30 de mai de 2017

RUNNING DEATH - DressAge (album)


2017
Importado

Nota: 9,3/10,0


Tracklist:

1. Courageous Minds
2. Dressage
3. Delusive Silence
4. Heroes of the Hour
5. Duty of Beauty
6. Numbers
7. Beneath the Surface
8. Anthem of Madness
9. Safety Second
10. Refuse to Kill


Banda:


Simon Bihlmayer - Vocais, guitarras
Daniel Baar - Guitarras
Andrej Ramich - Baixo
Jakob Weikmann - Bateria


Contatos:

Instagram:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


As terras da Alemanha deram e ainda dão muitas alegrias aos fãs de Metal do mundo inteiro. Seja no Metal extremo ou no mais melodioso, parece que a Alemanha sempre foi e será um enorme criadouro de nomes muito bons e relevantes para o cenário mundial. E muito interessante é o trabalho do quarteto RUNNING DEATH, da Bavária, que nos chega com “DressAge”, seu mais novo disco.

Podemos dizer que o quarteto descarrega um Thrash Metal trabalhado e melodioso que tem muito de MEGADETH e ANNIHILATOR, mas ainda assim, muito próximo ao Metal tradicional. É agressivo, mas as melodias elaboradas e técnicas do grupo só tornam aquilo que já é muito bom em algo marcante e cheio de personalidade. É ouvir e gostar, não tem outro jeito!

Ou seja: fundiram o Thrash Metal técnico com as famosas melodias eruditas da Alemanha e se deram bem demais!

Em termos de qualidade sonora, não há erro: claro e limpo a ponto de cada arranjo mínimo ser ouvido perfeitamente, mas com a dose certa de agressividade nos timbres dos instrumentos e peso, a produção acertou a mão. E a capa é extremamente bem feita, e bem divertida, mas com uma mensagem subjetiva bem sensível.

Podemos dizer que além de um ótimo disco, “DressAge” é extremamente divertido, pois a descontração e despojo são as tônicas de sua música, embora seja muito bem trabalhado e arranjado. O compromisso dos músicos é em fazer algo pesado, agressivo, mas bem divertido.

E por isso, brilhante!

Em 10 músicas que duram em média 4 minutos e meio, o grupo nos agrada nas primeiras audições.

Em “Corageous Minds”, as guitarras se destacam bastante com arranjos fortes nesses ritmos alternados; “DressAge” já mostra o grupo com um andamento em velocidade mediana e focada no peso, fazendo com que baixo e bateria se sobressaiam bastante; veloz e técnica, “Delusive Silence” apresenta ritmos quebrados onde mais uma vez as guitarras imperam, for a um refrão de primeira, mesmos elementos encontrados em “Duty of Beauty” e seu toque divertido; em “Beneath the Surface”, os vocais alternam bastante os timbres, acompanhando as variações rítmicas ricas do grupo; na instrumental “Anthem of Madness”, vemos guitarras executando solos e duetos de primeira, nos envolvendo ainda mais nessa espiral de melodia, caos e técnica; e a agressiva e refinada “Refuse to Kill”, que fecha o disco com suas lindas melodias, junto com as já mencionadas, foram o grupo de melhores canções do álbum.


O RUNNING DEATH veio para ficar, e “DressAge” é prova mais que suficiente que o Thrash Metal do grupo é mais que bem vindo.

Comentário(s):