17 de mai de 2013

Tomando a Europa de Assalto – Entrevista com a banda SHADOWSIDE


Por Marcos Garcia


O SHADOWSIDE, desde que surgiu, sempre deu mostras de grande profissionalismo, ao mesmo tempo em que sua música mostrava que iriam longe. E após o lançamento do aclamado ‘Inner Monster Out’ e vários shows no Brasil, a banda arregaçou as mangas e foi para a Europa, abrindo a “Hellish Rock Tour part II", turnê que teve nada mais, nada menos que HELLOWEEN e GAMMA RAY.


Aproveitando a volta da banda, que descansa carregando pianos, já que se apresentarão ao lado do SUPREMA, no próximo dia 26 de maio, na Via Marquês, em São Paulo, com a ajuda prestimosa de Costábile Salzano da The Ultimate Music - PR, lá fomos nós bater um papo com Dani Nolden e saber de tudo que rolou na excursão, bem como as expectativas futuras do quarteto.

Metal Samsara: Oi, Dani. É um prazer imenso poder entrevistar você mais uma vez, ainda mais após esta tour pela Europa. Então, para começar, fale-nos um pouco de como foi esta tour: quantos shows em quantas cidades? E como foi a recepção ao grupo por lá?

Dani Nolden: O prazer é meu, obrigada por me receber novamente! A recepção foi maravilhosa! Uma longa séria de apresentações que passou por 18 países, pouco menos de dois meses, praticamente sem dias livres... na verdade, todos os dias livres foram dias de viagem. Só tivemos oportunidade de realmente descansar e fazer algum turismo durante dois dias em toda a turnê, e isso apenas porque o Helloween cancelou um show devido a uma doença do Andi Deris. Durante todo o resto do tempo, estávamos completamente focados na turnê, dormíamos em um país e acordávamos em outro, já praticamente na hora de começar o trabalho de montar os equipamentos, passar o som. O que torna essa rotina maluca sensacional é sempre o público. Foram shows incríveis e fica até difícil apontar apenas um ou dois, especialmente porque tocamos em vários lugares que nunca havíamos tocado antes e descobrimos que os fãs são completamente insanos, como na Bulgária e Republica Tcheca, outros onde tivemos surpresas pois esperávamos um público frio e encontramos fãs calorosos, cantando nossas músicas, como na Suécia, e países por onde já havíamos passado, sabíamos mais ou menos o que esperar e eles não nos decepcionaram, como na Romênia, Hungria, Itália... Foi uma experiência realmente positiva!


Metal Samsara: Sei que esta pergunta pode parecer tosca, mas chegaram a ter algum aborrecimento sério por lá, algo que realmente estraga o dia de qualquer pessoa, em termos de organização?

Dani Nolden: Não, nunca. O primeiro show foi o único onde alguns problemas de organização aconteceram, mas isso é natural quando as coisas estão começando. Estavam todos começando a fazer a rotina, então alguns atrasos nas passagens de som aconteceram, mas nada que pudesse comprometer o dia ou sequer o evento, que mesmo assim começou pontualmente. Não se cometem erros em uma turnê desse porte, toda a equipe trabalhando era extremamente profissionais e estava sempre preparada para sanar qualquer problema. Tudo é sempre muito organizado, os horários das passagens de som e dos shows estavam determinados antes mesmo de sairmos do Brasil, raramente havia alguma mudança no dia e quando havia, ela era comunicada com antecedência e nunca passava de meia hora de diferença. Todos os membros das equipes, tanto do Helloween quanto do Gamma Ray, foram muito fáceis de lidar e nos ajudaram muito durante a turnê.


Metal Samsara: Como as distâncias na Europa, muitas vezes são pequenas, chegaram a usar um tour bus? Se sim, essa experiência realmente é tão louca como tantas vezes pudemos ler em entrevistas e tour reports?

Dani Nolden: Sim, nós viajamos com um motorhome, que é como um tour bus, mas menor, para sete pessoas, até porque as distâncias não eram tão pequenas assim. Muitas vezes tínhamos um show no dia seguinte e tínhamos uma distância de 500, 600 km para viajar e em dias livres, não era raro termos viagens de mais de 1000 km. Em uma das ocasiões, fizemos mais de 2000 km em dois dias. Eu não sei se considero a experiência louca, pois o máximo que acontece lá é todo mundo passar o dia inteiro dormindo, pois não temos nada para fazer (risos). Não fazemos festas, bebedeiras, nada do tipo... Depois de um show, todo mundo está cansado e mesmo nas raras ocasiões que não estamos, sabemos que não podemos fazer loucuras pois temos um dia cheio no dia seguinte. Somos caretas nesse ponto, a prioridade é sempre o show e não podemos baixar o nível da apresentação. Porém só o fato de morarmos dentro de um ônibus durante dois meses... Comíamos na estrada, tomávamos banho nas casas de show e não tivemos uma rotina considerada normal durante todo esse tempo... Acho que isso já é louco o suficiente para as pessoas do “mundo real” (risos). 


Metal Samsara: Bem, foram quase dois meses na estrada com Gamma Ray e Helloween. Como foi conviver com os caras das bandas? Tiveram algum aborrecimento ou grande momento com eles que possa nos contar? E poderíamos dizer que, além de tudo, a tour serviu de algum aprendizado para vocês?

Dani Nolden: Eles são todos muito tranquilos, muito simples. Eles só querem que a banda de abertura não cause problemas e não seja formada por um bando de idiotas que querem brincar de rockstars... Eles querem pessoas com quem eles também possam conversar, contar e ouvir histórias. Eles estavam sempre curiosos com relação a história da banda, queriam saber sobre as nossas cidades natais, adoraram como chegamos com o motorhome inteiro, lindo, limpinho e terminamos a turnê com o pobre carro em um estado sofrível (risos). O maior momento foi a despedida... Não somos apenas nós que ficamos tristes por dizer adeus à pessoas legais que conhecemos. Apesar deles conhecerem bem o Brasil, eles não estão acostumados a conviver com brasileiros, com pessoas que estão sempre sorrindo o tempo todo, com gente que se preocupa e trata bem todos os membros da equipe, até aqueles que estão “apenas” montando o cenário. Alguns deles estavam lutando contra o choro no final (risos). Acolhemos o Dirk, baixista do Gamma Ray, quando ele estava passando mal em Paris... Ele havia comido alguma coisa que não caiu bem e estava vomitando, e o pessoal da banda dele o chutou do camarim pra ele não fazer sujeira por lá... Nós o vimos e convidamos pra sentar conosco, perguntamos se ele queria uma água... Desde então, ele sempre vinha sentar conosco, ficava olhando para nós conversando em português, sorria e falava “vocês são tão amigáveis!” (risos) Foi tudo realmente em paz, foi um clima de respeito em todos os sentidos, de todos os lados. Nunca tivemos um aborrecimento sequer, somos muito gratos a todos eles. Quanto ao aprendizado... Cada tour é um aprendizado, é claro! Essa turnê foi mais longa e mais cansativa que a anterior, portanto amadurecemos ainda mais pois temos que balancear a intensidade do show com a auto-preservação (risos). Temos que fazer um show com muita energia porém temos que saber até onde podemos ir sem ficarmos estragados para o show seguinte... e são muitos shows seguidos, com pouco descanso. Com os caras, pudemos perceber que estamos no caminho certo pois eles sempre nos contavam como foi exatamente isso que eles fizeram quando tinham nossa idade e estavam começando... eles abriam para outras bandas, viajando com pouco conforto e se dedicando a banda o tempo todo. Foi muito gratificante ouvir de alguns deles que estávamos muito perto de chegarmos onde queremos e que logo estaremos fazendo essa turnês sozinhos, como banda headliner. Escutar isso de músicos que foram suas influências é gratificante e mostra como realmente temos que ser pacientes, esforçados e acreditar que com muito trabalho, tudo que sonhamos quando éramos adolescentes está acontecendo.


Metal Samsara: Ricardo Piccoli saiu da banda ainda em 2012, e podemos dizer que, de certa forma, o Fabio (NR. Carito, baixista da banda) encarou um “batismo de fogo” em termos de shows no exterior? 

Dani Nolden: Sem dúvida! Uma turnê dessa faz alguém se apaixonar pela vida em uma banda ou faz a pessoa não querer tocar em bandas nunca mais! (risos) O Piccoli foi nos visitar na Inglaterra, pois ele saiu da banda justamente porque estava de mudança para a Europa, então ele foi ao show e conversou conosco... Ele nos disse que não quer mais saber de banda, a menos que seja uma banda que já seja enorme  para que ele possa viajar com conforto e ganhar dinheiro... Nada bobo (risos). Portanto, esse foi um teste para o Carito. Ele já havia feito uma turnê no Brasil conosco pelo Norte e Nordeste, porém, apesar de bem mais cansativa que uma turnê pela Europa, afinal no Brasil dormíamos em hotel, mas chegávamos lá por volta de 2, 3 da manhã e às 6 h já tínhamos que estar de pé para a próxima viagem, porém aqui ficamos apenas duas semanas na estrada e “ao lado” de casa, com fácil comunicação com nossas casas... E na Europa não sabíamos o que era uma casa, uma comida que gostamos, as pessoas queridas, nossa rotina a qual estamos acostumados durante quase dois meses. Muita gente desiste, não aguenta. Muitos músicos talentosos fazem uma turnê e percebem que não é isso que querem fazer da vida, voltam a tocar na noite, passam a tocar apenas localmente. Não é uma vida simples e ele aguentou muito bem. Após a tour, ele me disse “decidi que é isso mesmo que quero fazer da vida”, então estou contente! Não acho que teremos mais um baixista saindo da banda porque cansou da nossa vidinha complicada (risos).


Metal Samsara: Em geral, bandas de abertura não recebem muito apoio em nosso país. Nesse aspecto, a cena européia é parecida com a nossa, ou existem diferenças gritantes?

