21 de set de 2016

DEADPAN: “Nosso tema em comum é o questionamento sobre a sociedade”


A banda DEADPAN concedeu uma entrevista ao Programa Sangue Frio Produções, onde alguns tópicos importantes foram abordados, dentre eles a atual formação, turnê de divulgação do debut EP, influências, atuais e futuros projetos.

Perguntado sobre os métodos e formas de composição, Gustavo, vocalista e guitarrista da banda, respondeu:

“A ideia começou no ano de 2011, sempre que eu estava em lugares mais movimentados eu começava a pensar ‘- por que as coisas são assim, dessa forma?’ e isso me pressionava a mente, então eu descobri que se eu escrevesse, aquilo aliviava, então isso se tornou uma defesa a aquele bombardeio de pensamentos que eu tinha, e isso começou a se tornar as letras das músicas, mudava um pouco aqui e ali, para que ela encaixasse nas músicas. Então, o tema em comum sempre foi questionar algo do tipo ‘- por que a gente usa máscaras para sobreviver? Por que certas instituições e certas pessoas pregam tanto o amor e tanto a bondade e fazem tanta merda e executam tanto ódio?’ e então esse era um tema em comum, e eu sempre pensei que esse ‘bombardeio de ideias’ poderia vir de um alien, por isso tenho uma tatuagem que mostra um alien com a mão na cabeça, representada por um, controlando a mente e essa foi a primeira arte que depois resultou na capa do CD.”



Em outras notícias, o DEADPAN prossegue com sua atual turnê “In Tour We Trust”, trabalhando na divulgação do debut EP, para levar o grupo para sua cidade/evento escreva para: contato@sanguefrioproducoes.com ou igorthiesen@gmail.com.

Confira todas as datas da “In Tour We Trust”: http://bit.ly/Deadpan
DATAS DISPONÍVEIS.

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:



RIGOR MORTIS BR: Banda será destaque no Programa Sangue Frio Produções



A banda gaúcha RIGOR MORTIS BR concederá uma entrevista ao Programa Sangue Frio Produções de número #024. Nessa entrevista o grupo falará um pouco sobre o início da banda, debut álbum, “The One Who...”, atual formação, influências e também comentar um pouco sobre os projetos para restante de 2016. O programa vai ao ar nas seguintes web rádios:

Infernal Rádio: Toda Segunda-Feira a partir das 21:00 - http://infernalradio.net/

Rádio Exmera: Toda Sexta-feira a partir das 20:00 - http://www.radioexmera.com/

Metal Militia Web Rádio: Confira a grade de programação da Rádio - http://metalmilitia.com.br/2015/grade-de-programas/

Mixcloud: Sempre disponibilizado como forma de “podcast”, confira todos os programas: https://www.mixcloud.com/SangueFrioProducoes/

Em outras notícias, RIGOR MORTIS BR já está com sua agenda de shows aberta para divulgação do bem recebido “The One Who...”. Para levar a banda para sua cidade/evento escreva para: contato@sanguefrioproducoes.com ou alexandrerigormortis@gmail.com.

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato


Sites relacionados:



KHROPHUS: Miniturnê com a banda espanhola Apostles Of Perversion nesse fim de semana


Celebrando um ano incrível com sua turnê “Spreading The Madness Tour”, a banda KHROPHUS tem mais um final de semana insano, dessa vez ao lado da banda espanhola Apostles Of Perversion que vem ao Brasil para divulgar seu mais recente álbum “Revenge Beyond The Grave”.

A primeira apresentação das duas bandas acontece na terceira edição do Brutal Player, no dia 23/09/2016 em Guaramirim/SC no lendário Curupira Rock Bar, junto às bandas Impiedoso e Retaliate. Confira: 


Link do evento no Facebook para mais informações: https://www.facebook.com/events/177116392703395/

No dia 24/09/2016 Apostles Of Perversion e KHROPHUS viajam até Criciuma/SC, onde se apresentam no Colher de Chá, junto as bandas Silent Empire e MetalGods (tributo à Judas Priest). Confira: 


Link do evento no Facebook para mais informações: https://www.facebook.com/events/268486076869466/

Para fechar o fim de semana com chave de ouro, as bandas encerram a miniturnê em Florianópolis/SC, dia 25/09/2016 no Scream Metal Bloody. O show, que acontece no Célula Showcase, também contará com as bandas Evil Domain e Misanthrope (tributo a banda Death). Confira:



Link do evento no Facebook para mais informações: https://www.facebook.com/events/1744254332522772/

Confira todas as datas da “Spreading The Madness Tour”: https://goo.gl/Mwz6cZ

Contato para shows e assessoria: www.sanguefrioproducoes.com/contato

Sites relacionados:


CARNIÇA: Figurando na “Cangaço Rádio Rock – Vol. IV”


Mantendo firme as gravações do novo álbum e sempre em constante movimento no underground, a CARNIÇA agora está figurando na 4° edição da coletânea da rádio cearense Cangaço Rádio Rock.

