarra).

O GUTTED SOULS entra em turnê com o novo álbum no segundo semestre de 2016, acompanhados da banda finlandesa de Death/Thrash Metal RE-ARMED para uma turnê conjunta pelo país.

Ouça a faixa "Being Human":



O GUTTED SOULS disponibilizou para streaming o seu trabalho nos links abaixo:


Mais informações sobre a banda através de: collapseagency@gmail.com


A/C Sylvia Sussekind e Bruno Moraes

ROADIE CREW: Edição #206




Roadie Crew #206 (março): a edição de março da revista Roadie Crew (#206), que estará nas bancas até o dia 10, tem como destaques de capa o Dream Theater, que promove atualmente o álbum "The Astonishing", décimo terceiro trabalho de estúdio do grupo norte-americano de Prog Metal. "Este para mim foi definitivamente o disco mais difícil de ser feito enquanto produtor e compositor", declarou o guitarrista John Petrucci. Além do Dream Theater, o Avantasia também é destaque de capa. Na entrevista, o mentor do projeto, Tobias Sammet (Edguy), fala sobre o sétimo trabalho de estúdio, "Ghostlights". "Algo que me deixou muito orgulhoso é que em Ghostlights você pode pegar apenas uma música, como 'The Haunting', e ela te dará uma ideia do tópico abordado. Ela faz sentido, você não precisa de nada mais", disse Sammet.

Ed. #206 (março, 2016) - entrevistas: 
Dream Theater
Avantasia
The Winery Dogs 
Saxon
Enforcer
Primal Fear
Trivium 
Prong
Kampfar
Hate Eternal
Next To None
Denner-Shermann (Hank Shermann)

Seções:
Cenário: Heaviest, Tygers Of Pan Tang, Dyingbreed, Sodamned, Deadpan, Apple Sin, Camus, Mad Dragzter, Capadocia, Hardstuff e Festivalando
Blind Ear: Ola Englund (The Haunted / Feared)
Collection: Darkthrone
Background: Venom (Final)
Eternal Idols: Jimmy Bain
ClassiCover: Holy Diver (Dio / Killswitch Engage)
Lado B+: Her Majesty (Beatles)
Playlist: Brian Ross (Blitzkrieg / Satan)
Hidden Tracks: Chariot
ClassiCrew 76: Runaways
ClassiCrew 86: Sepultura
ClassiCrew 96: Angra
ClassiCrew 06: Lamb Of God
Profile: Germano Monteiro (Obskure)
Pôster: Nightwish

Para adquirir pelo site acesse: http://www.roadiecrew.com/anteriores.php
ou entre em contato pelo telefone (11) 5058-0447


SEPTERRA: banda anuncia data de lançamento do álbum de estreia “Freedom of the Dark One”





A banda carioca SEPTERRA tem orgulho em anunciar a data de lançamento do álbum de estreia “Freedom of the Dark One”. O trabalho será lançado no dia 30 de Março inicialmente em todos os formatos digitais.

Formada em 2007 por Filippe ZK (vocal), Marcio Fernandez (guitarras), Diego Felix (teclados) e Marcio Kendi (baixo), a banda SEPTERRA tem uma proposta bem própria de retomar a sonoridade clássica do Heavy Metal, sem soar datada, mas com personalidade própria – o álbum contou com a participação do baterista Anderson Miranda, que gravou todo o material.

“Freedom of the Dark” One foi gravado e produzido nos estúdios Musark e Locomotiva, no Rio de Janeiro. Os trabalhos de mix e master deste álbum foram realizadas pelo produtor carioca Sidney Sohn.

Escute os samplers das músicas e curta a página no Facebook: http://facebook.com/septerraofficial

Mesmo sem um membro fixo na bateria, a banda SEPTERRA entrou em estúdio para gravar o seu primeiro registro no começo de 2008, o EP “Darkness Within”, com 4 composições próprias. Naquele mesmo ano por um curto período até 2009, alguns membros passaram pela bateria até Anderson Miranda se firmar na posição.

Entre 2008 e 2010, a SEPTERRA fez uma série de shows no underground carioca, além de uma apresentação aclamada no Circo Voador, em janeiro de 2009, abrindo para o ex-vocalista do Iron Maiden, Blaze Bayley, o que rendeu à banda grande notoriedade na cena Heavy Metal carioca. Ainda em 2009, em setembro, a banda fazia no Hard Rock Café, uma apresentação inesquecível abrindo para Tim “Ripper” Owens (ex-Judas Priest). Além de grandes shows em festivais e lonas culturais, como a de Campo Grande e Ilha do Governador.

Após alguns ajustes na pré-produção e gravação do primeiro álbum, “Freedom of the Dark One”, a banda Septerra decidiu lançar o mesmo em 2016 e mostrar ao público toda a energia e influências dos músicos.


Veja tracklist de “Freedom of the Dark One”:

01. Nightfall
02. Nightmare (The Terror from Within)
03. The Awakening
04. The Well of Nothingness
05. Forlorn Hope
06. Beneath My Skin
07. Sacred Gates
08. Keeper of Dreams
09. Freedom of the Dark One
10. Dark Symphony
11. River Red


SEPTERRA Line-Up:

Filippe ZK (vocal)
Marcio Fernandez (guitarras)
Diego Felix (teclados)
Marcio Kendi (baixo)

Escute um trecho de “Freedom of the Dark One”:


Mais informações: