16 de jul de 2017

Roadie Metal Volume I (DVD Duplo)


2017
Nacional

Nota: 9,4/10,0

Tracklist:

DVD 1:

1. VOODOOPRIEST - Juggernaut
2. TELLUS TERROR - Blood Vision
3. DEATH CHAOS - House of Madness
4. KRUCIPHA - Reason Lost
5. DIVISION HELL - Bleeding Hate
6. TRIBAL - Broken
7. NO TRAUMA - Fuga
8. CORE DIVIDER - No War
9. MONSTRACTOR - Immortal Blood
10. VORGOK - Hunger
11. HEAVENLESS - Hatred
12. MATRICIDIUM - The Beating Never Stops
13. FORKILL - Vendetta
14. NINETIETH STORM - Death Before Dishonor
15. USINA - Destruição e Morte
16. CURSED COMMENT - Luftwaffe

DVD 2:

1. ELEPHANT CASINO - Believe
2. SUPERSONIC BREWER - Blood Washed Hands
3. DEMONS INSIDE - Remorse, Infected of Trauma…Remains
4. JÄILBAIT - Take It Easy
5. APPLE SIN - Apple Sin
6. CERVICAL - Arquétipo
7. GALLO AZHUU - Bruxa
8. EXORDDIUM - Heavy Metal
9. MAGNÉTICA - Super Aquecendo
10. BASTTARDOS - Despertar do Parto
11. HELLMOTZ - Wielding the Axe
12. BURNKILL - Cadáver do Brasil
13. FALLEN IDOL - The Boy and the Sea
15. DUST COMMANDO - P.O.T.U.S.
16. RAZORBLADE - Cuts Like a Razor


Contatos:

Bandcamp:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


E o Brasil está emparelhando com as tendências de fora, e muitas vezes, novas idéias surgem, mostrando que é possível inovar, mesmo em um cenário árido e ingrato como o do Brasil. E o programa de rádio/assessoria de imprensa ROADIE Metal fez isso, trazendo agora “Roadie Metal Volume I”, que foge do convencional por ser uma coletânea dupla em DVD, com vídeos oficiais de 32 duas bandas do nosso país. Sim, é isso que leram: 32 bandas nacionais!

As 32 bandas vem de várias partes do Brasil, todas elas fazendo as coisas a sua maneira e promovendo um massacre sonoro de seu jeito. E o bom disso tudo é a questão da diversidade, que assim, podemos ouvir e ver o trabalho musical de 32 bandas das mais variadas vertentes de Metal que possa pensar. E sim, todas são muito boas. Mas o interessante é que não existem lyric vídeos, mas vídeos oficiais ou ao vivo de boa qualidade (como é o caso do CURSED COMMENT em “Luftwaffe”, que chega a ter legendas). E o trabalho de cada grupo é ótimo.

Em termos de arte, tudo ficou muito bom, da embalagem em um Digipack ótimo ao encarte com informações das bandas e mesmo a letra das canções. Sim, até nisso ficou diferente e inovador. E mesmo o menu interativo do DVD é muito legal, nos permitindo acessar os vídeos, e ao mesmo tempo, o mini-depoimento feito por cada uma das bandas participantes da coletânea.

Como dito, todas as bandas fizeram ótimos clipes.

DVD 1:

VOODOOPRIEST - Usando o já conhecido vídeo para “Juggernaut”, de seu primeiro EP, a banda mostra uma montagem de cenas ao vivo com a música de estúdio. Muito bom o trabalho, realmente.

TELLUS TERROR - O sexteto carioca lança mão do vídeo “Blood Vision”, uma das melhores canções de seu disco de estréia, “EZ Life DV8” de 2014. Muito bem produzido, o MMS da banda funciona muito bem. Hora devir disco novo!

DEATH CHAOS - “House of Madness” é uma das faixas de seu EP de estréia desses curitibanos insanos, “Prologue in Death & Chaos”, e temos um clipe focado em cenas bem soturnas e perturbadoras de uma mulher atacada por um serial killer contrastando com outras onde o grupo tocando a canção. Um trabalho de primeira, um Death Metal insano.

KRUCIPHA - E o quinteto curitibano bem destruir ouvidos e olhos com “Reason Lost”. Mais uma vez, temos contrastes entre cenas de uma mulher encarcerada e desesperada com a banda tocando. É incrível como o Thrash/Death Metal grooveado do grupo é cheio de impacto, com o uso de percussões insanas, dando ainda mais peso ao som do grupo. A música vem de “Hindsight Square One”, e nos prepara para o disco vindouro do grupo.

DIVISION HELL - Rasgando ouvidos alheios com “Bleeding Hate”, faixa-título de seu primeiro álbum, esses sujeitos optaram por um impacto visual focado apenas na banda, com takes de várias câmeras. Death Metal de primeira, e muito agressivo.

TRIBAL - Outro grupo curitibano que usa de contraste de cenas em “Broken”, entre algumas com a banda tocando e outras bem apavorantes. Technical Death Metal com muitas influências do Djent. É perturbador em termos de visual, e criativo em termos de música. Esta música vem do EP “tribal”, de 2015.

NO TRAUMA – O impacto do Metalcore insano e moderno do quarteto carioca flui em um vídeo com cenas gravadas na cidade do Rio de Janeiro. “Fuga” vem do álbum “Viva Forte Até o Seu Leito de Morte”, e vem para causar comoção nos fãs de Metal moderno.

CORE DIVIDER Outro que usa de cenas de causar certo desconforto naqueles que vão assistir ao vídeo de “No War”. Um Thrash/Death moderno, pesado, muito agressivo e grooveado vindo de SP, vindo diretamente de “Against War I”, disco do grupo.

MONSTRACTOR – E diretamente de Resende (RJ), temos o Sasquatch da região destilando toda sua fúria Thrasher à lá PANTERA em “Immortal Blood”. Usando de cenas da banda tomadas de vários ângulos, o clipe é ótimo, sendo que a faia vem de seu álbum “Recycling Thrash”, se bem que eles vão reciclar seu pescoço com tanta fúria sonora.

VORGOK - Descendo a marreta nos cornos alheios, o quarteto carioca de Thrash Metal old school vem com a agressiva “Hunger”. Outro que prefere o uso de takes de câmera tirados em estúdio, que ficaram ótimos em preto e branco. Essa canção vem do destruidor “Assorted Evils”, disco de estréia do quarteto.

HEAVENLESS - Do Rio Grande do Norte, o trio vem com o insano vídeo de “Hatred”, em que cenas da banda ensaiando se intercalam com outras da vida cotidiana regional deles, mais algumas em protesto contra os poderes desse mundo. Um Thrash/Death Metal furioso vindo de seu disco de estréia, “Whocantbenamed”.

MATRICIDIUM – Diretamente de Santa Catarina, o grupo vem com “The Beating Never Stops”, que estará no vindouro disco do grupo. No vídeo, temos uma estória sendo contada, aparentemente de uma pessoa perseguida e surrada, até ser capaz de revidar. O disco novo promete!

FORKILL - O quarteto carioca vem com uma versão ao vivo para “Vendetta”, de seu primeiro disco, “Breathing Hate”. Percebe-se toda energia do Thrash Metal insano do grupo, com forte referência ao Thrash Metal da Bay Area americana. Um murro na cara dos Rabbit Thrashers do RJ.

NINETIETH STORM - Deathcore de primeira vindo do Espírito Santo. Moderno e insano, com grandes toques de Metalcore aqui e ali, muitos breakdowns, e se percebe que o grupo é criativo em “Death Before Dishonor”, aproveitando-se de takes da banda se alternando com outros que são cenas de guerras. Muito, muito bom mesmo.

USINA - Com “Destruição e Morte”, o grupo santista veio para detonar com seu Thrash Metal grooveado e moderno, inclusive com algumas partes de Rapcore. O clipe mostra cenas da banda em profusão, com outras referenciando os maus tratos a prisioneiros e da ineficiência do sistema penal do Brasil. A música vem do EP “Destruição e Morte”.

CURSED COMMENT - Como dito anteriormente, “Luftwaffe” foi gravada ao vivo, e mostra o trio fazendo um Thrash/Death Metal agressivo e ríspido. Vindos de Ipatinga, a banda promete, e esperamos um disco deles em breve.

Isso foi o DVD 1. Mas segurem as pontas, pois vem o DVD 2 agora.

DVD 2:

ELEPHANT CASINO - “Believe” é uma das faixas do disco de estréia desse grupo mineiro que foca sua proposta no bom e velho Hard Rock/Classic Rock pesado dos anos 70. Cenas da banda tocando em uma paisagem e outras do cotidiano estressante de uma pessoa manipulada por cordas se contrastam bem.

SUPERSONIC BREWER - Os gaúchos desse quarteto de Thrash Metal com muita influência do Southern Rock chegam detonando com “Blood Washed Hands”, uma música com forte acento de Country Rock. As cenas da banda gravado em estúdio estão mescladas a outras da região onde estavam. Eles não erram!

DEMONS INSIDE - A banda do Guarujá aposta seu Thrash Metal com influências de Metal tradicional em “Remorse, Infected of Trauma…Remains”, um vídeo que realmente acaba impressionando com as montagens gráficas feitas nas cenas da banda tocando. É algo bem profissional e chama bastante a atenção, sem falar nas cenas de um ator que aparenta estar perdido em um pesadelo.

