17 de set de 2012

Sepulcrum Store - PROMOÇÃO!!!



Vocês não podem perder o primeiro sorteio da Sepulcrum Store!
Para participarem, basta curtir a página da loja no Facebook  (https://www.facebook.com/SepulcrumStore) e compartilhar essa imagem (que se encontra neste link)!!!!

O sorteio será realizado dia 31/out para que você tenha um dia das Bruxas cheio de horrores!

Participem já!

- - -

Notícias - Shinigami Records (17/09/2012)



- - - 

NAPALM DEATH: FRONTMAN ENTREVISTADO POR “MK ONDERGROND”

"MK Ondergrond" (que significa "Underground", em africâner) entrevistou ao vocalista dos pioneiros do Grindcore NAPALM DEATH, Mark “Barney” Greenway, no Wacken Open Air deste ano, que teve lugar entre os dias 2 e 4 de agosto na Alemanha. Assiste a conversa abaixo (Nota: a introdução é em africâner, mas a entrevista foi realizada em inglês).


“MK Ondergrond” é o primeiro show de variedades dedicado ao underground da África do Sul, apresentado por uma equipe macabra de personagens animados, com entrevistas, resenhas de vídeos, guias de shows e os melhores vídeos da cena underground local e internacional.
O último álbum da banda “Utilitarian” – que já está disponível no Brasil através da Shinigami Records em versão limitada em Digipack – , percorre a gama desde a violência e força diretas ao puro NAPALM DEATH – induzindo ao caos que em geral proporciona um bom derramamento de sangue impróprio para fracos e também confronta ao ouvinte com momentos tão surpreendentes como as passagens de saxo por ninguém menos que John Zorn na faixa‘Everyday Pox’ ou as seções limpas em ‘Fall On Their Swords’ e ‘Blank Look About Face’.
Fiel à sua tradição de cuspir litros de veneno verbal, “Utilitarian” é uma porrada na sua cara de comentários sociais, culturais e políticos. Longe de ser uma “causa” patriótica da banda, o quarteto mostra o seu ponto de vista sobre a degeneração da sociedade (‘Everyday Pox’), o comércio de armas (‘Fall On Their Swords’), a expressão sexual e de gênero (‘Gag Reflex’), o meio ambiente ('Order Of Magnitude') e aspectos da vida cotidiana para o homem comum.
Para mais informações de como adquirir uma cópia deste CD, basta entrar em contato através do e-mail: loja@shinigamirecords.com ou compre aqui.  

- - -

Notícias - Island Press (17/09/2012)



- - -

John Wayne: anuncia lançamento de single


A banda paulistana de Metal/Hardcore/Death JOHN WAYNE anunciou que irá disponibilizar no próximo dia 24/09 a faixa título do seu primeiro álbum “Tempestade” para streaming na fanpage oficial do grupo.

Acesse o link para curtir a fanpage: https://www.facebook.com/BandaJohnWayne

Links relacionados:

- - -

Marcos De Ros: lança vídeo para “Portobello”



O guitarrista MARCOS DE ROS disponibilizou o vídeo da belíssima “Portobello”, música que integra o CD/DVD “Peças de Bravura”, lançado em 2010. Inserida no conceito do trabalho a faixa serve como um contraponto suave e delicado, para descansar os ouvidos da grande intensidade que as outras músicas oferecem.

Para ver o vídeo acesse:  


Sites relacionados:

- - -

Paura: divulga diário de bordo da 4º turnê europeia



A banda de Metal/Hardcore PAURA divulgou o diário de bordo da 4º turnê europeia realizada no período entre 17/08 e 01/09. O giro na Europa passou por Alemanha, República Checa, Áustria, Holanda e Bélgica serviu como suporte para divulgação do novo EP “Integrity Dept.”.

Para ler o diário de bordo acesse: http://integrityisnotforsaleeurotour12.wordpress.com/

Links relacionados:

- - -

The Silence: lança primeiro vídeo clipe oficial

  
A banda de Metal/Hardcore THE SILENCE disponibilizou para visualização no seu site o vídeo de “The Fall”, primeiro clipe oficial do grupo, produzido pela Fuerza Films com direção a cargo de Guilherme Zorzetto.


