13 de out de 2014

Exodus, Hatefulmurder (05/10/2014 – Circo Voador - RJ)


Promoter: Blog’n Roll Produções
Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia
Fotos: Pedro Arantes (Exodus) e Carolina Pascoalette (Hatefulmurder)


Uma tarde extremamente quente do dia das eleições para Presidente, Governadores, Deputados Estaduais e Federais, e Senadores em todo Brasil prenuncia que os dias frios de inverno estão dando espaço aos dias do verão que se avizinha. Mas nem mesmo este dia de calor intenso e obrigação cívica fez com que o público fosse pequeno para mais um ótimo evento da Blog’n Roll Produções.

E desta vez, era hora do retorno de uma das bandas seminais do Thrash Metal americano às terras cariocas: EXODUS, que teve como convidado especial o quarteto carioca HATEFULMURDER fazendo as vezes de opening act do evento.

Antes, veio o “meet and greet” com o quinteto californiano, que mostrou simplicidade e bastante simpatia aos fãs sorteados, especialmente Steve “Zetro” Souza, que estava adorando estar na cidade e é extremamente simpático e carismático. Os outros aparentavam um pouco de cansaço (pois haviam tocado no dia anterior em São Paulo), mas mesmo assim, a disposição em atender os fãs com extrema educação e carinho foi enorme. E é justamente este tipo de comportamento que muitos ainda precisam aprender.

Hatefulmurder

Um pouco após as 18h30min, o HATEFULMURDER subiu ao palco e fez um ótimo show de abertura, aquecendo o público presente.

Mesmo com o espaço um pouco reduzido (devido à presença do equipamento de palco do EXODUS), a movimentação da banda ano palco é perfeita, com Felipe Modesto (baixo) e Renan Campos (guitarra) com ótima postura, agitando o tempo todo e sabendo incentivar o público. Já Felipe Lameira é um ótimo frontman, sabendo se comunicar muito bem com a platéia, agita bastante, sem ficar tempo demais parado no mesmo lugar. E mesmo Thomás Martin (bateria) mostra-se cada vez mais um dos melhores bateristas do Brasil, segurando bem o ritmo da banda sem perder o tempo, e mantendo um ótimo nível técnico.

Felipe e Renan

Hatefulmurder

O show deles só teve músicas do recém-lançado “No Peace”, e fizeram o público presente (que por algum mistério do mundo, não era tão bom quanto poderia. O Pai Marcão aqui NUNCA vai compreender o que leva uma pessoa a pagar para ver duas bandas e só ver uma delas...), tocando pancadas como “Gates of Despair”, “Worshippers of Despair”, e o hino “Scars to God”. E mais uma vez, a banda tocou uma versão mais agressiva e bruta de “N.I.B”, do BLACK SABBATH, que deixou a impressão que o velho Madman cantaria como Felipe se fosse um vocalista de Metal extremo.

Felipe Lameira

Thomás Martin

A banda foi muito bem, algumas rodas de pogo surgiram, e ganharam mais alguns fãs nessa noite, onde mostraram que a experiência de tocarem duas datas no Chile com o KILLSWITCH ENGAGE serviram para lapidar ainda mais o talento do quarteto.

Mais um pouco e as portas do exterior se abrirão definitivamente.

Setlist:
Intro
No Peace
Gates of Despair
Caught by The Arms of Death
Black Chapter
Worshipers of Hatred
Fear my Wrath
N.I.B (Black Sabbath)
Scars to God


Exodus

Após um breve intervalo para tomar uma aguinha fresca e ir ao banheiro, as luzes da casa se apagam, e vemos “Zetro” subir ao palco e cumprimentar o público, sendo seguido pelos outros.

Sim, o EXODUS estava mais uma vez no Rio de Janeiro, dessa vez com “Zetro” Souza nos vocais, e logo de cara, detonam a clássica “Bonded By Blood”, que levou o público à loucura e o slam dancing tomou conta da casa.

Ora bolas, é um show do EXODUS, bem conhecido pela insanidade e violência em seu mosh pit! E como o próprio “Zetro” disse: “quanto mais a roda durar, mais músicas tocaremos!”

Gary Holt

Steve "Zetro" Souza

Era um convite dos bons, e nem mesmo o Pai Marcão aqui resistiu (nem o colega da Hell Divine, Augusto Hunter), e foi parar no meio da roda em “And Then There Were None” e na truculenta “Fabulous Disaster”.

Que felicidade ver “Zetro” Souza no palco como frontman do quinteto, pois este lugar é dele, e sempre será (que me perdoem os fãs de Rob Dukes), e como ele esbanja simpatia e carisma (mesmo quando estava errando o nome de uma das canções e Gary o corrigiu às gargalhadas, e “Zetro” se desculpou com muito bom humor). Lee Altrus mostra segurança e é uma máquina de riffs e solos (e incrível ver como ele respeita os solos de Rick Hunolt, tocados com alterações mínimas). Jack Gibson é monstruoso na base rítmica, segurando bem o baixo enquanto o veterano Tom Hunting mostra boa técnica e uma pegada pesada na bateria (esse cara teve mesmo problemas de coração??? Não é possível!). E por último, o mago das seis cordas, o mestre Gary Holt, exibia excelente postura no palco, batendo cabeça, indo de um lado para o outro, enquanto detonava em bases sólidas e seus solos antológicos.

Tom Hunting

“Piranha”, “Metal Command”, “Pleasures of the Flesh”, “A Lesson in Violence”Era um autêntico desfile de clássicos de várias gerações, bem como ainda vieram as facadas “Blacklist” e “War Is My Shepherd”. Após a dobradinha clássica “Toxic Waltz” e “Strike of the Beast”, eles saem do palco, sendo chamados de volta pelos fãs, e retornam para uma encore. Mas antes, tocam uma Jam com trechos de “Rock You Like a Hurricane” do SCORPIONS, “Motorbreath” do METALLICA, “Phantom of the Opera” do IRON MAIDEN e “Stargazer” do RAINBOW, sempre brincando bastante com o público (Gary chegou a ajoelhar, simulando cansaço e rindo), e então, o quinteto dá os dois golpes finais do show: a clássica “The Last Act of Defiance” e “Good Riddance”. O público não parava de aplaudir, chamar pela banda, os saudar e o slam dancing estava INSANO, algo de outro mundo!

Lee Altrus e Gary Holt
Jack Gibson

No final, eles ainda saudaram o público com toda a educação, jogando palhetas e baquetas.


Setlist:

Bonded by Blood
Scar Spangled Banner
And Then There Were None
Iconoclasm
Metal Command
Fabulous Disaster
Children of a Worthless God
Piranha
Pleasures of the Flesh
A Lesson in Violence
Blacklist
War Is My Shepherd
The Toxic Waltz
Strike of the Beast
Encore:
Cover Jam ( Rock You Like a Hurricane/Motorbreath/Phantom of the Opera/Stargazer)
The Last Act of Defiance
Good Riddance


Um excelente evento, e nos resta agradecer à Blog’n Roll Produções (por trazer o EXODUS para a cidade), a 8X8 Live (por trazer o quinteto ao Brasil), ao HATEFULMURDER pelo ótimo show, ao Circo Voador por ser mais uma vez um ótimo espaço, ao público que se fez presente, e obviamente, a “Zetro”GaryLeeJack e Tom por mais um excelente show, e esperamos que eles voltem logo!!!
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário.
Liberaremos assim que for analisado.

OM SHANTI!

Comentário(s):