Dani Nolden: Eu acredito que depende muito da banda... Nós nunca tivemos problemas sendo a banda de abertura no Brasil. Sempre fomos muito bem recebidos pelo público brasileiro sendo banda de apoio, desde a primeira que fizemos, que foi com o Nightwish. Depois disso tocamos com tanta gente... Tocamos com Sepultura, o próprio Helloween, Iron Maiden e sempre tivemos uma recepção muito calorosa, com gente aplaudindo, interagindo conosco com palmas, gritos quando chamamos, cantando as músicas. No exterior é exatamente assim. Eu acho que a primeira reação do público com relação à bandas de abertura é sempre de “que saco, tenho que aguardar para ver minha banda favorita”, então é sempre algo que a banda precisa saber lidar. É claro que todo mundo quer ver a banda pela qual elas pagaram para ver... então precisamos convencê-los de nós valemos o tempo deles. É um desafio necessário na carreira de qualquer banda. Se você não consegue aquecer uma plateia como banda de abertura, não vai conseguir fazer um show interessante como headliner também. Eu interpreto essa falta de apoio inicial como algo bom, como um público exigente que quer ver qualidade e não vai apoiar antes de conferir ao vivo se a coisa realmente presta. O público tem que apoiar o que é legal, mas também temos que fazer por merecer esse apoio, sempre.


Metal Samsara: Uma curiosidade: como ‘Angel With Horns’ foi a música de trabalho de ‘Inner Monster Out’, pois é bem empolgante e contagia os ouvintes, ela deve ter sido cantada quase em uníssono pelo público, certo?

Dani Nolden: Sim, ela foi uma das músicas mais aguardadas do nosso show, por isso a deixávamos para o final (risos). Uma das coisas mais interessantes sobre 'Angel With Horns' é que as pessoas sempre acompanhavam o riff inicial com palmas, porém eu não estava chamando o público para isso... Então eu passei quase toda a tour achando que era o Carito quem os chamava para as palmas e eles o seguiam... Porém, um dia fiquei curiosa e olhei para o lado para ver se era isso mesmo... E para minha surpresa, ninguém da banda estava chamando... Eles estavam acompanhando com palmas porque queriam e isso não aconteceu em apenas um show ou dois... Foi unânime, não tivemos um show dos 36 onde as pessoas não acompanharam voluntariamente com palmas o riff de 'Angel With Horns', foi algo muito legal, os fãs estavam interagindo conosco livremente, por estarem contagiados pela música, era sempre um momento especial para mim. Ela grudou tanto na cabeça das pessoas que até nossos técnicos de PA e iluminação ficavam cantarolando a melodia do refrão nos bastidores (risos). Gosto muito de cantar essa música ao vivo, a energia do público nela é maravilhosa!


Metal Samsara: E o assédio do público a vocês? Foi muito intenso?

Dani Nolden: Sim, porém sempre com muito respeito. Eles queriam fotos, autógrafos, raramente tivemos problemas e qualquer tumulto era sempre resolvido de forma muito rápida pela segurança local, nunca chegava até nós. O que chegava eram apenas pessoas simpáticas que queriam uma lembrança com a banda e nós atendemos esses fãs com o maior prazer. Não deixávamos a casa antes de falarmos com toda a fila de pessoas que queriam falar conosco. Algumas que não sabiam que estaríamos no stand de merchandising após o show nos esperavam fora da casa, muitas vezes no frio... não tem como dizer não para essas pessoas. É algo cruel dizer não para um fã que quer 30 segundos da sua atenção... você não vai ficar doente porque passou alguns segundos a mais no frio para bater uma foto, nem vai se atrasar para o próximo show por causa disso. Eles sabem que a banda tem que ir embora e normalmente já estão com a câmera na mão, se juntam para todo mundo fazer a foto ao mesmo tempo... É um público acostumado a turnês e que entende a rotina de uma banda. 


Metal Samsara: Vocês mal acabam de retornar e já estão com um show marcado para 26 de maio no Via Marquês, junto com o SupreMa. O que espera nesse reencontro com o público brasileiro?

Dani Nolden: Vai ser uma ocasião especial por tantos motivos! É nosso reencontro com o Brasil, nosso reencontro com a cidade de São Paulo, que nunca teve um show realmente completo do SHADOWSIDE e temos algumas surpresas planejadas com os nossos amigos do SupreMa, além de músicas no nosso set list que não tocamos há anos! Estou muito ansiosa e acredito que o público também, será uma festa sensacional! 


Metal Samsara: Dani, sabemos que ainda é cedo, mas já existem planos para o sucessor de ‘Inner Monster Out’, uma vez que o sucesso de vocês dentro e fora do Brasil já é uma realidade?

Dani Nolden: Sim, temos planos de começar a trabalhar no álbum no final de 2013 e talvez começar a gravá-lo no meio de 2014. Ainda queremos fazer mais alguns shows no Brasil e é possível que tenhamos alguns shows na América do Norte ainda este ano, portanto ainda não fechamos o ciclo do 'Inner Monster Out'. Quando acabarmos a turnê, começaremos a compor novamente e não vamos apressar o processo. Queremos um álbum ainda melhor que o 'Inner Monster Out'!


Metal Samsara: Agradecemos muito pela atenção, e deixamos o espaço para suas considerações e mensagem aos fãs.

Dani Nolden: Muito obrigada pelo espaço, pelo apoio, espero vê-los em algum show ainda este ano! Fiquem ligados na nossa agenda no site oficial pois não repetirmos mais cidades. Estamos anunciando mais algumas apresentações, como essa de São Paulo dia 26 de Maio, Manaus dia 8 de Junho, então estejam lá e fiquem atentos para quando tocaremos na sua região pois não os veremos de novo antes da próxima turnê, o que deve demorar mais um ou dois anos, talvez mais. Grande abraço a todos!

