1 de nov de 2016

CLAUSTROFOBIA - Download Hatred (Álbum)


2016
Nacional

Músicas:

1. Download Hatred
2. Blasphemous Corruption
3. Sinking
4. Generalized World Infection
5. My Own Victory
6. The Greatest Temptation
7. Inverted Faith
8. Metal or Die
9. Curva
10. Paulada


Banda:


Marcus D’Angelo - Vocais, guitarras
Douglas Prado - Guitarras
Daniel Bonfogo - Baixo, backing vocals
Caio D’Angelo - Bateria


Contatos:



Nota:

Originalidade: 10
Composição: 10
Produção: 10

10/10

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Já viram aquelas bandas que, quando você coloca o disco para tocar, tem-se a clara impressão que um massacre sonoro sem precedentes está acontecendo com seus nervos?

Pois é, é este o efeito que se tem ao ouvir o murro sônico chamado “Download Hatred”, novo disco do CLAUSTROFOBIA, que acaba de sair por aqui via Die Hard Records: uma coça em formato musical, e das boas!

Antes de tudo, a pergunta que necessita de uma resposta é: o que teria mudado na banda após a saída de Alexandre de Orio, guitarrista do quarteto por tantos anos?

Basicamente, só aquele lado mais eclético e grooveado que nos acostumamos a ouvir em alguns momentos está menos evidente (e não ausente por completo). Mas o que a banda ganhou em termos de agressividade e adrenalina chega a ser assustador, pois é raro ver um disco que transita entre o Thrash e o Death Metal tão opressivo e destruidor como “Download Hatred”. Mas ao mesmo tempo, aquele pegada crua mais moderna continua presente, capaz de deixar os ouvidos apitando por horas!

Ou seja: TÁ BOM DEMAIS!

A produção e a mixagem ficaram nas mãos de Russ Russel (que já trabalhou com o NAPALM DEATH), e a masterização é de Brendan Duffey. Só isso já seria suficiente para deixar claro que o quarteto recebeu uma qualidade de som arrasadora, que deixa a agressividade de sua música evidenciada, mas com qualidade, já que todos os instrumentos podem ser ouvidos com clareza. Traduzindo: “Download Hatred” é como um assassino serial que te corta a garganta, e limpa a faca na sua camisa.

A arte gráfica de Toshihiro Egawa transforma em algo visível toda a opressão sonora do disco, fazendo com que a idéia do disco, seu conceito central, fique bem claro para o ouvinte.

Corrupção em todos os sentidos possíveis, ódio global, a frivolidade das tecnologias e mídias sociais, alienação religiosa e política, todos estes são temas azedos que o quarteto aborda espumando de ódio nas onze músicas de “Download Hatred”. Mas não se iludam: debaixo dessa porradaria sem limites, existem músicas muito bem arranjadas, mas todas mostrando um cuidado estético enorme em cada mínimo detalhe. Sim, é melhor tomar cuidado com os ouvidos!

E coloquem ainda as participações especiais das guitarras de Moyses Kolesne (do KRISIUN) em “Generalized World Infection”, o solo de Andreas Kisser em “Curva”, e os vocais de Shane Embury (do NAPALM DEATH) em “The Greatest Temptation”. É assassinato certo!

Melhores massacres do disco:

“Download Hatred” – O disco já abre com uma música rápida, agressiva e bruta, sem dar tempo ao ouvinte de se acostumar com tanta rispidez. Mas reparem como a bateria está fantástica (só a introdução já mostra isso), e ao mesmo tempo, os vocais estão ótimos, bem como os backing vocals nesse refrão absurdamente ganchudo.

“Blasphemous Corruption” – Outro ataque massivo de brutalidade sem dó dos ouvidos de quem quer que seja. Mas reparem como o grupo está com muitas mudanças rítmicas, um trabalho coeso e ótimo de baixo e bateria (muitos tempos quebrados), mas quem rouba a cena é o arsenal de riffs insanos e solos de primeira que eles mostram. E ainda existe um groove forte e evidente sob tanta agressividade sonora.

“Sinking” – O andamento fica mais cadenciado, mais técnico, embora existam alguns momentos mais velozes. Mais uma vez, as guitarras mostram um trabalho fenomenal, em especial nos solos bem colocados. E não descuidem dos tímpanos, pois é um azedume violento de primeira!

“Generalized World Infection” – Se você gosta de música para slamdancing incessante, que lhe permite dar stagedives infinitos, achou uma canção perfeita para isso. Ela é repleta de momentos voltados ao Death Metal (com muitas levadas no 1 X 1), mas é intensa e insana. E como é bom ouvir esses vocais bem encaixados na base instrumental.

“My Own Victory” – MEUS OUVIDOS, o que que é isso??? Haja resistência, já que a banda usa e abusa de mudanças de tempo de primeira, mesmo com uma velocidade abusivamente alta. Se esta canção não te empolgar com o trabalho perfeito de baixo e bateria, pode pular do vão central da Ponte Rio-Niterói, pois já está morto.

“The Greatest Temptation” – A atmosfera da canção no início é muito intensa, aterrorizante e cheia de momentos muito depressivos, pois os tempos são bem cadenciados. Fica óbvio que o trabalho das guitarras mais uma vez está perfeito, bem como os vocais estão finamente bem trabalhados. Mas não se enganem, pois existem momentos mais velozes e empolgantes em alguns pontos dela.

“Inverted Faith” – Outra que apresenta tempos levados em velocidade mediana (ou seja, nem veloz e nem muito cadenciado). É uma canção típica do quarteto, onde temos uma técnica instrumental muito boa, vocais fazendo um trabalho perfeito, e energia vazando aos borbotões pelos falantes.

“Metal or Die” – No início, alguns momentos mais técnicos e com clara influência do “Chaos A.D.”, mas logo entram tempos mais lentos, permitindo que a banda evolua muito bem em termos de instrumenta, embora algumas partes um pouco mais HC/Crossover surjam aqui e ali. Óbvio que o trabalho da base rítmica do quarteto está excelente.

“Curva” – Já sabem, é uma faixa cantada em português, cheia daquele feeling azedo nas guitarras que nos é tão conhecido do trabalho do grupo. E basta ouvir as narrativas que surgem aqui e ali, e vai perceber a mensagem dessa golfada cheia de ótimas guitarras.

“Paulada” – Outra cantada em nosso idioma pátrio, veloz e certeira, mas com alguns momentos memoráveis das guitarras. Óbvio que tem aquele jeitão Thrash Metal/HC que a banda nos oferece vez por outra. E se preparem para algumas passagens bem Grindcore.

No mais, “Download Hatred” é mais uma jóia do Metal extremo nacional, que tem no CLAUSTROFOBIA um de seus nomes mais fortes. E ninguém segura o Claustro!!!!

Vai encarar? 

É com vocês mesmos, mas manuseiem com muito cuidado, e PROTEJAM OS OUVIDOS E PESCOÇO!

Comentário(s):