27 de mai de 2017

ABERRATIO - Aberratio (álbum)


2017
Nacional

Nota: 7,8/10,0


Tracklist:

1. Nitimur in Vetitum           
2. Chernobyl              
3. Headless Philosopher
4. Christian Aberration                     
5. Politics for Politicians                   
6. Alienation              
7. Shit Man                
8. Assyrians
9. Satan Doom                      


Banda:


David Andrade - Vocais
Júlio Cesar - Guitarras
Nathan Franco - Baixo
Yuri Almeida - Bateria


Contatos:

Twitter:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia

Fazer Death Metal no Brasil é quase sempre estar em um molde bem tradicional, perto do que bandas como MORBID ANGEL, DISMEMBER, ENTOMBED, CANNIBAL CORPSE, DEICIDE e outros deixaram. E assim é com o quarteto mineiro ABERRATIO, de Poços de Caldas, que despeja uma torrente de brutalidade nos ouvidos de todos em seu primeiro álbum, “Aberratio”.

Seguindo a escola mais tradicional do estilo, mas buscando alguma influência em estilos mais extremos do Death Metal, com algumas referências a IMPALED e ABORTED (reparem nos vocais e na técnica da bateria e terão esta idéia), gerando uma massa sonora abusivamente agressiva, ora veloz e explosiva, ora mais cadenciada. E se por um lado o quarteto não vem para inovar o Death Metal, vem para somar forças, com um trabalho bem pessoal.

A sonoridade do CD é crua e brutal, como um disco de Death Metal tradicional deve soar. Mas a qualidade é seca, permitindo que compreendamos o que o grupo está tocando. Óbvio que poderia ser melhor em alguns pontos, mas está em um nível bem satisfatório e que não gerará reclamações. E a arte da capa é muito boa, assim como o layout simples e funcional.

Embora o quarteto ainda necessite de mais amadurecimento em termos musicais, o ABERRATIO já se mostra um grupo com talento, mostrando boa capacidade em termos de arranjos, a dinâmica entre instrumentos e vocais é muito boa, e tudo se encaixa. Está bom, mas pode melhorar, é isso que desejo dizer.

A banda mostra força em canções como a tradicional “Nitimur in Vetitum” e suas guitarras ferozes, um peso abusivamente agressivo em “Chernobyl” (os vocais estão muito bem no meio dessas mudanças rítmicas, bem como o baixo mostra sua técnica), a diversidade musical de “Christian Aberration” e os contrastes entre momentos mais intensos e outros de pura brutalidade (isso em um peso cadenciado excelente), na pogante e irresistível “Assyrians” e seu toque de HC (reparem como a banda mostra explosão de agressividade intensa, mais uma vez com bons tempos e guitarras muito boas), e o peso soturno e opressivo de “Satan Doom” e suas mudanças de ritmos.

Muito talento, energia de sobra, e criatividade acima da média. O ABERRATIO só precisa polir mais tantas qualidades com shows e ensaios, ver todas as possibilidades musicais que tem para se tornarem gigantes. Por agora, “Aberratio” é um disco muito bom e que mostra um trabalho promissor.



Comentário(s):