16 de jan de 2016

ALÍRIO NETTO: cantor é confirmado como personagem principal do musical “We Will Rock You”



Foto: Dede Fedrizzi

O ator e vocalista Alírio Netto foi confirmado pela produtora CaradiBoi como o personagem principal do musical “We Will Rock You”, que será apresentado no Brasil pela primeira vez. A data de estreia ainda não foi definida, mas o espetáculo terá inicio no primeiro semestre de 2016.

“We Will Rock You” é um musical baseado nas músicas da banda Queen e nomeado a partir do single homônimo. O musical foi escrito pelo comediante inglês Ben Elton em parceria com Brian May e Roger Taylor.

O personagem principal se chama Galileo e será interpretado por Alírio Netto. O nome é uma referência a uma das mais famosas músicas do Queen, “Bohemian Rhapsody”.

HISTÓRIA

“We Will Rock You” é um musical criado por Ben Elton, baseado nas músicas do Queen. Sucesso absoluto, o musical já foi visto por mais de 3 milhões de pessoas. É o espetáculo que mais ficou em cartaz no teatro Dominion, em Londres, que foi inaugurado em 1929, um dos maiores da cidade. Além de Londres, a peça foi apresentada em Madri, Melbourne, Perth, Brisbane, Las Vegas, Sidney e Moscow.

O Queen se transformou em um dos maiores ícones musicais do Reino Unido, principalmente depois da dramática morte do seu vocalista, o carismático Freddie Mercury. Por isso, durante o espetáculo “We Will Rock You”, a plateia participa ativamente, com muito entusiasmo. A participação cresce quando são apresentados as músicas “We Will Rock You”, “We Are The Champions” e o encerramento com “Bohemian Rhapsody”.

Um dos fatores que fizeram o “We Will Rock You” ser bem aceito pelos fãs do Queen está na participação efetiva dos seus fundadores Brian May e Roger Taylor, que são creditados como responsáveis pela supervisão musical. Com esse endosso, nem o fã mais radical poderia desdenhar a peça.

A história se passa no futuro, quando o mundo é dominado por ditadores que proibiram a música. Um grupo de rebeldes procura pelo salvador que os libertará dessa proibição. O herói é aquele que anda sonhando com algumas melodias, que levarão os rebeldes a encontrar as armas que os ajudarão nessa luta. E, os instrumentos do Queen, enterrados e escondidos há muito tempo atrás, são essas armas da liberdade.

Imperdível para os fãs do Queen, “We Will Rock You” deve ser visto também por todos que apreciam os grandes musicais nos teatros.


Fonte: TRM Press

STILL LIVING - Humanity (CD)


2016
Nacional
Imperative Music

Nota 9,5/10,0

Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia

DestaquesFlying High, Signs, Murder of Crows, Shelter, Rock and Roll Thunder, Hollow Man

Existem bandas que não necessitam provar absolutamente mais nada para quem quer que seja. Isso se dá pelo nível de qualidade que estas imprimem em seus trabalhos, sempre primando por aliar uma música de primeira com uma sonoridade ótima. E o quinteto de Hard Rock/AOR de Garanhuns (Pernambuco), após "From Now On" de 2012, retorna com o ótimo "Humanity".

Podemos dizer que a maior diferença entre os dois álbuns é que "Humanity" está mais bem acabado, e musicalmente, bem mais acessível. Ou seja, o lado AOR da música deles está bem mais evidente, com uma pegada elegante bem à lá JOURNEY, mas ainda assim, encorpado e bem feito, o que não é algo simples de se conseguir. E como as músicas grudam em nossos ouvidos, com refrões que não saem de nossas mentes.

STILL LIVING
Aldecy Souza fez todo trabalho de engenharia sonora, mixagem e masterização do CD, tudo no Alpha Studio, sendo que o próprio quinteto produziu "Humanity". O resultado é uma sonoridade muito bem feita, com os instrumentos bem timbrados e nos volumes ideais, aqueles que a música da banda pede. E a arte de Getúlio ficou muito boa, um cartão de apresentação muito bonito.