Onde participam da mesma com a faixa que abre o 3° disco, “The Protester” do fantástico “Nations of Few”.


Não perca tempo e baixe agora mesmo a coletânea:

Link para o download: http://goo.gl/VcPQu3


Lembrando que a CARNIÇA também está com sua nova promoção em sua reta final, onde estarão sorteando 4 kits com sua discografia, para participar basta acessar o link a seguir:



Links Relacionados:



DUST COMMANDO: “Between Chaos and Grace” disponível para streaming


E a espera pelo novo trabalho do DUST COMMANDO acabou! Eis que “Between Chaos and Grace” já se encontra para audição gratuita em seu Soundcloud, onde trazem cinco faixas – sendo que uma delas virá a ser o novo videoclipe da banda – incorporando ainda mais peso em seu Stoner Metal característico e robusto, com uma produção acima da média e que com certeza ganhará ainda mais seguidores.


Agora chega de papo e confira agora mesmo:



Links Relacionados:



STONERIA: concorrendo ao prêmio Dynamite 2016


O STONERIA vem correndo um belo caminho no cenário underground, e por onde tem passado deixa sempre uma ótima impressão e que vai além da música, pois sim, os músicos do STONERIA também se preocupam com causas sociais, lutam pela liberdade de expressão, dizem não ao preconceito dentre outras colocações.

Mas o que seria disso sem sua musicalidade? E para abrilhantar ainda mais está jornada em nome do Rock Nacional o seu Debut autointitulado está concorrendo ao prêmio Dynamite 2016 de melhor álbum de Rock, nada mais justo para uma das melhores bandas da atualidade no Brasil!

Então já sabe, acesse o link e vote STONERIA:


Links Relacionados:



DIO BRITTO: músico brasileiro se apresentará no Ozzfest Meets Knotfest!


O gaúcho Dio Britto segue deixando os headbangers brasileiros cheios de orgulho. Desde que entrou para o estadunidense WESTFIELD MASSACRE, o baterista vem levantando a bandeira brasileira em grandes festivais pelo país do Tio Sam.

Agora o músico e sua banda se apresentarão em um dos maiores festivais dos EUA: é a junção do OZZFEST e do KNOTFEST que aqui leva o título de OZZFEST MEETS KNOTFEST!


“Não tenho palavras pra descrever a sensação de tocar em um festival deste porte, é mais um sonho se tornando realidade, estou me dedicando muito para dar meu melhor e honrar meus companheiros de banda e os maravilhosos músicos de meu pais” – celebra Dio Britto.

No festival, que acontece nos dias 24 e 25 deste mês, gigantes se apresentarão. No sábado, OZZFEST, Black Sabbath, Megadeth, Disturbed, são algumas das atrações.

No domingo, KNOTFEST, dia do WESTFIELD MASSACRE, bandas como Slayer, Amon Amarth, Anthrax, Trivium, Sabaton, e claro, Slipknot, são algumas das atrações. O WESTFIELD MASSACRE se apresenta no palco Nuclear Blast, junto com Whitechapel, Carnifex e outros.

Mais sobre o festival aqui: http://www.ozzfestmeetsknotfest.com/

O WESTFIELD MASSACRE segue em turnê para divulgar o novo disco, autointitulado e acaba de lançar um novo videoclipe para ele, assista:


Para quem não conhece, o WESTFIELD MASSACRE é um supergrupo formado em Los Angeles, EUA, e que conta, além do brasileiro Dio Britto, com os músicos Tommy Vext (ex-Divine Heresy, ex-Snot), Erik Tisinger (ex-Otep, ex-Blackguard) Stephen Brewer e Ira Black (ex-Lizzy Borden, ex-Metal Church, ex-Vicious Rumors).


Sites Relacionados:


Fonte: Metal Media

REBOTTE: pela primeira vez em Campinas!


O REBOTTE segue firme e forte em sua turnê de divulgação do EP ‘Insurgência’ e tocará pela primeira vez em Campinas, uma das maiores cidades do interior paulista.