JÄILBAIT - A banda de Maceió (AL) preferiu em “Take It Easy” usar o vídeo para mostrar o dia a dia estressante de uma mulher, em termos de trabalho, de tudo. É melhor verem para acreditar, mas acreditem: é uma das melhores produções do DVD em termos visuais. E a banda teve que mudar de nome, hoje se chamando PRISION BÄIT.

APPLE SIN - Vindos de Barroso (MG), o quinteto de Metal tradicional mostra em “Apple Sin” um trabalho visual de primeira, em que imagens da banda tocando em uma casa muito velha se contrastam com outra em que uma mulher de preto tem uma maçã em sua mão. Música de alta qualidade, vídeo idem.

CERVICAL - Vindos de Macaé, na Região dos Lagos (RJ), o grupo detona um Hardcore/Crossover de primeira com “Arquétipo”, faixa título de seu último trabalho. A banda usou um vídeo de cenas exclusivamente focadas na banda, de vários ângulos diferentes. O resultado final é ótimo, tendo a impressão que estamos vendo a banda ao vivo.

GALLO AZHUU - Um puta Heavy Metal sujo com forte conotação Stoner Rock é o que se ouve em “Bruxa”. E o quarteto de São Luís (MA) tem um clipe em que se alternam cenas da banda tocando em algum local arborizado e outras onde mulheres que aparentam serem bruxas encenam seus rituais. Muito, muito bom mesmo!

EXORDIUM - E o quinteto de Metal tradicional de Contagem (MG) vem como “Heavy Metal”, canção vinda de seu primeiro disco, “Sangue ou Glória”. O resultado final é muito bom, pois a sonoridade da música ficou de primeira, e o vídeo é focado exclusivamente na banda se apresentando em um cenário montado.

MAGNÉTICA - Rock’n’Roll de raiz com “Super Aquecendo” é o que esse quinteto de Bebedouro (SP) nos oferece. O vídeo é composto de cenas da banda ensaiando, e o resultado final é bem legal, simples e funcional.

BASTTARDOS - E diretamente do Rio de Janeiro, o trio de Rock’n’Roll sujo e descompromissado chega com a maravilhosa “Despertar do Parto”. A canção é ótima, e o vídeo cheio de cenas que nos tocam, quase que algo no estilo “pai e filho”, muito tocante e bem feito demais. Palmas, que eles merecem!

HELLMOTZ - E o Mato Grosso do Sul tem Metal de primeira, sim, senhor, pois o quartet de Thrash/Southern Metal vem matando a pau em “Wielding the Axe”, todo filmado em um estacionamento e privilegiando tons escuros. Simples, funcional e bem feito, não tem como dar errado.

BURNKILL - O quinteto de Pouso Alegre (MG) vem com a ótima “Cadáver do Brasil”, mostrando vitalidade e peso. As cenas da banda tocando em várias locações de sua cidade são mescladas com outras dos manifestos populares que o Brasil tem tido desde 2013. Thrash Metal intenso e consciente.

FALLEN IDOL - Os mestres do Doom Metal de Arujá (SP) contribuíram com a azeda e crítica “The Boy and the Sea”. A faixa é excelente, e o vídeo mostra cenas da banda tocando com outras em que se vê as covardias feitas com os refugiados sírios, e remete ao menininho morto encontrado em uma praia, uma das cenas mais comoventes dos últimos anos. Ainda existem legendas no vídeo, com a letra da música. E espero que a frase “Se as nações estão lucrando com a guerra, elas devem abrigar os refugiados” faça os conservadores idiotas pensarem bastante sobre o assunto antes de serem anti-Islã!

THE PHANTOMS OF THE MIDNIGHT - Como é bom ouvir esse Dark Metal cheio de belas melodias e aspectos sinfônicos, com belos vocais femininos contrastado com urros e vocais masculinos. E o vídeo de “Nightmare” é muito bom, com cenas da banda tocando com um fundo branco. Ou seja, todo o foco fica apenas no sexteto, o que é uma boa sacada. Mal posso esperar pela chegada do primeiro disco da banda!

DUST COMMANDO - E mais um representante de terras sulistas dá as caras, pois o quarteto de Taquari (RS) vem com o vídeo de “P.O.T.U.S.”, uma pedrada Stoner/Southern Metal grooveada e bem feita, com cenas da banda tocando e outras onde são vistos corruptos jogando com o destino da nação para o próprio lucro. Um belo clipe, bem feito e com um esmaecimento de imagem bem sacado.

RAZORBLADE - Encerrando, temos o quarteto de Heavy/Speed Metal de São José do Rio Preto chegando com “Cuts Like a Razor”. É interessante como toda ambientação é para lembrar alguns aspectos dos anos 80, que ficou bem legal. 

No mais, “Roadie Metal Volume I” é uma iniciativa corajosa, merece aplausos, e que todos possam ver este ótimo trabalho. 

Comentário(s):