O STILL LIVING soube dar uma ótima arranjada nas músicas. Estão polidas e bem feitas, mas soando espontâneas, com um jeitão bem Rock Arena bem atualizado. E isso os levou a criarem canções que soam como uma unidade, sem que haja espaço para se dizer que uma é superior as outras.

Flying High - Uma música envolvente, com ótima participação dos teclados e vocais (e como Renato está cantando bem no disco inteiro). Arranjos bem feitos, ritmos conduzidos com parcimônia... É um dos melhores momentos do CD.

Signs - Mais uma vez, a banda cria uma música com um clima mais "light" e envolvente, sabendo transitar entre o AOR e o Rock Arena sem nenhuma dificuldade. E que belos arranjos de guitarra e refrão bem feito (gruda nos ouvidos na primeira audição).

Murder of Crows - Aqui, o trabalho de baixo e bateria leva a banda por ritmos não tão rápidos, permitindo uma exibição de gala das guitarras e teclados. Mas como o refrão é de primeira linha, com um trabalho fabuloso dos vocais. Mais um ponto alto do disco.

You Remain Alive - Uma balada muito bonita e bem feita. Os solos da guitarra de Eduardo dão um sabor especial à canção, que é bem elaborada. Mas baixo e bateria acabam se destacando bastante.

Humanufactured - Bem mais voltada ao Hard Pop à lá BON JOVI antigo (da época de "Bon Jovi"), é outra canção bem feita, cheia de nuances lindas feitas pelos teclados de Thiago.

Stolen Prayer - Mais uma canção com uma levada com leve toque de Hard Pop, onde a bateria de Cléber mostra boa pegada e desenvoltura técnica, sem, no entanto abusar. E isso acaba exigindo que o baixo de Leandro também se destaque.

Shelter - Encorpada, elegante e bem voltada ao Hard/AOR, temos os vocais mais uma vez mostrando um ótimo trabalho, postando os timbres de sua voz conforme a música pede. E isso sem falar que os teclados se alternam muito bem entre sons de piano e eletrônicos. E isso sem falar nos belos riffs e solos de guitarra.

Eyes - Mais uma balada, só que dessa vez bem mais comercial, mais acessível a um grande público. Mas o trabalho de guitarras e teclados roubam a cena, especialmente nos momentos em que doses de peso aparecem.

Way Back Home - Aqui, a banda dá uma revisitada ao que fez em "From Now On", onde as guitarras mostram mais peso nos riffs, e os solos são ótimos. Mas mesmo assim, é ótimo ouvir o trabalho dos teclados.

Rock and Roll Thunder - Outra faixa com mais enfoque no peso, com uma pegada raçuda intensa, mas sempre mantendo a elaboração e certo toque de acessibilidade. E como baixo e bateria se entendem e dão uma dose de peso extra nos momentos necessários. E se este refrão não o convencer, definitivamente, você já cantou para subir e ainda não se deu conta.

Hollow Man - Esta é uma canção bônus, vinda de um Single da banda de 2013. A bateria foi regravada e ela recebeu uma nova mixagem. E reparem bem como a banda mostra-se soberba, fazendo um trabalho incrível. E é ouvir as guitarras e teclados e se apaixonar.

Surrender - Outra canção bônus, resgatada de outro Single deles, este de 2014. Outra bela balada, com ótimo equilíbrio entre o lado mais pesado do trabalho do grupo com o toque de acessibilidade.

O STILL LIVING soube evoluir, e verdade seja dita: o Brasil é pequeno para uma banda tão boa.




Músicas:

01. Flying High 
02. Signs 
03. Murder of Crows 
04. You Remain Alive 
05. Humanufactured
06. Stolen Prayer 
07. Shelter 
08. Eyes 
09. Way Back Home 
10. Rock and Roll Thunder 
11. Hollow Man
12. Surrender 


Banda:

Renato Costa - Vocais
Eduardo Holanda - Guitarras
Leandro Andrade - Baixo 
Thiago Nascimento - Teclados 
Cléber Melo - Bateria


Contatos: