8 de dez de 2016

ANITA LATINA - Anita Latina (Álbum)


2016
Alternative Music / Voice Music
Nacional

Tracklist:

1. Desert
2. Baião
3. Insunity
4. The Day Your Savior Comes
5. Love (Defend Against Its Devotees)
6. Nullius In Verba
7. Zomia
8. Zephyr


Banda:


Bruno Gazoni - Baixo, vocais, teclados
Tarcísio Barsalini - Guitarras
Matheus Vazquez - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 8
Composição: 10
Produção: 7

8/10


Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O ecleticismo que o Rock tem recebido há alguns anos é algo interessante de ser observado. Sim, pois graças a essas noções diferenciadas, boas bandas podem surgir aqui e ali, e no Brasil, onde o sangue latino é fortemente ligado à música, temos bandas como o ANITA LATINA, de Campinas (SP), que chega com “Anita Latina”, seu primeiro álbum, lançado pela dobradinha Alternative Music/Voice Music.

Imagine uma banda que mistura o Rock e psicodelia dos anos 70 com elementos do Fusion e mesmo de elementos da MPB. É uma boa aproximação do que o trio produz em termos musicais. A técnica progressiva e pesada da banda não é algo trivial, mas mesmo tempo, há momentos bem acessíveis e grudentos. Óbvio que a energia que flui do trabalho musical da banda é bem empolgante, e eles têm muito a oferecer ao Rock nacional, justamente em um momento em que tudo tende a ficar engessado e bolorento.

A produção de “Anita Latina” é de Caio Ribeiro e Tarcísio Jr, que cuidaram da gravação e mixagem do disco (e Caio ainda fez a masterização do álbum). O resultado é uma sonoridade que consegue ser limpa e pesada nas medidas certas, mas com um toque artesanal muito bom. Soa orgânico e com energia, mas sempre com todos os instrumentos audíveis. 

Já a arte visual de Lucas Piro consegue complementar a atmosfera criativa do grupo, com as letras disponibilizadas na forma de um buraco de fechadura, e o encarte é cheio de símbolos matemáticos.

O grupo mostra um trabalho musical bem diversificado, sempre com ótimos arranjos e certo toque “noir” em alguns momentos (como no início de “Baião”). Por isso a banda tende a ganhar muitos fãs: porque sua música é instigante, pessoal, pesada e muito criativa.

Embora o ANITA LATINA ainda possa render mais musicalmente, momentos como ouvidos na pesada e intimista “Desert” (cheia de mudanças de andamento, apresentando um trabalho ótimo de baixo e vocais), a diversidade musical de “Baião” (realmente se percebe os inserts de Baião nesse belo Rock’n’Roll pesado, apresentando um trabalho muito bom de bateria e vocais), a jazzística e técnica “The Day Your Savior Comes” (o trabalho de guitarras é bem fora do convencional, e assim, criativo), a densa e tribal “Zomia” (uma bela instrumental, onde a banda mostra peso e energia de sobra, com arranjos ecléticos fantásticos em cada instrumento), e a longa e progressiva “Zephyr” (onde certo toque de RUSH fica evidente, especialmente porque a técnica é evidente, mas funcionando em favor da banda).

O ANITA LATINA é muito bom, e merece aplausos. E a impressão que se tem depois de ouvir o CD é que esses três vão longe.

Comentário(s):