7 de jun de 2017

SERCATI - In the Shadows of Sidewalks (EP)


2017
Importado

Nota: 9,3/10,0


Tracklist:

1. Time for Apocalypse                    
2. Chained to Purgatory                   
3. The Anesthesist                 
4. Natural City


Banda:


Steve “Serpent” Fabry - Baixo, vocais
Olivier Cláment - Guitarras
Yannick Martin - Bateria, backing vocals

Convidados:

Jonathan Mazzeo - Guitarras


Contatos:

Twitter:
Instagram:
Bandcamp:
Assessoria:

E-mail: sercati@live.fr

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


O lado mais obscuro do Black Metal, usando de melodias fúnebres e atmosferas intensas, até hoje é algo que encanta muito fãs, especialmente quando a banda possui talento e vocação para este tipo de música. E talento é o que o SERCATI, da Bélgica, mostra em “In the Shadows of Sidewalks”, seu mais recente EP.

Sendo uma banda típica do chamado Melodic Black Metal, basta dizer que o grupo segue aquela linha mais atmosférica e agressiva do estilo, focando seu trabalho e criando uma ambientação mais densa e negra com as guitarras, onde passagens com melodias sombrias vão nos envolvendo conforme as músicas são executadas. E sim, é bem diferente, uma vez que esse jeitão de se fazer Black Metal está um pouco fora da evidência. E por isso, o trabalho musical do SERCATI é tão deliciosamente sedutor.

Em termos de sonoridade, “In the Shadows of the Sidewalks” busca aquele jeito mais sujo e artesanal de soar, sem grandes retoques ou polimentos de produções de ponta. Mas o charme da banda está nessa necessidade de soar orgânico, longe da mecanicidade das gravações atuais. Até mesmo a arte da capa transparece essa necessidade de ser simples e funcional, longe das artes gráficas mirabolantes, logo, está plenamente de acordo com a música do grupo.

Mas a força do quarteto vem de sua música bem feita e sobre alicerces agressivos simples, mas firmes. Óbvio que existem ótimos arranjos, mas mesmo estes soam sem muitos refinamentos, o que nos permite ter a clara idéia de que estamos ouvindo uma banda tocando, e não um computador.

“Time for Apocalypse” é uma introdução melancólica e fúnebre, com vocais limpos e arranjos de teclados bem simples, mas com uma atmosfera densa e extremamente sedutora. Em “Chained to Purgatory”, o grupo usa de uma ambientação soturna e densa, ainda com muito enfoque em teclados e guitarras limpas, com baixo e bacteria dando sustentação rítmica à introspecção e os vocais mostram seu lado mais agressivo, em tons rasgados muito bons. A fusão de agressividade e melodia é o que é oferecido na ótima “The Anesthesist”, onde o foco vai para o trabalho das guitarras, que mantém a opressão melodiosa e bem feita, com tempos não tão velozes e dureza de um ritmo firme e pesado (baixo e bateria estão muito bem nessa canção). E fechando o EP, temos “Natural City”, cujas melodias sinistras são hipnóticas, embora um toque maior de complexidade surja de forma bem espontânea no meio da agressividade fúnebre do grupo.

Um disco indicado a qualquer fã de Black Metal que se preze, e podemos dizer que é um enorme prazer conhecer o trabalho do SERCATI.

Voltem sempre!

Comentário(s):