Links relacionados:


- - -

Voodoo Shyne: divulgados capa e track list de Debut


O vocalista e baixista VOODOO SHYNE divulgou a capa e track list de “Satan’s Gonna Like it”, seu primeiro álbum de estúdio. O disco foi gravado em Jaguariúna e São Paulo/SP com produção do próprio músico e Estevan Sinkovitz, mixado por Heros Trench no Mr. Som em São Paulo e masterizado por Dr Andrew Davenport (Nova Zelândia).

Track list:

01. Satan’s Gonna Like it
02. Rise & Shine
03. Rock n Roll Proud
04. Ascending Down
05. Blow your Fuse
06. Devil Overrated
07. Suspected
08. Lustful Women
09. Love Lobotomy
10. Occult Rock
11. Corpses from my Past

Links relacionados:

- - -

Fonte: Island Press

O Thrash Metal e os Chacras Mortais – Entrevista com Kamala



Uma banda autenticamente resistente.
Isso é o que podemos atribuir ao quarteto thrasher de Campinas KAMALA, que acaba de soltar mais uma pedrada furiosa, chamada ‘The Seven Deadly Chakras’, onde a banda mixa um som selvagem e forte com melodias bem compostas, de uma forma bem única.
Aproveitando o lançamento, fomos lá bater um papinho com Raphael Olmos, Andreas Dehn e Nicolas Andrade, ver um pouco de sua história, bem como de seus planos ambiciosos.


Metal Samsara: Bem, vocês já podem se considerar uma banda veterana e com um trabalho bem firme, mas que tal darem uma revisada breve na história do KAMALA para nossos leitores?

Raphael: Não achamos ainda que somos uma banda veterana. A banda foi formada em 2003 e desde lá, estamos sempre na ativa, mesmo com as trocas de integrantes, sempre com boa quantidade de shows pelo país, lançamentos de 3 álbuns e vídeos. O que acontece, é que temos essa boa freqüência de lançamentos, estes, que vêem recebendo criticas muito positivas da mídia e sempre conquistando novos fãs. Temos muitos objetivos ainda para alcançar e tempo de estrada para percorrer até ser uma banda veterana. 


Metal Samsara: Essa é daquelas perguntas bem clichês. Quais as influências da banda, sonora e liricamente falando?

Nicolas: Bom, no quesito sonoridade é bem complicado falar sobre influências, pois cada um de nós tem seus gostos e preferencias pessoais, mas acredito que essa variedade contribui muito para a construção das nossas músicas, do nosso estilo. Com relação as letras, nós costumamos buscar muitas referências sobre tudo que acontece no mundo, e falar também sobre as dificuldades das pessoas em resolver seus problemas por conta própria, aplicando nossas próprias visões sobre cada tema proposto, e muitas vezes estudando uma pouco mais a fundo cada ideia que pretendemos passar. Tudo tem que fazer muito sentido para nós antes de parar nos nossos CDs. 


Metal Samsara: Agora, que chegaram ao seu terceiro CD, qual é a sensação desses quase dez anos de estrada? E como vocês analisariam cada um de seus trabalhos em uma perspectiva dessa experiência adquirida? E em que vocês poderiam dizer que o som da banda evoluiu do Demo CD ‘Corrosive’ até ‘The Seven Deadly Chakras’?

Raphael: Vamos completar 10 anos em 2013. A sensação que temos é de a cada lançamento ter realmente evoluído e nunca buscando repetir o álbum anterior, e sim buscar novos caminhos e elementos para a nossa arte. Tudo aconteceu de forma bem natural, e quem acompanha nossa discografia, pode sentir esse amadurecimento e evolução a cada lançamento. Temos orgulho de todos os álbuns e já estamos trabalhando o próximo, paralelamente aos shows de divulgação do “The Seven Deadly Chakras”.