Guitarrista Vinnie Moore faz show em Santos



========


Guitarrista (à esquerda) durante show do UFO, dias atrás, no Carioca Cub, em São Paulo

Após quatro excelentes shows ao lado do lendário UFO pelo Brasil na última semana, o renomado guitarrista norte-americano Vinnie Moore ficou pelo país para dar os toques finais aos preparativos para a sua primeira turnê solo em território nacional.

Acompanhado por Aquiles Priester (bateria - Hangar), Fábio Laguna (teclado - Hangar), Bruno Ladislau (baixo - Andre Matos) e Gustavo Carmo (guitarra), Vinnie Moore sobe ao palco do Teatro Municipal, no próximo dia 21 de maio (terça-feira), em Santos. O show acontece a partir das 19h30. No repertório, grandes sucessos como “The Maze”, “Rain”, “Daydream” e “Saved By A Miracle”.

Vinnie já fez parte da banda de Alice Cooper, hoje é integrante do UFO, e ficou mundialmente conhecido em meados dos anos 80, depois de gravar um comercial para o refrigerante Pepsi. Logo em seguida, lançou seu primeiro álbum solo “Mind’s Eye” (1986), que vendeu mais de 100.000 cópias em todo o mundo.

Confira o serviço completo para apresentação em Santos abaixo


Serviço Santos


Projeto Hard ‘n Heavy apresenta Vinnie Moore
Data: 21/05/2013 (terça-feira)
Local: Teatro Municipal
End: Av. Senador Pinheiro Machado, 48
Hora: 19h30
Ingressos: R$ 40,00 (1° lote), R$ 45,00 (2° lote), R$ 50,00 (na porta)
Pontos de venda: Top Shirts (Gonzaga), Sound of Fish (Gonzaga) Reciclarte Cartuchos (Boqueirão), Nautica Tattoo (Praiamar Shopping/Litoral Plaza), Realejo Livraria (Gonaga), Gudstore (São Vicente), Estúdio 3 Acordes (Vila Mathias), Casa Simões (Santos) e Animal Records (Galeria do Rock).
Ponto de venda online: www.ticketbrasil.com.br
Informações: (13) 8128.6420
Imprensa: (13) 9161.6267 – press@theultimatemusic.com


========

for Sepultura, Krisiun, Shadowside, Confronto, Kiara Rocks, Pleiades, Hugin Munin and international concerts
A/C Costábile Salzano Jr
11 4241.7227
13 9161.6267



Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC - PR:

21/05 – Vinnie Moore – Teatro Municipal – Santos/SP
26/05 – Shadowside – Via Marquês – SP/SP
31/05 – André Matos – Fenix Club – Santos/SP
01/06 – Ensiferum – Carioca Club – SP/SP
14/06 – Blitzkrieg e Avenger – Fenix Club – Santos/SP
16/06 – Blitzkrieg e Avenger – Blackmore Rock Bar – SP/SP
02/07 – CJ Ramone – Fenix Club – Santos/SP
05/07 – CJ Ramone – Hangar 110 – SP/SP
07/07 – Flyleaf – Carioca Club – SP/SP
04/08 – Extreme Hate Festival – Carioca Club – SP/SP
15/08 – Royal Hunt – Manifesto Bar – SP/SP
22/09 – Sebastian Bach – Carioca Club – SP/SP

Skinlepsy - Condemning the Empty Souls (CD)


Shinigami Records - Nacional
Nota 8

Por Marcos Garcia

Em geral, power trios no Metal (as famosas bandas de três componentes apenas) acabam se destacando por toda sua história, como MOTORHEAD e sua clássica formação, VENOM, SODOM, HELLHAMMER, CELTIC FROST, KREATOR no início, IMMORTAL, e tantos outros. No Death Metal, bandas como PUNGENT STENCH, DISHAMONIC ORCHESTRA, CADAVER, e outros deixaram suas marcas, e outros grupos neste formato no gênero andam mostrando as caras, como é o caso do ótimo SKINLEPSY, de SP, que chega com seu primeiro disco, 'Condemning the Empty Souls', via Shinigami Records.

O trio é formado por músicos experientes, com participações em bandas do quilate de OPERA, SIEGRID INGRID, NERVOCHAOS, PENTACROSTIC, ANTHARES, e SKULLKRUSHER, ou seja, são três sujeitos que sabem o que estão fazendo, e assim, 'Condemning the Empty Souls' não poderia ser um disco ruim. Pelo contrário, o disco é muito bom. Vocais urrados que transitam entre o Death e o Thrash com facilidade, riffs de guitarras bem ganchudos e solos eficientes, baixo sempre seguro na marcação, e uma bateria técnica e pesadíssima. O resultado final é um híbrido de Death com Thrash Metal bem pesado, trabalhado e empolgante, capaz de fazer uma múmia sair pogando.

Beto Toledo fez um trabalho muito bom de produção, tendo a co-produção de Rafael Bala. Ambos deram uma sonoridade que, ao mesmo tempo, tem peso e é limpa, permitindo que a audição do CD seja clara e sem ocultar nada do que a banda faz. A arte, feita por Jean Michel, da Designations Artwork, ficou bonito e bem feito, permitindo que as letras fiquem claras, mas sem tirar o impacto visual, essencial para bandas do gênero.

