19 de mar de 2017

QUINTESSENTE – The Belief of the Mind Slaves (Single)


2017
Selo: Independente 
Nacional

Tracklist:

1. The Belief of the Mind Slaves
2. Matronæ Gaia


Banda:


André Carvalho - Vocais 
Cristiano Dias - Guitarras
Cristina Müller - Teclados, vocais femininos
Henrique Bessa - Baixo
Mark Souza - Bateria


Contatos:


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Em uma era onde Singles e EPs físicos têm virado uma raridade, e que cada vez mais o talento musical se restringe a ficar repetindo velhos clichês estilísticos, ouvir um Single como “The Belief of the Mind Slaves”, do quinteto carioca QUINTESSENTE, é algo maravilhoso, que proporciona uma sensação de termos encontrado uma pedra preciosa muito rara e valiosa.

O que temos no Single são duas faixas de um estilo musical que transita entre o Doom  Metal dos anos 90, muito do Metal tradicional clássico e influências pontuais de outros estilos, com canções cheias de melodias sombrias e elegantes criadas pelas guitarras e teclados, com a adição de uma base rítmica pesada e com boa técnica, fora o contraste perfeito entre vocais urrados, limpos e femininos. Óbvio que esta fórmula já foi usada muitas vezes anteriormente, mas justamente por estar fora da evidência e ser feito com personalidade que o Single nos prende a atenção.

Traduzindo: é muito, muito bom.

A produção musical não é tudo que poderia, já que está crua um pouco além do ponto. Nada que nos impeça de entender as canções ou que muito menos tire o brilho do Single, mas apenas poderia ser melhor, mais limpa. Mas os timbres instrumentais foram bem escolhidos, e nenhum dos instrumentos está apagado.

O trabalho da banda é muito bom, justamente porque é diferente do que se encontra em voga no Metal neste momento. Fora isso, essa fusão de melodias e melancolia sempre funciona muito bem na mão de quem sabe o que está fazendo. E verdade seja dita: estes veteranos sabem muito bem o que querem fazer de sua música.

Temos duas faixas: “The Belief of the Mind Slaves”, com seu andamento bem variado, preenchida por belos arranjos de teclados e ótimas guitarras, mas ao mesmo tempo, a dinâmica de mudanças entre vocais extremos e outros normais, mais os femininos, é muito boa. Em “Matronæ Gaia”, há justamente o enfoque no lado mais sombrio e soturno da banda, com melodias melancólicas, baixo e bateria com boa técnica, cheia de lindas passagens melodiosas, caracterizando assim o estilo híbrido do conjunto.

Infelizmente, o Single só tem duas faixas, o que nos deixam pensando “quero mais” avidamente. Mas teremos que esperar “Songs from Celestial Spheres” ser lançado.

Que venha logo, pois o quinteto é excelente!


Comentário(s):