A apresentação acontece no dia 2 de outubro no Bar do Zé. Além do REBOTTE, se apresentam as bandas Cardiac e Bayside Kings, além da banda Ponto Nulo No Céu, promovendo o lançamento do álbum ‘Pintando Quadros do Invisivel’.

O evento está marcado para às 16h e quem tiver nome na lista tem desconto no ingresso, visite: www.facebook.com/events/1083501915073918/


Além do disco físico, o REBOTTE acaba de lançar ‘Insurgência’ nas maiores plataformas digitais do mundo. Confira alguns dos links:


Para quem preferir a versão física em digipack, ela está com um preço promocional imbatível: por apenas R$9,99 você leva o disco e não paga frete. Para comprar a versão física do EP e todo o material oficial do REBOTTE, visite:


‘Insurgência’ foi gravado no Flight Studio e produzido por Rogério Oliveira. A capa ficou nas mãos do artista Hugo Silva (Abacrombie Ink).


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

METALMORPHOSE: assista vídeo mostrando um pouco das gravações do novo álbum


Aos fãs ávidos por novidades sobre o novo álbum da lenda viva do Metal nacional, METALMORPHOSE, um alento: a banda acaba de disponibilizar um vídeo acerca das gravações do vindouro petardo.

No vídeo, o grupo está gravando as guitarras bases e cozinha da faixa “P.D.M.” do próximo álbum, que ainda está previsto para este ano. Assista:


O METALMORPHOSE segue em processo de produção de seu novo álbum. A banda gravou a bateria no HR Estúdio e as cordas e vocais estão sendo gravadas no estúdio Naked Butt. A produção continua nas mãos do talentoso Gustavo Andriewiski, que já havia feito os dois álbuns anteriores do grupo.

O novo álbum, ainda sem título anunciado, é o sucessor de ‘Fúria dos Elementos’, lançado no ano passado, e citado nas famosas lista de melhores do ano a começar pela presença na lista de melhores de 2015 do editor da revista Roadie Crew, Airton Diniz.

O disco também foi colocado entre os melhores pelos sites Metal Na Lata (https://goo.gl/XqaqzZ) e Rebel Rock (http://goo.gl/kZ62rS). O álbum também foi um dos mais votados no quesito “Melhor Álbum de Heavy” em enquete realizada pelo site HeavynRoll (http://goo.gl/VSmkhT).


Sites relacionados:


Fonte: Metal Media

Alirio Netto participa da Expomusic no estande do FuteRock neste sábado


O ator e cantor Alirio Netto (Age of Artemis, HeavyPop, Khallice) participa neste sábado da Expomusic, à partir das 14h, no estande da FuteRock, ao lado do guitarrista Lucas Viana (We Will Rock You). O vocalista irá cantar sucessos do Queen de uma maneira mais intimista e calorosa.

O protagonista de “We Will Rock You” começou sua carreira aos 15 anos em bandas de rock em Florianópolis. Tem vários discos lançados. No teatro musical, despontou em Brasília, protagonizou “Jesus Christ Superstar” no México e fez o mesmo musical com o papel de Judas em São Paulo. Neste momento, trabalha na divulgação de seu álbum solo “João de Deus” e do canal do YouTube 12,5%.

Serviço:
Expomusic
Estande Blog FuteRock – Rua 2A/L
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Rua Olavo Fontoura, 1209
São Paulo – SP – Brasil

Mais informações:


Fonte: TRM Press

DUDÉ E A MÁFIA: banda conquista o Teatro Ressureição

Banda Dudé e a Máfia no Teatro Ressureição – Foto: Marcelo Martins

Aquele show com gostinho de “quero mais”. Assim, podemos resumir a apresentação da banda DUDÉ E A MÁFIA, no teatro Ressurreição, no último dia 15 de setembro.

A plateia simplesmente se deixou envolver com os riffs marcantes e a mistura de Hard Rock com Blues pesado que se tornou a marca registrada desses cinco músicos moradores da Zona Leste de São Paulo.

A acústica do teatro Conceição se tornou peça chave para canalizar toda a energia que a banda despejou em seu público naquela noite memorável. E pra completar a festa, a banda Dudé e A Máfia contou com a participação do fotografo Marcelo Martins que registrou todo o evento com sua câmera.

No fim das contas, o resultado foi tão bom que o evento se repetirá em novembro. E São Paulo acabou por ganhar mais um espaço para valorização do Rock autoral. Aguardem, pois vem por aí, o projeto Ressurreição do Rock.