Quando o disco começa a rolar no CD player, é bom que o ouvinte se prepare, pois as 9 faixas do disco são empolgantes e agressivas de doer os tímpanos, e ainda temos as participações especiais de Luiz Carlos Louzada (do CHEMICAL DISASTER, VULCANO, e HIERARCHICAL PUNISHMENT), em 'Perversions of Racial Hatred', Fernanda Lira (do NERVOSA) e Thiago Schulze (do DIVINE UNCERTAINTY) em 'Regression from the End', o que abrilhantam ainda mais o trabalho do SKINLEPSY.

O CD tem um nível de composições ótimo, com faixas que saltam os olhos como a bruta e técnica 'Crucial Words', onde a bateria se destaca bastante pelas conduções rítmicas bem variadas, assim como em 'Condemning the Empty Souls', onde os bumbos são surpreendentes, assim como os riffs e solos de guitarra; a ótima 'Alienation', com um andamento bem empolgante, e vocais à lá DEATH muito bons, e novamente, bumbos velozes muito bem postados; já 'Perversions of Racial Hatred' é rápida e feroz, com momentos brutos que lembram um pouco os trabalhos mais bem feitos do CANNIBAL CORPSE aqui e ali; e a veloz e trampada 'Regressing from the End'. 

Um belo disco de estréia, e torcemos para que este trio continue na estrada e nos concedam mais alegrias, bem como torcicolos épicos de tanto headbanging!



Tracklist:

01. Crucial Words
02. Condemning the Empty Souls
03. Crawling as a Worm
04. Alienation
05. Perversions of Racial Hatred
06. Pride and Rancour
07. Regressing from the End
08. Global Desolation
09. Dominium


Formação:

André Gubber - Guitarra e Vocal
Luiz Berenguer - Baixo
Evandro Jr. - Bateria




Contatos:


Gutted Souls - Unconscious Automaton (EP)


Independente - Nacional
Nota 8

Por Marcos Garcia

Realmente, o Rio de Janeiro guarda algumas surpresas no tocante à música pesada como um todo, e o mais recente é o doentio quarteto de Brutal Death Metal GUTTED SOULS, de Duque de Caxias, que acaba de soltar o EP 'Unconscious Automaton', um verdadeiro torpedo de brutalidade que está mirando os ouvidos mais incautos.

O grupo, como citado acima, se especializa em uma música que transpira brutalidade sem medida contra tudo e todos sem tréguas, mas longe de ser algo simplista, já que a técnica da banda é muito boa, especialmente na bateria. Temos vocais urrados a extremo, riffs de guitarra bem pesados, solos que abusam de alavancas, base baixo-bateria técnica e bem entrosada, e isso tudo resulta em um som que, se por um lado não é original, por outro tem vitalidade de sobra, é bem espontâneo e com garra ímpar.

A produção do trabalho, feito por Wellington Ferrari e pela própria banda ficou artesanal, mas muito intensa e brutal, deixando os instrumentos, e compensa um pouco da inexperiência da banda (pois é apenas o segundo trabalho deles, depois de um Demo CD) com doses homeopáticas de energia em estado primordial. A parte gráfica é muito legal, com algumas referências às artes usadas por bandas do estilo da Flórida.

As faixas do EP são todas em um bom nível de composição, mostrando que eles ainda vão oferecer muito à cena Metal, pois sabem não só usar de uma velocidade extrema, mas também de momentos mais cadenciados e outros de velocidade moderada, como na destruidora de ouvidos 'The Undying Stars', com um trabalho ótimo da bateria, que esbanja boa pegada e bumbos animais; a mas tradicional (em termos de Death Metal) 'Psychopathic Ruler', com ótimos vocais; as variações de andamentos e riffs da insana 'Dancing to the Sound of the Powers That Be'; a pancadaria trincada de 'Words of Hate', que possui momentos mais cadenciados bem empolgantes. Além delas, temos as bônus de 'Mondo Psycho' e 'The Undying Stars', músicas em versão Demo, mas que se possuem gravações toscas, são verdadeiras explosões de agressividade musical.

Um bom EP de estréia, que prepara caminho para novas investidas da banda em um futuro que promete bastante.


Tracklist:

01. The Undying Stars
02. Psychopathic Ruler
03. Dancing to the Sound of the Powers That Be
04. Words of Hate
05. Mondo Psycho (Demo 2011)
06. The Undying Stars (Demo 2011)


Formação:

Iron - Vocais
Wellington Ferrari - Baixo e guitarras (estúdio)
Leandro Alves - Guitarras
Alexandre A.O.C.B - Bateria




Contatos:


ISLAND PRESS (17/05/2013): AGAINST TOLERANCE & PROJECT46, KATTAH



========

Project46 & Against Tolerance: realizarão show em Leopoldina (MG)


Após grande repercussão de seu álbum de estreia, “Doa A Quem Doer” (2011), a banda de Metal/Hardcore PROJECT46 dá sequência a Doa A Quem Doer Tour 2013. Após a saída de dois integrantes a banda Metal/Experimental AGAINST TOLERANCE segue como trio, lançando recentemente seu novo trabalho, o EP “Redefined” (2013), e retorna aos palcos. Ambas se apresentarão em show organizado pela produtora Union Rock no próximo dia 18/05 (sábado) na Arena Vibe, em Leopoldina (MG). O evento tem previsão de iniciar as 19h00 e terá ainda participação dos grupos Suicide Control, Desangre, Metheora e Arkhan.

