25 de mar de 2017

FATAL SCREAM – From Silence to Chaos (álbum)


2017
Nacional

Nota: 9,0/10,0


Tracklist:

1. From Silence to Chaos
2. Killer Wolf
3. Trapped
4. Before the Judgement
5. Betrayer
6. Mental Prison
7. Utopia
8. Last Breath
9. Machine Head


Banda:


Carol Lima - Vocais
Diego Aricó - Guitarras
José Roberto Cardoso - Guitarras 
Rodrigo Hurtiga Trujillo - Baixo
Carlos Lourenço - Bateria


Contatos:

Bandcamp:

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


É ótimo termos cada vez mais a presença de mulheres em bandas. Sim, pois elas trazem consigo uma bela carga de influências musicais que, justamente devido à diferença de gêneros, vai permitindo agregar valores e construir novas sonoridades no Metal e novos valores no cenário. E podemos assegurar que um dos melhores nomes em termos de Heavy Metal que existe no Brasil com participação feminina é o do quinteto FATAL SCREAM, de Ribeirão Preto (SP), que acaba de soltar um discão, o ótimo “From Silence to Chaos”.

O que se ouve o disco é o mais puro Heavy Metal tradicional possível com algumas nuances modernas mais agressivas. E a banda vai mostrando personalidade sob um som pesado e melodioso à lá IRON MAIDEN, mas com muita agressividade moderna. Sim, o quinteto não tem aquele defeito crônico de viver no passado, mas olha para o futuro, criando uma música forte, pesada e agressiva, mas com muito bom gosto.

Embora a sonoridade não esteja perfeita, o trabalho de Rômulo Ramazini Felício ficou muito bom, já que nem sempre é possível associar de maneira perfeita a agressividade e melodias de um trabalho como “From Silence to Chaos”. Mas se percebe que a banda está soando com peso, crueza e agressividade, sangrando em vitalidade, mas nos permitindo entender cada um dos arranjos. E a arte usada pela capa deixa claro qual o contexto lírico que o grupo prefere abordar em suas 9 canções.

Se equilibrando entre passado, presente e futuro, o FATAL SCREAM mostra que tem personalidade forte e não fica preso a modelos musicais pré-existentes. Eles usam de suas influências musicais individuais para buscar algo diferente do que já foi feito, e botam personalidade no que estão fazendo. Há arranjos que, mesmo com certa simplicidade, são hipnóticos, nos seduzindo sem esforços. E sem falar que a banda é capaz de criar refrãos grudentos demais.

E o mix do velho com o novo, da agressividade com a melodia, rende frutos excelentes, como ouvimos em “Killer Wolf” e seus riffs cortantes e ritmos quebrados; a força mais tradicional de “Trapped” (onde certo toque de ARMORED SAINT fica evidenciado, mas outra que apresenta um trabalho ótimo das guitarras, e em que vocais mais agressivos aparecem), as lindas melodias ternas do início de “Before the Judgement” (mais que logo vira um murro de peso e melodia, mas é uma canção um pouco menos agressiva que as de antes, e os vocais de Carol roubam a cena), as modernas e ‘Thrashy’ “Betrayer” (cheia de vocais urrados muito bons, andamento em tempo médio e belo trabalho de baixo e bateria) e “Mental Prison” (novamente corais guturais dão as caras, e riffs de guitarra ganchudos vão conduzindo a canção), a mais melodiosa e impactante “Utopia” (mais uma vez, riffs excelentes e um trabalho ótimo nos solos de guitarra), a lição de interpretação dos vocais em “Last Breath” (fora o baixo está mostrando um trabalho técnico à lá Steve Harris), e na modernosa “Machine Head”, a banda mostra mais uma vez o lado agressivo de sua música. É, fui forçado a falar de cada uma das faixas, pois o “From Silence to Chaos” é excelente!

Um disco de primeira, para headbangers exigentes?

Ei, corre nas lojas e descola logo o seu!




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário(s):