Atualmente formado por Dudé (vocal), Lennon Fernandes (baixo), Ed Navarrette (guitarra), Luiz Cazati (guitarra) e Sérgio Navarrette (bateria), a banda DUDÉ E A MÁFIA mergulhou de cabeça no velho e bom Hard Rock das décadas de 70 e 80, tudo temperado com uma pegada Blues na medida certa e letras em Português. A banda segue a estrada do Rock desde 2013 produzindo seu próprio material.

Links relacionados:
Site Oficial: www.dudeeamafia.com.br


Fonte: TRM Press

DALLTON SANTOS: assista o vídeo da música “Chasm”


O guitarrista Dallton Santos acaba de divulgar um novo vídeo de seu trabalho instrumental. A música escolhida foi “Chasm”. Assista, aqui:


Dallton também acaba de participar da disputa do “Kiesel Solo Contest”, espécie de concurso (#kieselsolocontest) onde guitarristas do mundo inteiro “duelam” com vídeos, mostrando toda a sua técnica, para aficionados pela guitarra, em até um minuto – o ‘termômetro’ será o número de views:


No dia 22/10, Dallton realizará um workshop na cidade de São José dos Campos/SP, no Toca da Coruja Estúdio (Av. Aclimação, 359, São José dos Campos). As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através do e-mail tocadacorujaestudio@gmail.com, ou pelo Whats App (012) 98155-0164. O evento acontece às 14h, e terá 3 horas de duração. Quem participar terá certificado assinado e o investimento é de apenas R$50.

Ele lançou recentemente, 3 vídeos do workshop/lançamento de seu terceiro disco, “The Inner Things”, gravados no EM&T de São Paulo. Para esse evento ele contou com os integrantes do Angra, Felipe Andreolli (baixo) e Bruno Valverde (bateria).

Assista aqui os vídeos:

“Deep”:


“Acquired Impression”:


“Mind Controll”:



O seu canal de vídeos no Youtube é um sucesso, já que para um conteúdo praticamente autoral, já atingiu a expressiva marca de 2.000.000 de visualizações.

Acompanhe Dallton Santos nas redes sociais:



CONCEPT OF HATE: banda é uma das atrações do festival beneficente "Mundo Alternativo Fest"


Desde 2009 na ativa, a banda CONCEPT OF HATE, acaba de confirmar participação no evento beneficente, “Mundo Alternativo Fest”, que visa a doação de brinquedos para crianças carentes da cidade de Santo André. Uma causa nobre que será comemorada no próximo dia 02 de Outubro, antecedendo assim a arrecadação dos brinquedos, para que os mesmos sejam distribuídos no dia das crianças, 12 de Outubro de 2016.

O evento ocorrerá na cidade de Santo André/SP, com a entrada estipulada em R$5,00 para quem levar um brinquedo para doação e R$10,00 para quem não fizer nenhuma doação.


A banda CONCEPT OF HATE, representa o Metal extremo no evento, apresentando músicas que fazem parte do primeiro EP, "Black Stripe Poison", lançado em 2014 e músicas novas que farão parte do próximo álbum do grupo, que ainda não tem data divulgada.

Com letras que abordam temas variados, mas sempre com engajamentos sociais, consumistas e existências, a banda CONCEPT OF HATE se mostra a frente de muitos, apresentando não somente na música, mas sim na atitude uma postura de ajudar a quem precisa.

O vento irá contar com mais quatro atrações, as bandas Mary Nude, Fora da Pista, Insurreição e Vira Tempo, apresentam ao público suas músicas de variados gêneros dentro do Rock nacional.

Saiba como participar no link abaixo – Link Oficial do festival “Mundo Alternativo Fest”


Conheça mais sobre a banda CONCEPT OF HATE nos links abaixo:




Evento: “Mundo Alternativo Fest”:
Local: Rua das Bandeiras, Nº 421, Santo André/SP
Valor: R$5,00 (Doando um Brinquedo), R$10,00 (Sem Doação)
Atrações: Concept of Hate, Vira Tempo, Insurreição, Fora da Pista e Mary Nude.


