18 de ago de 2016

AGONY VOICES - Mankind's Glory (álbum)



2015
Independente
Nacional

Nota: 9,0/10,0

Músicas:

1. Mankind's Glory
2. Nocturnal Minds
3. A New Beginning
4. No Traces
5. World of Devastation
6. Desire for Pain
7. Mysteries of Fear
8. Labirynth
9. Delusions of Death
10. Abyss of Despair


Banda:

Jonathan - Vocais
Silvia - Guitarras
Barasko - Guitarras
Jr. Klock - Baixo
Luiz - Bateria


Contatos:

Soundcloud


Texto: Marcos "Big Daddy" Garcia


Fazer Doom Metal, em qualquer uma de seus subvertentes e em qualquer lugar do mundo, é somente para aqueles que realmente são fãs do gênero. E justamente por isso, as que existem no Brasil são bandas de qualidade musical bem acima da média no estilo. 

E uma grata surpresa é o quinteto AGONY VOICES, que retorna com seu mais recente trabalho, "Mankind's Glory", um disco muito bom.

Misturando o Doom Death Metal tradicional com algo mais moderno no estilo, temos algo que, musicalmente, vai de encontro aos mais sinistros e sujos trabalhos do PARADISE LOST na época Doom Death Metal com algo próximo do SINS OF THY BELOVED. Traduzindo: peso e cadência bem tradicionais do estilo contrastam com a agressividade e melodias soturnas que estamos acostumados em bandas mais modernas do estilo, logo, esse trabalho híbrido possui personalidade forte e é ótimo de ser ouvido com a atenção devida.

A produção de "Mankind's Glory" é de Roger Fingle, conhecido produtor musical do sul do país. E ele conseguiu dar uma sonoridade que, embora límpida suficiente para que entendamos o que a banda está tocando, tem peso e agressividade transbordando pelos falantes. Ainda está um pouquinho cru demais em certos pontos, mas nada que desabone o trabalho do quinteto, mesmo porque esta qualidade ajuda a banda a expressar-se bem, fazendo parte do disco.

Já a arte é um trabalho de Rodrigo Bueno, que fez tudo em tons de preto, branco e roxo. Ficou algo bem soturno e denso, que pega bem com o estilo do grupo.

Podemos dizer que o trabalho do AGONY VOICES deu uma guinada, buscando evoluir diante do que apresentaram em "The Sin". E sem fugir da identidade que já haviam mostrado, eles conseguem, pois as músicas estão bem trabalhadas, os arranjos são bem feitos, a dinâmica de cada canção ajuda bastante a não soarem de forma entediante. E a isso tudo adicione que o lado instrumental deu um "Boost" ótimo entre os dois discos.

Melhores momentos:

"Mankind's Glory" - Aqui já se percebe o quanto a banda evoluiu, já que o andamento não é tão lento como antes, embora existam muitas mudanças de ritmo, momentos mais agressivos e outros soturnos (com vocais limpos), e é onde as guitarras da banda mostram riffs muito bons.

"Nocturnal Minds" - Nesta se percebe o contraste entre o moderno e o clássico em termos de Doom Death Metal, com aquela junção da agressividade natural do gênero com aqueles toques mais refinados de bandas como MOONSPELL. Reparem na força do baixo e da bateria nesta canção.

"A New Beginning" - Mesmo sendo quase toda focada na brutalidade opressiva, nesta música existem arranjos ótimos, que nos envolvem conforme ela vai evoluindo, mais uma vez com ótimo trampo de baixo e bateria. 

"No Traces" - Outra que é bem diversificada, cheia de momentos alternados, mas mesmo sob tanto peso opressivo, existem alguns arranjos melodiosos excelente das guitarras.

"Mysteries of Fear" - Os vocais vão mudando bastante, usando uma diversidade de timbres entre o gutural agressivo e o limpo depressivo. Isso porque a banda lança mão de muitas mudanças de ritmo, de arranjos melodiosos bem feitos sob a base dura e bruta de sua musicalidade.

"Labirynth" - O lado mais introspectivo da musicalidade do quinteto é evidenciado aqui, mostrando arranjos mais clássicos em termos de Doom Metal, algo que nos remete à fase "Turn Loose the Swans" e "The Angel and the Dark River" do MY DYING BRIDE, ou seja, algo elegante e bruto ao mesmo tempo.

"Delusions of Death" - Fundindo peso, agressividade e a tônica mais soturna de sua musicalidade, o grupo cria uma música densa, pesada e diferente, com uma apresentação de primeira da dupla de guitarras.

No mais, o AGONY VOICES é daquelas bandas que se pode esperar muito, pois não decepcionam.

Comentário(s):