Serviço
Data: 18/05 (sábado)
Local: Arena Vibe
Horário: 19h00
Ingressos
Primeiro lote: R$ 20,00
Segundo lote: R$ 25,00
Na porta: R$ 30,00
Endereço: Rua Omar Resende Peres (Chácara do Café Emma), Leopoldina (MG)

Links relacionados:



===

Kattah: realizará show na trigésima sétima edição do Müsik Manifest (PR)


Em paralelo ao processo de composição e pré-produção do novo álbum de estúdio, intitulado “Lapis Lazuli”, o grupo paranaense KATTAH se apresentará no próximo domingo (19/05) na trigésima sétima edição do Müsik Manifest! O evento contará também com shows das bandas Ankhy e Blu-Rock (Classics Unplugged) será realizado no Mondo Birre, em Curitiba (PR), com previsão de iniciar as 19h00.

Serviço:
Data: 19/05 (domingo)
Local: Mondo Birre
Horário: 19h00
Entrada: R$ 16,00
Endereço: Rua Coronel Dulcídio, 558, Curitiba (PR)

Links relacionados:


========

Fonte: Island Press

SOM DO DARMA (17/05/2013): PSYCHOTIC EYES, HELLISH WAR




========

Hellish War: revelada capa e data de lançamento de novo álbum

  
Heróis do Heavy Metal clássico, o HELLISH WAR está prestes a lançar seu novo disco de estúdio. Intitulado "Keep It Hellish", o álbum foi produzido por Ricardo Piccoli no PiccoliStudio em Biella, na Itália, e vai marcar a estréia do novo frontman, Bil Martins, que entrou para a banda em 2012 para substituir o antigo vocalista, Roger Hammer. 

"Keep It Hellish" é o sucessor do aclamado disco ao vivo Live In Germany (eleito pelo site Heavy Metal Brasil como um dos melhores discos ao vivo do heavy metal brasileiro de todos os tempos) e vai reunir as faixas "Keep It Hellish", "The Challenge", "Reflects On The Blade", "Fire And Killing", "Scars (Underneath Your Skin)", "Masters Of Wreckage", "Phanton Ship", "The Quest", "Darkness Ride" e "Battle At Sea". 


A banda agora revela a capa de "Keep It Hellish" que mais uma vez foi pintada pelo artista Eduardo Burato que já havia trabalhado com a banda nos dois discos anteriores, Defender Of Metal (2001) e Heroes Of Tomorrow (2008).

De acordo com Daniel Person, baterista do HELLISH WAR, a capa representa perfeitamente o álbum no sentido de ser uma afirmação do estilo e da identidade musical da banda.

"Keep It Hellish é o mais pesado, veloz e bem acabado disco do Hellish War", diz o músico. "A identidade da banda está intacta e esse é um disco de heavy metal do começo ao fim, repleto de refrões fortes - algo que sinto falta atualmente no metal nacional - e, é claro, marca a estréia do Bil Martins que, para mim, é um dos cinco melhores vocalistas que temos no Brasil hoje. Uma coisa legal também sobre o álbum é que ela ilustra todos esses elementos ao se conectar com a história da banda - temos o retorno de Guillis, o mesmo guerreiro que aparece nas capas dos dois primeiros álbuns, além de ter sido pintada pelo Eduardo Burato".

"Keep It Hellish" será lançado na Europa no dia 28 de Junho pela gravadora alemã Pure Steel Records (Omen, Warrant, Halloween, Cage). No Brasil, o álbum sai no dia 10 de Junho pela Voice Music (Angra, Korzus, Torture Squad, Hibria, etc).  

Em Outubro o HELLISH WAR embarca para a sua segunda turnê Européia. O primeiro show já está marcado para o dia 12 no Downi em Worblaufen, Suíça.

Mais Informações: 


===


Psychotic Eyes, Nervochaos e Hellsakura agitam festival nesta sexta no Blackmore em São Paulo


"Scream For Metal", este é o nome do festival que rola nesta sexta-feira, 17 de Maio, no Blackmore Rock Bar em São Paulo. Entre a programação, destacam-se os shows de Nervochaos, Hellsakura e a banda de Death Metal progressivo, PSYCHOTIC EYES.

Atualmente formada por Dimitri Brandi (vocal/guitarra), Douglas Gatuso (baixo) e Alexandre Tamarossi (bateria), o PSYCHOTIC EYES vive o melhor momento de sua carreira. Seu mais recente álbum, "I Only Smile Behind The Mask" foi muito bem recebido por imprensa e público e rendeu ao PSYCHOTIC EYES diversas pautas nos principais veículos especializados, além de ter sido responsável por três indicações à banda entre os "Melhores de 2011" na votação realizada entre os leitores da revista Roadie Crew

Reflexo da boa aceitação ao disco, o PSYCHOTIC EYES vem numa boa seqüência de shows e participações em festivais. Além da apresentação de amanhã, o grupo já tem mais dois compromissos agendados para o mês de Junho. No dia 02 eles serão uma das atrações do 10º Stone Metal Festival que rola em Belo Horizonte/MG e que também contará com apresentações de outros grandes nomes do cenário nacional como o Drowned e o Malefactor. Já no dia 22, o PSYCHOTIC EYES será o headliner de mais uma edição do Live To Rock Festival que rola em Sorocaba/SP e que também contará com Vulture, Warshipper, Esdras e Escárnio.

