26 de mar de 2017

MASSIVE FIRE - Atomic Fusion (álbum)


2017
Independente
Nacional

Nota: 8,0/10,0


Tracklist:

1. Chapter II
2. The Gates
3. Atomic Fusion
4. The Land
5. Two Paths
6. The Remgore
7. Thy Wish
8. Until We All Die Free
9. Limitless
10. Times Ago


Banda:


Pedro Soriano - Vocais, guitarras
Lulu Ribeiro - Baixo 
Thomás Martin - Bateria 


Contatos:

Site Oficial: 
Twitter: 
Youtube: 
Bandcamp:
Assessoria:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O Rio de Janeiro, apesar de seus problemas de cenário, possui uma fertilidade enorme em termos de Metal e Rock. Algumas em vertentes mais pesadas e agressivas, como é a tradição do estado desde os tempos do DORSAL ATLÂNTICA deixando os fãs de Metal extremo com os ouvidos apitando. Mas existem bandas de linhas mais melodiosas interessantes na história do Metal carioca, como AZUL LIMÃO, METALMORPHOSE e tantos outros. E para se juntar ao time das bandas de trabalhos mais melódicos, temos o MASSIVE FIRE, um trio bem jovem e que acaba de lançar seu segundo trabalho, o álbum “Atomic Fusion”.

Óbvio que o grupo usa de momentos mais pesados e agressivos, mas no geral, a banda possui um enfoque melodioso e moderno, com influências como JUDAS PRIEST, IRON MAIDEN, METALLICA e mesmo algum odor de bandas mais jovens e acessíveis de Rock ‘n’ Roll. Mas isso não desqualifica o trio, muito pelo contrário: é justamente esta fusão de melodias, groove e peso que pedia um representante em terras cariocas. Pedia, pois essa necessidade está satisfeita.

“Atomic Fusion” foi pré-produzido por Renato Tribuzy, e a produção do CD é de Celo Oliveira. O resultado é uma sonoridade clara e bem limpa, mas deixando que a banda soe com peso e melodia nas mesmas proporções, além de bons timbres em cada instrumento. E justamente esse aspecto faz com que a banda soa acessível para uma plateia não tão exigente em termos musicais. E a arte da capa é ótima, um desenho bem feito que mostra a cidade do Rio de Janeiro, mas sob uma ótima bem humorada e irônica.

Com muita adrenalina e uma sonoridade mais simples, o MASSIVE FIRE consegue um resultado ótimo no disco, soando moderno, melodioso e mesmo acessível. Mas isso justamente se dá porque a banda não rebusca a técnica musical, se preocupando em como cada canção soará por si mesma. E assim, “Atomic Fusion” soa muito bem aos ouvidos e é uma opção para quando não queremos ouvir algo agressivo demais.

A rigor, o disco possui 9 canções (já que “Chapter II” serve como introdução do disco), e destacam-se as seguintes: a sinuosa e acessível “The Gates” (que até possui momentos mais agressivos, mas no geral, as melodias são de assimilação fácil, e é um dos hits do CD, e temos um trabalho ótimo de bateria), a igualmente acessível e deliciosamente mais Rocker “Atomic Fusion”, o charme melodioso e sedutor de “The Land” (música do vídeo de divulgação, mostrando um trabalho simples e muito bom das guitarras), a agressividade mais direta de “Two Paths”, o toque Hard’n’Heavy de “The Remgore” (onde o baixo mostra um trabalho forte e preciso), os ritmos um pouquinho mais complexos em “Thy Wish”, o contraste entre partes mais introspectivas e outras mais agitadas mostrado em “Until We All Die Free” (essa um pouco mais acessível) e “Times Ago” (e essa mais pesada).

No geral, o MASSIVE FIRE é uma boa banda, uma ótima revelação, e “Atomic Fusion” é um disco e tanto.

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário(s):