1 de nov de 2016

DUDÉ E A MÁFIA: banda conquista a Avenida Paulista (SP)


A banda DUDÉ E A MÁFIA se apresentou gratuitamente neste último domingo (30/11) na Avenida Paulista, em São Paulo. A história a seguir é o relato do Dudé, vocalista da banda DUDÉ E A MÁFIA, contando como foi esta aventura.

Leia o relato de Dudé:

“Nossa banda sempre entrava em profundas discussões sobre o que poderia ser feito para buscarmos espaços alternativos. A ideia sempre foi alcançar o maior público possível, da forma mais direta e no menor espaço de tempo.

Tais conversas se davam sempre regadas à cerveja. Talvez pelo fato das ideias mais ousadas surgirem embaladas pelo efeito etílico, tese essa não comprovada cientificamente. Afinal, em tempos de politicamente correto desenfreado, ressaltar tal fato evitará possíveis crises de encheção de saco envoltos em falsas e ridículas acusações de apologia ao álcool. Mas enfim, voltemos ao que interessa.

Bom, nessas reuniões (ou cervejadas, fiquem à vontade para chamar como quiserem) chegamos à seguinte conclusão: para alcançarmos os objetivos pontuados nas nossas pautas, o melhor lugar seria fazer um show na rua, mas não podia ser uma rua qualquer. Sendo assim, nosso primeiro alvo foi estipulado na Avenida Paulista, um dos cartões postais de São Paulo.

Estipulamos uma data, 30/10/2016, pegamos nosso equipamento e nos direcionamos para a mais paulista das avenidas.

Encontramos um local próximo à estação Brigadeiro e começamos a montar nossa tralha.
Para o fornecimento de energia elétrica, utilizaríamos um sistema montado com um nobreak conectado à uma bateria de carro. Uma daquelas ideias malucas difundidas pelo Youtube.

Esse sistema era tão maluco, mas tão maluco, que é óbvio que não deu certo! Também pudera, como engenheiros elétricos, somos ótimos músicos.

Mesmo assim, não nos deixamos abater. Deixamos o R2-D2 de lado (nome dado à traquitana que não deu certo) e com uma extensão de 50 metros de comprimento, buscamos uma tomada nas mediações de onde estávamos. Pois é, né? As ideias simples são sempre as mais efetivas.

Resolvida a questão da energia, e com o equipamento já montado, iniciamos o show. Assim como teve início uma das experiências mais empolgantes que já tivemos.

A receptividade do público foi elétrica. Sem trocadilhos à nossa traquitana, por favor!

Mas falando sério, tivemos um contato direto com um público que simplesmente não sabia o que fazer para nos agradar. Do cara engravatado ao morador de rua, passando por famílias com crianças de colo e skatistas, todos dançavam e se confraternizavam ao sabor do nosso Rock And Roll e no lugar mais democrático de todos: a rua!!

Ao final da nossa apresentação, tivemos contato com as diferentes formas de agradecimento desse público fantástico. Durante toda a tarde, nos foi entregue diferentes presentes… de latas de cerveja à camisinhas!

Inclusive, foi tanta cerveja e camisinha que ganhamos, que cheguei a comentar durante o show que só faltaram as groupies para festa se completar.

Mas aonde nossa banda lucrou mesmo foi no aumento de visualizações dos nossos clipes no Youtube e visitas às nossas redes sociais. Encontramos um caminho super efetivo e divertido de divulgar nosso trabalho.

O único arrependimento que tive foi de não ter levado nenhum material de marketing para ser vendido lá. Com certeza, venderíamos uma boa quantidade de camisetas e broxes nesse evento. Mas nada impede de fazermos dessa forma numa outra ocasião.

Enfim, concluo esse texto com um desafio a todos que acreditam que no Brasil não há público para o nosso Rock And Roll: leve sua banda para as ruas, o laboratório vale à pena.”

Atualmente formado por Dudé (vocal), Lennon Fernandes (baixo), Ed Navarrette (guitarra), Luiz Cazati (guitarra) e Sérgio Navarrette (bateria), a banda DUDÉ E A MÁFIA mergulhou de cabeça no velho e bom Hard Rock das décadas de 70 e 80, tudo temperado com uma pegada Blues na medida certa e letras em Português. A banda segue a estrada do Rock desde 2013 produzindo seu próprio material.

Links relacionados:
Site Oficial: www.dudeeamafia.com.br


Fonte: TRM Press

Comentário(s):