Entre outras novidades, o PSYCHOTIC EYES prepara-se para filmar seu primeiro videoclipe e também já está em fase de pré-produção de seu novo álbum que mais uma vez será produzido pelo canadense Jean François Dagenais, também guitarrista da banda de Death Metal KATAKLYSM.   

Serviço:


Scream For Metal Fest
Atrações: Psychotic Eyes, Nervochaos, Hellsakura e Cowboys Suicidas (Pantera Cover)
Data: Sexta-Feria, 17 de Maio de 2013
Horário: 22h (Primeira banda no palco pontualmente às 23h30)
Local: Blackmore Rock Bar - Alameda dos Maracatins, 1317, Moema, São Paulo/SP
Ingressos: R$ 20,00 (até às 23h) e R$ 25,00 (após às 23h)
Informações e reservas: www.blackmore.com.br ou (11) 5041-9340

Mais Informações:  


========


Fonte: Som do Darma
Informações para Imprensa: 
A/C Eliton Tomasi
(15) 3211-1621   

Crédito Foto: Eliton Tomasi 


Sebastian Bach: ingressos para show em SP à venda




========


Músico durante apresentação na capital paulista no ano passado – crédito da foto: Juliana Lorencini

Depois de três apresentações bombásticas pelo Brasil no ano passado, o galã SEBASTIAN BACH, ex-vocalista do Skid Row e atualmente em carreira solo, volta ao país como uma das atrações do Rock in Rio e também para única performance em São Paulo. Com a produção da Dark Dimensions, o músico se apresenta na capital paulista, no próximo dia 22 de setembro, no Carioca Club. 

Os ingressos para o show já estão à venda. Os fãs interessados em conferir esta performance podem garantir presença em www.ingressosparashows.com.br, nas bilheterias da casa de eventos ou na Galeria do Rock (loja Lady Snake). O valor das entradas custam R$ 90,00 (estudante/pista), R$ 110,00 (promocional antecipado/pista), R$ 220,00 (camarote promocional – últimas unidades no Carioca Club).

O frontman segue em turnê mundial do álbum "Kicking & Screaming" e divulgando o disco duplo ao vivo "ABachalypse". O repertório deve ser composto por sucessos que marcaram a sua carreira ao lado do Skid Row como as clássicas "Slave to the Grind", "Piece of Me", "18 and Life", "Monkey Business", "I Remember You", "Youth Gone Wild" e outras, além de composições novas.

Links relacionados:


Serviço São Paulo

Dark Dimensions orgulhosamente reapresenta Sebastian Bach


Dia: 22 de Setembro de 2013 - domingo
Local: Carioca Club
End: Rua Cardeal Arcoverde, 2899
Hora: Portas – 18h / Sebastian Bach 20:00
Pontos de venda: loja Lady Snake (Galeria do Rock) e bilheteria do Carioca Club
Valores: R$ 90,00 (estudante/pista), R$ 110,00 (promocional antecipado/pista), R$ 220,00 (camarote promocional – últimas unidades no Carioca Club)
Classificação etária: 15 anos
Imprensa: (13) 9161.6267 – press@theultimatemusic.com 


========

for Sepultura, Krisiun, Shadowside, Confronto, Kiara Rocks, Pleiades, Hugin Munin and international concerts
A/C Costábile Salzano Jr
11 4241.7227
13 9161.6267

Próximas divulgações THE ULTIMATE MUSIC - PR:
21/05 – Vinnie Moore – Teatro Municipal – Santos/SP
26/05 – Shadowside – Via Marquês – SP/SP
31/05 – Andre Matos – Fenix Club – Santos/SP
01/06 – Ensiferum – Carioca Club – SP/SP
14/06 – Blitzkrieg e Avenger – Fenix Club – Santos/SP
16/06 – Blitzkrieg e Avenger – Blackmore Rock Bar – SP/SP
02/07 – CJ Ramone – Fenix Club – Santos/SP
05/07 – CJ Ramone – Hangar 110 – SP/SP
07/07 – Flyleaf – Carioca Club – SP/SP
04/08 – Extreme Hate Festival – Carioca Club – SP/SP
15/08 – Royal Hunt – Manifesto Bar – SP/SP
22/09 – Sebastian Bach – Carioca Club – SP/SP

WARGODS PRESS (17/05/2013): EU ACUSO!, JACKDEVIL



========

EU ACUSO! : Capa do álbum liberada e site oficial no ar


A banda gaúcha EU ACUSO! liberou a capa de seu debut, “Liberdade Presumida”, que está sendo lançado de forma independente, contando com 10 faixas apresentando uma combinação explosiva de Rock/Metal com Groove pesado e engajado em causas políticas e sociais, através de letras de protesto criticas e conscientes. Musicalmente, há influências de Rage Against the Machine e Stuck Mojo, porém, criando uma sonoridade bem própria.