Metal Samsara: Por falar no novo CD, a questão abordada no título, o conceito hindu dos chacras que todos os humanos possuem, é bastante interessante, então, qual é o conceito por trás do nome do disco? Ele esboçaria um conceito por trás de todas as faixas, mesmo algo mais espiritualizado?

Nicolas: O conceito é bem simples, nós buscamos relacionar os Chakras e os pontos que os representam no corpo humano com os Pecados Capitais. É como se cada ponto que busca o equilíbrio pudesse ser desalinhado, destruído por conta de um pecado. Essa ideia nos intrigou e fez com que pesquisássemos mais sobre os temas propostos para traduzir isso tanto nas letras quanto nas músicas. Foi uma experiência muito interessante e que fez com que enxergássemos coisas que talvez não pudéssemos alcançar sem essa busca de conhecimento.


Metal Samsara: Pelo visto, apesar da banda manter certa estabilidade em sua formação, vocês, vez por outra, tem problemas com baixistas, o que parece ser algo comum no Brasil, porque parece que este tipo de músico é complicado de se lidar (risos). Como foi o processo de adaptação com o Diego Valente? Poderiam dizer que ele adicionou algo a mais à música da banda?

Raphael: Muitas bandas enfrentam o que passamos com essas trocas de membros. Chega uma fase em que a banda começa a crescer, precisar de mais dedicação do que no início, de mais tempo, e tudo mais... e muita coisa bate de frente com a vida pessoal, com o tempo de ficar longe das pessoas, lance de trabalho, então não é qualquer um que agüenta dar continuidade no trabalho. Temos uma ótima relação com todos nossos ex-membros, mas sempre em uma troca buscamos ter um “upgrade” e com o Diego Valente não foi diferente. Ele não gravou o último álbum, porém é um cara de muita personalidade, técnica, presença de palco, um timbre muito forte e experiência musical, pois teve por cerca de 4 anos, banda nos Estados Unidos. Sobre a adaptação, foi tudo bem tranqüilo. Ele surpreendeu pelo tempo em que aprendeu as músicas e pela segurança que tocou desde o primeiro show com a banda. Ele era exatamente o que o KAMALA procurava e o pessoal já está podendo sentir essa evolução nos shows de divulgação do “The Seven Deadly Chakras”.


Metal Samsara: Bem, a presença do Ricardo Piccoli (NR.: Produtor) nos três discos da banda mostra que ou ele é um produtor-fã que conhece bem o som da banda, ou então já virou membro da família (risos). Poderiam explicar como é essa relação com ele de tantos anos? E como é trabalhar com ele em estúdio?

Raphael: O Piccoli foi de fato a primeira pessoa a abrir as portas e reconhecer potencial no nosso trabalho. Ele é tudo que você falou, produtor, fã, um grande amigo, membro da família e também já foi baixista da banda no ano passado. Ele sabe extrair o melhor da banda sempre, tanto nos timbres como também na hora de filtrar o material que está sendo trabalhado. 


Metal Samsara: Em geral, as bandas mantêm parcerias com selos de forma constante, mas vocês, a cada CD é um selo diferente. Quais seriam os motivos para tanto?

Raphael: Unicamente por sempre buscar um suporte melhor para o lançamento. Claro que gostaríamos de manter uma parceria constante para os selos, assim como temos para os clipes, roupas e alguns outros patrocinadores. Quando o selo certo aparecer no nosso caminho, vamos desenvolver mais trabalhos a médio/longo prazo.


Metal Samsara: O vídeo de ‘The Fall’, além da ótima música, tem cenas fortes e bem pesadas, que muitas bandas evitam usar, como as cenas com violência e uso de drogas. E vocês foram justamente na via inversa (risos), então, qual a mensagem do vídeo, e como surgiu a ideia, e como foi a recepção dele? Já algo de certo para um novo vídeo para promover ‘The Seven Deadly Chakras’? 