Fonte: Roadie Metal
A/C Gleison Junior

TAMUYA THRASH TRIBE - The Last Of The Guaranis (álbum)



2016
Independente
Nacional

Nota: 10,0/10,0


Músicas:

CD 1: "The Last Of The Guaranis":

1. Oreru Nhamandú Tupã Oreru
2. The Voice of Nhanderu (Von)
3. Brado de Xangô
4. Senzala Favela
5. The Last Ball of the Empire
6. The Lastof the Guaranis
7. Vinte e Cinco
8. Violence and Blood
9. A Call from Xapuri
10. The Conjuration (Martyr)
11. Uratau's Cry
12. Háhé'm


CD 2: "United Remastered":

1. Immortal King
2. Agonising and Insufferable
3. 1814 
4. Missions
5. Uti Possidetis
6. Tamuya
7. Immortal King (versão acústica)
8. Tamuya (versão acústica)


Banda:


Luciano Vassan - Vocais, guitarras
Leonardo Emmanoel - Guitarras
J. P. Mugrabi - Baixo
Bruno Rabello - Bateria


Contatos:

Lanciare Comunicação (Assessoria de Imprensa): http://www.lanciare.com.br/

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Tão abandonadas, poucos entendem a beleza das culturas Yorubá (que vem dos africanos que para cá foram trazidos) e dos nossos indígenas. Sim, são tão belas e importantes como as que vêm da Europa. E nunca elas estiveram tão desprezadas pelo brasileiro. Ao mesmo tempo, é de doer o coração ver o quanto governo e ruralistas matam e depredam a terra, que é sagrada tanto para afrodescendentes quanto para indígenas. É nessas horas que o clamor da Terra, através das vozes dos orixás e deuses dos índios, que nos clamam "Parem", "entendam", "amem", "sejam iguais", pois existe espaço para todos no seio da Mãe-Terra igual e fraternalmente.

E uma das vozes em prol da igualdade de todos e pelo respeito à cultura dos índios e negros é o do quarteto carioca TAMUYA THRASH TRIBE, que após quatro anos de espera desde "United" (seu EP de estréia), finalmente lança seu primeiro álbum, "The Last Of The Guaranis". Mas a espera valeu cada mínimo segundo, pois o disco é uma experiência única, nova e extremamente instigante.

Antes de tudo, é preciso estabelecer que o TAMUYA THRASH TRIBE é uma banda de Thrash Metal com algumas influências do Death Metal. Mas é preciso destacar que tudo que a banda poderia render saiu de uma vez só em "The Last Of The Guaranis", pois vocês poderão ouvir a fina flor das culturas do índio e do africano permeando o álbum, na forma de cantos em Tupi-Guarani e mesmo na antiga língua dos Yorubás, participação de percussões. Sim, junto com o som bruto e agressivo (mas bem trabalhado) que todos já conhecem estão as influências da música brasileira, do folclore do nosso país, e mesmo toques da cultura do Nordeste estão presentes, enriquecendo e abrindo novos rumos para o trabalho musical do grupo.

Sim, o TAMUYA THRASH TRIBE evoluiu muito, foi ousado, e quem ganha com isso somos nós.

Sidney Sohn Jr. é o produtor do álbum, além de gravar as orquestrações e teclados do disco (sim teclados e orquestrações em um disco de Thrash Metal, para que possam perceber o nível de riqueza musical que temos em mãos). E a gravação de "The Last Of The Guaranis" foi feita estúdio Locomotiva. Para quem não sabe, Sidney tem no currículo trabalhos com Hermeto Pascoal, Pepeu Gomes, Milton Nascimento e outros, além de bandas de Metal como NORDHEIM e ANDRALLS, e masterizou discos de nomes como SACRIFICE, MX e IRON ANGEL. Logo, podemos ter a certeza que a gravação tem algo diferenciado, mas pesado e claro. Ou seja, conseguir associar tantos elementos musicais é um desafio, mas ele fez, e muito bem. Inclusive, em termos de timbres sonoros, eles foram sabiamente escolhidos.

Em termos de artes, ela realmente chama a atenção e emociona: ao olhar a frente desse Digipack especial (que só encontramos em alguns DVDs, raramente em CDs), uma criança indígena com a expressão triste e lágrimas nos olhos. Mas ao abrir, vemos que ela aponta uma arma para a cabeça. É uma clara alusão ao estado de estresse que o homem causa a eles com sua ganância, e o índio, tão ligado à terra, entra em desespero e se suicida (algo que é comprovado em pesquisas, mas que ignoramos em nossa frieza). Um belo trabalho de Isabelle Araújo, que soube dar corpo à idéia de Luciano (vocalista/guitarrista do grupo), e que se baseia em uma foto do fotojornalista Steve McCurry, conhecido mundialmente por suas fotos que mostram as pessoas em seu estado de maior desamparo, geralmente em áreas de conflito (a da capa é baseada em uma criança de Alto Churumazu, Yanesha, no Peru).


