27 de abr de 2014

2º Aniversário da Liga Hardcore do Rio de Janeiro




A Liga Hardcore RJ é um projeto que visa a união entre as bandas independentes do Rio de Janeiro e de todo Brasil, através da realização de eventos (shows) onde as próprias bandas são as responsáveis pela organização dos mesmos.

O objetivo do projeto é possibilitar levar o trabalho das bandas a um maior número de pessoas possiveis. A idéia é promover o encontro entre bandas de todos os lados do Brasil.

No seu segundo aniversário, a Liga Hardcore do Rio de Janeiro apresenta o shows de: Bullet Bane (SP), Malvina, Menores Atos, Obscene Capital e Manifast.

Bullet Bane

Malvina Brasil

Menores Atos

Obscene Capital

Manifast


Serviço:
2º Aniversário da Liga Hardcore do Rio de Janeiro


Data: 18/05/2014
Teatro Odisséia - Av. Mem de Sá, 66 - Lapa 
Abertura da casa: 17h
Ingresso: 15,00 até as 19h
20,00 após as 19h 
Classificação 18 anos 

Apoio:





Mais informações:


União e Respeito!!!

Realização Liga Hc e BreakDown Produções


Resenha: DNR - DNR (CD)

Independente
Nota 8,5/10

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Raivoso, incontrolável, agressivo, sujo e destruidor, quase como se um tanque de guerra anti-sistema e anti-alienação invadisse um antro de politiqueiros, puxa-sacos e outros tipos de meliantes. É essa a impressão clara que o CD "DNR." do DNR. (que significa DO NOT RESUSCITATE, uma expressão para que uma ordem legal para que pessoa hospitalizada e em estado terminal não precise ser mantida vida por aparelhos), de Jundiaí, nos transmite nas primeiras ouvidas.

O grupo é adepto de um Thrashcore furioso e sem dó dos ouvidos alheios, extremamente pesado e com boa técnica, cuspindo letras violentas e politicamente incorretas (em português) para todos os lados. E com eles, não tem meio termo: é tijolada encima de tijolada, sem dó ou piedade dos ouvidos alheios e dos pescoços mais sensíveis.

Vocais extremamente rasgados, guitarras pesadas e intensas durante todo o CD (mas muito bem trabalhadas, diga-se de passagem), baixo e bateria com boa técnica e peso abusivo, mantendo a coesão rítmica. E o resultado, meus caros, é uma música intensa, gordurosa, abrasiva e pesada, capaz de gerar slamdancing e stagedives sem nenhum esforço. E que energia absurda, chega a ser abusiva!

Produzido pelo próprio quarteto em conjunto com o Wink Estúdio, mais a mixagem de Juliano Oliveira e masterização de Emiliano Brescacin (que também ajudou na mixagem), preparem os ouvidos, pois a sonoridade do disco é impactante, na cara, com timbres para lá de bem escolhidos e, apesar a intensidade musical, percebe-se que há uma preocupação com clareza instrumental, logo, todos aqueles detalhes que fazem a diferença estão audíveis. Já a arte, feita pelo próprio grupo, é simples e beira as produções gráficas de muitas bandas de HC, mas incorpora claramente a música do grupo. Só faltou um selo dizendo "ouça com cuidado, pois pode danificar seus tímpanos".

DNR
São pouco mais de 27 minutos da mais pura e intensa pancadaria sonora possível, mas mesmo assim, sob a agressividade sonora, se percebe que o grupo se preocupou em fazer algo burilado, mas sem perder a espontaneidade de seu trabalho. E isso, meus caros, torna "DNR." um disco obrigatório tanto para a audição quanto para a aquisição. Se não é do meio, saia da frente, porque o grupo mostra no CD a disposição ímpar de atropelar tudo e todos que ficarem no caminho ou meterem os bedelhos em suas convicções sonoras.

As músicas duram, no máximo, três minutos e alguns segundos, logo, não é enjoativo, tendo como pontos altos a bruta e quase BeatDown "Novas Grades" (reparem na força da bateria nessa canção, bem como na técnica nos bumbos e viradas), a abrasiva e caótica "Controle Inativo" (baixo e bateria mais uma vez roubam a cena), a rasgada e intensa "Atrofiando Mentes" (a junção de riffs bem pensados e vocais brutos faz dessa música um hino do Thrashcore), a ótima instrumental "Desarmônico" (onde se percebe bem a técnica apurada de cada instrumentista do grupo), e a trinca-corturnos "Ação e Reação" (caramba, como essa canção deixa o pescoço doendo por dias!). Mas vale dizer que destacar essas faixas não significa que as outras sejam ruins, muito longe disso. Trilha sonora perfeita para manifestos populares!

Se esse disco não causar moshpit em sua casa, tenha certeza: você está em estado catatônico lendo esta resenha, pois é impossível se segurar!

Ótimo CD, sem sombra de dúvidas!



Tracklist:

01. Reclame
02. Novas Grades
03. Controle Inativo
04. Atrofiando Mentes
05. Ciclo Da Imundície
06. Lei do Cão
07. Desarmônico
08. Digerindo o Nada
09. Ação e Reação
10. Parasitas


Banda:

Raphael Zavatti - Vocais, guitarras
André Muerto - Guitarras
Zé Cantelli - Baixo
Thiago "Spa" Zavatti - Bateria


Contatos:

Metal Media (D.N.R. Press)

Resenha: Shadows Legacy - You're Going Straight to Hell (CD)

Independente
Nota 8,5/10

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


Sobre o ser inovador e conservador em termos de Metal é uma das questões mais interessantes dos últimos tempos em termos de Metal, e acaba incitando debates apaixonados de ambos os lados. E no caso, este autor prefere uma terceira opção: seja inovador ou não, o importante é ser bom, e nada mais. E seguindo essa opinião, o quinteto SHADOWS LEGACY, de Campo Grande (MS) mostra-se um ótimo quarteto.

Seguindo os caminhos do Metal tradicional da escola da NWOBHM, o grupo realmente não busca ser inovador ou o próximo salvador do Metal, longe disso. Mas a honestidade e convicção do quinteto é assombrosa, ainda mais quando isso se transforma em qualidade musical. E essa qualidade faz com que eles não sejam apenas mais um no meio de tantos.

Ótimos vocais (que oscilam entre tons mais agressivos e graves até outro timbres mais agudos sem exageros, que deram uma melhorada sensível entre o EP "Rage and Hate" e este álbum), as guitarras mostram-se afiadas e bem agressivas em riffs sólidos e solos com melodia acentuada (lembrando bastante duplas de guitarras como as do JUDAS PRIEST e SATAN), baixo forte e com uma técnica bem acentuada na escola de Steve Harris, e uma bateria que mixa técnica e peso com maestria. E isso tudo resulta em uma música pesada, melodiosa, cheia de energia e vida.

Produzido pelo próprio grupo em parceria com Aldo Carmine (baixista do RHEVAN, que ainda fez a mixagem e masterização do CD), a produção ficou seca e pesada, de forma que todos os instrumentos musicais ficaram bem limpos e claros, mas soando coesos e com peso, em algo mais orgânico. Já a arte, com capa feita por Leonardo Amorim e encarte de Augusto Morais, é bem simples e funcional, fugindo de padrões muito trabalhados, preferindo algo mais orgânico. Algo que reflete a música do grupo.

Shadows Legacy
A banda realmente faz o coração daqueles fãs mais experientes (como o meu) bater mais forte, pois sua música foi feita com o intuito de comover, de falar direito ao coração, mostrando que a composição do material aqui presente é de enorme espontaneidade, mas ao mesmo tempo os arranjos foram muito bem burilados, nada feito sem esmero, e caprichando nos refrões. E esse cuidado faz com quem o CD seja bem homogêneo e que a qualidade se distribua harmoniosamente por todas as faixas.

Pontos mais altos do CD: a pesada e intensa "Die with Your Honesty" (uma faixa bem trabalhada, com momentos velozes e outros nem tanto, mostrando a força e técnica da base rítimica baixo/bateria), a envolvente "You're Going Straight to Hell" (o andamento é mediano, e a energia da música salta pelos falantes, com ótimos riffs e vocais), a totalmente NWOBHM "Rage and Hate" (que veio do EP, mostrando guitarras ótimas), a linda e pesada "I Remember My Friend" (aqui, a emoção flui na canção, com ótimo refrão e vocais extremamente bem compostos), a fogosa e melodiosa "The Sky is Falling Down" (esse coral realmente empolga, à lá MAIDEN), a bruta e poderosa "Hate Within" (outra faixa de andamento mediano, abrilhantada pela participação de Blaze Bayley nos vocais), e a ganchuda "We Are the Legacy".

Uma ótima revelação em termos de Metal, diga-se de passagem, e esperamos poder conferir o poder de fogo do quinteto ao vivo.



Tracklist:

01. Die with Your Honesty  
02. You're Going Straight to Hell  
03. The Harvester  
04. Rage and Hate  
05. I Remember my Friend
06. The Sky is Falling Down  
07. Hate Within  
08. Sacred Fire  
09. We Are the Legacy


Banda:

Wille Cardoso - Vocais
Max Batista - Guitarras
Leandro Motta - Guitarras
Luciano Rivero - Baixo
Augusto Morais - Bateria


Contatos:

Metal Media (ShadowPress)

Mystifier: confira fotos da apresentação no grandioso Inferno Metal Fest na Noruega




O MYSTIFIER esteve no começo de 2014 em vários shows que envolveram a região Sudeste e Sul do Brasil, a recepção foi das melhores e puderam se apresentar em casas que estavam sempre cheias, demonstra a força do Black Metal vindo da Bahia, em uma das mais importantes banda da cena Latina.

Nesta semana, embarcaram para a Europa para uma série de shows que terá uma sequência bem abrangente e inclusive tocando em grandes eventos, ao lado de nomes conceituados do metal mundial. Nesta matéria, poderão conferir as fotos do grande Inferno Metal Fest que foi promovido da Noruega com DIMMU BORGIR, WATAIN, HATEBREED, BLASPHEMY, ROTTING CHRIST, FLESHGOD APOCALYPSE, TRISTANIA, GEHENNA e outras.

Abaixo, som do "Profanus", de 2001, que está fora do catálogo e vai ser relançado pela Black Legion Productions, Insane Records e All Dead Records (USA).




Confiram as fotos:



































Copyright/Fotos: Lise Mette Eidet e Lars Petterson



For further band/tour info: 
Facebook: Armando MystifieR


Acompanhe a banda no FB:

Assessoria de Imprensa