Raphael: A música trata a queda da pessoa que escolhe o caminho das drogas. Poucas pessoas acham que é apologia, mas essas são as que não entenderam realmente a mensagem. O clipe é de fato um alerta. Curiosamente, ele foi censurado na MTV Brasil, pois falaram que era muito forte para a programação, devido as cenas fortes...mas queríamos esse resultado mesmo, um verdadeiro “tapa na cara” para acordar algumas pessoas que escolhem esse caminho ou que tem amigos/familiares envolvidos. Cada membro da banda participou como coadjuvante da história, que acontece na visão de primeira pessoa. O clipe foi produzido pelo Studio Kaiowas, produtora parceira que cuidou dos outros clipes e que está cuidando do primeiro vídeo clipe do novo álbum, para a faixa “Solar Plexus”.

Nicolas: Eu não acho que seja tão pesado assim a forma como tratamos o tema. Hoje em dias as campanhas contra o uso de drogas estão mais agressivas em todo o mundo. Acredito que como banda, como entretenimento, nós temos um papel muito importante perante o nosso público. Tudo que tratamos em nossas músicas são de certa forma, alertas para a sociedade sobre a forma com que ela vem lidando com certos problemas.


Metal Samsara: Voltando ao novo CD, outro ponto que chama bastante a atenção é justamente a arte, um trabalho muito bem feito de Luiz Moura. Como foi que surgiu a ideia da capa? Foi algo em comum entre vocês e ele, ou alguém teve maior influência na composição da capa?

Raphael: O Luiz além de guitarrista de uma banda que todos somos fãs, o THRIVEN, é um amigo de longa data e um artista sensacional. Ele que cuidou da arte dos 2 álbuns anteriores também e a visão/acabamento que ele coloca a cada novo lançamento, não apenas na capa e sim em todo encarte, é simplesmente maravilhosa. Buscamos sempre trazer artes que complementam as músicas e vice-versa. “The Seven Deadly Chakras” contém um encarte de 24 folhas, que forma o clima de todo trabalho.



Metal Samsara: Bem, já podem dizer como tem ido a venda do ‘The Seven Deadly Chakras’? E a recepção dos fãs e crítica?

Raphael: Ainda faltam muitas resenhas para sair, mas todas que já saíram elogiaram muito o álbum e a resposta dos fãs tem sido extremamente positivas também. Sem dúvida, com esse novo trabalho conquistamos novos fãs e sentimos que ele tem muito a render, pois está no começo do processo de divulgação (shows, entrevistas, resenhas...). Sobre as vendas, está sendo o álbum com melhores números, mesmo tendo apenas 4 meses de seu lançamento. Graças as vendas nos shows, distribuição da Voice Music e parceria com a MS Metal Records.


Metal Samsara: Bem, os shows devem estar chegando, logo, existem planos concertos para irem ao exterior, fazer uma excursão ou mesmo apresentações pontuais em grandes festivais por lá?

Raphael: Era para a banda fazer a turnê na Europa no final desse ano, mas como durante as gravações do clipe da “Solar Plexus” o Nicolas caiu e quebrou o cotovelo, tendo que colocar placa, pinos e prótese. Como foi algo muito grava, já saberíamos que para a época planejada, dificilmente poderíamos ter a banda completa para a turnê. Por causa disso, resolvemos planejar para o próximo ano. E estamos já vendo com algumas agências de booking, a melhor proposta. 


Metal Samsara: Vocês pertencem ao cast da MS Metal Press, uma agência que gerencia nomes grandes e bem estabelecidos da cena nacional, logo, como é esta parceria? E podem dizer que estão satisfeitos com o trabalho deles?

Raphael: Estamos a um tempo com a MS Metal Press e tem rolado legal a parceria. Além da assessoria, lançamos o novo trabalho no Brasil pelo selo da MS, a MS Metal Records em parceria da Voice Music, que está cuidando da distribuição. 


Metal Samsara: Agradecemos demais pela gentil atenção, e deixamos o espaço para sua mensagem aos seus fãs e leitores.

