8 de jul de 2014

Resenha: In Soulitary - Confinement (CD)

Nota 10,0/10,0

Por Marcos "Big Daddy" Garcia


E o sexteto IN SOULITARY retorna às páginas do Metal Samsara, e dessa vez com seu primeiro Full Length, "Confinement". E realmente, em relação a seu EP "He Who Walks", antes visto aqui mesmo, a banda deu um salto qualitativo absurdo (sem no entanto perder sua personalidade), e não foi à toa que a Shinigami Records abraçou a banda com unhas e dentes.

O trabalho do sexteto é longe do convencional, uma mistura de Thrash e Death Metal com aspectos mais técnicos e fortes do Metal extremo épico e muito de Metal tradicional aqui e ali (especialmente na estruturação melódica dos solos e harmonias das faixas), em um trabalho que poderia, nas proporções certas, ser comparado ao do MALEFACTOR brasileiro, com a diferença sutil da banda focar mais em em aspectos elegantes e melodiosos, e não tão brutal.

Produzido pela banda em parceria com Di Lallo, sendo que este último ainda mixou e masterizou o disco, e gravado inteiramente no AV Works Studio, podemos dizer que a produção atingiu seu objetivo de dar peso e clareza instrumental ao trabalho, já que o disco soa muito pesado e agressivo, mas ao mesmo tempo, os instrumentos estão audíveis e sem estarem embolados ou se sobrepondo. A arte, um trabalho do vocalista Marcelo Briani, ficou ótima, dando corpo à música do grupo.

In Soulitary
Musicalmente, o sexteto se mostra maduro, com um trabalho musical cheio de identidade e bem trabalhado, mostrando que a banda é centrada quando escreve suas canções. E o disco mostra uma preocupação extrema com os arranjos, o que torna as músicas cheias, e isso é importante. E ainda é mais brilhante devido à presença de convidados ilustres como Mario Pastore (vocalista do PASTORE e que participa em "Hollow" e "River of Souls"), Dimitri Brandi (vocalista/guitarrista do PSYCOTHIC EYES, fazendo os solos de "Ministry of Truth" e "River of Souls"), Luigi Regolini (segundo solo de guitarras em "The Key"), Lan Weiss (conhecida vocalista da cena paulista, que participa nos vocais em "The Key"), Michel "Dad" Liles (que faz as narrativas em "Devil's Playground" e "Ministry of Lies"), e Verônica O. Rodriguez (vocais em "Written to Life").

"Confinement" já nasceu um disco excelente. Basta ouvir canções como "Written in Life" (uma música envolvente, com belos duetos de guitarras e um andamento cativante), a trabalhada e dinâmica "Behind the Rows" (que belo trabalho de vocais, diga-se de passagem), a empolgante "Mouth of Madness" (vejam que guitarras excelentes em riffs e duetos, além de belas mudanças de andamento, e teclados fantásticos), a veloz e com toques de música clássica "River of Souls", a melodiosa e sinuosa "Ministry of Truth" (novamente ótimos vocais e grandes corais, e a letra se baseia no livro "1984", de George Orwell. Não deixem de ler o livro!), "The Key" (mais uma vez com vocais fantásticos, mas baixo e bateria mostram o porquê de serem a usina de força do sexteto), e a forte e melodiosa "True Religion", para terem a clara impressão do que digo, mas este é um disco ótimo como um todo. Podem ouvir de ponta à ponta sem medo.

Ótimo trabalho, e parabéns ao IN SOULITARY, aos seus convidados e à Shinigami Records por nos brindar com algo tão bom.

Lista dos Top 10 nacionais de 2013 com certeza!




Tracklist:

01. Burning Tsa
02. Hollow
03. Written to Life
04. Behind the Rows
05. Mouth of Madness
06. River of Souls
07. Devil’s Playground
08. Ministry of Truth
09. Raven King
10. The Key
11 Deep Fear
12. True Religion


Banda: 

Marcel Briani - Vocais
Danny Schneider - Guitarras
Rafael Pacheco - Guitarras
Elder Oliveira - Baixo
André Bortolai - Teclados
Matthew Liles - Bateria


Contatos:

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):