18 de mai de 2017

SKINLEPSY - DISSOLVED (Álbum)


2017
Shinigami Records
Nacional

Nota: 9,5/10,0


Tracklist:

1. Perfect Plan 
2. The Mentor 
3. Ask to Diablo 
4. The Hate Remains the Same 
5. Caustic Honor 
6. Dissolved 
7. Blood and Oil 
8. Insomnia 
9. A New Chance of Life 
10. Murder


Banda:


André Gubber - Vocais, guitarras, baixo
Leonardo Melgaço - Guitarras
Evandro Junior - Bateria


Contatos:

Site Oficial: 

Texto: Marcos “Big Daddy” Garcia


Uma das maiores vantagens da latinidade musical que o brasileiro parece trazer em seu DNA é a capacidade das bandas do país trazerem evoluções significativas a gêneros do Metal já bem desgastados pelo uso abusivo. São inúmeras as bandas que poderiam ser citadas como exemplo, e um dos mais fortes no quesito é o trio paulista SKINLEPSY. E uma ouvida em “Dissolved” mostra como isso é sensível.

Se compararmos a banda tendo como base o que fizeram em “Condemning the Empty Souls” de 2013, o grupo continua bruto e agressivo em um molde Thrash Metal que angaria alguns toques do Death Metal tradicional. Mas ao mesmo tempo, as linhas melódicas de suas canções lhes permitiu criar arranjos musicais mais bem trabalhados e polidos. 

Ou seja, o trio evoluiu bastante, mas sem abrir mão da personalidade musical que estabeleceram desde o início.

A produção de “Dissolved” ficou nas mãos de Roberto Toledo, e o disco foi gravado, mixado e masterizado no Studio 44, em São Paulo. E digamos: ele acertou a mão, pois a sonoridade do disco é um autêntico murro nos cornos, uma porrada bruta e agressiva, mas sem que tanta rispidez comprometesse a clareza instrumental. E os timbres dos instrumentos foram muito bem escolhidos, já que soam com uma ferocidade enorme, mostrando som visceral não significa sujeira excessiva.

E a arte gráfica de Jean Michel, da DSN ART, para a capa, é assustadoramente intrigante, dando corpo à música que o trio destila. 

Se uma palavra pode descrever “Dissolved”, esta é: maturidade.

Sim, pois mesmo soando violento e ríspido, se percebe uma preocupação em lapidar bem as composições, de preencher os espaços com arranjos bem feitos, guitarras com riffs causticantes, solos com boa dose de melodia (sem perder o tino agressivo essencial), base rítmica sólida e bem trabalhada (baixo e bateria estão fantásticos). 

O disco mostra momentos ótimos, mesmo sendo claro que o grupo fez um trabalho musical bem homogêneo e nivelado por cima. “Perfect Plan” e seus riffs agressivos sob uma base rítmica variada e andamento que alterna entre uma velocidade alta e momentos mais lentos; a porrada nos dentes da também veloz “The Mentor” (que trabalho de bateria excelente, além de solos bem encaixados!); o arregaço em velocidade mediana de “Ask to Diablo”, onde as vozes ferozes se alternam com timbres sussurrados muito bem sacados; a causticante e tradicional “Caustic Honor” (tradicional no sentido de estar mostrando a típica pegada Thrash/Death Metal brasileira); a azeda e rica em riffs ganchudos “Dissolved”; a brutalidade explícita de “Blood and Oil” (onde a segurança do baixo se mostra essencial para o trio); e a raivosa e opressiva de “A New Chance of Life” e “Murder” podem ser ditas como os grandes momentos desse álbum.

Um disco forte, “Dissolved” é capaz de abrir portas na Europa e Estados Unidos facilmente para o SKINLEPSY. Então, aproveitem e valorizem esta obra de arte do Metal brasileiro!

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentário(s):