Nicolas: Obrigado, Metal Samsara, pela excelente entrevista, é sempre um prazer atender pessoas realmente engajadas como vocês, e obrigado a todos vocês leitores e fãs que acompanham e acreditam no nosso trabalho. Fiquem ligados nas nossas novidades através do nosso site www.kamala1.net e espero ver vocês nos nossos shows. Valeu!




O Metal Samsara agradece à MS Metal Press pela ajuda concedida para esta entrevista.

Kamala - The Seven Deadly Chakras (CD)


MS Metal Records – Nacional
Nota 10
Por Marcos Garcia

Uma fúria enorme transpira pelas músicas desse CD, bem como a música é técnica, densa, bruta, mas mesmo assim, as melodias estão evidentes sob tamanha rispidez.
E não, não é brincadeira, já que o quarteto KAMALA não deixa pedra sobre pedra com seu novo CD, 'The Seven Deadly Chakras', que acaba de sair via MS Metal Records.
Fato que a banda deu uma bela evoluída após 'Fractal', lançando mão de melodias bem firmes, mas que levaram a banda a um novo patamar musical, mais maduro, mas nem por isso o Thrash Metal praticado pela banda se tornou menos intenso e agressivo, bem pelo contrário, está ainda mais rasgado que antes.
A produção sonora mais uma vez ficou nas mãos do competente Ricardo Piccoli, que também fez a mixagem e masterização, e o homem soube não só dar peso e intensidade à gravação, mas também limpeza translúcida, pois podemos ouvir cada mínimo detalhe de cada instrumento sem grandes esforços. A arte, por sua vez, foi toda feita pelo designer Luiz Moura, que está belíssima, focando a temática dos sete chacras do corpo do ser humano, em belos contrastes de preto e amarelo, bem como apresenta uma riqueza de detalhes maravilhosa, que agrada aos olhos sem ser algo chapado.
E como se não bastasse, o mais importante, que é o conteúdo musical do CD, o torna um dos mais fortes candidatos ao Top 10 nacional de 2012, porque este CD é bem homogêneo, nivelado por cima, em uma música ambiciosa, forte e capaz de cativar o mais exigente dos ouvintes do gênero, pois os fortes destaques de 'Envy', com ótimos vocais e bateria; 'Gluttony', onde a pancadaria rola solta, com riffs de guitarra alucinantes; a empolgante e não tão veloz 'Root', com ótimo trabalho dos bumbos; a intensa e mais focada na intensidade 'Heart', com um andamento que privilegia a cozinha baixo-bateria, fora alguns toques mais industriais aqui e ali, sem deixar o produto final menos bruto; a saraivada de riffs e bumbos de 'Third Eye'; o casamento perfeito entre brutalidade e melodias de  'Greed'; a bela e etérea instrumental 'Sloth', com belos solos de guitarra de deixar o queixo caído; a longa e destruidora de pescoços 'Sacral', que justamente por ser bem trabalhada e multi-variada, indo de momentos ríspidos a outros mais acústicos, não deixa o ouvinte cansado; e a quebra-pescoços 'Crown', que fecha o CD com riffs massivos, em uma autêntica mulhara sonora.
Se repararem direitinho, cada uma das 14 faixas do CD passa por um dos sete pecados capitais, bem como por cada um dos sete chacras, mas o que isso pode significar, deixemos para os leitores decidirem, ouvindo este ótimo CD.
A banda está de parabéns por nos brindar com tamanho artefato de destruição, bem como esperamos que cheguem ao sucesso, porque o KAMALA ainda tem muita lenha para queimar, bem como muito a conquistar por seu mérito próprio.
Top 10 com certeza.

Crown

Tracklist:

01. Envy
02. Gluttony
03. Root
04. Heart
05. Solar Plexus
06. Third Eye
07. Greed
08. Pride
09. Sloth
10. Sacral
11. Lust
12. Wrath
13. Throat
14. Crown


Formação:

Raphael Olmos - Vocal e guitarra
Andréas Dehn - Guitarra
André Rudge - Baixo
Nicolas Andrade - Bateria


Contatos: