23 de ago de 2013

Frost Despair - The God Delusion (EP)

Independente - Nacional
Nota 8,5/10

Por Marcos Garcia


As terras do RS realmente são extremamente férteis em termos musicais, pois como em todo país, a cultura musical por lá é algo quase tocável de tão evidente. E em termos de Metal, não é de hoje que os Pampas nos brindam com trabalhos musicais realmente dignos de aplausos. E agora, se juntando à invasão gaúcha, temos o ótimo FROST DESPAIR, de Porto Alegre, que por meio de seu primeiro testemunho em CD, o EP 'The God Delusion', mostra sua força.

O septeto faz um Black Metal sinfônico extremamente soturno e pesado, mas que herda uma aura de elegância devido à presença de belos vocais femininos. O mix entre vocalizações masculinas ásperas e femininas macias, juntamente com guitarras com riffs ótimos (sabendo alternar entre a agressividade e momentos mais fúnebres com maestria), baixo e bateria bem entrosados e com boa técnica, e teclados que sabem dosar sua presença com as necessidades de cada uma das faixas, irá satisfazer o mais exigente de todos os fãs de Metal extremo. 

Gravado, mixado e masterizado no Hurricane Studio, em Porto Alegre, o grupo bancou a tarefa de se auto-produzir, tendo a assessoria de Sebastian Carsin na engenharia sonora, e o resultado é está em um bom nível (que poderia ser melhor), permitindo conhecer bem as nuances do trabalho do septeto, ou seja, soa pesado e bem feito, soturno e requintado na medida certa.

Musicalmente, o EP mostra uma banda com composições bem acima do nível, dignas de louvores em um país onde o Black Metal sinfônico anda passando por tempos um pouco difíceis. 

O EP abre com a instrumental de teclados e efeitos 'The Dark Ages', que vai ambientando o ouvinte para 'God Delusion', uma faixa razoavelmente longa e bem diversificada, com belos duetos vocais e orquestrações muito bem compostas. A agressiva intro 'Damnation' precede 'Splendor War', que é mais seca e agressiva, mas ainda mantendo os elementos orquestrais, destacando-se os belos solos de guitarra.  'Dark Bachiana' já consegue mixar com maestria tanto o lado agressivo quanto o mais melodioso e sinfônico, resultando em uma faixa que empolga o ouvinte, com belíssimos arranjos de guitarras e teclados, mas quem rouba a cena é a base rítmica, com mudanças de andamento perfeitas. Em 'Final Breath', a alternância entre momentos mais sinfônicos e atmosféricos é ótima, favorecendo bastante o trabalho dos vocais e orquestrações dos teclados, e fecham o EP com a bela outro 'At the Gates'.

É, ouvindo o trabalho deles, não é de se surpreender que Shagrath (do DIMMU BORGIR) os tenha elogiado. E que venha logo o Full Length 'Surreal'!


Tracklist:

01. The Dark Ages 
02. God Delusion
03. Damnation
04. Splendour War
05. Dark Bachiana
06. The Final Breath
07. At the Gates


Formação:

Odommok - Vocais e efeitos
Flávia Mezzo - Vocais soprano
Lair Raupp - Guitarras
Galamoth - Guitarras
Agammenomm - Teclados e sintetizadores
Rodrigo Marques - Baixo
Anderson Ribeiro - Bateria



Contatos:


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):