Uma aura densa e bem melancólica permeia a música agressiva do grupo, que soa como um brado inconformado com a realidade atual em favor dos menos afortunados, os vulneráveis, e aqueles que mais entendem a voz da Terra. E não se pode negar a beleza que permeia "The Last Of The Guaranis", advinda de arranjos bem feitos, a banda inteira funcionando como uma unidade, e isso sem mencionar os convidados especiais, listados abaixo.

Temos a beleza do coral de crianças Guarani Mbya em "Oreru Nhamandú Tupã Oreru" (onde violões, percussões e fiddle), Zândhio Aquino (guitarrista/vocalista do ARANDU ARAKUAA) na percussão e vocais em "The Voice of Nhanderu (Von)", o canto melodioso da Babalorixá Gleys Graden em "Brado de Xangô" (uma velha canção dos terreiros de Umbanda de Ivo de Carvalho), Mário Mamede e Dudu Bierrenbach (ambos Ogãs de cultos Afro-Brasileiros) nas percussões em "Senzala/Favela" e "The Conjuration (Martyr)", Paula Perez também nas percussões em "Senzala/Favela", "Violence and Blood" e "The Conjuration (Martyr)", os arranjos de Luigi Boccherini em "The Last Ball of the Empire", João Cavalcanti (conhecido vocalista da banda carioca de samba CASURINA) nos vocais em "Vinte e Cinco", Marcelo Peixoto (conhecido como Marcelo D2, vocalista do PLANET HEMP) nos vocais de "Senzala/Favela", e Zahyr Guajajara nos vocais femininos em "Háhé'm".

Analisar "The Last Of The Guaranis" não é simples, e exige do ouvinte que coloque de si na audição. Mas o que receberá em troca valerá muito mais que isso. É algo diferente, que toca nosso coração, mas sem fazer esforço. 

"Oreru Nhamandú Tupã Oreru" - É a intro do disco, sendo um canto tradicional dos Guarani Mbya, que fazem todo trabalho aqui. Em uma tradução livre, o título significa algo como “nossos pais são o Sol e o Trovão”, em clara referência à mitologia dos índios brasileiros. Vale comentar que as gravações dela ocorreram em Maricá (RJ), pelo coral de crianças da Aldeia Mata Verde Bonita, dento de uma oca. Não é à toa que realmente mexe com algo adormecido dentro de cada um de nós, algo bom.

"The Voice of Nhanderu (Von)" - A voz do Sol se faz ouvir, se propagando em uma canção agressiva e permeada por forte groove e muita energia crua. Mas está longe de ser uma faixa simplista (reparem nos detalhes das guitarras), com um ótimo refrão, além de partes cantadas em Tupi-Guarani. E os vocais são na maioria feitos de forma urrada, mas há momentos limpos e melodiosos das vozes, onde percussões e vocais limpos enternecem nossas almas. 

"Brado de Xangô" - É um cântico, ou como conhecidos nos centros de Umbanda, um ponto de Xangô, orixá que rege o fogo, as rochas, o trovão, e representa a justiça. Tudo é baseado na voz da Babalorixá Gleys Graden. E aqui sente-se a força positiva de que tanto falo acima.

"Senzala/Favela" - Um dos grandes momentos do disco. É uma faixa com o andamento mais lento e variado, permitindo que vejamos todo swing, técnica e feeling de baixo e bateria, que dão um show. Mas como é bom ouvir vocais mais limpos entremeados com outros mais agressivos, e ao mesmo tempo ouvir as percussões dando aquele toque latino precioso, ainda adornado pela voz de Marcelo D2, com seu jeito rapeado mulato (reparem bem nas palavras que ele pronuncia, dando um complemento à idéia de "Brado de Xangô"). No final, a voz de Gleys Graden saúda nosso Pai Xangô. Caô Cabecilê!

"The Last Ball of the Empire" - O fundo histórico da canção remete diretamente ao último baile da Monarquia brasileira, o Baile da Ilha Fiscal, que tentava mostrar o poder imperial do Brasil, que seis dias depois, foi destituído e nasce a República do Brasil. A canção é introduzida por um minueto, mas logo vemos uma canção com o ritmo que não é veloz ou lento, mas que fica entre estas concepções. Obviamente que algumas paradas rítmicas são ótimas, mostrando a dinâmica fluida e harmoniosa entre vocais, guitarras, baixo e bateria.

