2 de fev de 2017

BURN THE MANKIND: reafirmando parceria com luthier da Electar Guitars


Vitimas de um assalto em Porto Alegre há exatamente um ano, logo após um ensaio, os integrantes do BURN THE MANKIND precisaram contar com o apoio de diversas pessoas para se restabelecer durante este período, chegando, inclusive, a tocar com instrumentos emprestados. Porém, apesar de todas as dificuldades, o grupo se viu mais unido e forte do que nunca, e dentre os inúmeros apoiadores está o luthier Sidnei dos Santos, da Electar Guitars. Em comunicado oficial, a banda declara: “temos o privilégio de mais uma vez contar com o apoio do Sidnei, que desde 2012 dá suporte ao grupo. Pra quem não sabe, uma das guitarras usadas na gravação de “To Beyond” foi uma Electar.”. O primeiro contemplado desta reafirmação de parceria é o vocalista/baixista Pedro Webster, no qual foi desenvolvido um baixo de cinco cordas modelo “Burn”.

Para maiores informações e orçamentos:
Luthier Sidnei dos Santos 
Tel.: (51) 98227-127

Ainda em promoção de “To Beyond”, o BURN THE MANKIND concedeu uma entrevista para o site Recife Metal Law, onde conta detalhes de sua trajetória, destacando o conceito lírico que o álbum aborda. Segundo Pedro Webster, “a parte lírica do álbum contém críticas sociais e individuais, tais como o domínio de poucos sobre muitos, o medo e alienação que somos submetidos no dia a dia através da mídia, a falta de humanidade presente na forma de poderes que nos condicionam a formas de escravidão. Tais problemas servem de abertura para conceitos que visam uma superação e podem se desenvolver para além de nossa temática. Deste modo, uma construção ideológica fica aberta para o ouvinte poder relacionar com e soluções que fazem parte de sua realidade.”.


Leia a entrevista completa e a resenha de “To Beyond”: https://goo.gl/86HdGL

Para levar a banda para tocar em sua cidade, o BURN THE MANKIND conta com o apoio da agência e produtora de shows Open the Road, basta entrar em contato através do seguinte e-mail: opentheroadtour@gmail.com

Contatos:


Comentário(s):