Sandré Sarreta (vocal), Carlos Lots (guitarra), Marcelo Cougo de Sá (baixo) e Ale Mendes (bateria) possuem um background musical marcante, com alguns de seus membros tendo participando de importantes bandas do cenário Rock/Metal gaúcho, como Panic, Leviaethan, Alchemist, Kaus do Porto e Distraught, garantindo assim muito peso e vigor. “Ao montar a banda queríamos fazer algo diferente do que já havíamos produzido no passado, adicionando novas ideias e influências, gerando assim algo único e inovador. A cena Rock/Metal gaúcha tem revelado bandas bem interessantes, que aos poucos estão conquistando seu espaço e criando uma nova geração, batalhadora e atuante.”, comentou Marcelo.
Ao mesmo tempo EU ACUSO! lança seu site oficial, www.euacuso.com.br, contendo todas as informações, fotos e músicas disponíveis, para um contato ainda mais próximo com o público.

E no próximo sábado, dia 18/05, o grupo estará dividindo o palco do Bar Havannas com as bandas Fúria e Lugh na cidade de Santa Maria/RS, no “Rockpaulera Fest I”, com o ingresso no valor de R$ 10,00.


Teaser no Youtube: 



Agenda atualizada:

18/05 – Havannas - Santa Maria/RS – Show com as bandas Lugh e Fúria
06/06 – Carlitus Bar – Porto Alegre/RS – Show com a banda Sacrario
15/06 – Moby Dick Irish Pub – Gravataí/RS – Show com a banda Homem Bala

Apostando na divulgação virtual, o grupo já liberou algumas faixas do álbum, disponíveis no Soundcloud e Youtube. A última faixa liberada, “Idade Mídia”, é uma crítica ao olhar hegemônico das grandes empresas de mídia, que servem aos interesses políticos dos poderosos. A banalização do sexo e da violência buscando audiência a qualquer preço, mentiras que contaminam nossos olhos e ouvidos. É neste mote que o EU ACUSO! aposta em letras consistentes e de protesto.

Para ouvir “Idade Mídia”, acesse e compartilhe:


Youtube: 


Soundcloud: 




Contatos:

Site oficial: www.euacuso.com.br
Assessoria e Shows: contato@wargodspress.com


===

JACKDEVIL: Shows em SP, Belém e enfrentando as adversidades com dedicação 


Novamente em destaque nas páginas da revista Roadie Crew, em sua edição #172, o JACKDEVIL, através das palavras do baixista Renato “Speedwolf”, encara de forma séria os problemas enfrentados em sua cidade natal, São Luis/MA, declarando: "Temos que enfrentar a falta de casas de eventos voltadas para o estilo, de um circuito ativo de shows nas cidades vizinhas e de incentivo cultural por parte de Prefeitura e Governo do Estado, que destinam milhões para a indústria do 'bumba meu boi'. Por último, desativaram o Circo da Cidade, local onde aconteceram os melhores shows de Metal de São Luís", acrescentando ainda que produzir os próprios shows tem sido muito mais proveitoso e que o apoio dos fãs tem sido o ponto forte desta ainda curta, porém marcante trajetória. Confiram mais na seção “Cenário” da edição impressa da revista (www.roadiecrew.com).

E dando seguimento no processo de divulgação do elogiado EP “Faster Than Evil”, os “novos garotos da selva” anunciam a data de seu primeiro show em São Paulo, e continuam em busca de mais datas para sua turnê em território nacional. André Nadler (vocal/guitarra), Ricardo Andrade (guitarra), Renato “Speedwolf” (baixo) e Filipe Oliveira (bateria) mandam uma mensagem aos headbangers brasileiros: “Nos próximos meses vamos invadir o Brasil e detonar shows bombásticos pra vocês! Gostaríamos de tocar em cada cidade do país, pois há fãs do JACKDEVIL de norte a sul, e ficamos muito felizes com toda a receptividade que obtivemos até agora. Contamos com vocês para detonar noites de puro “rock veloz” e barulhento!”.


O show dos “Thrash Demons” será realizado no festival “Guaru Metal Fest”, no dia 10/08 na cidade de Guarulhos, com a participação das bandas como Vulcano, Crystal Viper, Selvageria, Fire Strike, Nervochaos, dentre outras. Haverá stands com exposições de guitarras personalizadas Seizi e artigos da Santo Angelo, além de lojas de CDs, vinis, camisetas e acessórios e o sorteio de uma guitarra personalizada, tatuagens e kits promocionais dos parceiros do festival.


Chamada para o evento: 


Página no Facebook: www.facebook.com/guarumetalfest

E um mês antes, o JACKDEVIL fará o show de abertura da lenda americana de Thrash Metal HIRAX em Belém/PA, no dia 06/07. Mais informações em breve.


Para comprar o merchandising oficial do grupo, como CDs, camisetas, patches, etc, acesse a recém-inaugurada loja virtual do JACKDEVIL no site da Shock Review: http://www.shockreviewstore.com/band-merch1/jackdevil 

O vídeo clipe para a música “Under the Metal Command”, disponível em www.youtube.com/watch?v=kORM6T_mjVE já ultrapassou 40 mil acessos, causando boa impressão por sua energia e simplicidade, mostrando a banda tocando em estúdio e cenas pela cidade de São Luis. 

Link para download de “Faster Than Evil”: http://www.mediafire.com/?azrfjaknejui6ws
Link para audição no Soundcloud: www.soundcloud.com/wargods


Contatos:

Assessoria e Shows: contato@wargodspress.com


========