"The Last of the Guaranis" - Outra faixa que possui uma atmosfera tocante, e que emocionará o ouvinte. Há alguns efeitos eletrônicos interessantes em certos pontos, juntamente com percussões, e isso abrilhanta ainda mais o que a banda toca. Destaque para os riffs melodiosos da banda, bem como os backing vocals. E a letra deve ser lida, inculcada e compreendida, pois é um brado pela consciência do que a terra representa para o índio (e não, não me venham com "o índio é vagabundo e cachaceiro", já que este tipo de pensamento é preconceituoso e sem base científica/sociológica/histórica alguma. Quem disso algo assim é muito tacanho mesmo, precisa de mais uns anos no banquinho da escola).

"Vinte e Cinco" - Esta é uma belíssima música levada apenas em voz e violão, com um fundo bem melancólico e melodioso. É a história do cangaceiro José Alves de Matos, que entrou para o cangaço em 25/12/1933, e por isso recebeu a alcunha de "Vinte e Cinco", e por isso, a faixa nos narra um pouco sobre a tocaia dos Angicos (onde Lampião foi morto). E ele, 25, foi o último cangaceiro a falecer, em 2014.

"Violence and Blood" - Aqui vem uma faixa em que a inspiração é o cangaço, mostrando os lados inusitados dos cangaceiros, que eram assassinos impiedosos por um lado, mas extremamente religiosos por outro. Novamente, a banda usa de uma canção brutal e agressiva, com arranjos com algum groove melodioso nas guitarras que nos lembram algo do BLACK SABBATH em sua fase "Vol. IV"/"Sabbath Bloody Sabbath", mas perceberão também as percussões e o maracatu presentes aqui. E outro momento grandioso do álbum. E que belos solos melodiosos!

"A Call from Xapuri" - Uma faixa mais seca e bruta, no estilo que o TAMUYA THRASH TRIBE sempre fez, apenas com arranjos mais técnicos e grooveados no baixo. O andamento, guiado por uma bateria muito bem executada, é cadenciado e azedo, permitindo alguns arranjos bem singulares nas guitarras, e que o vocal se expresse com muita agressividade. Nas letras, o conflito violento entre colonos e empresários ruralistas contra índios e seringueiros que já moravam nas áreas a serem ocupadas (ou seja, mais uma herança maldita do governo militar), e na letra, entende-se a importância dos nomes de Wilson Pinheiro e Chico Mendes, líderes e símbolos da resistência.

"The Conjuration (Martyr)" - Melodias esmeradas nas guitarras (especialmente nos solos) são assentadas em um andamento cadenciado e pesado, onde baixo e bateria se permitem esboçar alguns momentos excelentes. E a riqueza de arranjos chega a ser comovente, bem como os momentos em que contos limpos e urrados duelam. Aqui, a banda conta a verdade suja por trás do movimento de independência da Inconfidência Mineira (cheio de elitistas que só estavam chateados pelas taxas cobradas pela coroa portuguesa sobre o ouro). E não deixem de reparar em percussões muito bacanas que permeiam a canção.

"Uratau's Cry" - Um piano sombrio introduz a música, que logo é entremeado por temas muito espontâneos das guitarras. E a canção tem uma aura densa e pesada, que não quebram o clima introspectivo, alternado por momentos brutos e opressivos. É quase uma música fúnebre, que transpira a lenda da índia Nheambiú, que foi transformada no lendário pássaro Uratau. Várias tribos brasileiras contam esta mesma lenda. 

"Háhé'm" - Esta é uma canção bem climática, recheada de uma aura bem carregada que é explicitada ainda mais por orquestrações sombrias. E é uma adaptação de uma poesia escrita por Zahy Guajajara (que participa com seus vocais na canção). Ela é uma ativista das causas indígenas, defensora dos direitos humanos dos mesmos, bem como tem projetos para a valorização e preservação da cultura dos índios, sendo ela mesma pertencente à etnia Guajajara Tenetehar. A canção é cantada na linguagem dos índios, e seu título significa "Gemido". E se deixarem rolar, tem uma "hidden track" no final, mas deixo para os ouvintes descobrirem a bela surpresa que os aguarda (é algo muito lindo, garanto).

E isso foi só o CD 1. 

No dois, temos a remasterização de "United", primeiro EP da banda, que aqui, tem umas surpresas.

A primeira é que as partes de baixo e bateria foram regravadas, e todo o áudio foi remasterizado. E com isso, vemos detalhes diferentes na cozinha rítmica de cada canção (que ficaram mais técnicas em algumas passagens). E as faixas realmente ganharam mais peso e agressividade com a remasterização.

A segunda são as duas faixas extras: as versões acústicas para "Immortal King" e "Tamuya", que foram feitas durante as gravações de "The Last Of The Guaranis", e elas mostram um lado mais intimista e experimental da banda, algo bem difícil no Brasil, senão inédito.

No mais, o TAMUYA THRASH TRIBE saiu do time das bandas promissoras para se tornar um dos grandes nomes do Metal nacional, e tem condições de atingir um público ainda maior com sua bandeira cultural e pesada, mas de bom gosto.

UNITED!

LEGACY OF KAIN: conheça a nova banda de Angelo Torquetto e Karim Serri

Fim do mistério. Surge um novo nome no Metal nacional.

Após mais de 20 anos de carreira e passagens por nomes importantes do Metal, como Crosskill, Devil Tourturer, Desertor, Messianic Cry, Seven Angels e Doomsday Hymn, os guitarristas Angelo Torquetto e Karim Serri anunciaram que vinham trabalhando em uma nova banda. Agora, não só o público que acompanha a trajetória da dupla, mas os headbangers de todo o Brasil têm um bom motivo para comemorar, pois mais um nome de peso se levanta com a missão de honrar e representar a força do Metal nacional: LEGACY OF KAIN.

“Depois de muitos erros e acertos, nós acabamos aprendendo muita coisa sobre banda, relacionamento, maneira de trabalhar e foco”, comenta Karim Serri. “Quando nos reunimos para montar o LOK (LEGACY OF KAIN), pensamos em usar tudo o que aprendemos nesses últimos anos a nosso favor”.

Além dos guitarristas, o LOK conta com o baixista Leon PS (ex-Efrata) e o baterista Tiago Rodrigues. Os vocais ficam sob responsabilidade de Angelo Torquetto, que já desempenhou tal função em outras bandas pelas quais passou. Sobre os novos parceiros, Karim salienta que “chamamos dois caras que pensam da mesma maneira e têm o mesmo objetivo que nós temos, sem restrições. Temos uma alta expectativa para essa banda. Não em termos de fama e sucesso, pois isso é relativo, mas em termos de comprometimento e disponibilidade para ir a qualquer lugar onde o Metal nos levar”.

Para atingir os objetivos e se sobressair no vasto cenário do Metal Brasil afora - e quem sabe mundo afora -, os integrantes do LEGACY OF KAIN reconhecem a importância de um trabalho realizado com muito esmero, e que vai além das composições. “Entendemos hoje que não é apenas boa música. Tem muitas outras coisas envolvidas”, ressalta Angelo. “A banda é uma empresa e deve ser levada a sério. São projeções futuras e um investimento a longo prazo”.

Concentrados no estúdio Silent Music, na cidade de Curitiba-PR, os músicos finalizam as gravações de seu primeiro EP, que tem previsão de lançamento em novembro. Os headbangers podem esperar um Thrash Metal pesado, visceral e altamente competente, e que não vai deixar de lado características mais presentes na música pesada moderna. Ansioso para apresentar as novas composições aos fãs, Angelo deixa o recado: “O LOK tem muito a percorrer e a corrida começou no pique certo. Depois é cair na estrada e ir pro mosh!”.

Confira abaixo o teaser que a banda liberou com uma prévia do que estão preparando:



O Legado de Caim

Intolerância. Hipocrisia. Arrogância. Guerras. Caos!!!

Palavras que assombram, atormentam e dilaceram vidas por toda a Terra. Tudo isso fruto do primeiro assassinato registrado na história da raça humana, quando Caim, em um ato de extrema covardia e tomado por sentimentos destruidores, como inveja, ganância e ciúmes, matou seu irmão Abel. O que nos sobrou foi o seu legado. A atitude completamente irresponsável de Caim colocou a humanidade em uma luta diária contra um de seus maiores inimigos: a própria humanidade. 

A LOK busca, através de suas letras e de todo o peso colocado em suas músicas, contestar essa acomodação que o ser humano tem em aceitar e se deixar influenciar por um legado corruptor, que se encontra enraizado na sociedade. Um legado que nos faz agir de maneira egoísta e cruel. Essa herança vai nos dominando e aumenta nossa hipocrisia. E mesmo que a hipocrisia nos leve a usar máscaras, é inenarrável sua incapacidade de mudar o nosso interior.

O LEGACY OF KAIN conta com as parcerias Harpia Luteria, Garagem Instrumentos Musicais, Cordas Solez e Pedais AED.


Links relacionados:


Fonte: Lex Metalis